sábado, 11 de fevereiro de 2017

Para renovar elenco, Globo demite atores veteranos; veja quem já perdeu o emprego

Para renovar o seu elenco, a Globo tem encerrado contratos longos com veteranos. Assim, deixou de renovar com nomes que estavam na emissora havia mais de duas décadas, como Maitê Proença, Kadu Moliterno e Pedro Cardoso. Nesta semana, André Gonçalves passou a integrar essa lista. Para trabalhar na Globo agora, só com acertos por obra certa, com a duração de uma novela, por exemplo.
Por outro lado, novatos como Rafael Vitti, Isabella Santoni e Felipe Simas, revelados na temporada de 2014 de Malhação, fecharam vínculo duradouro (de três anos) enquanto estavam na novela adolescente.
Os três não negam trabalho: Vitti fez a primeira fase de Velho Chico, trabalhou no quadro Truque Vip, do Domingão do Faustão, e atualmente protagoniza Rock Story; Isabella migrou de Malhação para a minissérie Ligações Perigosas e agora vive a chata Letícia de A Lei do Amor; já Simas protagonizou Totalmente Demais, ganhou a Dança dos Famosos de 2016 e já está gravando Os Dias Eram Assim, próxima novela das 23h.
A ideia da Globo é investir justamente em profissionais produtivos, como o citado trio de Malhação ou a jovem estrela Marina Ruy Barbosa, que emendou seis novelas e duas minisséries em menos de sete anos. Atores que trabalham menos só serão mantidos se forem considerados indispensáveis _casos de Fernanda Montenegro, Tarcísio Meira, Gloria Pires e Adriana Esteves.
Em nota oficial, a Globo confirma a proposta de renovação do elenco. "O nosso banco de talentos é um ativo permanente, mantido com o cuidado e o investimento de sempre. Não é novidade que exista uma dinâmica entre contratos de prazo longo e de obra certa. Nós não estamos alterando o tamanho do nosso banco de atores e sim renovando os nomes", afirma o departamento de comunicação da emissora.
Confira nove atores que tiveram destaque na Globo no passado, mas acabaram com o contrato interrompido depois de muitos anos:


André Gonçalves
O contrato do ator com a emissora chegou ao fim no início da semana e não foi renovado. Ele estava na Globo desde 1991, quando fez o Matosinho na novela Vamp. Saiu da emissora brevemente em 2002, quando fez o reality Casa dos Artistas 2, no SBT.
Entre seus papéis de destaque, compôs o homossexual Sandrinho de A Próxima Vítima (1995) e o Venâncio de Senhora do Destino (2004). Nos últimos anos, fez apenas participações em Império (2014), Malhação (2015) e no fracassado humorístico Tomara que Caia (2015). Também disputou o Super Chef Celebridades, do Mais Você.


Cristiana Oliveira
A eterna Juma Marruá de Pantanal (1990) foi revelada na Manchete, mas foi contratada pela Globo já com status de protagonista da novela De Corpo e Alma (1992). Também estrelou Quatro por Quatro (1994), Corpo Dourado (1998) e Vila Madalena (1999).
Com a virada do milênio, passou a interpretar papéis menores em novelas como O Clone (2001) e Paraíso (2009). Seus últimos papéis na Globo foram a presidiária Araci de Insensato Coração (2011) e a perua Yolanda de Salve Jorge (2012), que saiu da trama antes do fim por falta de função. Após 21 anos, a Globo rompeu o contrato com a atriz, atualmente na Record.


Danielle Winits
Mulher de André Gonçalves, a atriz está com o marido na lista de dispensados pela Globo. Dani construiu sua carreira na emissora, lançada aos 19 anos na minissérie Sex Appeal (1993). Ficou marcada pelos papéis sensuais em obras do autor Carlos Lombardi, como Uga Uga (2000), O Quinto dos Infernos (2002) e Kubanacan (2003).
Depois de interpretar a médica Amarilys em Amor à Vida (2013), não conseguiu mais trabalho na emissora e participou das séries As Canalhas (2014), do canal GNT, e #PartiuShopping (2015), do Multishow (ambos da Globosat). Mesmo após o fim de seu contrato, em 2015, fez episódios de Tomara que Caia e alguns capítulos de Totalmente Demais (2016).


Joana Fomm
Conhecida como a vilã Yolanda de Dancin’ Days (1978) e pela religiosa Perpétua de Tieta (1989), Joana ficou na Globo entre 1977 e 1993. Depois disso, revezou novelas na emissora com trabalhos no SBT, na Record e até na Band.
Voltou para a Globo com contrato no fracasso Bang Bang (2005) e precisou recusar convites para Paraíso Tropical (2007) e Insensato Coração (2011) porque lutava contra um câncer. Curada, chegou a usar o Facebook para pedir emprego e conseguiu um papel na atual temporada de Malhação.


Kadu Moliterno
Foram 35 anos na Globo, onde ficou marcado por viver Juba na inovadora série Armação Ilimitada (1985-1988). Mas também protagonizou a primeira versão de Paraíso (1982) e o remake de Anjo Mau (1997) e fez coadjuvantes em mais de 20 obras na emissora.
Depois de atuar na temporada 2011 de Malhação, participou da Dança dos Famosos em 2012 e entrou no meio de Alto Astral (2014) como o vilão Pedro Romantini. Em 2015, foi dispensado de seu contrato e assinou com a Record, onde fez A Terra Prometida e estará em Belaventura. "Preciso pagar minhas contas", disse ao migrar para a nova emissora.



Luiz Fernando Guimarães
O ator passou três décadas na emissora, onde atuou nas novelas Vereda Tropical (1984) e Cambalacho (1986), mas ficou conhecido mesmo por seu lado humorístico _resquício da participação no grupo de teatro Asdrúbal Trouxe o Trombone. Participou do humorístico TV Pirata (1988-1990) e apresentou programas que marcaram época, como Programa Legal (1992), Brasil Legal (1995-1997), e o quadro Vida ao Vivo Show (1998), do Fantástico.
Conquistou uma nova geração de espectadores como o Rui de Os Normais (2001-2003), que fez tanto sucesso que rendeu dois filmes, em 2003 e 2009. Tentou repercutir a repercussão da série com Minha Nada Mole Vida (2006-2007) e Dicas de um Sedutor (2007), mas não conseguiu. Seu último trabalho na Globo foi Divertics (2013). Sem contrato renovado, buscou emprego no Multishow, onde fez a série Acredita na Peruca (2015).


Maitê Proença
Ícone de beleza e sensualidade, Maitê chegou à Globo já como protagonista de As Três Marias (1980). Foi para a Manchete estrelar Dona Beija (1986), mas voltou para a Globo em 1987, como a Camila de Sassaricando (1987). Destacou-se como a professora Clotilde de O Salvador da Pátria (1989) e como uma das Helenas de Manoel Carlos em Felicidade (1991).
Seu último papel na emissora foi como a fogosa Dionísia da novela Liberdade, Liberdade (2016), na qual chamou a atenção nos bastidores por pedir uma dublê de bumbum para uma cena de nudez na banheira. O contrato de Maitê foi rompido no fim do ano passado.


Pedro Cardoso
Ator e roteirista, ele se destacou pelas duas funções na Globo: escreveu TV Pirata em 1988 e Comédia da Vida Privada (1995-1997) e atuou em Vamp (1991) e Pátria Minha (1994). Mas seu papel de maior destaque foi o Agostinho Carrara de A Grande Família (2001-2014). Mas, com o fim da série, ele foi dispensado pela emissora.
Em entrevista à rádio Jovem Pan no ano passado, Cardoso disse que a Globo não soube valorizar seu talento. "Eu achava que a emissora me ofereceria um horário para eu desenvolver um projeto autoral. Mas eles não tiveram nenhum interesse e desprezaram minha história lá dentro", desabafou. Um projeto criado por ele e pela mulher, Graziella Moretto, o quadro de improviso Uãnuêi, não emplacou com o público do Fantástico em 2014.


Pedro Paulo Rangel
Contratado pela Globo em 1972, o ator protagonizou O Noviço (1975) e teve papéis de destaque em Vale Tudo (1988), Pedra Sobre Pedra (1992), O Mapa da Mina (1993) e Belíssima (2005). Comediante, também participou dos programas Viva o Gordo (1981-1987) e TV Pirata, de 1989 a 1992. Seu último trabalho na emissora foi a criticada série O Dentista Mascarado (2013). Neste ano, estará em Prata da Casa, série nacional exibida pela Fox.

Fonte: Notícias da TV

Jornalistas da Record que investigam caso Odebrecht são presos na Venezuela

Os jornalistas Leandro Stoliar e Gilzon Souza, da Rede Record, que investigavam as denúncias de suborno por parte da construtora Odebrecht na Venezuela, foram detidos neste sábado (11) pelo Serviço de Inteligência venezuelano no estado Zulia, no norte do país - denunciou a ONG Transparência Venezuela.
"A comissão do Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional (Sebin) os deteve e os acompanhou até sua sede em Maracaibo para ter uma entrevista. Ao chegar, tiraram seus telefones celulares. A Transparência Venezuela exige sua libertação", declarou a ONG em um comunicado.
A organização relatou que os repórteres coletavam "informações na obra da Odebrecht: segunda ponte sobre o Lago de Maracaibo, no estado Zulia". Também foram detidos os ativistas José Urbina e María Jose Túa, que os acompanhavam.
Em nota, o Sindicato Nacional de Trabalhadores da Imprensa também lamentou a detenção dos jornalistas e exigiu sua soltura.
Na semana passada, o Parlamento aprovou a investigação do caso da Odebrecht, em um debate que contou com a presença de legisladores da bancada governista. A Comissão da Controladoria convocou os representantes legais da empreiteira brasileira na Venezuela para prestar esclarecimentos.
Em 26 de janeiro, o Ministério Público confirmou que pediu informações sobre o caso ao MP do Brasil e solicitou ordem de captura internacional contra uma pessoa não identificada, que estaria ligada ao escândalo.
Também na semana passada, o presidente Nicolás Maduro se comprometeu a concluir as obras da construtora.
Segundo declaração do ex-presidente da companhia Marcelo Odebrecht, atualmente preso, a Venezuela é o segundo país da América Latina, onde a construtora pagou mais subornos, chegando a US$ 98 milhões. Fica atrás apenas do Brasil.

Fonte: EM.com.br

Família de gêmeas adotadas por Madonna vive com R$ 1,50 por dia na África


Madonna acaba de adotar as gêmeas Stella e Esther. Vindas do Malawi, as meninas tinham uma vida pobre no país, ao lado de três irmãos mais velhos: Alinefe, Tifa e Kennedy. A condição da família é bastante precária. Eles vivem em uma casa feita de tijolo, com pouco mais de R$ 1,50 por dia. Não há camas e nem água encanada. Também são poucos os móveis e objetos da moradia, que tem telhado preso por pedras. O banheiro improvisado fica do lado de fora, e é dividido com mais cinco famílias do mesmo povoado africano.
"Estou feliz que elas são parte de uma nova família e agora têm uma mãe que vai amá-las. Quero que eles cresçam amadas por pessoas que sejam capaz defendê-las (...) elas terão uma boa educação e poderão viver seus sonhos", disse Alinefe, em entrevista ao Daily Mail. "Nós descobrimos há uma semana que elas estavam indo para os Estados Unidos. Eu não sei onde fica, mas estou feliz por elas", contou Tifa.
A mãe da meninas, que se chamava Patricia, morreu após um parto de risco em em agosto de 2012. Ao lado de Madonna, Stella e Esther vão viver em uma casa de luxo em Nova York, estimada em R$ 125 milhões.
As gêmeas foram levados para os EUA em um jato particular depois que um juiz determinou que a estrela do pop poderia legalmente adotar as meninas e levá-las para fora do país.

Casa das gêmeas adotadas por Madonna


Jovem morre ao cair de altura de 8 metros durante show de funk em SP


Um adolescente de 16 anos morreu durante uma festa na madrugada deste sábado (11) ao cair de uma altura aproximada de oito metros no Americana Hall, que funciona no parque de eventos do Clube de Cavaleiros de Americana (CCA).
Entre as atrações no Carna Americana 2017, estava o MC G15, dono do hit “Deu onda”. Kauã Leonardo de Souza Rocha sofreu o acidente ao tentar entrar no espaço passando pelo forro, onde fica a instalação elétrica dos shows musicais. A informação é de testemunhas e dos responsáveis pelo local.
De acordo com um amigo da vítima, Giovani Ortolani Edmundo, um grupo de amigos chegou ao local pouco depois da meia noite. “O ingresso estava meio caro, e a gente foi negociar com o segurança, ver se ele conseguia fazer um preço mais barato”, explica.
Durante a conversa com o segurança, Giovani conta que Kauã subiu em uma escada para tentar acessar o prédio de outra maneira.
“Quando a gente viu, ele já estava lá em cima.”
Em seguida, o grupo de amigos entrou no evento, sem a presença de Kauã Rocha.
De acordo com Giovani Edmundo, o acidente aconteceu antes da atração principal da noite, o MC G15. “Não deu nem cinco minutos que a gente estava na festa, meu colega chegou e falou que alguém tinha caído de lá, e que podia ser ele.”
Procurada, a organização do evento não se posicionou sobre o assunto.

Restrição na entrada
Segundo o presidente do Clube de Cavaleiros de Americana e proprietário do local, José Roberto Lahr, Kauã teria sido proibido de entrar por estar usando chinelos. “Cada festa tem o seu [procedimento]. E então ele foi tentar de uma outra forma entrar no salão.”
Lahr explica que havia escadas na lateral do salão, e foi por onde o jovem tentou entrar. “O primeiro andar é um mezanino, que é o salão. O segundo é o do forro, e ele foi no do forro.
Era um local muito alto pra pular, ele então atravessou o salão pra onde tem uma rampa, e ele foi tentar pular na rampa. O pé direito nosso tem de sete a oito metros.”
De acordo com o proprietário, existe sinalização para o público não acessar a área. “É um local restrito, com porta, sinalização. Já durante a noite, na escada, a gente põe fita zebrada pra ninguém entrar”, explica.
O jovem caiu no meio do salão onde acontecia o evento, segundo Lahr. Em seguida, a equipe médica contratada pela organização do show atendeu o jovem.
“Ele foi para a enfermaria, quando cheguei lá, era ele mesmo”, diz Giovani. “Eu fui com ele na ambulância [...] eu acho que ele já chegou sem vida, mas não me deixaram ficar vendo muito.”
A chefia da segurança do local informou à EPTV, afiliada da TV Globo, que os seguranças não sabiam que o jovem tentava assistir ao show passando por um local restrito.

Locais restritos
Nesta manhã, a perícia compareceu ao local e, segundo Lahr, confirmou que o adolescente esteve em locais restritos. “Confirmaram o arrombamento dele, que foi em uma área restrita, que ele nunca deveria ter feito isso. Infelizmente ele forçou a porta para abrir a fechadura”.
“Para os próximos dias não está alugado [a casa de shows]. Vamos arrumar o forro e aguardar. Infelizmente foi uma vida que se perdeu, ele não deveria ter subido na escada, deveria ter procurado outro meio”, diz Lahr.
De acordo com Giovani Edmundo, os amigos tinham consumido bebidas alcoólicas antes de irem ao local. Na manhã deste sábado, ele prestou depoimento na Delegacia Seccional de Americana.
Kauã Rocha foi levado para o Hospital Municipal de Americana, que fica a cerca de oito quilômetros da casa de shows. “Conheço ele faz tempo. Ele era tranquilo, não tem nem o que falar”, completa o amigo.
A Polícia Militar compareceu ao hospital por volta das 3h30 deste sábado. De acordo com o boletim de ocorrência, o caso foi apresentado como “queda acidental” com “morte suspeita”.
O velório do adolescente está previsto para começar na noite deste sábado, e o enterro está marcado para as 9h de domingo (12), no Cemitério Parque Gramado, em Americana.

Fonte: G1

#TúnelDoTempo - Relembre os maiores mistérios da TV brasileira

"Quem é o assassino do Horóscopo Chinês?"
Parando as ruas de todo o país desde o seu início, A Próxima Vítima, exibida entre 13 de março e 3 de novembro de 1995, fez um mistério de um jeito diferente. Daquela vez, houve vários assassinatos, aparentemente sem ligação entre si, mas conectadas por uma misteriosa lista de símbolos com o Horóscopo Chinês, recebidas pelas vítimas antes de serem assassinadas.

Adalberto, o grande culpado
O culpado dirigia um Opala Preto. Revelado no último capítulo, o assassino era Adalberto Vasconcellos (Cécil Thiré). No ano de 1968, ele matou Giggio di Angelis em uma festa com esperança de poder se unir à sua esposa Francesca (Tereza Rachel). As outras pessoas assassinadas foram as testemunhas do crime que ele cometeu na juventude.

"Quem matou Lineu Vasconcellos?"
O mistério, que se iniciou no terceiro mês de exibição da novela Celebridade, foi um dos mais longos da história da dramaturgia. O poderoso empresário estabelecido no ramo artístico morreu assassinado com um tiro em seu escritório.


Escrita por Gilberto Braga, Celebridade foi exibida entre 13 de outubro de 2003 e 25 de junho de 2004, e até hoje nunca foi reprisada nem no Vale A Pena Ver de Novo e nem no Canal Viva. Até o último dia da trama, o público aguardava ansioso para descobrir quem havia matado o empresário, interpretado por Hugo Carvana. E justamente no dia em que seria exibido o último capítulo, os atores começaram a gravar a cena em que seria revelada a identidade do assassino. Com três finais diferentes, a culpada escolhida foi a vigarista Laura Prudente da Costa (Cláudia Abreu), porque ele havia roubado as provas de que a canção Musa do Verão era de seu padrasto Ubaldo.


"Quem matou Saulo Gouveia?"

Saulo Gouveia (Werner Schunemann), um alto executivo da metalúrgica Gouveia, foi encontrado nu e morto à facada na cama de um motel, na novela Passione (2010). Sua morte foi benéfica para muita gente, principalmente para Clara Miranda (Mariana Ximenes), a culpada. Sua identidade foi revelada somente para o público poucos minutos antes da novela chegar ao fim. O flashback do assassinato mostra que a moça se vingou dos abusos sexuais que sofria na infância pelo empresário.

Clara matou o pedófilo Saulo
"Quem matou Taís Grimaldi?"

À partir de agosto de 2007, já no sexto mês de exibição de Paraíso Tropical (2007), a personagem Taís Grimaldi (Alessandra Negrini) é encontrada morta no apartamento do namorado de sua irmã gêmea Paula, Daniel (Fábio Assunção). Grande chantagista, muitas pessoas queriam vê-la morta.
No último capítulo, foi revelado que o culpado é o empresário Olavo Novaes (Wagner Moura). Ele planejava matar a mãe e o irmão bastardo Ivan para ficar com toda herança da família. Quando Taís descobriu o que pretendia fazer, passou a ser uma ameaça ao vilão, que deu fim em sua vida.


"Quem explodiu o Tropical Tower Shopping?"
O shopping Tropical Tower foi explodido, levando à morte de diversas pessoas, entre elas o casal gay Leila (Sílvia Pfeifer) e Rafaela (Christiane Torloni). O principal suspeito do crime era José Clementino (Tony Ramos), por querer se vingar do empresário e dono do shopping César Toledo (Tarcísio Meira), pois no passado, Clementino matou sua esposa com uma pá por descobrir estar sendo traído. Outro fato que levou o vigia a ser o principal suspeito foi ter confessado instalar explosivos no shopping. Concluiu-se então que Sandrinha (Adriana Esteves), filha de Clementino, foi a responsável pela explosão para se vingar do pai pela morte da mãe, e da família Toledo, que não aceitava seu relacionamento com Alexandre (Marcos Palmeira), filho de César.


"Quem matou Salomão Hayalla?"
Entre 1977 e 1978, o povo brasileiro acompanhava a história do cartomante/tarólogo Herculano Quintanilla (Francisco Cuoco) e do empresário libanês Salomão Hayala (Dionísio Azevedo). O primeiro personagem vivia o dilema de se vingar do seu ex-colega de trapaças Neco (Flávio Migliaccio), que o traiu e levou todo dinheiro que seria usado para a reforma de uma igreja, em Guariba, onde moravam no passado. Já o Salomão lutava para preparar seu único filho, Marcos (Tony Ramos), para ser o seu sucessor no grupo Hayalla, ainda que o jovem não queira.
No capítulo 42, o empresário foi encontrado morto dentro de seu carro, que estava destruído para tudo parecer realmente um acidente. Porém, a perícia descobriu que Salomão morrera assassinado. Foi um crime passional, cometido por Felipe Cerqueira (Edwin Luisi), um jovem viciado em drogas que matou Salomão com uma coronhada na cabeça. Era amante de Clô, e havia sido humilhado pelo empresário pouco antes do assassinato.

Salomão Hayalla da primeira versão
Felipe Cerqueira, o assassino de Salomão na primeira versão
Já no remake de 2011, a culpa passou para a mulher de Salomão (Daniel Filho), Clô (Regina Duarte), que o jogou da janela de seu quarto para se vingar de tudo que o empresário a fez passar, além de ter internado o próprio filho Marcos (Thiago Fragoso) num hospício.

Salomão Hayala, morto, na segunda versão de O Astro
Clô, em cena, após empurrar o marido da janela
"Quem é o cadeirudo?"
Em A Indomada (1997), de Aguinaldo Silva, diversas mulheres da cidade de Greensville, litoral nordestino, foram atacadas por um tarado conhecido como Cadeirudo. Como a polícia não conseguia encontrar o criminoso, as moças da cidade se uniram para procurar a figura misteriosa e se vingar. Para surpresa de todos, o Cadeirudo era, na verdade, a beata Lourdes Maria (Sônia de Paula), que juntamente com Maria Altiva (Eva Wilma), se dedicava a incomodar as prostitutas da cidade em nome da moral e dos bons costumes.
A Indomada foi mais um sucesso da Rede Globo, exibido entre 17 de fevereiro e 10 de outubro de 1997.

Lourdes Maria
"Quem é o sufocador?"
Foi mais um mistério criado por Aguinaldo Silva para a sua novela Duas Caras (2007), no qual o sufocador era um tarado que atacava as mulheres da vida fácil, mas nem o público sabia de sua verdadeira identidade. Ele se chamava Geraldo Peixeiro (Wolf Maya), e foi revelado no final da novela apenas para os telespectadores.


"Quem é a verdadeira assassina?"
Essa foi uma pergunta que deixou o público que assistia A Favorita (2008) intrigado. O autor, João Emanuel Carneiro, apresentou duas personagens principais, Flora (Patrícia Pillar) e Donatela (Cláudia Raia), porém não se sabia ao certo quem era a vilã e quem era a mocinha.
Confundindo a cabeça do público, ambas davam versões diferentes de suas vidas. Para Donatela, Flora sempre teve inveja dela e matou seu marido Marcelo (Flávio Tolezani) com um tiro por saber que jamais se casaria com ele. A outra diz que Donatela sempre desejou tudo que ela tinha, e quando percebeu que Marcelo a deixaria, o matou.
Durante a trama, Flora sai da prisão 18 anos depois pelo assassinato de Marcelo, pois no local onde tudo aconteceu, foi flagrada com a arma do crime. Ela busca se vingar da ex-amiga por todo esse tempo que passou presa e longe da filha, Lara (Mariana Ximenes), adotada e criada por Donatela, que faz de tudo para que a menina jamais se aproxime de sua mãe biológica. No decorrer da trama, Lara vira alvo de disputa entre as duas, fazendo jus ao título da novela.


O público chegou a sentir pena de Flora, passando a imagem de dissimulada e cruel para Donatela. A surpresa maior foi a descoberta de que a mãe de Lara havia enganado todos os outros personagens, inclusive o público, chegando à conclusão de que ela era, sim, a assassina de Marcelo.

Como tudo começou?
Depois que Donatela perdeu seus pais em um acidente de carro, foi adotada pela família de Flora. As duas cresceram como duas irmãs e sempre tiveram talento para a música, chegando a formar a dupla sertaneja Faísca e Espoleta (respectivamente, Flora e Donatela). Depois de fazerem muito sucesso, a carreira das duas é interrompida ao conhecer os amigos Marcelo e Dodi (Murilo Benício). Donatela se casou com o primeiro, e Flora com o segundo. Já separada, Flora teve um caso com o marido de Donatela, virando de cabeça para baixo a vida do casal. Desse relacionamento, deu à luz Lara, acontecimento que aumentou ainda mais a distância das duas irmãs de criação.
Como se não bastasse a crise no casamento de Donatela e Marcelo, houve ainda o desaparecimento do primeiro filho do casal, com apenas seis meses de idade.

Porque, de fato, Flora matou Marcelo?
Como no passado a Espoleta teve um caso com o marido de sua ex-parceira de música, achou que realmente ele ficaria com ela para sempre. Porém, o Marcelo, antes de morrer, havia dito para Flora que jamais trocaria Donatela por ele, já que tinha se dado conta de quem realmente amava. Depois de ter sido desprezada, Flora sentiu-se humilhada e começou a atirar. Donatela chega e presencia toda a cena.

"Quem matou Max?"

O mistério da morte do vilão Max (Marcello Novaes) sacudiu a novela Avenida Brasil (2012) em sua última semana no ar. No último capítulo, exibido em 19 de outubro de 2012, descobre-se então que a pessoa responsável pelo assassinato foi a amante, Carminha (Adriana Esteves). Depois de uma discussão, Max partiu pra cima da perua, que se defendeu batendo com uma pá em sua cabeça.
Minutos antes do final ser exibido, a população, conforme mostrava o Jornal Nacional, corria para casa ou para qualquer lugar que tivesse TV à fim de assisti-lo. A audiência foi de 52 pontos!

Carminha, depois de Nazaré, é a maior vilã de todos os tempos
"Quem era o Guri?"
Um serial killer apelidado de "Guri" cometeu uma série de assassinatos a sangue frio. Algumas das vítimas eram ligadas à máfia italiana, outras pareciam acima de qualquer suspeita. O criminoso deixava uma marca registrada mórbida ao lado dos corpos: a foto de uma criança. Paulo Garzia (Nícola Siri), conselheiro de Tony Castellamare (Gabriel Braga Nunes), era o assassino. O italiano tinha inveja de seu chefe e cometeu os crimes para tentar provocar uma guerra entre Tony e o mafioso Bruno Vilar. Com isso, ele pretendia assumir a chefia do crime organizado.
Todos esses personagens fizeram parte da novela Poder Paralelo, transmitida pela Rede Record em 2009.

Paulo Garzia, o Guri
"Quem matou Odete Roitman?"
Milionária esnobe (Beatriz Segall), foi morta com três tiros em sua casa. O crime parou o Brasil e parecia um caso insolúvel para as autoridades. Em uma trágica reviravolta, descobriu-se que a milionária foi morta por engano. Leila Castanheda (Cássia Kiss), a assassina, disparou os tiros fatais em Roitman acreditando que sua vítima era Maria de Fátima (Glória Pires), uma vigarista que estava tendo um caso com seu marido, Marco Aurélio. Leila fugiu do país e escapou da condenação.

Odete Roitman foi morta por engano em Vale Tudo
"Quem matou Onias/Josias?"

A pergunta veio da novela Anjo Mau, em ambas as versões da Rede Globo, de 1976 e 1997. Onias, na primeira versão, e Josias, na segunda, era o pai de Nice (Glória Pires), a protagonista da trama. Ela é fruto de um estupro sofrido pela sua mãe, Alzira (Regina Dourado), que dizia tê-la adotado. Em ambas as versões, o pai aparece para extorqui-la, pois havia se tornado uma mulher rica, só que, em 1976, acaba assassinado por Alzira.
21 anos depois, a vida dele é interrompida por Tiana (Thelma Reston), a cozinheira da mansão onde Nice morava com seu antes patrão e depois marido Rodrigo (Kadu Moliterno). A identidade da assassina de Josias foi revelada no penúltimo capítulo, e o motivo foi medo de ser morta.
Em ambas as versões, o pai de Nice foi encarnado por Átila Iório.

Tiana
"Quem matou Norma Pimentel?"
O assassinato da técnica em enfermagem Norma Pimentel (Glória Pires) em Insensato Coração (2011) foi algo inesperado, pois aconteceu há apenas três dias antes do fim da novela. A personagem foi assassinada em sua mansão com três tiros, e o caso foi cercado de vários suspeitos, entre eles estão a dondoca Eunice (Deborah Evelyn), por ter descoberto que seu amante e ex-presidiário Ismael (Juliano Cazarré) tinha um caso com ela. Ele também teria motivos para matá-la, já que a mesma sabia de todos os seus crimes. O banqueiro Horácio (Herson Capri) poderia tê-la eliminado pelo fato de seu inimigo, Léo (Gabriel Braga Nunes), ser protegido por ela. A mocinha da trama, Marina (Paola Oliveira), também se encaixa no perfil de suspeita. Embora viesse alertando os perigos da relação de Norma com Léo, não poderíamos nos esquecer que a mesma foi responsável pela morte de Teodoro (Tarcísio Meira), que foi praticamente um avô pra ela.
No dia 19 de agosto de 2011, no último capítulo, é revelado que quem matou Norma Pimentel foi a mãe de Léo, Wanda (Natália do Vale), para protegê-lo. Momentos antes do assassinato, Norma havia discutido com o vilão sobre o roubo do colar de Marina e a tentativa de matar o irmão, o mocinho da história Pedro (Eriberto Leão). Como a enfermeira estava querendo mandá-lo para a cadeia, Wanda tratou de eliminá-la.

Norma Pimentel morta
"Quem é o incendiário?"
Na novela Chamas da Vida (2008), um misterioso incendiário atacou diversos locais, colocando a vida de outras pessoas em perigo e gerando algumas vítimas de seus incêndios. O criminoso agiu por meses, até que finalmente teve sua identidade revelada: Léo (Rafael Queiroga), filho do legista subornado por Vilma para mentir sobre a morte de seu marido. Durante muito tempo Vilma foi apontada como a principal suspeita, por já possuir um histórico de maldades. Ela morreu em uma explosão e o verdadeiro criminoso foi descoberto: Léo.

Léo
Fonte:
M de Mulher
Wikipédia
Memória Globo
UOL
Globo Play

20 anos depois, atriz de 'A Indomada' vai pedir emprego à Aguinaldo Silva, escritor da novela

Sônia de Paula em websérie do Youtube
Há 20 anos, Sônia de Paula se tornou sensação nacional. Na novela A Indomada, que estreou em fevereiro de 1997, ela interpretou o Cadeirudo, uma assombração com bumbum avantajado que apavorava as mulheres da fictícia cidade de Greenville. Longe da TV aberta desde 2009, a atriz de 63 anos lembra com saudade da grande repercussão que a revelação da personagem teve e acredita que poderá usar o aniversário do Cadeirudo para chamar a atenção de seu criador, Aguinaldo Silva.
"Espero comemorar 20 anos de A Indomada fazendo a próxima novela do Aguinaldo", torce. "Vou mandar um e-mail, um Whatsapp para ele [para pedir um papel]. Eu me ofereço, não tenho problema ou vergonha alguma de me oferecer", diz. Silva já escreve os primeiros capitulos de O Sétimo Guardião, novela das nove prevista para 2018.
Sônia de Paula interpretava a beata Lurdes Maria em A Indomada. Durante toda a trama, o Cadeirudo foi um misterioso personagem que atacava mulheres em noites de lua cheia. No final da novela, Lurdes confessou que fazia isso, mancomunada com Altiva (Eva Wilma), para aterrorizar as meninas do bordel da cidade.
"Eu estudei muito. Meu papel não era o principal, mas me esforcei muito e agradeço aos diretores e ao Aguinaldo. Eva Wilma também foi uma grande colega. A repercussão foi uma loucura, as pessoas queriam que eu andasse como o Cadeirudo, mas na verdade era um bailarino que fazia aquele andar", lembra.


Com 45 anos de carreira, Sônia está fora da TV desde 2009, quando participou de Caras & Bocas. A atriz, que também trabalha como produtora cultural e atua em uma peça sobre a vida das poetisas Cora Coralina e Adélia Prado, diz que teria tempo para voltar a trabalhar na televisão _só não recebeu convite. "Claro que teria vontade de voltar, mas não fiz ainda o movimento [de entrar em contato com autores e produtores]".
Sônia começou a trabalhar como atriz nos anos 1970 (década em que atuou em algumas pornochanchadas) e fez mais de 15 trabalhos na TV, entre novelas, minisséries e especiais. Ela destaca como alguns de seus trabalhos mais marcantes a novela Estúpido Cupido (1976) e as participações em Sítio do Picapau Amarelo (em 1979 e 2007).
No ano passado, atuou pela primeira vez na TV paga: após passar no teste de elenco, fez parte do especial Procurando Casseta e Planeta, do Multishow. "Fui com o maior carinho fazer, adoro teste. Acho válido, porque às vezes a pessoa não sabe como você está. Atualmente estou com o cabelo todo branco. Aí fiz um trançado no cabelo que demorou nove horas _tudo pela arte", comenta.

Sônia de Paula com seu projeto "Lê Pra Mim?"
Embaixadora da literatura
A maior fonte de renda de Sônia atualmente, no entanto, não vem da televisão. Desde 2010, a atriz é criadora, coordenadora e produtora do projeto Lê pra Mim?, que leva sessões gratuitas de leitura de histórias infantis a centros culturais de todas as regiões do país. Artistas e atores famosos são convidados para lerem histórias para crianças _já participaram do projeto a apresentadora Fátima Bernardes e a atriz Claudia Raia, por exemplo.
O Lê pra Mim? tem apoio da Lei Rouanet, em que empresas patrocinam projetos culturais em troca de isenção fiscal. É dos patrocínios que Sônia tira seu sustento. "Vivo com muito pouco, mas o que eu ganho me basta. Não posso deixar de trabalhar, mas não sou uma grande consumista, sei guardar dinheiro. Não vou morar na avenida Atlântica [área nobre do Rio de Janeiro], mas tenho grandes parceiros [patrocinadores]", afirma.
Sônia tem grandes planos para o Lê pra Mim?. Além de negociar um novo projeto com a primeira-dama da cidade do Rio de Janeiro, ela também gravou pilotos de vídeos de leitura (com atrizes como Lucélia Santos e Léa Garcia) para publicar literatura para crianças que não têm acesso. Pensando ainda mais alto, Sônia quer começar a montar uma biblioteca infantil itinerante.
"Eu adoro meu trabalho de atriz, mas eu gosto mesmo é do Lê pra Mim?. Estou muito realizada por fazer esse trabalho, é muito recompensador, me dá muitas alegrias. Eu era só uma atriz, agora abri meu leque. Acho que temos muitos talentos dentro de nós, e temos que persistir. Quero ser lembrada pelo Lê pra Mim?", declara.

Fonte: Notícias da TV

Túnel do Tempo - Relembre personagens de TV que mais fizeram sucesso com o público e com a crítica

Nazaré Tedesco
Interpretada por Renata Sorrah, a vilã foi e é até hoje um dos maiores fenômenos da TV. Tendo aparecido na novela Senhora do Destino, escrita por Aguinaldo Silva e exibida pela Rede Globo em 2004, matava seus inimigos usando a escada da casa onde morava. A sua primeira vítima foi seu marido, José Carlos Tedesco (Tarcísio Meira). A ex-colega de bordel da megera, Djenane (Elizângela) também não escapou e morreu, porém esta não foi empurrada da escada, tendo caído sem querer ao pisar em falso. A última vítima foi sua enteada Maria Cláudia (Leandra Leal), que não morreu, mas se feriu.
A atuação de Renata Sorrah rendeu-lhe seis prêmios de melhor atriz muito bem merecidos!
Nazaré deixou um legado cruel em outras tramas, como Fina Estampa. Nesta novela, quem dava os empurrõezinhos era Tereza Cristina (Christiane Torloni), ou Rainha do Nilo, como era chamada pelo seu mordomo Crô (Marcelo Serrado), e nem a filha Patrícia (Adriana Birolli) escapou de ser empurrada e, mesmo não morrendo, acabou se ferindo. Em Império, Cora (Drica Moraes) deu fim em seu ex-aliado Fernando (Erom Cordeiro). Embora tenha sobrevivido à queda, a beata chamou Jairo (Júlio Machado) e o convenceu a jogá-lo do precipício e acabar de vez com a sua vida. Jairo, nesta última trama, também escrita por Aguinaldo Silva, era ladrão de bolsas.
Atualmente a personagem Nazaré ainda é usada para diversos memes de internet.



Raíssa

Foi interpretada por Mariana Ximenes e fez parte da novela América (2005), de Glória Perez. No começo, a personagem fazia o tipo boa aluna e boa moça. Raíssa se sentia insatisfeita com sua própria vida, embora tivesse tudo na mão por ser filha de pais com boas condições financeiras. Ao chegar na faculdade, segue outro caminho na vida, e tudo piora à partir do momento em que os pais, Haydée (Christiane Torloni) e Glauco (Edson Celulari) decidem se separar. A relação com sua mãe fica ainda pior quando descobre que as duas estão apaixonadas pelo mesmo homem, Tony (Floriano Peixoto). E assim começa a ficar mais desleixada, colocando piercings, fazendo amizades com jovens de outras classes sociais e frequentando baile funk.
Raíssa descobre também que sua mãe sofre de cleptomania, uma compulsão que leva qualquer pessoa a roubar objetos independente de seu valor.


Bárbara Campos Sodré
A vilã foi interpretada divinamente por nada mais nada menos que quem? Giovanna Antonelli! A personagem é uma vilã que foi criada para ser princesa, mas com a falência de seus pais, Verinha (Maitê Proença) e Eduardo (Ney Latorraca), arranjou um relacionamento amoroso com Paco (Reynaldo Gianecchini) para ter retorno financeiro. É mãe de Otávio (Felipe Latgé), e diz que o pai é o próprio Paco, porém, o pai verdadeiro é seu amante Kaíke (Tuca Andrada), que também é seu cúmplice em diversas armações.

Cena em que a vilã é jogada num lixão pelo maquiavélico Tony (Guilherme Weber)
Barbara fez parte da novela das sete Da Cor do Pecado (2004), escrita por João Emanuel Carneiro, a mais assistida do horário por ter chegado aos 43 pontos de audiência no IBOPE. Foi reprisada duas vezes: entre 7 de maio e 16 de novembro de 2007; e 24 de setembro de 2012 e 22 de fevereiro de 2013.

Bebel

Prostituta, sim, mas sem catiguria nunca! Fazia programas no calçadão de Copacabana, no Rio de Janeiro. Era amante do cafetão Jáder (Chico Díaz), e conhece o ambicioso empresário Olavo (Wagner Moura), vivendo com ele uma relação intensa, com direito a altos e baixos, tapas e beijos.
Todos os personagens são da novela Paraíso Tropical, de 2007, e Bebel foi interpretada por Camila Pitanga. Este foi o papel de maior destaque na carreira da atriz, recebendo elogios do público e da crítica, e vários prêmios de melhor atriz. O figurino de Bebel fez muito sucesso entre a mulherada, que queria copiar.
A novela foi a última escrita por Gilberto Braga que fez sucesso, tendo escrito Insensato Coração (2011) e Babilônia (2015), que não emplacaram.


Jamanta (Ariovaldo da Silva)
O rapaz sofre de deficiência mental e no começo da novela Torre de Babel (1998 - de Sílvio de Abreu), caía de amores pela sem caráter Sandrinha (Adriana Esteves), que não lhe dava a menor bola. Quando criança, foi abandonado no ferro velho e acolhido pelo dono, Agenor (Juca de Oliveira), seu padrinho. Jamanta caiu nas graças do público pelas suas trapalhadas e seus bordões, como "Jamanta não morreu!", usado quando ele consegue escapar da explosão do shopping Tropical Tower, um dos cenários da trama.


O personagem foi encarnado pelo ator paranaense Cacá Carvalho, e ressuscitado na novela Belíssima (2005 - também de Sílvio de Abreu), desta vez como companheiro de Pascoal (Reynaldo Gianecchini), dono de uma oficina.
Hoje, o ator, de 63 anos, está dando seguimento à sua carreira no teatro. Quando foi perguntado pelo site UOL o motivo de estar fora da TV desde o fim de Belíssima, Cacá explica: "Eu acho que ninguém se afasta da TV, a TV que não te chama. Mesmo quem está lá como ‘funcionário’, ou que está mais próximo, ninguém se afasta da televisão, sabe? Se me chamarem, eu estudo, e vejo a possibilidade de fazer. Não estou afastado, a minha vida sempre foi abrindo caminhos dentro da minha linguagem, digamos, onde eu fui criado, educado, formado. Eu tenho um pensamento que eu desenvolvo e articulo, pensamentos e trabalhos que é o teatro. Quando qualquer outro trabalho, seja na televisão, seja no cinema, ou seja uma série, como agora eu acabei de fazer uma série chamada “171 Negócio de Família”, que estará no ar o ano que vem na Universal, eu acho que, tendo espaço, é claro que eu quero fazer, porque tudo é experiência, tudo soma, tudo me faz pensar, senão você só fica uma pessoa que só come um tipo de alimento. Eu me alimento de tudo aquilo que eu acredite que é saudável."
Na época de Torre de Babel, Cacá ganhou o prêmio de Melhor Ator Coadjuvante na premiação Melhores do Ano, do programa Domingão do Faustão.

Giovanni Improtta
Mais um personagem de Senhora do Destino emplacou e seu jeito único caiu na graça do povo! Estou falando do ex-bicheiro e empresário no ramo de construção civil Giovanni Improtta, vivido por José Wilker. Ele falava Felomenal para tudo que gostava. Além desse, tinha também há malas que vem de trem, "o tempo ruge e a Sapucaí é grande", "vou me pirulitar" e "a vaca vai voar".


Foi um dos personagens de maior destaque da carreira de José Wilker, morto aos 67 anos, vítima de um infarto fulminante enquanto dormia em abril de 2014.


Yasmin Fontes
A personagem, que surgiu na 15ª temporada da novela teen Malhação (2007-2009), ficou conhecida pelo público pelos seus bordões "Tô bege", "Jesus, apaga a luz" e "Jesus me chicoteia". Foi interpretada pela atriz, cantora e apresentadora Mariana Rios. Alguns de seus bordões são usados até hoje.


Khadija Rachid
Filha dos protagonistas Jade (Giovanna Antonelli) e Said (Dalton Vigh) em O Clone (2001 - de Glória Perez), a menina popularizou a expressão árabe Inshallah, que significa "se Deus quiser" ou "se Allah quiser". No Brasil, essa palavra deu origem à outra: Oxalá, ou seja, "Deus queira". Khadija foi interpretada por Carla Diaz, que na época tinha 11 anos, tendo grande destaque na novela. A moça, hoje com 26 anos, antes de O Clone, atuou em Laços de Família (do ano anterior) e, seis anos depois, em Sete Pecados (2007).


Sinhozinho Malta e Viúva Porcina

Quem vivenciou os anos 80, certamente deve se recordar da novela Roque Santeiro, um dos fenômenos transmitidos pela Rede Globo. De Aguinaldo Silva e Dias Gomes, a novela apresentou a fogosa Viúva Porcina, interpretada por Regina Duarte, e o poderoso fazendeiro Sinhozinho Malta, interpretado por Lima Duarte. Juntos, formavam um casal cômico, e o personagem de Lima é lembrado pelo bordão "tô certo ou tô errado?", dito sempre quando ficava nervoso.


Lady Kate/Kate Lúcia
A ex-garota de programa e agora viúva de um senador cheio da grana, Lady Kate, que no passado se chamava Kate Lúcia, tentava se acostumar à vida de madame. Para isso, ligava pra sua prima Bebel e pedia dicas de como se comportar na nova sociedade. Teve dois braços direitos, Glauber (Marcius Melhem) e Kleitom (Caike Luna).


Quando fica indignada com outros ricaços, Lady Kate rodava a baiana e dizia que tinha pagado/que era dela as festas, desfiles ou qualquer outro evento.
Ela tentava ser grã-fina durante todo o sábado, no Zorra Total, humorístico da Rede Globo, entre 2008 e 2013, sendo encarnada pela então estreante na TV Katiuscia Canoro. Sua atuação lhe garantiu dois prêmios de Melhores do Ano no Domingão do Faustão e um de Melhor Atriz Cômica ou Humorista, da TV Contigo.


Creusa
Gosta de seduzir homens que não conhece e viver aventuras. Na novela América, para os demais, a jovem Creusa (Juliana Paes) passa a imagem de uma beata que, mesmo sem nenhuma religião definida, gosta de frequentar missas e cultos, estando sempre presente em manifestações religiosas, além de posar de fiel, reprovar o comportamento das pessoas e pregar lições de moral.
Quando se casou com o professor de mestre-sala Feitosa (Aílton Graça), continuava com outros homens. No fim, acaba sendo descoberta pela sua sogra, Diva (Neuza Borges), que lhe dá uma surra e a leva à praça pública.


Assista à cena que veio a se tornar antológica:


Márcia

A manicure da novela Chocolate com Pimenta (2003 - de Walcyr Carrasco) era uma caipira que andava sempre impecável, um pouco exagerada no seu modo de se vestir, mas dizia sempre: "Sou chique, bem!". Com o decorrer da trama, une-se ao seu primo, o ingênuo e rústico Timóteo (Marcello Novaes).
A personagem era interpretada por Drica Moraes.

Elvira

Oriunda da novela Sete Pecados (2007), a personagem encarnada por Nívea Stelmann se destacou pelo seu bordão "é chique de doer", usado sempre quando via alguma coisa bonita. É noiva do boxeador Regis (Malvino Salvador), que vive lhe prometendo casamento.


Filomena Ferreto

A personagem de A Próxima Vítima (1995) rendeu três prêmios de melhor atriz à sua intérprete, Aracy Balabanian. Filomena tem outras três irmãs: Carmela (Yoná Magalhães), Romana (Rosamaria Murtinho) e Francesca (Tereza Rachel). Embora não seja a mais velha de todas, mas por ser forte e dominadora, acabou conquistando o posto de chefe da família Ferreto. É proprietária de um frigorífico que fica na zona leste de São Paulo.


A Próxima Vítima é mais um sucesso de Sílvio de Abreu, uma das novelas mais assistidas dos anos 90 e mais repercutidas nas ruas de todo o país naquele ano de 1995. Uma das coisas que mais prendeu o público foi o mistério de 10 assassinatos que tiveram uma única ligação, cometidos ao longo da trama. O assassino deixou uma pista com a lista das pessoas que morreram e de outras que ainda faltaram dar fim, com a data de nascimento de todas elas e o signo de cada uma, de acordo com o horóscopo chinês. O assassino dirigia um Opala preto.

Odete

Intrigante, faladeira, e engolidora de fogo (sim, como se faz nos circos). Odete, vivida por Mara Manzan, se tornou um dos personagens de destaque da novela O Clone ao repetir diversas vezes a frase "cada mergulho é um flash", toda vez que ia para o Piscinão de Ramos, no Rio de Janeiro.


Saraiva
Na pele de Francisco Milani, Seu Saraiva sempre vivia mal humorado, e costumava responder com ignorância e rispidez perguntas que eram muito óbvias. O bordão "pergunta idiota, tolerância zero" ainda é lembrado e utilizado. Saraiva foi mais um personagem do hoje extinto Zorra Total.


Coronel Jesuíno

O personagem mais recente desse post surgiu na novela Gabriela, remake exibido pela Globo às 23hrs em 2012, protagonizado por Juliana Paes e adaptado por Walcyr Carrasco. Jesuíno é um homem bruto e que domina a esposa Sinhazinha (Maitê Proença). Ele descobre estar sendo traído pelo dentista Osmundo Pimentel (Eric Marmo) e mata os dois, sendo assim o primeiro homem condenado à prisão por fazer "justiça com as próprias mãos". Encarnado por José Wilker, ganhou destaque pela frase "eu vou lhe usar" ter sido usada várias vezes por ele, sempre quando queria fazer amor.



Fonte:
M de Mulher
Wikipédia
Memória Globo
Pop Cidade
UOL
EGO
R7