quinta-feira, 20 de abril de 2017

Os Dias Eram Assim: Alice faz topless na praia e vai parar na capa de jornal


Alice (Sophie Charlotte) voltará a mostrar os seios em Os Dias Eram Assim. A cena vai ao ar na próxima quinta-feira (27), e a nudez desta vez será na praia, em um protesto. Um fotógrafo registrará o momento em que ela arrancará a parte de cima do biquíni e publicará a imagem na primeira página do principal jornal do Rio de Janeiro. O topless da garota chocará toda a família.
A estudante de letras irá à praia juntamente com a irmã, Nanda (Letícia Braga), e a mãe, Kiki (Natália do Vale). Mas o lazer em família terminará em discussão. Monique (Letícia Spiller) aparecerá com seu bebê e amamentará a menina na areia após ela chorar de fome.
Mulheres vão recriminar a loira, chamando-a de sem-vergonha por provocar seus maridos com os seios à mostra. Monique brigará pelo direito de amamentar sua filha em qualquer lugar. Alice arrancará a parte de cima de seu traje de banho.
Kiki correrá com um pano para cobrir os seios da filha. "É um protesto! Não precisa ficar nervosa", dirá Alice. Nisso, um fotógrafo registrará a nudez.
Já em casa, mãe e filha brigarão feio. "Primeiro topless na praia de Ipanema", gritará a dona de casa, horrorizada. "Mãe, para. Será que você não entende? Nunca vai entender? Eu faço o que faço porque acredito na liberdade, nas escolhas de cada um. Além do mais, hoje, meu topless foi um protesto", responderá Alice. 
Nanda defenderá a irmã: "Ela estava defendendo o direito da Esperança mamar em paz", gritará a menina. "A Monique tinha que estar metida nessa confusão. Eu tive duas filhas e nunca precisei amamentar em público. A sua tia não, tem que provocar", falará Kiki.
A dona de casa tentará esconder isso do marido, Arnaldo (Antonio Calloni), mas no dia seguinte a foto da filha estampada no jornal fará o empresário virar uma onça e culpar a mulher pelas "loucuras" de Alice.

Fonte: Notícias da TV

Bibi declara guerra a Caio: ‘Finja que não me conhece!’


O clima vai esquentar entre Bibi (Juliana Paes) e Caio (Rodrigo Lombardi). 🔥 A vendedora vai até o escritório do advogado, mas não é para fazer visita, não. Com sangue nos olhos, ela já chega soltando o verbo, furiosa com as gracinhas que Caio fez quando Rubinho (Emilio Dantas) - sem fazer ideia de que a esposa e o vizinho já foram noivos no passado - foi apresentar os dois.
Mas pensa que Caio vai deixar passar? Que nada! Ele recebe uma ligação de Heleninha (Totia Meireles) e faz um teatrinho como se estivesse falando com alguma gata. Bibi fica ainda mais irada: “Finja que não me conhece!". E continua: "Não pergunte por mim pra ninguém, esqueça de uma vez que eu existo! É um favor que você me faz!".

Caio provoca mostrando que está solteiro, mas não sozinho

'Rock Story': Léo Régis conhecerá o pai e saberá a verdade sobre o passado


Léo Régis (Rafael Vitti) finalmente saberá a verdade sobre sua origem nos próximos capítulos de "Rock story". Stefany (Giovana Cordeiro) contará que o pai do cantor se envolveu com Néia (Ana Beatriz Nogueira) quando era casado:
- Quando a mulher do seu pai descobriu que ele tinha outra família, foi atrás da sua mãe e rolou o maior barraco, ela e a dona Néia se pegaram. Depois, a mulher do teu pai forçou a barra para eles se mudarem daqui de Mesquita, para ele ficar longe de vocês.
- Isso não pode ser verdade. Minha mãe que era a outra, então? - questionará ele, chocado.

Stefany vai sugerir que o rapaz procure o pai para tirar a história a limpo:
- Ele voltou para Mesquita, já tem um tempinho. Parece que agora ele se separou da mulher. Ele trabalha de camelô, vende capa de celular. Não é longe daqui, não.

Léo pedirá para a moça levá-lo ao local. Quando chegar, verá Almir, um sujeito preguiçoso e malandro.
- Pai?! - perguntará o cantor, assustado.

Almir olhará para o filho e o reconhecerá. Imediatamente, recolherá os produtos e sairá correndo. Léo irá atrás, mas não o alcançará. Sem desanimar, o rapaz voltará outro dia e conseguirá conversar com o vendedor:
- Eu ainda não acredito que você era amante da minha mãe. Eu tinha uma lembrança tão forte na cabeça, vocês casados, todo mundo morando junto lá em casa.

Almir explicará que Néia sempre soube a verdade:
- Eu estava sempre querendo terminar meu casamento, mas faltava coragem. A Madalena tinha uma loja de material de construção, tinha muita grana. A gente se acomoda, né? Fui levando a vida com as duas, até que a Madalena um dia descobriu tudo. A mulher ficou possuída. Foi tirar satisfação com a Neinha, arrastou ela de casa pelos cabelos, se embolaram na calçada, foi uma coisa horrorosa. Sorte que vocês estavam na escola. 

Léo sentirá pena da mãe e afirmará que ela nunca perdoou o ex. Almir responderá:
- Ela está certa. Que tipo de homem larga uma mulher daquelas, com duas crianças?

Fonte: O Globo

Novo Mundo: Anna se casa com Thomas


Em Novo Mundo, após ser surpreendida pela notícia de que Joaquim (Chay Suede) omitiu a existência de Elvira (Ingrid Guimarães) e Quinzinho (Theo Lopes) em sua vida, Anna (Isabelle Drummond) volta atrás na decisão de casar-se com o oficial Thomas (Gabriel Braga Nunes) e aceita o pedido. Mesmo ainda sofrendo por Joaquim ela insiste que esse é o melhor caminho a tomar.
Com pressa de selar a união com a jovem, Thomas organiza a cerimônia em poucos dias. Leopoldina (Letícia Colin) oferece o seu vestido de casamento à professora e Thomas fica deslumbrado ao ver Anna entrar no salão, já pronta para a ocasião. “Você está linda. Hoje é certamente o dia mais feliz da minha vida…agradeço por ter te conhecido e por você ter aceitado se casar comigo”.
Ao perceber a tensão da jovem, Thomas pede que a cerimônia comece logo, mas ela hesita e se questiona sobre sua decisão. Nesse momento, percebe Joaquim (Chay Suede) triste do lado de fora a observando. Ela logo se recompõe e, diante do pastor, se esforça para sorrir. Thomas se adianta e coloca a aliança no dedo de Anna, confirmando a união. Joaquim fica arrasado e desabafa com Quinzinho (Theo Lopes). “O sonho acabou, meu filho”.
As cenas estão previstas para irem ao ar a partir de sexta-feira, dia 21. ‘Novo Mundo’ é uma novela de Thereza Falcão e Alessandro Marson, com direção artística de Vinícius Coimbra. Confira o resumo da semana!

Fonte: Área VIP

Polícia diz que mãe impediu suicídio de filha que jogou 'Baleia Azul' no RJ

A Polícia Civil do Rio de Janeiro ouviu nesta quinta-feira (20) mais uma adolescente vítima do jogo "Baleia Azul" – disputa virtual que inclui desafios que podem induzir ao suicídio. Segundo a investigação, uma das vítimas ouvidas na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) foi impedida de se matar pela mãe, que percebeu que a filha tinha escoriações pelo corpo.
No jogo, disputado pelas redes sociais, em que um grupo de organizadores, chamados "curadores", são propostos 50 desafios macabros aos adolescentes. Algum deles incluem bater fotos assistindo a filmes de terror, automutilar-se e ficar doente. A última missão do jogo é se matar.
De acordo com a delegada Fernanda Fernandes, uma adolescente estava num estágio intermediário do jogo, mas quis adiantar a última tarefa que consiste no atentado contra a própria vida.
A delegada contou que a vítima ia sair de casa e que pretendia pular de um prédio, mas foi impedida pela mãe, que percebeu escoriações no corpo da menor. Mesmo em casa, a adolescente tentou outras formas de se matar, mas novamente foi impedida.
Este é o segundo caso confirmado na Região Metropolitana do Rio, de cinco investigados pela DRCI.


Como a investigação está em processo inicial, a delegada explicou que suspeitas sobre a autoria do crime ainda não podem ser reveladas. A quantidade de curadores do "jogo" também não pôde ainda ser determinada. A certeza, no entanto, é que são vários os moderadores.

Ameaças
A delegada explica que participantes, ao tentarem sair do jogo, são ameaçados virtualmente, inclusive com as famílias envolvidas. No entanto, todas as vítimas que deixaram de participar não mais foram procuradas pelos curadores.
"As vítimas tentam sair e não conseguem. As crianças recebem algumas ameaças de morte ou até um tipo de pressão psicológica mesmo, e acabam cedendo (...) Alguém fala: 'se você não se matar, a gente tem seus dados e vamos atrás de você e da sua família'", relatou.
Investigadores acreditam que o perfil dos administradores do jogo seja de maiores de idade que tentam coagir crianças e adolescentes a participarem.

Preocupação e alcance
O jogo ganhou visibilidade e vem se alastrando pelo mundo. Em alguns países, como Inglaterra, França e Romênia, as escolas têm feito alertas às famílias, depois que adolescentes apareceram com cortes nos braços, queimaduras e outros sinais de mutilação. As informações são do blog de Andrea Ramal no G1.
O fenômeno começou na Rússia, mas está se espalhando – inclusive no Brasil, como sugerem o caso da jovem de 16 anos morta no Mato Grosso e uma investigação policial em andamento na Paraíba. Na Rússia, em 2015, uma jovem de 15 anos se jogou do alto de um edifício; dias depois, uma adolescente de 14 anos se atirou na frente de um trem. Depois de investigar a causa destes e outros suicídios cometidos por jovens, a polícia ligou os fatos a um grupo que participava de um desafio com 50 missões, sendo a última delas acabar com a própria vida.
A preocupação aumentou ano passado, quando fontes diversas chegaram a divulgar, sem confirmação, 130 suicídios supostamente vinculados a comunidades online identificadas como “grupos da morte”.
Jogos com apelos de riscos letais têm virado moda entre os adolescentes. Um exemplo é o jogo da asfixia, que gerou vítimas no Brasil. Outro é o “desafio do sal e gelo”, no qual, para serem aceitos no grupo, os adolescentes devem queimar a pele e compartilhar as imagens nas redes sociais. Embora exista há anos, o desafio voltou com força recentemente. Sem falar no “Jogo da Fada”, que incita crianças o gás do fogão de madrugada, enquanto os pais dormem.

Recomendações
As recomendações para as famílias são: monitorar o uso da internet, frequentar as redes sociais dos filhos, observar comportamentos estranhos e, sobretudo, conversar e conscientizar os adolescentes a respeito das consequências de práticas que nada têm de brincadeira. Atenção redobrada com os jovens que apresentem tendência a depressão, pois eles costumam ser especialmente atraídos por jogos como o da Baleia Azul.
Também as escolas devem colocar o assunto em pauta e incorporar no currículo, cada vez mais, a educação para a valorização da vida, o respeito pela vida dos outros e o uso consciente das mídias e tecnologias.

O G1 ouviu especialistas que dão dicas de como lidar com o tema:

1. Fique atento à mudança de comportamento
Uma mudança brusca de comportamento pode ser sinal de que a criança ou o adolescente esteja sofrendo com algo que não saiba lidar, segundo Elizabeth dos Reis Sanada, doutora em psicologia escolar e docente no Instituto Singularidades.
“Isolamento, mudança no apetite, o fato de o adolescente passar muito tempo fechado no quarto ou usar roupas para se esquivar de mostrar o corpo são pistas de que sofre algo que não consegue falar”, diz.

2. Compartilhe projetos de vida
Para entender se a criança ou adolescente está com problemas é fundamental que os pais se interessem por sua rotina. Elizabeth reforça que este deve ser um desejo genuíno, e não momentâneo por conta da repercussão do “Jogo da Baleia”.
“Os pais devem conhecer a rotina dos filhos, entender o que fazem, conhecer os amigos”, afirma a Elizabeth. Ela lembra que muitos adolescentes “falam” abertamente sobre a falta de motivação de viver nas redes sociais. Aos pais cabe incentivar que os filhos tenham projetos para o futuro, tracem metas como uma viagem, por exemplo, e até algo mais simples, como definir a programação do fim de semana.

3. Abra espaço para diálogo
Filhos devem se sentir acolhidos no âmbito familiar, por isso, Elizabeth reforça que é necessário que os pais revertam suas expectativas em relação a eles. “É preciso que o adolescente se sinta à vontade para falar de suas frustações e se sinta apoiado. Se ele tiver um espaço para dividir suas angústias e for escutado, tem um fator de proteção”, afirma Elizabeth.
Angela Bley, psicóloga coordenadora do instituto de psicologia do Hospital Pequeno Príncipe, diz que o adolescente com autoestima baixa, sem vínculo familiar fortalecido é mais vulnerável a cair neste tipo de armadilha. “O que tem diálogo em casa, não é criticado o tempo todo, tem autoestima melhor, tem risco menor. Deixe que ele fale sobre o jogo, o que sente, é um momento de diálogo entre a família.”
Angela reforça que muitas vezes o adolescente não tem capacidade de discernir sobre todo o conteúdo ao qual é exposto. “Por isso é importante o diálogo franco. Não pode fingir que esse tipo de coisa não existe porque ele sabe que existe.”

4. Adolescentes devem buscar aliados
O adolescente precisa buscar as pessoas em que confia para compartilhar seus anseios, seja no ambiente escolar ou familiar, segundo as especialistas. “Que ele não ceda às ameaças de quem já está em contato com o jogo e entenda que quem está a frente deles são manipuladores”, diz Elizabeth.

5. Escolas podem criar iniciativas pela vida
Assim como a família, as escolas podem ajudar a identificar situações de risco entre os alunos. “Não é qualquer criança que vai responder ao chamado de um jogo como esse, são os que têm situações de vulnerabilidade. A escola ajuda a construir laços e tem papel fundamental de perceber como os alunos se desenvolvem”, afirma Elizabeth.
Alguns colégios, já cientes da viralização do jogo, começaram a pensar em alternativas para aumentar a conscientização sobre a importância de cuidade da vida. No Colégio Fecap, que fica na Região Central de São Paulo, essa ideia virou projeto escolar: a turma de alunos do ensino médio técnico de programação de jogos digitais começou a criar uma espécie de “contra-jogo” da Baleia Azul. “O jogo ainda está sendo produzido pelos alunos. Eles estão se reunindo e debatendo a questão. Serão 15 desafios de como desfrutar melhor da vida e celebrá-la”, conta o professor Marcelo Krokoscz, diretor do colégio.
Durante o curso, os estudantes aprender a aplicar linguagens de programação para criar jogos para computadores, videogame, internet e celulares, trabalhando desde a formação de personagens, roteiros e cenários até a programação do jogo em si. Segundo Krokoscz, a ideia é que o jogo, ainda sem prazo de lançamento, esteja disponível on-line para o público em geral.
Ele afirma que o objetivo é a ajudar os jovens a verem o lado bom da vida. “Impacta mais fortemente nossos alunos a partir do momento que eles mesmos criam um jogo a favor da vida.”

Fonte: G1

Morre aos 86 anos a atriz Neuza Amaral

Neuza em 'Selva de Pedra', um dos maiores sucessos da televisão brasileira
Neuza Amaral, atriz conhecida por ter atuado nas novelas 'Irmãos Coragem' (1970), 'Irmãos Coragem' (1972) e 'Cabocla' (1979) - todas veiculadas pela Rede Globo -, morreu aos 86 anos na manhã de ontem (19) em decorrência de uma embolia pulmonar. Nascida em São José do Barreiro, interior de São Paulo, em 1º de agosto de 1930, começou sua carreira artística na segunda metade da década de 1950 no Rio de Janeiro na Rádio Tupi, onde encontrou dificuldades, até transferir-se para a Rádio Record, em São Paulo, onde fazia locução e programas de auditório, entre outras variedades. Sua vida de atriz se deu em 1957, quando foi contratada pela Rede Record de São Paulo e estrelou as novelas Alma da Noite e Mansão dos Daltons. Em seguida, foi para a Excelsior, onde fez a novela 2-5499 Ocupado, com Tarcísio Meira, Glória Menezes e Lolita Rodrigues.
Voltou a morar no Rio em 1967, e por meio de um amigo em comum, foi apresentada ao diretor de televisão Boni, que logo a convidou para trabalhar em A Sombra de Rebecca. Viveu a primeira grande vilã da televisão na novela das sete A Grande Mentira (1968), Veridiana Albuquerque. Participou da primeira versão de Irmãos Coragem (1970), vivendo a professora Branca, e Selva de Pedra (1972), como Walkíria, que assassina o amante por ciúmes da filha, Flávia (Sônia Braga).
Em “Bravo”, de 1975, a personagem que ela interpretou passava por uma cirurgia plástica. E Neuza Amaral convenceu a autora, Janete Clair, de que poderia ser submetida a uma cirurgia de verdade, para que realmente tivesse feições diferentes, depois de concluída a operação.
Foi em 1979 que Neuza interpretou Emerenciana na primeira versão de Cabocla. A personagem era mulher do Coronel Boanerges (Cláudio Corrêa e Castro) e às vezes mais política do que o próprio marido.
Esteve também no elenco de Pecado Rasgado (1979), como a viúva Eunice; Paraíso (1981), interpretando a empregada Josefa, apaixonada pelo próprio patrão; Sinhá Moça (1986), como a simples dona de casa Inez; e Brega & Chique (1987), como Lucy, que era super chegada numa bebida. À partir dos anos 90, Neuza se afastou da carreira artística para exercer o cargo de vereadora na cidade do Rio de Janeiro. Há cerca de 10 anos, morou em Araruama, trabalhando como controladora geral da cidade.
A atriz, que deixou um filho e dois netos, foi sepultada no Cemitério Israelita de Vilar dos Teles, localizado em Belford Roxo, interior do RJ.

O corpo da atriz Neuza Amaral foi enterrado em Belford Roxo, no RJ

Paul McCartney vai se apresentar na Arena Fonte Nova, em Salvador


Em outubro, Salvador vai receber show do ex-beatle Paul McCartney. A apresentação acontece durante nova turnê do músico britânico pelo Brasil. Na capital baiana ele sobe ao palco no dia 13, na Arena Fonte Nova. As outras datas e cidades ainda não foram reveladas.
Essas apresentações celebram os 50 anos do disco Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band. A obra deve ganhar uma reedição especial, com remixes das canções, versões alternativas, livro, uma versão remasterizado do documentário Making of Sgt. Peppers, entre outros brindes.

Fonte: Aratu Online

Uso de redes sociais no trabalho exige cuidado e bom senso para evitar demissão

WhatsApp, Twitter, Facebook, Instagram. É só o celular apitar para logo atiçar a curiosidade de conferir quem falou ou fez o quê. Não à toa, as redes sociais acompanham a rotina das pessoas e dos profissionais quase que 24 horas por dia. Seja para auxiliar o trabalho, seja para postar uma foto com o colega ou um vídeo de comemoração pela chegada da sexta-feira. Mas cuidado: se no dia a dia deve-se ter cautela com o vício nas redes sociais, no ambiente profissional o cuidado deve ser redobrado, principalmente com o que é postado e o tempo gasto.
No trabalho, por mais que não sejam explícitos, existem limites e regras de conduta a serem seguidos quanto ao uso destas ferramentas de interação social. Falar mal da empresa, do salário, do chefe ou de um colega de trabalho, por exemplo, além de criar um ambiente de conflito e tensão, pode resultar em demissão por justa causa.
De acordo com o advogado trabalhista, Vitor Castim, a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) não proíbe ou regulamenta o uso das mídias sociais. No entanto, se a utilização for indevida, prejudicando o desempenho das funções, e se informações confidenciais forem divulgadas, expondo a empresa, o funcionário pode ter o contrato rescindido. “Na legislação trabalhista, não existe especificamente proibição sobre o uso de rede social. Mas, em ambiente de trabalho privado da empresa, o empresário tem a liberdade para instituir se permite ou não“, explica.


Para a presidente do conselho deliberativo da ABRH Seccional Bahia, Denilde Pereira, “as redes representam um avanço nas comunicações que é inegável. Não dá para proibir, mas o que a empresa precisa fazer é analisar se esse uso está interferindo na produtividade, e assim buscar soluções educativas”. Ela aconselha o trabalhador a ter sempre bom senso e a não confundir assuntos pessoais com profissionais, assumindo responsabilidade com o que é publicado.
O consultor nas áreas de RH, estratégias, finanças e marketing, Osvaldo Matos, conta que já teve que lidar com um caso de uso indevido das redes sociais por parte de médicos durante a consulta, em uma empresa na qual prestou consultoria. O problema chegou a afetar o faturamento, além de ter perda de pacientes. Mas, ao invés de tomar medidas de proibição ou rescisão de contrato, solucionou com ações de comunicação interna para ajustar e oficializar o uso, com restrições.
Uma das mudanças foi agregar a foto com os pacientes, para garantir a melhoria da interação. Matos afirma que a solução para que as empresas e os funcionários possam aprender a lidar com as redes sociais é estabelecer regras de uso. 
Além de estratégias de comunicação e do diálogo direto, um exemplo de medida, em um caso mais extremo, é o bloqueio automático do acesso à sites específicos. Osvaldo explica que as empresas podem tomar medidas deste tipo, mas o ideal é a conversa ao invés da censura. “Tudo que é acordado não sai caro”.

Dicas de como se comportar com as redes sociais
Imagem Nas redes sociais, você pode estar sendo visto o tempo todo. E isso se torna ainda mais frequente quando o chefe ou os colegas seguem o seu perfil. Cuidado: a imagem pessoal e a profissional são indissociáveis. Reflita sobre como quer ser notado e se o que deseja postar é adequado.
Seleções As mídias são fontes de pesquisa durante o processo seletivo, nas quais a empresa identifica quem é o candidato. Atenção com o que publicar, os tipos de comentários e de postagens revelam quem você é.

Linguagem -  Evite termos chulos, palavrões e escrever errado. Você pode estar sendo analisado.
Lei Conforme as normas da CLT, falar mal da empresa, do salário, do chefe ou do colega pode resultar em demissão por justa causa. Divulgar informações confidenciais ou expor a empresa também. Pense antes de postar fotos e vídeos do trabalho. 

Profissionalismo - Não confunda assuntos pessoais com profissionais. Antes de postar qualquer conteúdo, pense: “Qual a minha intenção com isso?”. Expor e utilizar a imagem da empresa com o objetivo pessoal de se promover é proibido. Use o bom senso e a ética para filtrar suas ações.

Acordo - Cada empresa estabelece suas regras para as redes sociais. Converse com seus superiores. O que é proibido por um empregador pode ser permitido por outro.

Fonte: Correio da Bahia

De férias da TV, Bruna Marquezine voltará em novela das sete


Deus Salve o Rei só irá estrear em janeiro de 2018 e ainda terá que esperar a novela Pega Ladrão ir ao ar para entrar na grade da Globo. No entanto, parece que o elenco do folhetim escrito por Daniel Adjafre e com direção de Fabrício Mamberti já está com seu elenco formado.
Tatá Werneck deve integrar a trama medieval como uma princesa. Apesar de ainda não ter se manifestado sobre o assunto, ao que tudo indica, a atriz ganhou uma de suas melhores amigas para contracenar lado a lado. De acordo com Flávio Ricco, Bruna Marquezine também fará parte do elenco.
Afastada das telinhas para tirar um período de férias, Bruna deve voltar em janeiro. Procurada, a assessoria de imprensa da atriz não retornou o contato para confirmar a informação. Detalhes de sua personagem também não foram divulgados, no entanto, sabe-se que o fato de Tatá Werneck estar no elenco e o convite ter vindo do próprio autor pesam na decisão da atriz para aceitar o papel.

Míriam Pires, a Clementina de 'Senhora do Destino', faria 90 anos nesta quinta-feira (20)

A atriz, nascida no Rio de Janeiro, completaria hoje 90 anos. Era dona de um extenso currículo, composto por participações em diversas novelas, como Pecado Capital (1975), Locomotivas (1977), A Sucessora (1978), Final Feliz (1982), 'Meus Filhos, Minha Vida' (1984), Cambalacho (1985), Pedra Sobre Pedra (1992) e Sonho Meu (1993), além de ter participado de várias peças teatrais e filmes, como 'Aleluia, Gretchen' (1976), que lhe valeu três prêmios de Melhor Atriz.

Miriam Pires e Susana Vieira em Senhora do Destino, como Clementina e Maria do Carmo


Míriam faleceu enquanto ia ao ar o capítulo 62 da novela das oito Senhora do Destino, em 07 de setembro de 2004, aos 77 anos. O papel de Miriam era Clementina, a cozinheira e governanta da casa da família Ferreira da Silva.