sexta-feira, 5 de maio de 2017

Morre aos 70 anos o cantor de samba Almir Guineto


O cantor e compositor Almir Guineto morreu na manhã desta sexta-feira (05), em decorrência de complicações provocadas por insuficiência renal crônica. A doença fora diagnosticada no final de 2015, e foi por isso que o sambista estava afastado dos palcos desde junho de 2016.
Nascido em 12 de julho de 1946, Almir veio de uma família de músicos e tinha contato com o samba desde sua infância. Seu pai, Iraci de Souza Serra, era violinista e integrava o grupo Fina Flor do Samba, e sua mãe, Nair de Souza, trabalhava como costureira e era uma das principais figuras da Acadêmicos do Salgueiro. Seu irmão, Francisco, mais conhecido como Chiquinho, foi um dos fundadores do grupo Os Originais do Samba, enquanto Almir era fundador do grupo Fundo de Quintal, isso no começo dos anos 80.
Sua carreira na música começou em 1969, quando Almir tornou-se um dos diretores da Salgueiro, sendo também mestre de bateria e parte do grupo de compositores que frequentavam o Bloco Carnavalesco 'Cacique de Ramos'. Em 1979, o cantor se mudou para São Paulo e fazer parte do grupo de cavaquistas dos Originais do Samba.
Dos anos 80 até aqui, o cantor já lançou mais de 15 álbuns e muitos sucessos, incluindo 'Insensato Destino', 'Mel na Boca', 'Mordomia', 'Caxambu', 'Jiboia', 'Conselho' e 'Rendição'.