quinta-feira, 15 de junho de 2017

Após luta contra o câncer, Edson Celulari mostra energia na TV


Edson Celulari ganhou uma nova chance de viver. Após se submeter a um severo tratamento contra um câncer, o ator demonstra energia no trabalho com o personagem Dantas, em 'A Força do Querer', novela das 21h da Globo. Na trama, ele interpreta um ambicioso advogado que acredita não ter o reconhecimento que merece na empresa dos irmãos, Eurico (Humberto Martins) e Eugênio (Dan Stulbach). E agora que o casamento de sua filha, Cibele (Bruna Linzmeyer), com Ruy (Fiuk) não aconteceu, ele terá de encontrar outro jeito de ascender na C. Garcia.

Na entrevista a seguir, o ator de 59 anos fala sobre a conversa que teve com Glória Perez após descobrir o linfoma não-Hodgkin, que atinge o sistema linfático; como o convite para fazer o Dantas em A Força do Querer o animou durante o tratamento e a gratidão que sente aos fãs que o apoiaram neste momento tão difícil. Além disso, Edson reflete sobre o modo de olhar a vida depois da doença, o que acha do rótulo de galã e as ambições do personagem na novela.

Edson, como Dantas em A Força do Querer
Pergunta - Antes de ser diagnosticado com câncer, você já estava reservado para A Força do Querer. Como foi sua conversa com a Glória Perez?
Edson Celulari - A Glória tinha dúvidas se eu poderia ou não fazer o personagem, mas me ligou e disse: “Quero você de qualquer jeito, com cabelo ou sem... Como está o seu tratamento?”. E aí, quando fui ler, me diverti muito. O querer do Dantas é ser reconhecido dentro da empresa. Agora, o mistério a gente aguarda nos próximos blocos que é pra onde esse personagem vai andar. As novelas da Glória têm sempre isso, pois ela desenvolve conforme vai assistindo. Estou muito feliz com essa volta e com o Dantas, que é um personagem pra cima. Era o que eu precisava.

Pergunta - Durante o tratamento, te fortaleceu de alguma forma saber que havia um trabalho esperando por você?
Celulari - Quando você está numa situação de um tratamento, como o que eu passei, ter uma luz no final do túnel é maravilhoso. Era um grande estímulo pra mim. Fiquei parado um tempo, mas queria voltar a trabalhar, me divertir e me fortalecer.

Pergunta - Você esperava receber tanto carinho do público durante o seu tratamento?
Celulari - Você espera que o público que acompanha o seu trabalho, que tem uma repercussão nacional, se manifeste. Mas, diante dessa situação, foi comovente ver a reação com relação a fé. Eu tinha que pegar avião para ir para São Paulo, onde era o tratamento, e foi realmente emocionante em vários momentos, pois as pessoas me abordavam falando da torcida, comentando sobre as orações. Foi importante pra mim isso.


Pergunta - O que se passou pela sua cabeça durante o tratamento?
Celulari - Você tem a oportunidade de rever a sua vida. Acredito que eu tenha aproveitado, porque é um grande susto. Eu fiquei recolhido, vivi da minha forma, mas não é simples. Você sai mais forte, com os seus valores revistos, dando importância ao que realmente merece. Voltei melhor.

Pergunta - Você é considerado um galã. O que acha do rótulo?
Celulari - Isso é algo que colocaram em mim. Eu não posso seguir a minha carreira e fazer a vida em função de um rótulo. O que é um galã? É um homem ideal? Se for, eu sou quase um velhinho ideal (risos). Mas não tem problema, pois sempre procurei fazer os meus personagens independentes desse rótulo.

Pergunta - Seu personagem na novela, o Dantas, é um sedutor incurável?
Celulari - Eu até fiz o (personagem) Dom Juan, do Molière, no teatro, um arquétipo masculino sedutor... Acho que o Dantas passa por isso, mas tem nele componentes que todo humano teria. O Dom Juan tem uma rotatividade maior que o Dantas, porque fica tudo na sedução e, uma vez conquistado, é que nem mulher com sapato e bolsa, porque interessa aquele que você não tem. O personagem vivencia essa relação afetiva até o momento em que acaba. Ele investe com maior profundidade no relacionamento do que um Dom Juan.

Pergunta - Na trama, você acha que, em algum momento, o Dantas pode passar o Eurico e o Ruy para trás na empresa?
Celulari - O Dantas é ambicioso, mas até onde ele vai chegar ninguém sabe, mas o que vier a gente vai tentar resolver de uma forma humana e verdadeira. O que servir à história da Glória, vou fazer.

Fonte: Diário da Região