quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Orfanato recebe videoteca do presídio de Cabral, que tinha até títulos infantis


RIO - Após a polêmica instalação de uma videoteca na Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, onde estão presos o ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) e outros presos da Lava-Jato no Rio, o equipamento foi doado para o orfanato Casa do Menor São Miguel Arcanjo, em Nova Iguaçu. O GLOBO conversou com a presidente da entidade, Lúcia Cardoso, que disse que a televisão de 65 polegadas, home theater, aparelho de DVD e 160 filmes Blue Ray foram entregues na tarde desta quarta-feira.
Na unidade do abrigo em que o equipamento ficará, moram 40 crianças especiais e adolescentes. A instituição tem 31 anos de funcionamento e atende também, em outras unidades, cerca de 700 adolescentes que fazem cursos profissionalizantes.
Lúcia conta que só soube que os equipamentos faziam parte da videoteca do presídio de Cabral quando a imprensa ligou para o orfanato.
- Não me liguei no que estava acontecendo - conta a presidente da instituição, afirmando que não teve tempo de ver quais são os títulos dos 160 DVDs, mas que, entre eles, há filmes infantis.
De acordo com o Lúcia, será feita uma seleção dos filmes que podem ou não ser usados com as crianças e adolescentes. O material e os equipamentos, que podem valer entre R$ 8,5 mil e R$ 15 mil, serão usados em aulas de reforço escola e atividades pedagógicas.
Lúcia disse que o orfanato é cadastrado junto ao governo do estado para receber doações. Nesta quarta-feira, ela recebeu uma ligação falando sobre a doação dos equipamentos e consultou as áreas jurídica e fiscal da instituição. Só depois disso foi que o trâmite para o recebimento dos aparelhos foi feito.
A instituição já recebeu outras doações do governo do estado, como móveis e computadores, e uma van que serve para levar as crianças para a escola e a hospitais. A Receita Federal já doou roupas e eletrônicos apreendidos.
Além das unidades no Rio, a Casa do Menor tem outras no Ceará e Alagoas, onde moram 150 crianças e adolescentes.

A POLÊMICA
Também nesta quarta-feira, o Ministério Público do Rio requisitou à Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap) informações sobre a instalação e doação de equipamentos para a videoteca que funcionaria na cadeia onde está Cabral. A Seap cancelou ontem a suposta doação de equipamento de TV, DVD e home theater para a instalação da videoteca no presídio em Benfica. A secretaria informou que os aparelhos foram doados pela Igreja Batista do Méier e pela Comunidade Cristã Novo Dia. A decisão foi tomada após três voluntários da Igreja Batista do Méier, que assinam o termo de doação ao presídio, afirmarem que foram enganados por alguém de dentro da cadeia.
Segundo o "Jornal Nacional", da TV GLOBO, a compra dos equipamentos teria sido feita em dinheiro vivo a mando de Wilson Carlos, ex-secretário de governo preso junto com Cabral. Ele seria o responsável por operar a sala. A cada três dias de trabalho, a pena de Wilson diminuiria um dia. A nota fiscal da aquisição estava em nome de Eliana Nogueira do Carmo, que negou que tenha comprado os objetos.

Fonte: O Globo