quinta-feira, 2 de março de 2017

Lea T. revela que 1º orgasmo da vida só foi possível após mudança de sexo


A modelo Lea T. revelou que só conseguiu ter o primeiro orgasmo de sua vida quatro meses após realizar a cirurgia de mudança de sexo a qual se submeteu em 2012, na Tailândia. 
"Antes da cirurgia, minhas relações sexuais não eram prazerosas. Só gozei de verdade após me operar. Consegui sozinha, me presenteei com um orgasmo, uns quatro meses depois do período pós-operatório. Fui explorando minha vagina, seguindo os conselhos que recebi dos médicos na Tailândia, e deu certo. Foi maravilhoso, até chorei!”, disse a top model, filha do craque Toninho Cerezo, em entrevista à revista “Marie Claire” de março. 
Lea T. contou ainda sobre sua primeira vez após a cirurgia. “A virgindade, digamos assim, perdi no início do ano passado. Meu parceiro foi um ex-casinho, que é um grande amigo atualmente. Não foi incrível nem romântico, pois era uma situação tensa. Acho que a primeira vez de toda mulher é assim...”.
Aos 35 anos, a modelo, que luta contra o machismo e é uma das embaixadoras da campanha He For She, da ONU Mulheres do Brasil, falou à publicação sobre o preconceito que enfrentou por ser transexual. O processo de mudança de sexo aconteceu justamente quando Lea, ainda Leandro, seu nome de batismo, começou a ganhar notoriedade no mundo da moda. 
“Tudo foi acontecendo em meio ao tratamento hormonal para a cirurgia de redesignação sexual pela qual passei. Quase enlouqueci”, lembrou.

Cirurgia de cura
Lea lembrou ainda que foi fácil conseguir o laudo psiquiátrico que comprovou sua inadequação sexual. O documento é exigido pelos médicos na Tailândia para que a cirurgia de mudança de sexo seja autorizada.
“Antes de ser encaminhada ao centro cirúrgico, me ofereceram um calmante. Neguei, porque não estava nervosa, mas aliviada. Para mim, era uma cirurgia de cura!”, disse.

Fonte: UOL

Caso Victor: exame de corpo de delito da mulher do cantor é concluído


O resultado do exame do corpo de delito de Poliana Chaves, mulher do cantor Victor, da dupla com Léo, que teria sido agredida pelo sertanejo, foi concluído nesta quinta-feira, 3. De acordo com a Polícia Civil, o laudo não será divulgado a pedido da suposta vítima.
Ainda segundo a polícia, Victor, a mãe e a irmã dele receberam contato das autoridades policiais para prestarem depoimento. A assessoria de imprensa do cantor informou que "Victor está à disposição da polícia".
Além dos três, uma nova testemunha apontada pela suposta vítima deve depor no caso, informou ainda a Polícia Civil, que não divulgou a identidade da pessoa.

'Jamais agredi alguém'
Victor quebrou o silêncio e falou pela primeira vez sobre o assunto em entrevista ao "Fantástico" no domingo, 26. "A única coisa que posso dizer é que minha família é meu bem maior. Toda minha postura foi sempre de preservar família. Jamais agredi alguém na minha vida, muito menos minha esposa, que está grávida do João. Vou lidar com isso em recolhimento com minha família", afirmou o cantor, pouco antes de embarcar em um avião particular com a mulher e a filha, Maria Vitória.

Victor em apresentação com o irmão
Na sexta-feira, 24, a empresária fez um boletim de ocorrência e acusou o cantor sertanejo de agressão. Já, no domingo, 26, Poliana fez um post em seu Instagram, no qual declarou que Victor não a machucou. “Vitor não me machucou e nunca me machucaria e, para comprovar, a inexistência de qualquer lesão, resolvi fazer a perícia no IML. Apesar do transtorno que toda a repercussão nos causou, meu bebê e eu estamos em pleno estado de saúde”.

Fonte: EGO

Relembre o Love Parade, um dos maiores festivais de música eletrônica do mundo

Logotipo da Love Parade
Love Parade (Parada do Amor) é o nome do festival de música eletrônica que ocorria sempre durante o verão na Alemanha. Sua primeira edição foi em 1989, meses antes da queda do muro de Berlin, mas começou a se popularizar em 1994, quando foram reunidas 120 mil pessoas.
Foi cancelado definitivamente em 2010, quando no sábado de 24 de julho, 21 pessoas, com idades entre 18 e 38 anos, morreram pisoteadas durante um tumulto em Duisburg.
Durante seus 21 anos de exibição, o Love Parade reuniu milhares de pessoas de diversas nacionalidades nas ruas de Berlin.






Sobre o festival
Criado em 1989 pelo Dr. Motte e sua então namorada Danielle de Picciotto, o Love Parade começou com o propósito de juntar pessoas para manifestações em favor da paz, embora o motivo fosse simplesmente querer fazer uma festa. A ideia de fazer um festival surgiu depois de uma festa de aniversário de Dr. Motte, e assim aconteceu. Dos 150 participantes inicialmente, em 10 anos, o número aumentou para 1,5 milhão de pessoas.

Dançarina no Love Parade 2007
A cada ano em que a Parada do Amor era realizada, criava-se um lema diferente. Entre eles, estão os sub-títulos Let The Sun Shine In Your Heart (1997), e One World, One Future (1998). Cada edição teve também, à partir de 1997, uma música tema, como Sunshine (1997) e Music Is The Key (1999).
Devido à várias pessoas dançarem em cima de postes, árvores e cabines telefônicas, o evento chegou a ganhar o apelido de 'o maior circo amador da terra'.
Ao longo da história do festival, vários DJs renomados marcaram presença e fizeram a alegria de todos que ali estavam. Entre eles DJ Tiësto, Armin Van Buuren, DJ Hell, conhecido por lançar a música Copa especialmente para o Rio de Janeiro em 1998, Moguai, Paul Van Dyk e Carl Cox. Na última edição, em 2010, o festival contou com a presença de um trio com apresentações de vários DJ's brasileiros, como o paulista Victor Lima, o manauara Cezar Dantas e a dupla gaúcha Pimpo Vs Otto.
Parte da imprensa brasileira já divulgou que a Love Parade era a Parada Gay alemã, mas erraram a informação. O que gera uma semelhança entre os dois eventos é o fato do primeiro também defender o direito de duas pessoas do mesmo sexo se amarem, porém isso não confirma o fato de também ser uma parada gay.

Participantes do Love Parade de 1995

Love Parade de 1997






Música
O que predominava na Love Parade era a música eletrônica, principalmente os subgêneros house, trance e techno. Várias tentativas de introduzir outros gêneros como o hip hop falharam. O hardcore também era muito tocado nos primeiros anos de existência do festival.

Edição de 1998, que reuniu 800 mil pessoas

O DJ Da Hool fez uma homenagem ao produzir e lançar a canção Meet Her At The Love Parade, lançada em 04 de agosto de 1997, e o videoclipe foi inteiramente rodado em Berlin em cima de um trio elétrico. Vários DJs e bandas fizeram a sua própria versão de Meet Her At The Love Parade, como Tweetwoof (presente nos álbuns brasileiros Metro Tech 13 e 14) Asylum (no CD 2 do álbum Techno Pan 2003), DJ Aligator, Superstar DJs, The Real Booty Babies and more!

Capa do single Meet Her At The Love Parade





Participantes da edição de 2010
Críticas
Embora tivesse chegado no auge do sucesso e reconhecimento mundial, a Love Parade atraiu várias críticas ao longo dos anos, dentre os motivos estão o comércio ilegal, a grande quantidade de resíduos deixados pelos participantes nas ruas e a forte "poluição sonora" que perturbava não só os berlinenses, mas também os animais que viviam no parque Tiergarten. Veterinários culparam o festival pelo fato de muitos desses animais terem ficado com diarréia.

Público (Estimativa)
1989 - 150
1990 - 2000
1991 - 6000
1992 - 15000
1993 - 31000
1994 - 110000
1995 - 280000
1996 - 750000
1997 - 1000000
1998 - 800000
1999 - 1500000
2000 - 1300000
2001 - 8000000
2002 - 750000
2003 - 750000
2006 - 1200000
2007 - 1200000
2008 - 1600000
2010 - 1400000

Na edições de 2002 e 2003, o número de participantes da Love Parade caiu, enquanto nos anos de 2004 e 2005, o festival não ocorreu na capital alemã. Isso se deve à falta de patrocínio e poucos recursos financeiros, pois os organizadores tinham menos de 500 mil euros nos bolsos, que seriam usados principalmente para a eliminação de resíduos deixados pelo pessoal.
Enquanto isso, os organizadores foram até San Francisco (EUA), reunindo a galera no Outono de 2004. Com o sucesso, o festival foi repetido nos dois anos seguintes. Houve LoveParade também em Santiago, no Chile, Tel Aviv, em Israel, e na Cidade do México, no México.
Em 2006, a LoveParade volta (pela última vez) à Berlin, usando o lema The Love Is Back e repetindo o sucesso dos anos anteriores, ao atingir a marca de mais de 1 milhão de participantes. O mesmo número se repetiu quando o festival foi montado nas cidades de Eissen, Dortmund e Duisburg, também localizadas na Alemanha, nos anos de 2007, 2008 e 2010.

O desastre na Love Parade
Na derradeira edição, 21 pessoas morreram durante um tumulto em um túnel quando a Love Parade ainda estava acontecendo, e destas, 7 eram estrangeiras e 13 eram mulheres. Outras 511 pessoas ficaram feridas.
Por conta destas mortes, Dr. Motte foi levado à parar definitivamente o festival. "Love Parade sempre foi uma festa pacífica, mas será sempre lembrada por isso. Por respeito às vítimas, o festival nunca mais ocorrerá".

Equipes de resgate atendem vítimas logo após o pânico no túnel
A entrada para o evento foi aberta ao meio-dia, porém, três horas e meia mais tarde, devido à superlotação, os organizadores pediram para que policiais bloqueassem a entrada de mais participantes. O aviso foi dado e ignorado, pois outras pessoas entraram pelo outro lado do túnel, tornando a situação insustentável e fazendo com que os que já estavam no local não pudessem se mexer. Durante o pânico coletivo, as vítimas foram esmagadas e pisoteadas até a morte ou morreram asfixiadas.
Para evitar mais pânico, os organizadores decidiram levar o festival até o fim, e os participantes dançaram ao som dos DJs sem saber da tragédia.

Todos os lemas das edições alemãs
1989: Friede, Freude, Eierkuchen
1990: The Future Is Ours
1991: My House Is Your House and Your House Is Mine
1992: The Worldwide Happy People Weekend
1993: Fifth Anniversary
1994: The Spirit Makes Your Move
1995: Peace On Earth
1996: We Are On Family
1997: Let The Sunshine In Your Heart
1998: One World One Future
1999: Music Is The Key
2000: One World One Love Parade
2001: Join The Love Republic
2002: Access Peace
2003: Love Music
2006: The Love Is Back
2007: Love Is Everywhere
2008: Highway To Love
2010: The Art Of Love

Love Parade de 1997 foi a primeira edição que reuniu mais de 1 milhão de participantes
Assista e ouça abaixo a música-tema da edição de 1997, Sunshine:



Todas as músicas-tema:
1997: Sunshine (Dr. Motte and Westbam)
1998: One World One Future (Dr. Motte and Westbam)
1999: Music Is The Key (Dr. Motte and Westbam)
2000: One World One Love Parade (Dr. Motte and Westbam)
2001: You Can't Stop Us (The Love Committee)
2002: Access Love (The Love Committee)
2003: Love Rules (The Love Committee)
2006: United States Of Love (Westbam & The Love Committee)
2007: Love Is Everywhere (Westbam & The Love Committee)
2008: Highway To Love (Westbam & The Love Committee)
2010: The Art Of Love (Anthony Rother)









Love Parade - edição de 2001


Foto da edição de 2002

Edição de 2002
Foto tirada na Love Parade 2003
Foto dos participantes da Love Parade 2003
Love Parade 2006 foi a última edição a ser feita em Berlin


CDs
Os organizadores do Love Parade, uma das maiores festas do mundo, lançaram várias compilações anuais em nome do projeto, e usava como título o lema de cada edição. O primeiro álbum foi de 1996, e à partir de 2001, toda a discografia passou a ser mixada. Veja alguns:

CD de 1996
CD de 1997 - com destaque para a música Freed From Desire, da cantora italiana Gala
CD de 1998 - com destaque para Let Me Show You (Camisra), Horny (Mousse T), Feel It (The Tamperer), I Found A Cure (Ultra Naté) e Café del Mar (Energy 52)
CD de 2000 - com destaque para Tell Me Why (Paul Van Dyk), Toca's Miracle (Fragma) e It Feels So Good (Sonique)
À partir deste CD, toda a discografia do festival foi mixada. Com destaque para Touch Me (Rui da Silva), Played A Live (Safri Duo) e Let You Go (ATB)
CD de 2002 - com destaque para 4 Strings, ATB, Junior Jack, Inner City e Felix da Housecat
CD de 2003 - com destaque para Satisfaction (Benny Benassi), Somebody To Love (The Boogie Pimps) e Move Your Feet (Junior Senior)
O CD lançado no verão de 2004 destacou os artistas ATB, Tiga, Paul Van Dyk, Junior Jack, Laurent Konrad, Moby, Tiësto e Niels Van Gogh
A compilação oficial de 2006 contou com os artistas conhecidos Cirez D (conhecido como Eric Prydz), Faithless, Tiësto, Tomcraft, Sharam e Coburn
Este foi um dos CDs lançados em 2008. Reuniu 62 músicas, entre elas, estão os clássicos Needin' U (The Face), Gypsy Woman (Crystal Waters), Touch Me (Rui da Silva Feat. Cassandra Fox), The Rockafeller Skank (Fatboy Slim), Out Of The Blue (System F), 9 PM (ATB), Meet Her At The Love Parade (Da Hool), Silence (Delerium) e todas as músicas-tema das edições feitas até aquele ano
O álbum duplo tem as canções Born Slippy (Underworld), Watch Out (Alex Gaudino Feat. Shena), Let Me Think About It (Ida Corr Vs Fedde Le Grand), Shingaling (Jean-Claude Ades), Where's Your Head At (Jean Elan), Disco Lies (Moby) and more!
Fonte: Cronache (Itália) - texto; Wikipédia - texto; Dw.pt - texto; Planet Kat - imagens; Resident Advisor - imagem; Discogs - imagem e texto

#TúnelDoTempo - Veja os personagens da TV que forjaram a própria morte

Raul Cadore (Caminho das Índias - 2009): na novela das oito escrita por Glória Perez, o empresário (Alexandre Borges) forjou a própria morte com o intuito de viver uma intensa aventura com a amante Yvone (Letícia Sabatella). Porém, o que ele não esperava é que a mesma fosse lhe aplicar um golpe em um hotel de Dubai, na Índia, para onde viajaram.


Ele só reaparece para todos nos capítulos finais da novela, quando é sequestrado por engano, no lugar de seu irmão Ramiro (Humberto Martins). O plano do sequestro foi armado pela filha do Raul, Júlia (Vitória Frate), por vingança.

Bia Falcão (Belíssima - 2005): a megera morre em um acidente de carro, e descobre-se que o mesmo fora sabotado. A vilã reaparece depois de mais de 100 capítulos e confessa ter enganado a todos forjando sua morte, e que tudo não passou de um plano para não ser presa, pois havia sido descoberto que ela estava por trás da morte do neto Pedro, e dos pais da protagonista Júlia (Glória Pires) e Pedro (Henri Castelli) em um acidente de avião, quando ambos ainda eram pequenos.


No último capítulo, Bia consegue fugir em um jatinho para Paris.

Totó e Clara (Passione - 2010): demorou para ele acreditar que sua esposa, Clara (Mariana Ximenes), estava querendo matá-lo para ficar com seu dinheiro. Ele decidiu fazer uma parceria com Diogo (Daniel Boaventura) para saber se a mulher teria mesmo essa coragem. E deu certo! Ela atirou e acreditou tê-lo matado, mas ele reapareceu dias depois e a mandou para a prisão.

Totó (Tony Ramos) e Clara (Mariana Ximenes)
Em seguida foi a vez de Clara, que conseguiu enganar todo mundo direitinho. Fugiu da prisão e aproveitou a perseguição policial para roubar uma cantina e sequestrar uma funcionária. Na estrada, atirou-se do carro que estava dirigindo e que caiu do precipício, deixando a moça morrer em seu lugar. No entanto, (nem) a polícia (e nem o público) sabia que a vilã havia escapado da morte, assumindo então a sua morte.

Totó foi enganado por Clara
Fora do Brasil, terminou a novela livre, feliz e vingada! Durante a novela, o personagem Saulo Gouveia (Werner Schunemann) foi morto com golpe de faca de cozinha e deixado nu em um quarto de motel, e Clara foi a sua assassina. Ela sofria constantemente abusos sexuais quando criança e com o consentimento de sua avó, Valentina (Daisy Lúcidi).

A vilã conseguiu ter um final feliz
Francesca Ferreto (A Próxima Vítima - 1995): uma das cenas mais antológicas da teledramaturgia brasileira, o retorno da personagem Tereza Rachel em “A Próxima Vítima” chocou o público. Todos achavam que Francesca havia sido assassinada pelo serial killer misterioso da novela. No entanto, ela forjou sua morte para que não fosse executada de fato e para esconder todos os seus segredos.



Simone (Selva de Pedra - 1972): uma das primeiras falsas mortes da história das telenovelas, Simone (Regina Duarte) acreditava que seu marido queria mata-la, por isso, decidiu fugir de carro com uma amiga. As duas sofreram um acidente, o carro explodiu e Simone foi dada como morta.
Mais tarde, ela voltou fingindo ser sua irmã gêmea Rosana Reis, e acabou desmascarada tempos depois, em um capítulo que rendeu à Globo 100 pontos no Ibope.


Raquel (Mulheres de Areia - 1993): no segundo mês de exibição da novela, houve um acidente de barco envolvendo Raquel (Glória Pires) e sua irmã gêmea, Ruth. A primeira foi dada como morta, enquanto a segunda assumiu o lugar da malvada. Porém, Raquel estava vivíssima. Ela preferiu se esconder numa tapera abandonada, e só sua mãe, Isaura (Laura Cardoso), sabia de seu segredo. O plano de Raquel era voltar para se vingar de todos, incluindo sua irmã, que 'roubou' seu lugar.


Beatriz (Sete Pecados - 2007): a personagem de Priscila Fantin na novela “Sete Pecados” aprontou poucas e boas, mas acabou se redimindo no final. No entanto, ela acabou presa e para provar sua inocência, forjou a própria morte tomando uma poção dada pela anja Custódia ( Cláudia Jimenez ) para fugir da cadeia.


No entanto, o plano por pouco não deu errado e Beatriz quase morreu sufocada dentro de um caixão. Por sorte, conseguiu ser resgatada a tempo.

Comendador José Alfredo (Império - 2014): o poderoso milionário forjou a morte fingindo um suicídio depois de tomar um líquido verde misterioso. Por pouco seu plano não dá certo, pois o homem quase morre sufocado dentro do caixão.


O personagem de Alexandre Nero só teve essa ideia para não ser preso por assassinato e roubo, graças à Maurílio (Carmo Dalla Vecchia), filho de Silviano (Othon Bastos), mordomo da casa de José e o primeiro marido de Marta (Lília Cabral), esposa de José Alfredo.

Roque (Roque Santeiro - 1985): todo mundo de Asa Branca jurava que Roque (José Wilker) já tinha passado dessa pra melhor, tanto que até fizeram uma estátua em sua homenagem. Depois de uma reviravolta, 17 anos depois, ele retorna à cidade e as autoridades se dividem entre os que defendem que a verdade seja revelada ou que a farsa do mito continue, já que o mártir se tornou lucrativo pros comerciantes.



Léo (Insensato Coração - 2011): um dos vilões mais inescrupulosos da TV, ele estava dentro de um avião, matou o piloto com um golpe de canivete no peito, avisou o centro de comando que a aeronave estava caindo e saltou de paraquedas. Ao chegar no chão, ele colocou fogo no paraquedas e fugiu saltitando.


Fonte:
IG
Revista Glamour
Wikipédia
Memória Globo

#Carnaval2017 - Ivete Sangalo sai fantasiada e curte carnaval na pipoca

Nesta terça-feira (28), junto do marido Daniel Cady, a cantora se fantasiou de palhaço e foi para o circuito Dodô (Barra-Ondina), em Salvador, sem ser reconhecida. Ela acompanhou o desfile dos colegas Durval Lelys, Cláudia Leitte, Armandinho e Xanddy, da banda Harmonia do Samba.

Ivete Sangalo ao lado do marido
As fotos compartilhadas por Ivete mostram ainda como era a fantasia usada por ela. A roupa é formada por uma calça branca com bolas vermelhas e suspensórios, uma blusa branca, uma gravata vermelha e um nariz de palhaço. Veveta usou bastante maquiagem, uma peruca e um óculos para dificultar a identificação dos fãs durante a festa. Já Daniel estava com uma calça cinza com estampa de estrelas pretas, camisa branca e gravata vermelha.
Ivete estava de folga nesta terça-feira, após puxar o bloco Coruja entre a Barra e a Ondina na noite da segunda-feira (27). Durante a apresentação, a cantora vestiu figurino de pirulito, inspirado no tema usado por ela no carnaval deste ano: "Doce". A musa ainda relembrou a homenagem que recebeu no carnaval do Rio de Janeiro. A artista foi tema do samba-enredo da escola de samba Grande Rio e desfilou com a família pela Sapucaí.

Ivete Sangalo em foto publicada no Instagram
Ivete também estava do lado de alguns amigos, que também aderiram à fantasia para aproveitar a pé os blocos da cidade. A irmã, Cynthia, compartilhou uma foto em que só as duas aparecem.
A cantora, no Instagram, compartilhou a foto em que aparece junto com o grupo, escrevendo a seguinte legenda: "E para fechar com chave de ouro o meu carnaval, amigos reunidos na pipoca da minha cidade Salvador! Que farra boa. Sai do Farol da Barra e fui ver de pertinho @xanddyharmonia voltei peguei @durvallelys fui até ondina voltei peguei @claudialeitte voltei peguei @armandinhomacedo e depois fui me divertir no @camarotecluboficial . Meus amigos que eu amo foram junto comigo e foi demais!!! Feliz carnaval!!!!", escreveu.


Ivete Sangalo com a irmã, Cynthia