sábado, 3 de junho de 2017

“Foi um caso isolado”, diz tio de Andreas Richthofen

Em carta exclusiva entregue à VEJA SÃO PAULO, o tio Miguel Abdalla Netto, que foi tutor de Andreas Richthofen desde o crime da irmã até ele fazer 18 anos, esclareceu a situação do sobrinho, encontrado na última terça (30) com as roupas rasgadas. “Foi um episódio isolado de descontrole emocional”, afirma.


Na publicação, Netto nega a informação que foi divulgada que Andreas estaria na Cracolândia. “Não é verdade. Foi encontrado em bairro perto de onde reside, na região de Santo Amaro, e levado para o Hospital Municipal de Campo Limpo, onde novamente sua imagem foi exposta indevidamente”, completou.
Na última terça-feira (30), o rapaz Andreas von Richthofen, de 29 anos, foi internado na ala psiquiátrica. Ele apresentava sinais de confusão mental, depois que tentou invadir uma casa que dizia ser de um tio dele, em Santo Amaro.


Atualmente, ele está em tratamento na Casa de Saúde São João de Deus, em Pirituba. Andreas já recebeu a visita de familiares e está sendo bem cuidado.“Deixem que o Andreas retome suas atividades normais. Ele é uma vítima disso tudo”, declarou a advogada Maria Aparecida Cardoso Frosini Evangelista, responsável pelo caso.Ele é o único familiar com direito à herança do casal Manfred e Marísia von Richthofen, já que Suzanne foi deserdada após uma batalha na Justiça. Andreas tinha 15 anos em 2002, época do assassinato dos pais, crime que contou com a participação da irmã.

Fonte: VEJA SP