sexta-feira, 24 de março de 2017

'Fera Radical' será reprisada no VIVA; novela substituirá 'Torre de Babel'

"Fera Radical" vai retornar à televisão no próximo dia 5 de junho. A novela será reprisada pelo canal VIVA, substituindo "Torre de Babel". Escrita por Walther Negrão, a história fez um grande sucesso nos anos 80, trazendo Malu Mader, Paulo Goulart, José Mayer e Cláudia Abreu, entre outros, no elenco.
O folhetim estreou em março de 1988 e, devido ao sucesso, foi reexibido no "Vale a Pena Ver de Novo" em 1991. A produção também já esteve no quadro "Novelão", do "Video Show", duas vezes.
A trama gira em torno da história de Cláudia (Malu Mader), que retorna depois de 15 anos a Rio Novo, sua cidade natal, disposta a vingar a morte de sua família.
Ela arruma emprego na Fazenda Olho d’Água, propriedade dos suspeitos pelo assassinato de seus pais e irmãos, mas não imagina que está prestes a encontrar o amor de sua vida: Fernando (José Mayer), filho de Altino Flores (Paulo Goulart) e Joana (Yara Amaral). O romance engata e o casal precisa lidar com a perseguição e as armações da vilã Joana.
"Fera Radical" foi o último trabalho de Yara Amaral, que morreu no naufrágio do Bateau Mouche, no Rio de Janeiro, no réveillon de 1988/89.

Leia sobre a vida de Ângela Vieira, atriz que costuma sempre interpretar mulheres em crise no casamento

Ângela Vieira em novembro de 2016
Nome Completo: Ângela Regina Vieira
Data de Nascimento: 03 de março de 1952
Local: Rio de Janeiro (RJ)
Profissão: atriz
Cônjuge: Roberto Frota
Filha: Nina

Ângela Vieira foi casada na ficção com Odilon Wagner em Por Amor
A carioca Ângela Vieira é muito conhecida por interpretar a irmã da protagonista Helena, Virgínia, em Por Amor, transmitida pela Globo em 1997, e antes de começar sua carreira de atriz, era bailarina. Era parte do Corpo de Baile Municipal do Rio de Janeiro, mas trocou as sapatilhas pelos holofotes.
Ângela já havia participado de alguns programas da Rede Globo, como Planeta dos Homens (1978 - intérprete de vários personagens), Chico Anysio Show (1979), Viva O Gordo (1981), e Os Trapalhões (1983). Esteve no elenco da minissérie Grande Sertão: Veredas, em 1985, e de mais dois trabalhos da extinta Rede Manchete: as novelas Corpo Santo (1987) e Olho Por Olho (1988), retornando à Globo no ano seguinte com a minissérie República.

A atriz com Nuno Leal Maia em 'Meu Bem Querer' (1998)
Ângela Vieira e Raul Cortez em Terra Nostra (1999)
Fez muitas participações nas novelas, como em De Corpo e Alma (1992), Pátria Minha (1994), Anjo de Mim (1996), na qual interpretou a esposa e mãe dedicada Zelinda; Terra Nostra (1999), como a xenófoba Janete, que desprezava os italianos (mesmo sendo casada com um ainda contra a sua vontade); Coração de Estudante (2002); A Favorita (2008), onde fez a mãe solteira Arlete; e I Love Paraisópolis (2015), como a advogada Clarice, que tinha um casamento sólido mas fica chocada ao descobrir que seu marido, Tomás, tem uma filha fora do casamento.


Ângela Vieira como Gisela, em Senhora do Destino
Atualmente está no ar com a segunda reprise de Senhora do Destino (2004), no Vale A Pena Ver de Novo. Sua personagem, Gisela, é casada com Leonardo (Wolf Maya), com quem teve uma filha só, Maria Eduarda/Duda (Débora Falabella), e viu no casamento a chance de ascender socialmente, considerando-se também a legítima baronesa de Bonsucesso no lugar da sogra, Laura (Glória Menezes), a quem odeia.

Ângela, em cena com Cléo Pires e Herson Capri, na novela Cobras & Lagartos. Sua personagem, Celina, era uma alto executiva da empresa Luxus, principal cenário da trama.
Ângela Vieira se encontra ausente das telinhas desde o fim de I Love Paraisópolis, em novembro de 2015. Fez diversas peças de teatro, entre elas, Chapeuzinho Quase Vermelho (1979), e Se Eu Fosse Você (1992/93).
A atriz irá mais uma vez ao ar com a reprise de Por Amor, em maio deste ano.

Em I Love Paraisópolis, Ângela viveu mais uma personagem divorciada

Carne brasileira é a "melhor do mundo", diz Temer

O presidente Michel Temer garantiu, nesta sexta-feira (24), que o governo tem obtido resultados satisfatórios para "estancar" a possibilidade de outros países proibirem a compra da carne brasileira, após denúncias da Operação Carne Fraca de irregularidades na fiscalização, e que o produto nacional é o "melhor do mundo".
“A carne brasileira não é fraca. A carne brasileira é a melhor do mundo”, disse Temer durante cerimônia de entrega de 1,3 mil unidades habitacionais do Programa Minha Casa, Minha Vida no Parque Residencial da Solidariedade, em São José do Rio Preto, São Paulo.
Segundo ele, a situação já está sendo revertida graças à atuação dos ministros das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, e da Agricultura, Blairo Maggi. “Ele [Aloysio Nunes] logo pegou a Operação Carne Fraca sabendo que nossa carne é forte e trabalhou com o Blairo Maggi para estancar essa possibilidade eventual de restrição à compra da carne brasileira, um dos grandes mercados que temos, vendida para 150 países”, disse o presidente.


“Temos feito um trabalho extraordinário para reduzir essas tensões que já começaram a ser reduzidas. A Coreia do Sul por exemplo voltou a autorizar a compra da carne brasileira”, acrescentou.
Até a noite desta quinta-feira (23), pelo menos 14 países, além da União Europeia, tinham suspendido temporária e integralmente a importação de carne brasileira e seus derivados depois que a deflagração da Operação Carne Fraca pela Polícia Federal (PF), na última sexta-feira (17), trouxe à tona suspeitas de irregularidades na produção e fiscalização do setor.
Onze países e territórios suspenderam temporária e integralmente a importação: Argélia, Bahamas, China, Chile, Egito, Hong Kong, Jamaica, México, Panamá, Qatar e Trinidad e Tobago. Três países suspenderam as importações apenas dos 21 frigoríficos investigados pela PF ou de parte deles: África do Sul, Japão e Suíça. A União Europeia também integra o bloco dos que optaram pela suspensão parcial, proibindo a entrada de produtos provenientes de quatro plantas industriais brasileiras onde eram processadas carne bovina, suína e de aves.

Com Agência Brasil

Leia toda a trajetória de vida de Yoná Magalhães, que fez parte do primeiro time de atores da Globo


Yoná Magalhães em Tieta, 1989, que voltará ao ar em maio deste ano pelo Canal Viva
Nome Completo: Yoná Magalhães Gonçalves Mendes da Costa
Data de Nascimento: 07 de agosto de 1935
Local: Rio de Janeiro (RJ)
Profissão: atriz
Data de Morte: 20 de outubro de 2015
Local: Rio de Janeiro (RJ)
Causa: problemas no coração

Yoná Magalhães no filme 'Deus e o Diabo na Terra do Sol'
A atriz, que fez grande parte de sua carreira televisiva na Rede Globo, poderá ser vista novamente no Vale A Pena Ver de Novo, com a reprise de Senhora do Destino, e também, à partir de maio, em Tieta, no Canal Viva.
Nascida no Rio de Janeiro em 07 de agosto de 1935 no bairro Lins de Vasconcelos, subúrbio da zona norte da cidade. Começou sua carreira na Radio Tupi aos 18 anos, fazendo pequenos papéis e figuração. Depois, em 1955, é escalada para a novela As Professoras, transmitida pela TV Tupi, onde fez também Trágica Mentira, de 1959.
Casou-se com o produtor Luís Augusto Mendes, e com ele foi morar em Salvador, na Bahia. Foi lá que ela integrou o grupo A Barca, formado por ex-alunos de escolas de teatro, com direção de seu então marido. Quando ainda estava na Bahia, fora convidada por Glauber Rocha para participar do filme Deus e o Diabo na Terra do Sol, filmado em Monte Santo, interior do estado, em 1964. Neste mesmo ano, nasce seu único filho, Marcos, após a volta da atriz para o Rio de Janeiro.
Embora tivesse participado de duas produções da Tupi, seus momentos de glória começaram em 1966, quando participou das novelas Eu Compro Esta Mulher e O Sheik de Agadir. Com o sucesso alcançado, é contratada pela TV Tupi, onde participa de Simplesmente Maria, em 1970, retornando para a Globo em 1972 para estrelar Uma Rosa Com Amor, com direito a um papel principal. Esteve no elenco de O Semideus, de Janete Clair, e em várias outras novelas da mesma emissora até 1978.
Ela volta para a TV Tupi para participar de Gaivotas, novela das nove. Entre 1980 e 1983, participa de cinco novelas da Rede Bandeirantes, como Cavalo Amarelo e Maçã do Amor, nesta como protagonista. Esta foi a última troca de emissoras da atriz, que permaneceu na Rede Globo e escalada para muitos sucessos.

Yoná Magalhães formou par romântico na novela Eu Compro Esta Mulher com o então galã Carlos Alberto, com quem acabou se casando na vida real
Dercy Gonçalves e Yoná Magalhães trabalharam juntas em Cavalo Amarelo, e no ano seguinte, em Dulcinéa Vai À Guerra
Yoná Magalhães e Jonas Melo na novela Maçã do Amor, da Rede Bandeirantes
Em 1984, vive a comerciante Maria das Graças em 'Amor Com Amor se Paga', o primeiro remake próprio de Ivani Ribeiro. Maria das Graças se sentia americanizada, pedindo até que lhe chamassem de Grace. No ano seguinte, vira um dos destaques da versão não censurada de Roque Santeiro, no ar pelo horário das oito, ao viver Matilde, dona da boate Sexus e de um passado misterioso, que representa uma ameaça à moral e aos bons costumes da cidade de Asa Branca.

Yoná, em cena com Carlos Eduardo Dolabella em 'Amor Com Amor Se Paga'
Com o sucesso de sua personagem em Roque Santeiro, Yoná acabou sendo convidada para posar nua na Playboy, no mês de fevereiro de 1986. "Um retoquezinho nas fotos sempre teve. Mas não tinha essa facilidade que se tem hoje. Se tivesse essa facilidade", diz Yoná ao programa Damas da TV.
Em 1989, foi cotada para interpretar Tonha na novela Tieta. Sua personagem é mais uma que mora em Santana do Agreste. É a segunda mulher de Zé Esteves (Sebastião Vasconcelos), o pai de Tieta (Betty Faria), que expulsou sua filha de casa ainda muito nova, voltando 20 anos depois para se vingar de todos da cidade.

Yoná Magalhães em 1985, caracterizada como Matilde, na novela das oito Roque Santeiro

No ano de 1990, integra o elenco da novela 'Meu Bem, Meu Mal', um dos grandes sucessos do horário das oito. Escrita por Cassiano Gabus Mendes, recebeu o papel da irmã do poderoso empresário Dom Lázaro Venturini, Valentina, que volta para o Brasil depois da morte do sobrinho Cláudio, e o substitui em seus negócios na Venturini Designers, tornando-se um obstáculo para os amantes Isadora e Ricardo, que sonham em ter o poder absoluto da empresa.

A atriz, em cena da novela 'Meu Bem, Meu Mal', ao lado de Thales Pan Chacon, juntamente com Sílvia Pfeifer (ao fundo), Fábio Assunção e Lizandra Souto
Em 'Meu Bem, Meu Mal', ela era a irmã de Dom Lázaro, Valentina, que sempre foi criticada pelo seu irmão quando o assunto era a vontade que tinha de se casar. Não dando ouvidos à críticas, se envolveu com o mulherengo Henrique (Thales). Valentina matou Ana Maria (Luma de Oliveira), uma das mulheres de Henrique. Foi descoberta e acabou a novela presa.

Quando Mulheres de Areia acabou, veio a novela Sonho Meu, em setembro de 1993. Sua personagem era a ambiciosa Magnólia, contracenando com Walmor Chagas, que viveu seu marido, o médico Afrânio Guerra, e Isabela Garcia, sua filha Lúcia.

Yoná Magalhães em Sonho Meu
Virou destaque de novelas mais uma vez, em 1995, desta vez em A Próxima Vítima, vivendo uma das irmãs Ferreto, a elegante Carmela, além de ser a mais nova de todas. Sua personagem tinha uma única filha, Isabela, e via nela a chance de vencer na vida a todo custo. As outras irmãs Ferreto foram Aracy Balabanian (Filomena), Rosamaria Murtinho (Romana), e Tereza Rachel, a Francesca, que some durante a trama forjando o próprio assassinato, com medo de ser morta de fato.

Yoná Magalhães na minissérie Engraçadinha
Yoná Magalhães em cena de A Próxima Vítima, onde interpretou a socialite Carmela, que via em Isabella a chance de conseguir um lugar de destaque entre os ricos, porém sua filha acabou presa.

Mais uma vez, Yoná forma casal com Sebastião Vasconcellos em Anjo de Mim (1996). Nesta novela das seis, Yoná era Yvete, casada com o farmacêutico Rutílio, que sonha em ascender socialmente, o que incomoda bastante Yvete. Apesar disso, ela sonha com o casamento de seu filho, Wagner, interpretado por Eduardo Moscovis, com Maria Elvira (personagem de Paloma Duarte), filha do empresário Marco (Herson Capri), com o mesmo sonho de seu marido.
Substituindo Anjo Mau, em março de 1998, entra no lugar 'Era Uma Vez...', e Yoná aparece como Anita, nascida em berço de ouro, cuja família, com o tempo, faliu. É casada com Rudy/Rodolfo Reis, personagem do grande Jorge Dória, que ficou rico ao ganhar uma fortuna no hipódromo. Consciente, ele parou de jogar, e começou a criar cavalos de corrida. Seu haras é muito conhecido na região onde mora. O casal teve dois filhos, Bruna (Andréa Beltrão) e Filé (Cláudio Heinrich).

Yoná Magalhães em Era Uma Vez...

Em Agora É Que São Elas, transmitida em 2003 no horário das seis, Yoná é Sofia, mãe de Juca, personagem de Miguel Falabella, um dos principais da trama. No ano seguinte, a atriz é cotada para participar de Senhora do Destino, encarnando a sogra de Giovanni Improtta, Flaviana, que exige total fidelidade de seu genro à sua filha falecida, Haydée, na segunda fase da trama.

Yoná Magalhães na abertura da novela Senhora do Destino
Depois de ter feito participações nos seriados Carga Pesada e Sob Nova Direção, passa a integrar o elenco de Paraíso Tropical, novela de Gilberto Braga e Ricardo Linhares, formando casal com Hugo Carvana, que interpretou o malandro Belisário. Juntos, aplicavam pequenos golpes para manter o nível de vida.

Yoná em Paraíso Tropical, como a ex-vedete Virgínia

Dois anos depois, passa para o elenco de Cama de Gato, como Adalgisa, que após a morte do marido, perde a boa situação financeira que tinha.
Sua última participação em novelas foi em 2013, quando esteve em Sangue Bom.
Participou de duas minisséries, Grande Sertão: Veredas, e Engraçadinha - Seus Amores e Seus Pecados, lançadas nos anos de 1985 e 1995, respectivamente.
Yoná nos deixou em 20 de outubro de 2015 aos 80 anos, vítima de problemas cardíacos. O corpo da atriz foi levado para cremação no dia seguinte.
Pôde ser vista no ano passado em Meu Bem, Meu Mal entre março e outubro de 2016, e voltará ao ar na reprise de Tieta, em maio deste ano, no Canal Viva.
Até nos anos 80, Yoná Magalhães mantinha seu corpo em forma e bem cuidado, sendo estes os motivos de ter sido chamada para a Playboy. Ela dizia que o segredo para se manter era praticar exercícios físicos, ingestão de comidas saudáveis e boas horas de sono.

Yoná Magalhães em 2009, quando integrava o elenco de Cama de Gato
Yoná Magalhães em 2013, nos bastidores de Sangue Bom, recebendo orientações da direção antes de entrar em cena

Yoná foi uma das primeiras contratadas da Rede Globo quando a emissora estava só começando. Na foto, a atriz está em uma cena da novela A Sombra de Rebecca, de 1967.
Fonte:
História do Cinema Brasileiro
Memória Globo
Globo.com
Gshow

Edson Celulari planeja ter filho após vencer luta contra câncer, diz namorada


RedeTV - Aos 59 anos, Edson Celulari já faz planos para sua nova vida após vencer o câncer. O ator, que é pai de Enzo, de 19 anos, e Sophia, de 14, frutos do casamento com a atriz Claudia Raia, quer ter mais herdeiro.
Segundo a namorada de Celulari, Karin Roepke, de 44 anos, o companheiro, com quem tem um relacionamento há cinco anos, já demonstrou seu interesse em ser pai mais uma vez. 
"Moramos juntos e pensamos em ter filho mais para frente. Mas a prioridade agora é a profissão, ainda mais agora que ele se recuperou... Então, é uma coisa a longo prazo, não para agora. Daqui a um tempo", contou a atriz em entrevista ao jornal “Extra”.
Karin relembrou o momento difícil do casal após Celulari ter sido diagnosticado com linfoma não-Hodgkin, câncer que afeta o sistema de defesa do organismo.


"Ter passado por tudo isso ao lado dele fortaleceu a gente de tal forma... Impressionante. Não fiquei abalada. Pensei: Agora não dá para se deixar abalar. Fui uma leoa. Ele também foi bem forte, estruturado, tranquilo. A sabedoria que ele teve para passar por isso foi incrível".
A loira ressaltou que o namoro entre os dois é bastante maduro e destacou que a diferença de idade não gera problemas como o ciúme, por exemplo. "Temos uma relação muito madura e de confiança. Não tem espaço para ciúmes. A gente passa por cima disso, porque a confiança é maior que tudo", garantiu.
Mesmo assim, a namorada de Edson Celulari admitiu que não se sente confortável ao ver cenas quentes do companheiro nas novelas. Agora, por exemplo, o galã se prepara para interpretar um homem com fixação por mulheres na novela “A Força do Querer”, trama de Gloria Perez.
“Tem coisas que eu prefiro não ver, na verdade. Cenas de beijos, tranquilo, assisto. Mas as cenas mais quentes, eu falo: 'Ai..., talvez seja melhor não ver.' Mulher é um bicho muito doido”, confessou.

Revelado o rosto do atacante de Londres


Entretanto, a polícia esclareceu a identidade do atacante que, segundo informações iniciais, teria várias alcunhas. "Identificamos o terrorista morto como Khalid Masood - sabemos agora que o nome de batismo era Adrian Russel Ajao", esclareceu, esta sexta-feira, o chefe da polícia antiterrorista, Mark Rowley.

Na quarta-feira, o atacante atropelou várias pessoas na ponte de Westminster, embateu na grade do parlamento, abandonou a viatura e correu para o edifício, onde esfaqueou um agente da polícia.
Além de Khalid Masood, morreram outras quatro pessoas, o policial esfaqueado e três civis. Quarenta pessoas ficaram feridas, incluindo um jovem português, que já está fora de perigo.

Fonte: JN

Ataque em Londres: tiros e mortes causam pânico em frente ao Parlamento


BBC - Um porta-voz da Scotland Yard disse que entre os mortos estavam uma mulher, um policial que fazia a segurança do Parlamento e o principal suspeito de ter realizado o ataque.
Pelo menos 40 feridos estão sendo tratados em hospitais - vários deles em estado grave. A maioria deles foi atropelada por um carro que dirigia em alta velocidade pela ponte de Westminster em direção ao Parlamento.
Um médico diz que algumas das vítimas têm ferimentos "graves".
O veículo atropelou pelo menos 12 pessoas, entre elas, três policiais que voltavam de uma cerimônia.
O carro bateu contra a grade das cercanias do Parlamento, um homem armado com uma faca saiu do veículo e tentou entrar correndo no Parlamento, um dos principais cartões postais de Londres (é onde fica o Big Ben). Ele esfaqueou um policial e depois foi atingido a tiros pela polícia.
O suspeito e o policial esfaqueado morreram.
A primeira-ministra britânica, Theresa May, disse que os detalhes do "ataque terrorista doente e imoral" ainda estão surgindo.
Ela confirmou que uma pessoa realizou o ataque e que a classificação de ameaça ao Reino Unido não sairá do "grave". "Nossos pensamentos e orações são dedicadas a todos os afetados", afirmou May.
"Qualquer tentativa de derrotar esses valores através da violência está condenada ao fracasso", continuou a primeira-ministra.
Theresa May afirmou ainda que o Parlamento vai se reunir normalmente e que "os londrinos vão se levantar e fazer suas atividades como um dia normal."


A polícia tinha sido chamada por causa do incidente no Parlamento às 14h45 (11h45 em Brasília).


O ataque ocorre exatamente um ano após a série de atentados em Bruxelas que deixou 35 mortos e mais de 300 feridos.
Entre as testemunhas do ataque na entrada do Parlamento estava o jornalista e autor Quentin Letts. Ele relatou que "o homem tinha algo nas mãos, parecia uma espécie de bastão".
"Ele foi confrontado por alguns policiais com jaquetas amarelas. Um deles caiu no chão e vimos que o homem de preto movia o braço como se estivesse esfaqueando o policial. Um dos policiais correu para buscar ajuda, que veio rapidamente."
"Quando esse homem corria para a entrada do Parlamento que leva à Câmera dos Comuns, cerca de 15 metros talvez, dois homens à paisana com armas gritaram para ele o que parecia ser uma advertência. Ele ignorou o aviso e eles atiraram nele, duas ou três vezes, até ele cair."


Nick Robinson, apresentador da BBC que se dirigiu ao local após o ataque, disse ter encontrado um grupo de estudantes franceses claramente traumatizados, muitos chorando com o que disseram ter testemunhado. Estudantes com quem ele conversou disseram ter visto um carro avançar na direção de pedestres e também ouvido o som de tiros.
Ele disse que tudo indica que o veículo teria sido usado como uma arma, a exemplo de incidentes recentes na Alemanha e na França, mas que isso ainda não pode ser confirmado.
Outra testemunha que passava em um táxi, o ex-ministro das Relações Exteriores da Polônia Radoslaw Sikorski, disse à BBC ter visto "pelo menos cinco pessoas gravemente feridas".
"Ouvi um barulho que parecia uma colisão. Olhei pela janela e vi alguém no chão, que parecia ferido, depois vi outra pessoa caída. Aí comecei a filmar. Foi quando vi mais três pessoas no chão, uma delas perdendo muito sangue. O que vi foi um incidente envolvendo pelo menos cinco pessoas gravemente feridas."
Imagens de TV mostraram um carro com a frente danificada sobre a calçada próximo de uma grade de proteção ao lado do Big Ben.
A polícia fez um apelo para que as pessoas permanecessem "calmas, alertas e vigilantes". Poucas horas depois do ataque, a hashtag #PrayForLondon - que significa "reze por Londres" - se tornou uma das populares no Twitter, inclusive no Brasil.


A área teve a segurança reforçada desde os ataques de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos e os atentados ao sistema de transporte de Londres, em 2005.
Testemunhas disseram ter ouvido quatro disparos. A primeira-ministra do país, Theresa May, se encontrava no Parlamento na hora do incidente.

Trilha da novela 'A força do querer' traz tema de Caetano na voz de Nana


Presença assídua nas trilhas sonoras das novelas de Glória Perez, Nana Caymmi figura na seleção musical de A força do querer, trama programada pela TV Globo para estrear em 3 de abril no horário das 21h. A cantora será ouvida na novela com gravação de Dom de iludir, música de Caetano Veloso, lançada em 1976 na voz de Maria Creuza. Nana já havia gravado Dom de iludir há 25 anos para o oitavo volume da série Academia Brasileira de Música (1992) em medley que uniu a canção de Caetano com Acontece (Cartola, 1972). Na voz de Nana, Dom de iludir será o tema da personagem Silvana, interpretada pela atriz Lilia Cabral.
E por falar em Caetano, o cantor e compositor regravou a composição O quereres (1984) – com arranjo de violoncelos tocados por Jaques Morelenbaum e com o toque da bateria de Carlinhos Brown – para ser o tema de abertura da novela A força do querer. A trilha sonora da história de Glória Perez também vai apresentar composição inédita de Roberto Carlos, Sereia, feita para a personagem Ritinha, vivida pela atriz Isis Valverde.
(Crédito da imagem: Nana Caymmi em foto extraída de vídeo do YouTube)

Fonte: G1

Dona de quase 20 novelas só na Globo, Janete Clair também era chamada de "Dama das Oito". Relembre a trajetória da autora!



Nome Completo: Jenete Stocco Emmer Dias Gomes
Nome Artístico: Janete Clair
Data de Nascimento: 25 de abril de 1925
Local: Conquista (MG)
Profissão: escritora, telenovelista e teatróloga
Data de Morte: 16 de novembro de 1983
Local: Rio de Janeiro (RJ)
Causa: câncer no intestino
Obras Notórias: Véu de Noiva (1969), Irmãos Coragem (1970), Selva de Pedra (1972), Pecado Capital (1975), O Astro (1977), Pai Heroi (1979), Coração Alado (1980)

Biografia
Nascida em 25 de abril de 1925, Jenete era filha do comerciante libanês Salim Emmer e da costureira Carolina Stocco. Seus pais lhe deram o nome de Janete e acabou sendo registrada como Jenete, pois foi desse jeito que o escrivão entendeu a fala do pai, que ainda tinha o sotaque carregado do Líbano.
Criada no interior de Minas Gerais e São Paulo, começou na vida artística realizando seu sonho de infância, que era fazer parte da era do rádio, começando na Rádio PRB-5 interpretando cançonetas francesas e árabes.

Seu primeiro trabalho veio precocemente, aos 13 anos, como datilógrafa em um escritório da Avenida Tiradentes. Aos 19 anos, fez teste para ser radioatriz, foi aprovada e decidiu seguir carreira, mesmo ganhando menos que no laboratório de análises clínicas de um hospital em Franca, no qual estava desde os 15 anos.

Foi nos corredores da Rádio Tupi-Difusora que conheceu o então radioator Alfredo Dias Gomes, em 1945, e cinco anos depois, os dois vieram a se casar. Juntos, tiveram quatro filhos, Alfredo, Denise, Guilherme, e Marcos Plínio, que veio a falecer aos dois anos e meio, deixando Jenete e Dias abalados.
Seu marido veio à se chamar apenas Dias Gomes e também fez sucesso como dramaturgo, lançando novelas como O Bem Amado (1973), Saramandaia (1976) e Mandala (1987), e as minisséries O Pagador de Promessas (1988) e As Noivas de Copacabana (1992).
Denise Emmer seguiu carreira de cantora e compositora, tendo música sua em Assim Na Terra Como No Céu (de autoria de seu pai), O Pulo do Gato, Bravo!, e Pai Herói. Alfredo é baterista e assim como Denise, é compositor. E o Guilherme é trompetista.


Dias Gomes foi marido de Janete Clair por mais de 30 anos, até o dia da morte da autora, vitimada por um câncer
Denise Emmer cantou Allouette, que integra a trilha sonora internacional de Pai Heroi, reprisada desde outubro do ano passado pelo Canal Viva
Carreira no rádio
Começou a escrever radionovelas para ajudar nas despesas da casa, e foi pegando o gosto pela coisa. Entre 1956 e 1969, foi autora de mais de 20 radionovelas, entre elas, "Perdão, Meu Filho", "Vende-se Um Véu de Noiva", "A Mulher Marcada", "Nuvem de Fogo" e "A Noiva das Trevas", sendo a primeira seu maior sucesso entre os ouvintes.
Janete adotou o nome artístico Clair por causa da música "Clair de Lune", de autoria de Claude Debussy, por sugestão de Otávio Gabus Mendes, pai do famoso escritor de novelas Cássio Gabus Mendes.

Sua era na televisão
Sua primeira obra de televisão foi lançada em 1963 na extinta TV Rio, intitulada Nuvem de Fogo. No mesmo ano, fora transferida para a Tupi, onde escreveu "Vesperal Troll" e, no ano seguinte, "O Acusador". Foi na Rede Globo que escreveu grande parte de seus trabalhos, e sozinha (com exceção de dois).
E foi em 1967, no tradicional horário das oito na Globo, Janete é chamada para acabar com uma história aparentemente sem fim. Escrita por Emiliano Queiroz e transmitida no horário das oito, "Anastácia, A Mulher Sem Destino" garantiu o lugar de Janete na emissora, de onde nunca mais saiu, começando assim a fazer uma novela atrás de outra, e no mesmo horário. Com o fim da trama de Emiliano, entra no ar seu primeiro trabalho global, "Sangue e Areia", que conta a história do filho de um toureiro morto que queria seguir os mesmos passos do pai, embora a família fosse contra a essa decisão. Depois, em 1968, estreia "Passo dos Ventos", fala sobre Vivian Chevalier, uma herdeira de uma fortuna no Haiti visada por golpistas. Sua sucessora, "Rosa Rebelde", contou sobre um grupo de espanhóis que lutou contra a invasão francesa de seu país. "Véu de Noiva", um de seus grandes sucessos e a novela sucessora de Rosa Rebelde, foi a primeira escrita por Janete a ter o mistério do "quem matou?", e fala da humilde Andréa, que está de casamento marcado com o pianista Luciano, que tem caso com a sua irmã, Flor, e ao descobrir o envolvimento, abandona o casamento e se acidenta com o piloto Marcelo, por quem acaba se apaixonando. Janete escreveu também "Irmãos Coragem", cujos protagonistas são os irmãos garimpeiros Jerônimo, Duda e João, sendo este que acaba se tornando um fora da lei em nome de todos os garimpeiros da região após o roubo de um diamante que fora encontrado por ele e foi parar nas mãos do homem mais poderoso da cidade, Coronel Pedro Barros. No conto místico "O Homem Que Deve Morrer", o personagem principal se chamava Ciro Valdez, que chegara à fictícia cidade de Porto Azul, em Santa Catarina, para levar sabedoria aos seus moradores. A última novela dessa sequência é "Selva de Pedra", de 1972, uma história de amor conturbada e cheia de reviravoltas.

Durante a década de 70, recebeu o apelido de "Maga das Oito" por elevar os índices das novelas exibidas naquele horário, sendo também chamada de "Dama das Oito" e, por Carlos Drummond de Andrade, "Usineira de Sonhos". É até hoje a única autora que alcançou 100 pontos de audiência em uma novela. Isso aconteceu em "Selva de Pedra" no capítulo 152, quando Simone Marques foi desmascarada. Antes disso, ela usava uma identidade falsa (nome Rosana Reis) para escapar de outro atentado, sendo o primeiro planejado por Miro (Carlos Vereza), amigo de seu marido.

Momentos finais de Janete Clair
No final de 1979, a autora é diagnosticada com câncer no intestino, e não deixou-se abater. Continuou escrevendo a sinopse de Coração Alado, transmitida entre agosto de 1980 e março do ano seguinte, e Sétimo Sentido, no ar entre março e outubro de 1982.
Janete veio a falecer em 16 de novembro de 1983, aos 58 anos, derrotada pelo câncer, deixando a novela Eu Prometo (exibida no horário das dez horas) inacabada, e concluída por Glória Perez, sua então colaboradora, e hoje uma das mais respeitadas autoras de televisão do país. Glória conta ao Memória Globo do porque que virou colaboradora da autora, que a preparou para isso. "Eu vou te ensinar tudo, porque eu não sei se vou chegar até o final da novela, mas eu quero que ela chegue ao fim". Além disso, Janete também a treinou para criar os capítulos sozinha, e também a imaginar os capítulos da novela Eu Prometo sob sua visão de mundo. "Tá muito bom, mas isso não é Janete Clair, e sim Glória Perez. Passe de novo". Hoje, Glória só tem a agradecer, pois para ela, isso foi um aprendizado e uma ajuda para que ela chegasse onde está. Ela conta também que Janete escrevia os capítulos da trama até os últimos momentos de sua vida, e mesmo estando internada, ditava o que iria acontecer nos capítulos para Glória escrever. A Nossa Senhora das Oito, quando morreu, deixou 60 capítulos prontos.


Principais obras
Véu de Noiva (1969): foi uma novela inspirada em sua radionovela, Vende-se Um Véu de Noiva. A trama mudou uma estrutura que era padrão nos folhetins Globais quando a emissora ainda estava começando. Substituiu o gênero capa e espada e o mundo medieval de Glória Magadan pelos tempos daquela mesma época em que viviam.

Capa do vinil Véu de Noiva, a primeira trilha sonora do país
O ator Geraldo Del Rey, intérprete do pianista Luciano, pediu para sair da trama, pois fora convidado para trabalhar na TV Tupi. A saída do ator do elenco não gerou nenhuma crise nos bastidores, pelo contrário, elevou os índices de audiência da trama. Janete Clair teve a ideia de implantar na trama um "quem matou?", pois Luciano foi assassinado misteriosamente, e a identidade do assassino permaneceu oculta até os capítulos finais da novela.
Véu de Noiva foi a primeira novela da emissora a ter uma trilha sonora.



Cláudio Cavalcanti, Tarcísio Meira e Cláudio Marzo foram os irmãos Jerônimo, João e Duda, respectivamente
Irmãos Coragem (1970): marcou a estréia de Sônia Braga na televisão. A atriz ficou mais conhecida ainda pelas novelas Gabriela, de 1975, e Dancin' Days, de 1978, sendo a protagonista de ambas.
A novela retrata a história dos irmãos João, Jerônimo e Duda, que moram na fictícia cidade goiana de Coroado, onde a principal atividade econômica de lá é o garimpo. João encontra um valioso diamante, porém acaba sendo roubado pelo homem mais poderoso da cidade, Coronel Pedro Barros, que também comanda os negócios do garimpo na cidade, fazendo com que João comece sua vida de fora da lei em nome dos garimpeiros injustiçados.
Duda, o mais novo dos irmãos, sonha em ser jogador de futebol, e para torná-lo realidade, deixa tudo para trás, incluindo sua família,
Jerônimo, o irmão do meio, é apaixonado por sua irmã de criação, a indígena Potira, que se casa com seu amigo e defensor da causa dos garimpeiros, Rodrigo César.

Sônia Braga estreou em Irmãos Coragem. Viveu Lídia, que aparece no capítulo 134 da trama. Filha do deputado Siqueira (Fernando José), ela se envolve com Jerônimo.
Elenco da novela Irmãos Coragem

Selva de Pedra (1972): essa trama consolidou a carreira de Janete Clair na televisão. A história se passa em Campos dos Goytacazes, interior do estado do Rio de Janeiro, e o protagonista é o jovem de classe baixa Cristiano Vilhena. Ele era obrigado a tocar bumbo durante os sermões do pastor Sebastião, seu pai. Sua família sobrevive com o dinheiro das vendas de medalhas e flores artificiais durante os sermões, fazendo com que outros rapazes zombassem de Cristiano, que acaba brigando com um deles. Durante a briga, o que briga com ele puxa uma arma mas acaba sendo vítima dela mesma, e a única testemunha do incidente é a jovem artista plástica Simone Marques. Sabendo que ele é inocente, Simone o acoberta e resolve dar abrigo pra o rapaz. Os dois se casam, e Simone decide investir na sua carreira de artista plástica. Já Cristiano, com sua sede de subir na vida, se envolve com más companhias, e junto com o malandro Miro, participa de várias armações, até que eles brigam entre si, pois Miro fez uma proposta à Cristiano, dizendo que o rapaz deve eliminá-la para sua ascensão financeira ser possível.

Regina Duarte e Francisco Cuoco foram o casal protagonista de Selva de Pedra. Cuoco já participou de 7 novelas de Janete Clair.
Miro envia uma carta para Simone dizendo que Cristiano pretende matá-la, e acreditando nisso, a moça resolve fugir dele, e acaba sendo vítima de um acidente automobilístico, porém, escapa com vida, e como estava grávida, perdeu o bebê. Como todos acreditaram em sua morte, Simone foge do país por um tempo, consagrando-se como artista plástica em Paris, até retornar ao Brasil com o nome de Rosana Reis, sua suposta irmã gêmea.



Pecado Capital (1975): é de fato considerado por muitos um de seus melhores trabalhos. Foi esta novela a primeira do horário das 20hrs a ser exibida em cores. O protagonista é o motorista de táxi Carlão, um herói que morre no último capítulo da trama. Enquanto trabalhava, assaltantes em fuga esqueceram em seu carro uma mala cheia de dinheiro, deixando o rapaz indeciso, pois não sabia se deveria devolver o dinheiro, correndo o risco de ser acusado de cúmplice do roubo, ou se deveria usá-lo para resolver seus problemas.

Betty Faria e Francisco Cuoco foram protagonistas de Pecado Capital



Duas Vidas (1976): foi mais uma das diversas novelas que até a Censura se meteu. O casal de namorados Sônia e Maurício não foi bem visto pela ditadura militar, que justificou que isso era um atentado contra a moral e os bons costumes.
A história se passa numa rua do bairro do Catete, na cidade do Rio de Janeiro, rua esta que é inapropriada para a construção de uma linha de metrô. À partir daí, a vida dos moradores desta rua começa a mudar por causa do progresso da cidade.
Daniel Filho, que dirigia a novela, deixou o cargo por conta do caso que sua então esposa, Betty Faria, tinha com Mário Gomes, outro ator da novela.


O Astro (1977): é uma das poucas novelas que nunca foram reprisadas, nem no Vale A Pena Ver de Novo, nem no Canal Viva. Conta a história de Herculano e Nestor/Neco, dois companheiros de trapaças. O último foge com todo dinheiro que seria usado para reformar uma igreja na cidade de Guariba, onde moravam, traindo Herculano, que fica sem nenhum tostão. Anos depois, Herculano aparece trabalhando numa churrascaria como tarólogo, mas com imensa sede de vingança contra Neco, que vai para seu local de trabalho como cliente dele e é reconhecido, o que causa a aproximação entre eles.

Francisco Cuoco como o vidente Herculano Quintanilla. Na segunda versão de O Astro, em 2011, o personagem foi vivido por Rodrigo Lombardi
Foi mais uma trama a ter um "quem matou?". O empresário Salomão Hayalla morre no capítulo 42. É encontrado dentro de seu carro em destroços, mas descobre-se que ele fora misteriosamente assassinado. O criminoso planejou tudo para que parecesse um acidente. No fim, descobre-se que o responsável pela morte de Salomão é o jovem Felipe Cerqueira (Edwin Luisi), que tinha um caso com Clô Hayalla, esposa de Salomão.
Tony Ramos era o filho do empresário Salomão Hayalla, Márcio, preparado pelo pai para substituí-lo em seus negócios, embora não se sentisse preparado para isso. Ele se apaixona por Lili, uma jovem de bem com a vida, e que não se conforma com a imensa vontade de sua mãe em vê-la casada.

Tony Ramos e Elizabeth Savalla estiveram juntos por duas vezes. A segunda veio a ser em Pai Herói
Tereza Rachel era a fútil Clô, esposa de Salomão Hayalla. Na segunda versão, em 2011, Regina Duarte foi a intérprete da personagem, que é a responsável pela morte do marido.

Edwin Luisi foi Felipe Cerqueira, que só queria saber de curtir a vida e não dava a mínima para quem falava em trabalho

Pai Heroi (1979): pela primeira vez em 37 anos, está sendo reprisada pelo Canal Viva desde 17 de outubro do ano passado. Sucesso arrebatador de audiência, Pai Herói teve a missão de contar a história de André Cajarana, que luta para provar a inocência de seu pai, acusado de um crime que não cometeu.

Tony Ramos foi também o filho de Salomão Hayalla, Márcio, em O Astro
Teve como atores principais Tony Ramos no papel de André, Elizabeth Savala como a bailarina Carina, que se envolve com ele em uma parte da trama, e Glória Menezes, como Ana Preta, dona do Cabaré Flor de Lys que conhece André e se apaixona por ele.

Glória Menezes foi Ana Preta. O nome Preta veio de suas vestimentas pretas de luto que usava por muitos anos por conta da morte da sua mãe, que a deixou muito abalada.
Antes de Pai Herói, Paulo Autran não havia participado de nenhuma novela, somente 'Gabriela - Cravo e Canela', da TV Tupi, em 1961. Na trama de Janete Clair, viveu o italiano Bruno/Nuno Baldaracci, inimigo do pai de André, Malta Cajarana (Lima Duarte), acusado de um crime que não cometeu. Bruno teve, no passado, um caso com Ana Preta, com quem teve uma filha, Jenny (Sônia Regina). Pela sua atuação, ganhou o troféu APCA de Melhor Ator 1979.
Elizabeth Savalla chegou a pesar 48kgs para viver a bailarina Carina. "Passei oito meses de regime, sob a vigilância de uma coreógrafa russa".
Glória Menezes e Dionísio Azevedo, que interpretou seu pai, Nestor, sujeito de saúde frágil por causa de um tiro que levou no pulmão de Malta.
Rosamaria Murtinho foi a esquizofrênica Walkíria, que é apaixonada pelo primo, César
À esquerda, junto com Paulo Autran, é Carlos Zara, o inescrupuloso César Reis, que foi casado com Carina e noivo por dez anos de Walkíria

Sétimo Sentido (1982): foi a última novela das oito escrita por Clair, e uma de muitas outras transmitidas pela Rede Globo que explorou o tema da paranormalidade. Sétimo Sentido gira em torno da jovem Luana Camará, nascida em Casablanca, no Marrocos, e filha de brasileiros. Com a perda de seus pais, Luana está certa de que terá em suas mãos toda a fortuna deixada por eles, porém, o melhor amigo do pai de Luana, Antônio Rivoredo, não a devolve, como prometera. Ainda no começo da trama, Antônio morre, e o dinheiro vai parar nas mãos de Tião Bento, o braço direito de Antônio que se torna o antagonista principal de Luana, começando assim a luta pela disputa dos bens.
Luana Camará e Tião Bento foram interpretados por Regina Duarte e Francisco Cuoco, juntos, mais uma vez.


Edwin Luisi sabia que seria o assassino de Salomão Hayala em O Astro (1977)
Na festa de aniversário de 52 anos da dramaturga Janete Clair, quem acabou ganhando presente foi o ator Edwin Luisi, que na época tinha só 30 anos, e estava colhendo os frutos do sucesso de Escrava Isaura, transmitida entre outubro de 1976 e fevereiro do ano seguinte no horário das seis. O ator guardou em segredo por 185 noites a resposta de um dos grandes mistérios da televisão brasileira: "Quem matou Salomão Hayala?". Quando a novela começou, ele já estava na pele de Felipe, e mesmo sabendo que seu personagem cometeria o assassinato, declarou que ainda estava em dúvida se era isso mesmo, porque os demais que conviviam com Salomão também tinham seus motivos para querer vê-lo morto. "Eu cumpri o prometido e guardei o segredo até o último capítulo. Não falei nem para os meus pais. Eles só ficaram sabendo quando assistiram na TV".
O Astro e Sétimo Sentido foram as únicas novelas de Janete Clair que o ator participou. É conhecido ainda por dar vida ao Dr. Munhoz em Mulheres de Areia (1993) e por inúmeras peças de teatro.

Na segunda versão de O Astro, o culpado foi outro!
Quando a segunda versão ainda estava para estrear, Edwin havia dito que era contra a essa mudança. "Eles poderiam gravar vários finais diferentes, mas mexer com a Janete seria uma heresia. É legal manter como foi".

Clô Hayalla confessa ter matado seu marido
E realmente, a culpa já não era mais de Felipe, e sim do que ninguém menos que Clô Hayalla, interpretada por Regina Duarte. "A senhora, por acaso, sabe quem é o assassino, Dona Clotilde?", pergunta-lhe o inspetor Eustáquio.
- Sei! O senhor não precisa se dar o trabalho de denunciar. Eu matei o Salomão! - responde Clô, que justifica: "Eu suportei a truculência dele durante anos! Soube que ele fez a crueldade de mandar dopar e internar meu filho adorado no hospício, só porque o menino expressou sua visão de mundo, diferente da visão dele, claro! À partir daquele momento, comecei a fantasiar a morte de Salomão".

Remakes
Véu de Noiva ganhou três, sendo dois no México e um em outra emissora do Brasil, SBT, que batizou a obra com o mesmo título da radionovela escrita por Janete Clair, Vende-se Um Véu de Noiva, que foi ao ar em 2009 em 177 capítulos, garantindo a vice-liderança à emissora no ranking de audiência.
As outras novelas que ganharam novas versões são Duas Vidas, Irmãos Coragem, O Homem Que Deve Morrer, O Semideus, Bravo!, O Astro, Pecado Capital e Coração Alado.
A radionovela A Noiva das Trevas foi reescrita por Walter Negrão para sua novela das seis, que recebeu o nome de Direito de Amar, um dos grandes sucessos do horário.
As versões de Irmãos Coragem e Pecado Capital no Brasil, exibidas em 1995 e 1998, respectivamente, não tiveram o mesmo sucesso que as originais. Os responsáveis por escreverem a novela nestes anos foram Dias Gomes e Glória Perez, respectivamente.


O último remake lançado até agora foi O Astro, por Alcides Nogueira e Geraldo Carneiro, transmitida entre julho e outubro de 2011 às 23hrs, sendo a primeira novela da Globo neste horário.


Lista dos atores que mais participaram de suas novelas (incluindo participações)
Heloísa Helena: Selva de Pedra, O Semideus, Bravo!, Duas Vidas, O Astro, Coração Alado, Sétimo Sentido, Eu Prometo.
Total = 8 novelas

Francisco Cuoco: Selva de Pedra, O Semideus, Pecado Capital, Duas Vidas, O Astro, Sétimo Sentido, Eu Prometo.
Total = 7 novelas

Glória Menezes: Sangue e Areia, Passo dos Ventos, Rosa Rebelde, Irmãos Coragem, O Homem Que Deve Morrer, O Semideus, Pai Herói.
Total = 7 novelas

Cláudio Cavalcanti: 'Anastácia, A Mulher Sem Destino', Véu de Noiva, Irmãos Coragem, O Homem Que Deve Morrer, Bravo!, Pai Heroi, Sétimo Sentido.
Total = 7 novelas

Betty Faria: Os Acorrentados, Rosa Rebelde, Véu de Noiva, O Homem Que Deve Morrer, Pecado Capital, Duas Vidas.
Total = 6 novelas

Tarcísio Meira: Sangue e Areia, Rosa Rebelde, Irmãos Coragem, O Homem Que Deve Morrer, Coração Alado.
Total = 5 novelas

Arlete Salles: Sangue e Areia, O Homem Que Deve Morrer, Selva de Pedra, Bravo!, Duas Vidas.
Total = 5 novelas

Sérgio Fonta: Selva de Pedra, Bravo!, Duas Vidas, Coração Alado, Sétimo Sentido.
Total = 5 novelas

Dina Sfat: Os Acorrentados, O Homem Que Deve Morrer, Selva de Pedra, O Astro, Eu Prometo.
Total = 5 novelas

Ângela Leal: Irmãos Coragem, O Homem Que Deve Morrer, Selva de Pedra, O Semideus, O Astro.
Total = 5 novelas

Zilka Salaberry: O Acusador, Sangue e Areia, Véu de Noiva, Irmãos Coragem, O Homem Que Deve Morrer.
Total = 5 novelas

Regina Duarte: Véu de Noiva, Irmãos Coragem, Selva de Pedra, Sétimo Sentido.
Total = 4 novelas

Rosamaria Murtinho: Paixão Proibida, Pecado Capital, Pai Herói, Eu Prometo.
Total = 4 novelas

Ruth de Souza: Passo dos Ventos, O Homem Que Deve Morrer, Duas Vidas, Sétimo Sentido.
Total = 4 novelas

Milton Gonçalves: Véu de Noiva, Irmãos Coragem, Pecado Capital, Duas Vidas.
Total = 4 novelas

Theresa Amayo: O Porto dos Sete Destinos, Sangue e Areia, Passo dos Ventos, Pecado Capital.
Total = 4 novelas

Janete Clair em homenagem feita no último capítulo de 'Eu Prometo'
Frases
"O sentimento mais importante do ser humano é o amor. Mas eu defino como o mais positivo a esperança".

"A nossa mente só desenvolve seus maiores poderes quando se acha em profunda serenidade".

"Ouvir com um terceiro ouvido: aquele que já ouviu tudo isso antes".

"Tendo escolhido não sonhar com a fortuna, eu me senti totalmente riquíssima".

"Escrevo sobre aquilo que conheço bem: a classe média. E o faço acompanhando o gosto popular, dando vida aos conflitos do dia-a-dia, não apenas conversando sobre eles".

"Se o público não gosta de heroína, coloque-a no tronco".

"Eu gostaria que o ser humano acreditasse que existe dentro dele uma força capaz de mudar sua vida. É bom confiar em si mesmo e esperar um novo amanhecer". - frase exibida no último capítulo da novela Eu Prometo, em sua homenagem







Marina Ruy Barbosa homenageia Janete Clair durante o intervalo das gravações da novela Império, em 2014