quinta-feira, 11 de maio de 2017

#MemóriaDaTV - 'Força de Um Desejo', pouca repercussão na estréia e bem sucedida na reprise


Data de Estréia: 10 de maio de 1999
Autoria: Alcides Nogueira e Gilberto Braga
Data do Último Capítulo: 28 de janeiro de 2000
Capítulos: 226

Transmitida pela Rede Globo e escrita por Gilberto Braga e Alcides Nogueira, o primeiro capítulo de Força de Um Desejo foi ao ar no dia 10 de maio de 1999, substituindo a sem sucesso Pecado Capital e sendo substituída por Esplendor. Seu último capítulo, de número 226, foi ao ar em 28 de janeiro de 2000, sendo assim uma das novelas mais longas que a Rede Globo já apresentou.

Malu Mader protagonizou a novela na pele da cortesã Ester Delamare
Enredo e Personagens Principais
A história de Força de Um Desejo se passa no século XIX. Malu Mader interpretou a protagonista Ester Delamare, que lutava contra a escravidão da época e era dona do bordel mais famoso no Rio de Janeiro. Seu amor era disputado pelo Barão Henrique Sobral (Reginaldo Faria) e pelo filho dele, Inácio (Fábio Assunção).

Malu Mader e Fábio Assunção em 'Força de Um Desejo'
Barão era casado com Helena (Sônia Braga), com quem teve Inácio. Ela teve ainda Abelardo (Selton Mello), fruto de sua traição com o fazendeiro Higino Ventura (Paulo Betti), mas foi criado como se também fosse o filho legítimo de Henrique.


Selton Mello, como Abelardo; Sônia Braga como Helena; e Fábio Assunção nos bastidores
Sônia Braga e Reginaldo Faria, como Barão de Sobral, que termina assassinado no decorrer da novela
Higino era casado com Bárbara (Denise del Vecchio), com quem teve Alice (Lavínia Vlasak), que só pensa em se tornar uma nobre de qualquer maneira. Higino era ainda fascinado pela escrava branca Olívia (Cláudia Abreu), que o rejeitava por estar apaixonada pelo jovem médico Mariano Xavier (Marcelo Serrado).


Higino
Olívia é a escrava branca que Higino tanto queria
Denise del Vecchio (à esquerda) e Lavínia Vlasak em cena da novela
Olívia é fruto de um fazendeiro e de uma escrava já bastante clara, como foi descrita pela trama. Seu pai a reconhecera como filha - ainda que a família dele não aceitasse tal situação -, deu-lhe o nome de Ana Tambellini, educou-a e redigiu a sua carta de alforria. Porém, o grande erro do homem fora não registrar o documento oficialmente. Após a morte dele, sua filha mais velha, Dora (Thereza Piffer), tomada de inveja, rasgou o documento e quis fazer de Ana uma escrava. Por este motivo a jovem fugiu e mudou de nome, sendo procurada pela polícia. Higino tomou conhecimento de toda história da escrava, e por isso decidiu entregá-la para depois comprá-la e usá-la como escrava sexual, fazendo da vida de Olívia um verdadeiro inferno.
Helena é filha de Idalina (Nathália Timberg), que sonhava muito com o casamento de um de seus netos com a filha de Higino, Alice, para que, enfim, pudesse ter de volta todo o patrimônio que sua família havia perdido. No passado, senhores de engenho venderam suas terras à Henrique Sobral, marido de Helena, quando a economia favoreceu o ciclo do café. Mais tarde, problemas financeiros fizeram com que Sobral vendesse parte de suas terras para Higino.


Lavínia Vlasak viveu Alice, que queria muito ser nobre

Nathália Timberg foi a ambiciosa Idalina
Gilberto Braga e Alcides Nogueira prepararam ainda um mistério: "Quem matou o Barão Henrique Sobral?". O homem fora assassinado misteriosamente durante a festa de noivado entre Abelardo e sua amada, Juliana (Júlia Feldens). Todos acreditaram que o verdadeiro culpado era seu próprio filho, Inácio. Houve uma corrida contra o tempo para que ele não pagasse pelo crime que não cometeu, e assim, no último capítulo, a verdadeira identidade do assassino veio à tona: Bárbara, que também fora culpada pelas mortes de Helena e do padre Olinto (Abraão Farc).

Bárbara matou três em A Força de Um Desejo e confessou o crime

Produção
Como restam poucos lugares que preservam características arquitetônicas do passado do Rio de Janeiro, a equipe de efeitos visuais da novela inseriu, em algumas cenas, imagens de época da cidade, transformadas com o tempo.
A sequência da ópera que vai ao ar no primeiro capítulo – o terceiro ato de Bodas de Fígaro, de Mozart – foi gravada no Teatro Municipal de Niterói, com a participação de 100 figurantes. Força de um Desejo também teve cenas gravadas na praia de Grumari, no Alto da Boa Vista e no Forte São João, na Urca, todos pontos turísticos cariocas.
A consultora Clarisse Fukelman fez uma extensa pesquisa histórica sobre o século XIX. Esse material foi fornecido aos responsáveis pelo figurino, pela caracterização dos personagens, pela cenografia e pela direção de arte da novela.

Figurino e Caracterização
A caracterização dos atores – que em uma novela de época demora mais tempo para ficar pronta do que em tramas com temáticas contemporâneas – ficou a cargo de Marlene Moura e incluiu cabelos repartidos ao meio e costeletas, no caso dos homens, e apliques até a cintura, vestidos pesados e maquiagem em tons pastel para as mulheres. Alguns atores fizeram interlace para aumentar o comprimento dos cabelos, como Dira Paes (Palmira), Daniel Dantas (Bartolomeu), Chico Diaz (Clemente) e Malu Mader (Ester), que também usou cílios postiços. O ator José de Abreu teve a cabeça parcialmente raspada e adotou e uma falsa barriga para viver o português Pereira. Uma das inspirações para a caracterização dos personagens nobres foi O Leopardo (1963), de Visconti, clássico do cinema italiano que se passa na mesma época que a novela.
Os figurinos consumiram 3.000 metros de tecidos diversos, como linho, tafetás de seda pura e adamascados ingleses e fibras naturais, usadas nos figurinos dos escravos. O guarda-roupa de Ester foi inspirado nas roupas de Sissi, imperatriz da Áustria.
A figurinista Beth Filipecki conta que trouxe peças, tecidos e materiais importados para a confecção das roupas de época da novela. Muitas delas foram feitas em ateliês fora da TV Globo.

Exibição
No ar entre 10 de maio de 1999 e 28 de janeiro de 2000, em 226 capítulos Força de Um Desejo acumulou média geral de 27 pontos, sendo considerada razoável para a emissora que exigia 30. Foi reprisada entre 26 de setembro de 2005 e 10 de fevereiro de 2006 em 100 capítulos, obtendo média geral de 15 pontos, também considerada razoável, pois a meta na época era de 18 pontos.
A novela fez muito mais sucesso na Itália, quando foi transmitida em 2001, e reprisada poucas semanas depois em outro canal de lá devido à sua boa repercussão. Foi reapresentada na Itália por quatro vezes, sendo a última reprise feita em 2016.


Trilha Sonora


Com 14 faixas, o álbum da novela, estampado pela protagonista Ester (Malu Mader), conta com interpretações das Orquestras Sinfônicas de Filadélfia e de Viena, Sandra de Sá, Virgínia Rodrigues, Daniela Mercury, Simone, Fafá de Belém, André Rieu, Roger Henri (que também produziu a trilha sonora) e Jacques Molerenbaum. O Jacques fez sua versão da canção de 1994, de Tom Jobim, 'Tema de Ana', feita por Tom para sua mulher antes de morrer.
  1. O amor para mim - Daniela Mercury (tema de Juliana e Abelardo)
  2. Dono de mim - Sandra de Sá (tema de Jesus e Zulmira)
  3. Rosas do Sul (Roses Du Sud) - André Rieu
  4. Valsa do desejo - Simone (tema de Ester e Inácio)
  5. Doce prisão - Fafá de Belém (tema de Olívia e Mariano)
  6. Vida de artista (Vie D'Artiste) - André Rieu
  7. Serenata - Orquestra de Filadélfia
  8. A viagem do café - Roger Henri
  9. Valsa em dó sustenido menor, op. 64, n° 2 - Orquestra de Filadélfia
  10. As terras do barão - Roger Henri (tema principal)
  11. Mimar você - Virgínia Rodrigues (tema de Zulmira)
  12. Emperor valse, op. 437 - Orquestra Filarmónica de Viena
  13. Annen Polka (Polca de Ana) - Orquestra Filarmónica de Viena
  14. Tema de Ana - Jacques Morelenbaum (tema de abertura)

Curiosidades
  • Força de Um Desejo marcou a volta da atriz Sônia Braga à TV. Ela estava longe do veículo desde 1980, investindo em sua carreira de atriz internacional. Depois desta novela, ela volta somente em 2006, participando de Páginas da Vida, sua última novela até o momento.
  • Parte dos atores teve de aprender, ainda, a lutar esgrima, praticar equitação e caligrafia, além de trabalhos com o corpo para que a postura condissesse com o momento histórico retratado.
  • Apesar da sinopse da trama ter sido escrita por Alcides Nogueira na década de 80, foi Gilberto Braga que desenvolveu o projeto anos depois, a pedido da emissora. Como Alcides se dedicava, na época, com a produção de Torre de Babel, não houve outra alternativa: ambos os autores assinaram a autoria da obra.
  • Foi exportada para países como Bolívia, Cabo Verde, Canadá, Chile, Espanha, Grécia, México, Nicarágua, Panamá, Peru e Portugal.
  • Foi a última novela de Selton Mello, que só volta à Globo para fazer séries ou minisséries. O ator também passou a investir em sua carreira cinematográfica.