segunda-feira, 13 de março de 2017

Patrocinador master garante saída do Boa caso Bruno seja contratado

Principal patrocinador do Boa Esporte, o Grupo Góis e Silva anunciou que irá cancelar o apoio dado ao clube mineiro caso a contratação do goleiro Bruno seja mesmo confirmada. Depois do clube divulgar o acerto com o jogador, a tendência é que o contrato seja assinado nesta semana.
Segundo comunicado oficial, o Grupo Góis e Silva irá se reunir com o Boa Esporte nesta segunda-feira para discutir sobre o caso. Visando atrair mais mídia com Bruno na equipe, a contratação do goleiro poderá causar um grande impacto aos cofres do clube de Varginha, já que não é apenas o patrocinador máster que ameaçou rescindir contrato com o time.
A empresa Cardiocenter e a Nutrend Nutrition foram outras patrocinadoras que não gostaram da decisão do Boa Esporte em contratar Bruno e acabaram encerrando a parceria com o clube mineiro.
"Cardiocenter não concorda com a contratação de jogadores que não representam nossos ideais, nos opomos porque consideramos que os jogadores têm que ser exemplos de atletas para crianças e para todos os apaixonados por futebol. Já solicitamos que nosso logo seja retirado do site do Boa Esporte", escreveu a Cardiocenter em seu perfil oficial no facebook.
Com a debandada de patrocínios, que causa um grande impacto financeiro ao clube, basta saber se Bruno seguirá nos planos do Boa Esporte, que planeja a montagem de um elenco forte para a disputa da Série B do Campeonato Brasileiro neste ano.

Confira o comunicado oficial divulgado pelo Grupo Góis e Silva:
Muito tem se falado na internet e na mídia sobre nosso grupo ser associado a imagem deveras negativa da pessoa do Goleiro Bruno.
Deixamos claro e explícito nosso repúdio a todo e qualquer tipo de violência contra a mulher e qualquer outro tipo de violência, independente de classe social, gênero, faixa etária, cor da pele, orientação sexual, religião, etc.
Mantemos em nossos valores e missão o apoio ao esporte, ao empreendedorismo, às causas sociais e aos programas de recuperação.
Como grupo de diversos negócios e pessoas, somos coerentes quento à consciência social, e atendendo a comoção nacional, faremos uma reunião com a diretoria do Boa Esporte Clube dia 13 de março.
A Parceria com o Boa se estende por mais de três anos e sabemos do crescimento do clube e de seu valor para o esporte e para o Sul de Minas Gerais.
Nossa reunião tem por objetivo requerer à diretoria do clube rever sua decisão de contratação do Goleiro Bruno.
Caso nosso requerimento decline, infelizmente estudaremos cancelar o patrocínio ao Boa Esporte Clube.

Fonte: Jornal do Brasil

Rita Lee vive vilã alienígena em primeira série nacional da Warner


O canal pago Warner acaba de lançar sua primeira série brasileira, "Manual Para se Defender de Aliens, Ninjas e Zumbis” é o título do enredo.
Gravada em meados do ano passado, a produção teve um custo médio de R$ 3,7 milhões e entrou no ar nesta semana.
A série conta a história de jovens que entendem tudo de cultura geek e tentam salvar a Terra, que está tomada por uma grande força do mal.
Os aliens estão infiltrados na sociedade como líderes, tomando decisões na alta cúpula de empresas. O mal fez dos ninjas seu exército e alimenta a ideia de uma epidemia de zumbis para se apoderar do planeta Terra. É quando ressurge a NAZCA com Wes (Thalles Cabral), Tina (Daphne Bozaski) e Sput (Michel Joelsas), que serão convocados a defender o planeta.
O elenco traz também nomes inusitados como André Abujamra e a cantora Rita Lee também participação da trama. A cantora interpretará a vilã principal: uma alienígena muito esquisita e maldosa.

Fonte: R7

Por onde anda Rafael Alvarez, o Cecéu de 'A Gata Comeu'?


Rafael Alvarez fazia parte do elenco infantil da novela das seis mais assistida dos anos 80, "A Gata Comeu", de 1985. Reprisada no Canal Viva desde outubro do ano passado, é a novela que está dando mais audiência desde então.
Na trama, Rafael Alvarez era Cecéu, filho de Vicente (Germano Filho), dono de uma banca de jornais e um verdadeiro unha de fome.

Rafael Alvarez nos dias atuais
Ele fez ainda, com o fim de 'A Gata Comeu', uma participação na novela Top Model, em 1989, como ator. Mudou-se para Nova York e deixou de ser ator para ser diretor e produtor de cinema. "Eu era bem novo, mas lembro que gostava muito de ir para os estúdios da Globo que, na época, ficavam na rua Lopes Quintas, no Rio de Janeiro. As externas eram todas gravadas na Urca. Era como ir para uma colônia de férias!".

Ele trabalha como diretor dos programas Anota Aí, no Multishow, e Além da Conta, na GNT. "Me mudei para os EUA em 1992, então nunca cheguei a ter oportunidade de me ver numa reprise da novela, mas meus amigos sempre comentam."


Fonte: Canal Viva; O Globo

#DoFundoDoBaú - Negrocan, banda que emplacou os hits 'Cada Vez' e 'Aquela Esquina'

O Negrocan foi um grupo multi-étnico formado nos anos 90. Conta com a brasileira Liliana Chachian nos vocais, o uruguaio Andres Lafone no baixo, o italiano David Giovaninni na bateria, o britânico Neil Angily no teclado, e o chileno Carlos Fuentes na percussão. O primeiro álbum da banda veio em 1996, intitulado Medio Mundo, que incluiu as canções 'Cada Vez' e 'Aquela Esquina', que ganhou versões em remix cinco anos mais tarde, como o de Grant Nelson, o mais conhecido.

Liliana Chachian
Por onde andam os integrantes da Negrocan?
À partir de 2004, a banda não fez mais nenhum trabalho novo. Durante todo esse tempo de existência da banda, lançaram apenas os álbuns Medio Mundo e Negrocan, que não teve nenhum single lançado.

Andrés Lafone
David Giovaninni, além de baterista, é produtor, e esteve por trás da produção do álbum 'New York Afternoon', do projeto Snowboy & The Latin Section, criado por seu colega da Negrocan, Neil Angily, que faz parte também de outros dois projetos, Down To The Bone e Vertente.
A brasileira Liliana Chachian, natural de São Paulo (SP), não parou de cantar, e continua fazendo shows em Londres, na Inglaterra.

"Aquela Esquina"

Davide Giovaninni
"Cada Vez"


Neil Angilley

Por onde anda Bárbara Borges, a Jennifer de 'Senhora do Destino'?

Não, ela não sumiu de vez. Agora, a atriz estará de volta em uma nova novela da Record intitulada Belaventura, que diferente das outras, se passará nos dias atuais. De toda sua carreira, o papel de Jennifer, filha do ex-bicheiro Giovanni Improtta que se descobre homossexual em 'Senhora do Destino', foi o seu maior destaque e o que mais foi repercutido na mídia. Bárbara, que já esteve em Porto dos Milagres (2001) e Duas Caras (2007), as três do mesmo autor, Aguinaldo Silva, está fora da Rede Globo desde 2008 quando fez duas pequenas participações em Casos e Acasos (2008), e desde então segue contratada pela Record, onde fez 'Bela, A Feia' (2009), 'Balacobaco' (2012)
Ela é casada com o funcionário público Pedro Delfino, com quem teve dois filhos, Martin Bem, nascido em 2014, e Theo, nascido em 2016.

Bárbara Borges e Mylla Christie na época em que interpretaram as lésbicas Jennifer e Eleonora, respectivamente, em Senhora do Destino

Delegada fala de agressão do cantor Victor Chaves à esposa e revela: o exame de corpo de delito deu negativo


A delegada Danúbia Quadros, da Polícia Civil de Minas Gerais, reuniu a imprensa na tarde desta segunda-feira, 13, em Belo Horizonte, para falar sobre o caso envolvendo o cantor Victor Chaves e a mulher, Poliana Bagatini Chaves - que acusou o sertanejo de agressão e depois voltou atrás.
O encontro aconteceu na Divisão de Polícia Especializada da Mulher, do Idoso e do Deficiente um dia após o depoimento do sertanejo, que aconteceu neste domingo, 12. Na coletiva, Danúbia disse que o inquérito ainda não foi concluído, mas afirmou: "Não existe lesão aparente na Poliana, de acordo com o laudo do IML. O exame de corpo de delito para lesão corporal deu negativo."
A delegada fez questão de frisar, no entanto, que o laudo do exame do IML não é, necessariamente, conclusivo neste caso: "Lesão corporal e agressão/vias de fato são coisas diferentes. Empurrões, tapas e posturas que não deixem a vítima lesionada não aparecem no exame de corpo de delito, não deixam vestígios. Agora ele está sendo investigado por agressão/vias de fato."

Polícia aguarda laudo de câmeras
Segundo a delegada, o motivo do desentendimento entre o casal foi Victor ter levado a filha pra casa da mãe - em um apartamento no andar de baixo. Poliana não havia autorizado e foi até a casa sogra tirar satisfações. "Os depoimentos da mãe e da irmã do cantor confirmarm as declarações de Victor e Poliana. De que Poliana não aceitou Victor levar a filha pra casa da sogra, ficou muito alterada e danificou alguns objetos da casa da sogra", contou Danúbia. "Em seu depoimento, Victor voltou a frisar que não agrediu a esposa grávida", completou a delegada.
Quadros disse ainda que a Polícia Civil teve muita dificuldade em conseguir cópias das gravações do circuito interno do prédio e que agora aguarda este laudo pericial para dar prosseguimento ao inquérito. "O inquérito policial está em andamento, esperamos a conclusão da perícia das imagens do circuito interno para dar prosseguimento com as investigações", declarou, antes de completar: "Não existe prazo definido para a perícia entregar o laudo das imagens, mas existe um prazo para encerrar o inquérito. É de 30 dias a partir do dia 25 de fevereiro. As imagens já foram assistidas, mas falta a elaboração do laudo", explicou. Isso porque Poliana denunciou a agressão em 24 de fevereiro, mas voltou para assinar e fazer o exame no dia 25, por volta de 7h da manhã.
Segundo versão da vítima, Victor a empurrou e chutou no elevador. De acordo com Danúbia, "todas as provas são importantes e serão levadas em consideração para indiciar ou não, o acusado. A Polícia trabalha com provas. Se realmente houve a agressão, ele será indiciado no artigo 21".

Não houve testemunhas
Outro motivo pelo qual a perícia nas câmaras é tão importante é que, segundo a Polícia Civil, não houve testemunhas da suposta agressão. "Segundo apurado, nenhum vizinho, porteiro ou funcionário, presenciou a agressao", disse Danúbia Quadros.
A delegada ainda lamentou o fato de atender tantas situações similares. "É um caso, infelizmente, muito comum, aqui na delegacia de mulheres".

A denúncia
No dia 24 de fevereiro, a empresária fez um boletim de ocorrência e acusou o cantor sertanejo de agressão. Já no domingo, 26, Poliana fez um post em seu Instagram, no qual declarou que Victor não a machucou. “Vitor não me machucou e nunca me machucaria e, para comprovar, a inexistência de qualquer lesão, resolvi fazer a perícia no IML. Apesar do transtorno que toda a repercussão nos causou, meu bebê e eu estamos em pleno estado de saúde”. O exame de corpo de delito foi concluído no dia 3 de março, mas de acordo com a Polícia Civil, o laudo não foi divulgado a pedido da suposta vítima.

Depoimento: "estavam todos tranquilos"
O sertanejo prestou seu depoimento na noite deste domingo, 12. De acordo com a assessoria da Polícia Civil, "Victor esteve na delegacia acompanhado da mãe, da irmã e do advogado. Eles chegaram às 19h e saíram às 23h. Cada um prestou depoimento isoladamente. O advogado acompanhou todo depoimento". Ainda segundo o órgão, os depoimentos da mãe e da irmã do cantor levaram cerca de uma hora cada. Já o do sertanejo, cerca de duas horas. "Eles estavam todos tranquilos", informou a assessoria da polícia.


'Jamais agredi alguém'
Victor quebrou o silêncio e falou pela primeira vez sobre o assunto em entrevista ao "Fantástico" no domingo, 26 de fevereiro. "A única coisa que posso dizer é que minha família é meu bem maior. Toda minha postura foi sempre de preservar família. Jamais agredi alguém na minha vida, muito menos minha esposa, que está grávida do João. Vou lidar com isso em recolhimento com minha família", afirmou o cantor, pouco antes de embarcar em um avião particular com a mulher e a filha, Maria Vitória.

Victor evitou responder a outras perguntas do "Fantástico" para explicar, por exemplo, o motivo de Poliana ter feito o boletim de ocorrência. "Qualquer coisa que eu falar, eu exponho minha família. Nunca agredi ninguém na minha vida. Não tem o que dizer, não tem nem o que explicar", afirmou ele.

Fonte: EGO

“Ser pastor não dá dinheiro”, diz Malafaia no Conexão Repórter


O pastor Silas Malafaia foi entrevistado por Roberto Cabrini no “Conexão Repórter” exibido neste domingo (12) logo após o “Programa Silvio Santos”, no SBT. O próprio pastor vinha divulgando a entrevista, afirmando que iria “mostrar tudo”.
O programa foi recheado de pautas consideradas polêmicas, mas quem conhece o trabalho do presidente da Assembleia de Deus Vitória em Cristo não se surpreendeu com as colocações.
Na pauta, Cabrini levantou uma questão que tem incomodado o líder religioso. Ao ser questionado sobre o que lhe incomoda, Malafaia disparou: “Dizer que estou sendo acusado de lavagem de dinheiro. Isso é a maior bandidagem”.
Ele manteve o posicionamento que assumiu em seus vídeos postados nas redes sociais desde que seu nome apareceu na Operação Timóteo, realizada pela Polícia Federal.
“O processo tem mais de mil páginas, meu nome aparece em 2 linhas e meia. Eu recebi uma oferta de R$ 100 mil, depositei na minha conta, declarei ao Imposto de Renda e poderia ter usado como usei outras ofertas. Não tem nada ilegal, vou provar com toda essa documentação que sou inocente, não tenho nada a ver com esses canalhas e bandidos, que roubaram mais de 70 milhões, isso é um jogo”, reclama o pastor, que nega qualquer envolvimento com a máfia da mineração.
Falando sobre seu indiciamento, Malafaia não teme ser preso: “Não, não tem uma vírgula de motivo para isso, não tem uma prova de que eu participei de uma Operação para roubar a nação. Isso é uma infâmia, é uma safadeza, querem me denegrir porque eu sou um pastor que tem influência na sociedade”. Em depoimento à PF na semana passada, o advogado que fez a doação inocentou o pastor.
Em outro momento da entrevista, Cabrini tentou polemizar, perguntando ao pastor o que ele faria se um dos seus filhos fosse gay: “Profundamente, sem abrir mão do meu amor, mas diria para ele a verdade, dizer que está errado, porque amar não significa ser conivente. Toda a história da sociedade está sustentada por um homem, a mulher e seus filhos. A prole. Isso aqui é a sociedade, história da civilização. Querem mudar esse status, vamos ver esse resultado nas gerações futuras”.
De modo geral, o programa abordou as posturas públicas de Silas, que causam surpresa em parte da sociedade que não entende os princípios defendidos por ele. Ao mencionar sua campanha de boicote à Disney por causa da exibição do primeiro beijo gay em um desenho animado da empresa, ele reclamou: “O que a Disney quer? Beijo gay? Erotizar crianças é a coisa mais covarde que se tem. A Disney quer colocar o homossexualismo para as crianças… E eu vou me calar? Aí querem me bater. Você vai me desculpar, eu não posso me calar”.
Desde o início do programa, o repórter tentou colocar que Malafaia tem um “império” e que por ter ficado rico é acusado de ser um “mercador de almas, que visa sempre o lucro”. O pastor explicou que ele não é dono da igreja e que as pessoas que contribuem com dízimos e ofertas fazem isso “pela fé” e entendimento das Escrituras.
Cabrini então questionou como funcionaria a “indústria da fé” e se Malafaia possuía os 150 milhões de dólares que a revista Forbes alegou que ele tem. O líder da ADVEC voltou a dizer que isso não procede e deixou claro que todas as suas contas estão abertas e declaradas no Imposto de Renda. Além de mostrar os documentos na TV, sublinhou que não tem dinheiro depositado em nenhum paraíso fiscal.
Para o líder religioso, não há problema em um cristão fiel ser rico. “Deus não é contra a riqueza, Deus é contra a exploração. Deus não é contra o dinheiro, Deus é contra o amor ao dinheiro”, frisou ao repórter.
Rebatendo acusações de ser homofóbico, disse que a homofobia é algo determinada pela psiquiatria e não pelo movimento gay. Sobre suas posturas, enfatizou que “ter opinião não é crime”. Apesar das críticas, continuará se posicionando contra questões como casamento gay e aborto.
Por fim, além de mostrar o trabalho da igreja, Malafaia revelou como funciona a editora Central Gospel e os trabalhos sociais da ADVEC, um aspecto comumente ignorado pela mídia.

Fonte: Gospel Prime

Globo não vai exibir cenas quentes gay em Senhora do Destino


Depois de conseguir a recomendação para maiores de 10 anos, a Globo fará o máximo para cumprir as regras da classificação indicativa em Senhora do Destino, que retorna ao Vale a Pena Ver de Novo nesta segunda-feira (13). Para isso, a emissora vem editando as cenas a fim de adaptá-la ao horário da tarde.
Segundo o jornal Agora São Paulo, as cenas que retratam o relacionamento homoafetivo entre Jennifer (Bárbara Borges) e Eleonora (Mylla Christie), por exemplo, serão cortadas. As sequências de violência também não irão ao ar.
É a segunda vez que Senhora do Destino é reprisada no Vale a Pena Ver de Novo. A primeira reapresentação na faixa horária foi em 2009.

Fonte: Observatório da Televisão

Fernanda Gentil: "Nunca imaginei que fosse gostar de mulher"

Mãe de Gabriel e Lucas, jornalista, apresentadora do "Esporte Espetacular" (Globo) e sucesso nas redes sociais, Fernanda Gentil agora, mais do que nunca, esbanja felicidade, desde que começou a namorar a também jornalista Priscila Montandon.
Gentil foi casada com o empresário Matheus Braga, com quem se relacionou desde a adolescência. Após a separação, engatou o namoro com Priscila.


A partir daí surgiram vários rumores sobre a vida da apresentadora e ela foi e ainda é alvo de atitudes homofóbicas. Mas em entrevista à "Boa Forma" - da qual é capa e recheio deste mês -, Fernanda respondeu com serenidade sobre o tema: “Nunca imaginei que fosse gostar de mulher”.
E ainda acrescentou que o que interessa não é o sexo da pessoa com quem ela está, mas o caráter. “Aprendi desde cedo que não é o que a gente vê da pessoa, é o que a gente sente por ela que importa”, afirmou.

Fonte: Jornal do Brasil

“Novo Mundo”: próxima novela da Globo apresenta o passado com elenco de peso

Independência ou morte? A clássica frase faz parte da história do passado do nosso país e traz personagens tradicionais como protagonistas da época. No entanto, em “Novo Mundo”, a próxima novela das 18h da Globo que estreia dia 22 de março, este passado tupiniquim será contado a partir de um novo ponto de vista.
Escrita por Thereza Falcão e Alessandro Marson, “Novo Mundo” se propõe a contar a história do Brasil de forma mais fiel e crítica ao que de fato ocorreu. Segundo os autores e o elenco da novela, nem todo o passado é narrado nas aulas de história do colégio. Por isso, como forma de lazer, a nova trama da Globo traz uma função educativa e de serviço para os telespectadores.
Chay Suede e Isabelle Drumond protagonizarão novela
“A televisão ainda é o veículo que garante o entretenimento de muita gente que não tem outras formas para se divertir. Por isso, essa novela é um privilégio enorme. Para mim, é uma alegria gigante poder contar sobre pessoas que fazem diferença na vida de outras”, disse a autora Thereza Falcão.
Responsável por apresentar este novo ponto de vista da história de nosso país, Isabelle Drummond é a protagonista da trama. Ao lado de Chay Sued, a atriz narrará o passado pelas experiências de Ana Millman, que escreve um diário contando sua vivência com a amiga Leopoldina. Embora a personagem não tenha existido de fato na história do Brasil, Isabelle contou que Ana é uma combinação de diversas outras pessoas que compuseram esse passado.
Para a atriz, o diferente olhar sobre uma história já conhecida representa um novo descobrimento. “Eu acho muito interessante os protagonistas não serem os grandes personagens da história do Brasil. Normalmente, a gente não fala muito das pessoas que estavam nos bastidores da Independência e que foram fundamentais para as decisões no país. Então, é super curioso dar voz a esses personagens, porque cria uma desconstrução do formato normal e tradicional das novelas”, analisou Isabelle Drummond.
Já seu companheiro de cena e par romântico na novela destacou a possibilidade de contar a história mais real e livre de filtros do nosso país. Em entrevista, Chay Sued definiu como novo e interessante esse ponto de vista adotado para a narrativa de “Novo Mundo”. “A gente conta a história de um Brasil em formação com todos os seus defeitos e sem nenhum tipo de glamour ou altivez. Na novela, tem todas as injustiças, barbáries, história dos brancos acabando com os índios e os negros sendo escravizados. Então, esse ponto de vista das minorias é incrível”, disse o ator.
A missão educativa da trama na teledramaturgia é também um ponto em questão. “Muito além do entretenimento, essa novela tem a função de contar o passado do nosso país de uma maneira divertida e real, em que pontos que não nos foram citados nas aulas de história do colégio são revelados. Por isso, eu acredito que essa oportunidade seja muito boa para ensinar diversas gerações”, completou Chay Sued.

Parte do elenco da novela das seis
Para garantir que tudo fosse bem fiel ao que de fato aconteceu, o elenco se entregou aos seus respectivos personagens. Seja no incrível figurino, na cenografia primorosa ou nos sotaques, que completam as personalidades, a direção criativa de Vinícius Coimbra é um dos destaques de “Novo Mundo”.
Um dos que está respirando seu novo personagem é Caio Castro. Para viver Dom Pedro com excelência, o ator optou por passar uma temporada em Portugal e conhecer de perto o universo do nobre. “Eu fiquei dez dias em Portugal escutando e aprendendo o sotaque de lá e tendo a oportunidade de mergulhar na cultura. Isso fez toda a diferença. Eu poder ter tocado na cama em que Dom Pedro morreu e presenciar o universo real do personagem enriqueceu muito o meu laboratório”, contou.
Apesar de todo o estudo, o ator precisou criar o seu Dom Pedro. “É muito complicado seguir os trejeitos dele, porque nós não temos registros audiovisuais da época. Todas as imagens e relatos sobre ele que temos são de pintura ou livros de historiadores. Então, a construção precisou ser feita por meio de muita leitura e das referências externas de Portugal”, acrescentou.
Outro ator que mergulhou em seu personagem foi Allan Souza Lima. Para se preparar para enfrentar o cacique Ubirajara, Allan e parte do elenco ficaram quatro dias em uma aldeia no Pará conhecendo a realidade dos índios brasileiros.
De forma intensa e de entrega total, o ator nos contou que os dramas de seu personagem já se tornaram pessoais também. “Toda aquela experiência e entrega que eu tive no passado estão sendo fundamentais agora para eu viver de fato o meu personagem. Inclusive, na última semana, eu gravei algumas cenas de guerra em que fiquei muito mexido. Depois desse dia mais pesado, eu entrei em contato com o cacique que nos recebeu na aldeia e contei desse meu sentimento. E, como ele me disse, o meu personagem, que é o líder do grupo, tem essa função mesmo de levar porrada para defender seu povo”, contou Allan Souza Lima.
Rodrigo Simas também será um índio, o Piatã, na novela das 18h. Na trama, ele vem para o Brasil com a corte em busca de suas raízes indígenas que foram abandonadas na infância. Segundo o ator, a vivência com a aldeia real do Pará foi fundamental para que destacasse alguns detalhes para compor o personagem.
“Aquela experiência me serviu muito como uma memória verdadeira. Quando eu comecei a construir o meu Piatã, resgatei o olhar das crianças de alegria e uma certa inocência. Lá, o que mais me impressionou foi a liberdade. As crianças, até as mais pequenas, ficavam correndo pela aldeia até de madrugada sem nenhum problema. Elas iam para o rio e para o meio do mato sozinhas e isso não era preocupação para os pais”, lembrou Rodrigo.
Entre tantos personagens que compõem o elenco de luxo de “Novo Mundo”, a novela também se destaca pelas questões abordadas. Junto com a história do Brasil, a trama da Globo discute a escravidão, a temática indígena e o preconceito.
Engajada em trazer a reflexão para os tempos atuais, Letícia Collin destacou a importância destas abordagens. A atriz viverá Princesa Leopoldina, que veio da Áustria para o Brasil e ficou assustada com práticas nacionais, como a escravidão. “Eu acho que essa é uma novela super atual. A trama aborda a formação do país e isso explica muito os nossos pensamentos e comportamentos de hoje. É muito interessante poder revisitar o passado para tentar entender o presente e melhorar o futuro”, analisou Letícia.

Com informações de Julia Pimentel.

Fonte: Jornal do Brasil (Heloísa Tolipan)

Sam Alves após assumir homossexualidade: 'Gay não é doente'

Sam Alves durante a segunda edição do The Voice Brasil
Sam Alves, vencedor da segunda edição do "The Voice Brasil", revelou em uma rede social, na última terça-feira, 7, que é homossexual. Neste sábado, 11, o cantor respondeu respondeu ao EGO algumas perguntas - e pediu para ser públicado na íntegra -, explicando por que tomou esta decisão de tornar pública sua opção sexual.
-No Twitter, você disse que só agora podia responder. Existia alguma proibição antes?
"Sempre fui uma pessoa que preferia preservar a minha privacidade. Antes do 'The Voice Brasil' e antes de ser jogado na luz dos holofotes da mídia, eu sempre tive que discernir o que deveria expor da minha vida ou não, até para as pessoas mais próximas de mim. Após ganhar o 'The Voice Brasil', eram milhares de mensagens, entrevistas, e perguntas sobre a minha vida pessoal, inclusive sobre a minha sexualidade. Achei melhor dizer 'não sou gay' quando fui abordado por essas perguntas publicamente no passado. Era melhor para mim, na época, porque ainda não tinha me aberto com a minha própria família e amigos mais próximos, e não seria através da mídia que iria fazer isso. Fui criado na igreja e sempre tive minha fé como primeiro na minha vida. E por ser filho de dois pastores, e de família de igreja, tinha o mesmo medo de toda pessoa que queira se abrir sobre sua sexualidade: a aceitação da sua família.

Sam Alves se assumiu nas redes sociais
Meu foco naquele momento era viver o meu sonho, que passei anos lutando por antes do 'The Voice Brasil' para conquistar. Eu queria fazer o que mais amava: viver de música! Então eu tentava evitar esse assunto de sexualidade o máximo que podia. Desde então passei por anos de crescimento como uma pessoa, tanto na minha fé, quanto em amor próprio. Continuo acreditando em Deus e no Seu amor por mim como sou, como Ele me fez. Não acredito que Deus me rejeita, e muito menos que o Seu amor por mim seja menos que pelo próximo. Após revelar à minha família a verdade, eu senti o peso que carreguei por tantos anos ser tirado das minhas costas. Não duvido do amor deles por mim, pois já foram claros em dizer que me amam. Já revelei para amigos de muitos anos e para pessoas que conheci desde então sobre a minha sexualidade também. Fui alertado a não revelar nada e manter para mim mesmo. Até porque o que condiz da minha vida pessoal não precisa ser do público. Mas de outros amigos ouvi também que eu tinha que fazer o que me trouxesse felicidade.
Uma das primeiras pessoas com quem conversei foi o Hugo Gloss (blogueiro), que disse que se eu decidisse um dia me assumir ao público que "não seria surpresa para ninguém". E isso ficou na minha cabeça desde então: se uma notícia como essa não iria ser surpresa, o que poderia mudar então? Como é que as coisas poderiam piorar?. Tinha também o apoio da minha gravadora que disse que se eu tomasse a decisão de ir público com isso iriam me apoiar e defender. Mesmo assim, decidi guardar para mim um pouco mais até que eu tivesse a certeza de que isso era o que eu realmente queria fazer.

Bem no profundo da minha alma, eu sabia que não iria conseguir ser como alguns artistas que são obrigados a projetar uma imagem do que não são para a aceitação pública por toda a vida e ao mesmo tempo não me sentir completo e feliz com isso. Respeito a decisão deles, mas sabia que isso não era para mim. A mentira me engolia vivo. Eu tomei uma nova decisão, a melhor para mim agora: Dizer a verdade.

Sam Alves
- Como você decidiu se assumir? E por que agora?
Jesus disse: "...e a verdade vos libertará." Eu me aceitei como um homem gay há alguns anos já. Mas não tinha contado à minha família até recentemente. Eu quis ter a oportunidade de poder dizer a verdade e ao mesmo tempo tentar explicar que não é tão fácil quanto pensam expor publicamente sua sexualidade, especialmente para alguém que trabalha no meio artístico, e filho de dois pastores. E eu não queria projetar uma carreira, e a minha vida toda, envolta de uma imagem de uma pessoa que eu não sou.

Sempre quis manter a integridade das músicas que eu escrevia. Já escrevi músicas que foram inspiradas em algum romance com alguém do meu passado. Mas escrevia em forma neutra, sem o gênero da terceira pessoa para o publico que recebesse a musica poder se conectar com a letra independente de sua orientação sexual. Eu usei minha liberdade artística para tocar corações com a arte, sem limitações. Isso sempre foi e sempre será o que a arte é para mim: Uma forma de nos expressarmos, e colocarmos para fora o que está vivo dentro de nós para que as pessoas interpretem aquilo como elas preferirem para aquele momento ou situação da vida delas, sem nenhuma limitação. Eu pensei: agora estou preparado para trilhar os próximos passos com a verdade à tona, sem desrespeitar minha família em ter que ter essa notícia pela primeira vez através da mídia. Sem viver em prol das expectativas dos outros. E tendo a consciência de que Deus me ama, e o mais importante, que eu me amo, e poder ser verdadeiramente feliz.

- Você acredita que de alguma forma isso vá influenciar positivamente ou negativamente na sua carreira?
Acredito que vivemos num mundo aonde cada um tem a sua opinião. E cada lado vai defender a sua opinião. Não significa que estejam exclusivamente certos ou errados. Só significa que existe divergências entre o que cada um pensa. Será positivo por alguns lados e negativos por outros. Eu vou focar nos lados positivos. Um lado positivo será eu poder dar forças para tantas pessoas que estejam lendo sobre a minha história, e estejam sentindo esse mesmo peso que por muitos anos eu senti. A vida é uma só, e o que não podemos fazer é viver a vontade de outras pessoas. Não podemos agradar a todos! Se eu posso fazer alguém se sentir amado por Deus, e amado pelas pessoas ao seu redor, eu ja estarei fazendo uma grande diferença.
Já sofri bullying na escola por ter um jeito mais “sensível” que os outros rapazes. Sei muito bem o que é sofrer preconceito quando jovem, e hoje na internet. E infelizmente as redes sociais abriram os portões para as pessoas se esconderem atras de um anonimato para poder crescer o ego delas mesmo quando praticam o bullying contra outras pessoas na internet, e assediam com mensagens para cutucar. Sou contra todo tipo de preconceito, seja por raça, crença, orientação sexual, ou aparência. E eu me assumir não significa ter mídia para mim mesmo, e sim usar esta atenção para fazer a diferença na vida de alguém. Usar meu palco para ajudar as pessoas que sofrem com essa falta de amor, de respeito, e compreensão. Minha mensagem é uma só: amor triunfa sobre o ódio.
E além de tudo, eu já recebi muito apoio dos meus fãs. Recebi muitas mensagens bonitas e comentários dizendo que nada muda, que continuo sendo o mesmo para eles. E isso me ajuda bastante, me dá forças. Então eu sei o quanto uma mensagem positiva e de encorajamento pode ajudar alguém. Uma pessoa gay não é doente, e além de tudo é amada por Deus. Sou a mesma pessoa que fui criado pelos meus pais a sempre ser: alguém que respeita o próximo, uma pessoa que demonstra carinho aos que necessitam, fé e amor por Deus, paixão pela música, e com a vontade de viver feliz e cheio de amor no coração para espalhar pelo mundo! A maior mensagem que temos vinda de Deus é o amor. Para que espalhar o ódio e a condenação quando estamos aqui para sermos os representantes do amor que Ele nos deixou como exemplo?

- Alguns seguidores o acusaram no Twitter de ter se 'passado por homem da Igreja' para agora se assumir gay. Como você lida com essas críticas
Não me passei por "homem da igreja". Não sei nem o que isso quer dizer. Se entenderam eu falar da minha criação na igreja e fé em Deus como me fazer de "santo", nunca fui e nunca serei. Não sou perfeito, tenho muitos defeitos, e muito o que aprender. Deus não nos criou seres humanos perfeitos.
Ser gay não impede ninguém de ter um relacionamento com Deus. Infelizmente muitas pessoas deixam a imagem de que temos que ser perfeitos para nos aproximar de Deus, e acabam fazendo outras pessoas se sentirem excluídas do Seu amor e não se sentirem bem vindas ou dignas de sentar no banco de uma igreja. Não levo meu exemplo de como me viver vindo de nenhuma pessoa, e sim de Jesus, que na Bíblia é relatado se assentando com as pessoas que a sociedade rejeitava e mesmo assim demonstrou amor por elas. Por que que hoje as pessoas distorcem essa mensagem de amor e tornam ela em uma de condenação e julgamento? Deus é quem julga nossos corações, e não o homem. 
Continuo indo à minha igreja. Continuo tendo a minha fé. Continuo lendo a minha bíblia, orando, e tendo o meu relacionamento pessoal com Deus. A pessoa que senta ao meu lado na igreja não é obrigada a concordar comigo. Mas não estou ali por elas, estou ali porque amo à Deus, e ser gay não muda isso. E não será nenhuma pessoa que irá me dizer que Deus não me ama ou que Ele me rejeita, ou que eu estou fora dos braços d'Ele.
Haverá críticas? Sempre haverá! Haters? Já estou acostumado a lidar com elas por alguns anos. Ser criticado por se fazer de hétero ou por ser gay não fará diferença. Todo mundo que não vive sua própria felicidade tem a vontade de querer atingir a felicidade dos outros. Mas como já postei uma vez nas minhas redes sociais, para não ser criticado você não deve falar nada, fazer nada, e ser nada."

- Mudando um pouco de assunto, o que o Sam está fazendo agora? Qual o projeto para este ano?
Eu estou trabalhando com meus produtores e escrevendo bastante música nova para gravar. Quero poder escrever sobre tudo e todos os temas! Quero poder ir mais profundo com minha música fazendo a diferença. Quero que as pessoas não conheçam Sam Alves o vencedor do The Voice e sim Sam Alves o artista. Já estou planejando algumas parcerias com artistas e DJs amigos meus que toparam trabalharmos juntos. E estou montando alguns projetos para uma turnê nova, com sets de músicas autorais minhas, sets com as musicas pop de hoje em dia, e alguns projetos mais íntimos de shows acústicos também. Vamos dizer que estou naquela fase de bastidores, mas pronto para voltar aos meus shows e lançar musicas novas em 2017. Eu continuo focado no mais importante, minha musica, meus fas, minha carreira, e em fazer a diferença neste mundo! E eu quero muito agradecer ao EGO por me dar esta oportunidade de esclarecer tudo com as minhas próprias palavras.

Fonte: EGO

Leo finge falar com Victor após o irmão ser cortado do The Voice Kids


A primeira edição ao vivo da atual temporada do reality global The voice kids foi ao ar neste domingo, 12, sem o sertanejo Victor, da dupla com Leo. Os irmãos atuavam como técnicos na atração e escolheram em conjunto as crianças que fazem parte de seu time. No programa, apenas Leo ocupou a cadeira de jurado/técnico.
Ao abrir o programa, o apresentador André Marques explicou a dinâmica do programa: quatro vozes (das oito totais) de cada time se apresentariam, competindo por duas vagas – uma definida pelo técnico e outra pelo público. Ou seja, dos 12 competidores deste domingo, seis se mantêm na disputa. No próximo domingo, os 12 concorrentes restantes disputam no mesmo esquema.
Em seguida às explicações sobre esta etapa, André cumprimentou os técnicos. “Boa tarde, meu parceiro Leo Chaves”, disse, dirigindo-se ao sertanejo, que ocupava a cadeira de técnico, sem a companhia do irmão. O apresentador não fez comentários a respeito da ausência de Victor. Na hora de se referir ao time, no entanto, André Marques continuou se referindo a ele como "o time Victor & Leo".
Na hora da apresentação de seu time, Leo fez questão de citar o nome do irmão. "Eu, como Victor & Leo", disse, antes de comentar o desempenho dos concorrentes. Antes, comentou com André Marques seu estranhamento em ser chamado de Leo Chaves. "Eu tenho três nomes. As pessoas me chamam assim: ô, Victor & Leo; ou ô, Victor, e tem também ô, Leo". 
Na hora de decidir quem deveria permanecer no seu time, o sertanejo encenou um diálogo com o irmão. Olhando para sua direita, que estava vazia, disse: "Victor, o que você acha? Não, esse não!". De volta ao diálogo com André Marques (que a esta altura passou a chamá-lo apenas de Leo, excluindo o sobrenome Chaves), comentou: "Irmãos discordam até a distância". 
Os remanescentes do time Victor e Leo foram Juan Carlos Poca (Foz do Iguaçu), escolhido pelo público, e Giulia Soncini (Santa Catarina), salva por Leo. 
Desde o último dia 24, quando a mulher de Victor, Poliana Bagatini, que está grávida do segundo filho do casal, registrou em BH boletim de ocorrência contra o marido, acusando-o de tê-la jogado ao chão e agredido com chutes, a Globo anunciou que o sertanejo ficaria afastado do programa, para se concentrar em sua defesa.
Em entrevista ao Fantástico, da Globo, na sequência do escândalo, Victor negou as agressões e disse que se recolheria para proteger a família. Poliana voltou atrás da acusação e afirmou que o marido tentou contê-la durante um episódio de desentendimento entre ela e a sogra.
O incidente ocorreu no apartamento no casal, no Luxemburgo, na capital mineira. A polícia informou que prosseguiria com o inquérito para apurar os fatos, independentemente do recuo de Poliana. A sogra de Poliana também registrou BO contra a nora.
Desde que a acusação contra Victor tornou-se pública, a Globo reeditou os episódios já gravados do reality, praticamente eliminando a presença de Victor. O apresentador André Marques informou que a emissora optou por manter a exibição, em respeito às crianças que haviam se esforçado tanto na disputa.

Fonte: Diário de Pernambuco