domingo, 23 de abril de 2017

Homem é baleado em festa 'paredão' em Nova Constituinte


Portal A Tarde - No final de semana em que as polícias Militar e Civil intensificaram a fiscalização de festas "paredões", um homem foi baleado enquanto participava de um evento deste tipo em Nova Constituinte, em Periperi. Edvan Carvalho Lima, 25 anos, foi baleado em diversas partes do corpo por volta das 22h20 deste sábado, 22.
Ele foi levado para o Hospital do Subúrbio, de acordo com a Superintendência de Telecomunicações (Stelecom). Não há informações sobre o estado de saúde dele. A motivação e a autoria do crime serão investigadas pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Fiscalização
As polícias participam da Operação Sílere em conjunto com os órgãos municipais para combater a poluição sonora, comércio ilegal e uso irregular do solo nas festas do tipo "paredões". 
A ação começou na sexta-feira, 21, quando foram apreendidos equipamentos em quatro eventos em São Cristóvão. O trabalho continuou no sábado e também terá fiscalização neste domingo.

Dezesseis pessoas são presas em "festa da maconha azul" na Bahia


Um grupo foi preso na madrugada deste domingo, 23, no bairro Alto da Maravilha, no município de Senhor do Bonfim (a 382 quilômetros de Salvador). A prisão das 16 pessoas aconteceu em uma ação conjunta envolvendo a Companhia de Emprego Tático Operacional (Ceto) urbana e rural, da 1ª Companhia do 6º Batalhão da Polícia Militar (BPM) do município.
Eles são suspeitos de formação de quadrilha de tráfico de drogas no município. Segundo o blog do Eloilton Cajuhy, no local onde os suspeitos foram abordados estava acontecendo um evento chamado "Festa da Maconha Azul".
A polícia apreendeu um pé de maconha e uma espingarda de fabricação caseira, além de sete meninas menores de idade que participavam da "festa". Os suspeitos foram encaminhados para o Complexo Policial de Senhor do Bonfim.

Fonte: Portal A Tarde

Ex, irmã e filho brigam por herança de Emílio Santiago


Quatro anos após a morte de Emílio Santiago, a herança deixada pelo cantor, avaliada em R$ 10 milhões, continua sendo alvo de uma briga judicial entre uma suposta irmã do famoso, um homem que diz ser seu filho, além de um ex-namorado.
Em entrevista ao "Domingo Show", da Record, neste domingo (23), Hercília Santiago deu sua versão acerca do caso. A mulher afirmou que o músico abandonou a família para alcançar sucesso. "Eu ia ao show dele, mas era ele lá e eu cá, porque ele dizia que nunca tinha parente."
Já Aleksander Nunes dos Santos afirmou ter realizado um exame de DNA para comprovar a paternidade do cantor, mas o resultado deu "inconclusivo". O jovem pede na Justiça que o corpo de Emílio seja exumado para uma nova averiguação. "Se o direito está sendo dado para quem não tem que estar no processo, por que não para mim?", questionou.
Márcio Santiago, por sua vez, diz ter sido companheiro do famoso. Por isso, merece parte dos bens deixados. O homem, porém, não quis gravar entrevista, mas, em nota, explicou "que toda a situação está na Justiça e que, segundo orientação jurídica, ele deve falar somente no final do processo".
Os três competem por um patrimônio milionário, dividio em casas, apartamentos e salas comerciais.
Emílio Santiago morreu em março de 2013, aos 66 anos, após sofrer um AVC (Acidente Vascular Cerebral) isquêmico - quando a circulação de sangue no cérebro fica escassa.

Fonte: Famosidades

Novela “A Força do Querer”: Ritinha forja documento para se casar com Ruy


Casada com Zeca (Marco Pigossi), Ritinha (Isis Valverde) dá um jeito de esconder isso para se unir a Ruy (Fiuk). Ao ver que Eugênio (Dan Stulbach) vai providenciar a documentação para o filho se casar, ela liga para um rapaz da fictícia cidade de Parazinho, para conseguir seus documentos de solteira e dar entrada na papelada do casamento com o playboy. Após uns dias, a sereia surge sorridente com um envelope nas mãos. Eugênio fica sem entender como a futura nora conseguiu a documentação antes dele.

Fonte: Rede Notícias

DJ Alok e Xandy do Aviões animam Brasília na mega festa Surreal

* Direto de Brasília: Ana Luiza Vasconcelos e Ana Carolina Vasconcelos
Considerada uma das melhores badalações da capital federal, a R2 Produções realizou na madrugada de domingo a segunda edição da festa premium batizada Surreal. O local escolhido para sediar o evento foi a Torre de TV Digital e a Surreal 2017 proporcionou aos convidados vindos de Norte a Sul do país uma viagem ao universo paralelo, no qual desejos e sonhos se encontram.
A ambientação era incrível e assinada pelo cenógrafo Andrey Hermuche, que se inspirou no surrealismo. Havia de tudo um pouco neste universo repleto de unicórnios: pirotecnia, danças circenses e acrobatas. Com o serviço all inclusive, o evento proporcionou um menu exclusivo elaborado pelo chef Marcelo Petrarca, do restaurante Bloco C. Para brindar, os convidados aproveitaram uma cartela de bebidas de alta qualidade composta por Stella Artois, Absolut Elyx, Chivas 12 anos, Beefeater Gin, Licor 43, Suco do Bem, Belini Café – The Cooffe Experience, Red Bull e muitos drinks surreais. A festa contou também com serviço de manobrista durante as mais de nove horas de evento e um amplo estacionamento.
DJs estrelados e os principais nomes da EDM brasileira fizeram parte da lista de atrações. E essa experiência de encher os olhos não parou por aí. A cada hora havia uma atração surpresa com destaque para dois grandes nome da música. O renomado Dj Alok, que tornou a noite mais Surreal, levando o público ao delírio durante uma hora e meia de apresentação, e o nosso querido Xandy Avião, proporcionando o melhor do forró eletrônico.
A festa Surreal teve como slogan 'Não crie expectativas, crie unicórnios".


























Buchecha rebate acusação de abandono da filha de Claudinho

Em um longo desabafo na sua página oficial no Facebook, o cantor Buchecha rebateu a acusação de abandono da afilhada Andressa Mattos, 19, filha de Claudinho. Os dois formaram uma das duplas mais populares do cenário artístico brasileiro no fim dos anos 90 e começo dos anos 2000. A morte trágica de Claudinho em um acidente de carro em 2002 interrompeu a trajetória deles e entristeceu o país.


No sábado, 22, Andressa revelou ao jornal Extra estar decepcionada com o padrinho por ele ter se afastado. Buchecha rebateu e disse que foi a jovem que nunca quis contato, e que tem guardadas mensagens enviadas a ela em datas comemorativas via WhatsApp. O cantor ainda pediu respeito em nome da amizade com Claudinho e, por fim, se ofereceu para ajudar na carreira musical da afilhada, que acabou de lançar uma música em seu canal no YouTube.

Leia abaixo o desabafo na íntegra:
"Não queria me pronunciar sobre este assunto, mas tem hora que é preciso dar algum parecer. Estou sendo publicamente citado pela filha do meu mano Claudinho em programas de TV e em mídias impressas, dizendo que não a procuro, que ela 'tenta contato comigo e eu não respondo'. Vamos lá! 
Diga-me, Andressa, quando você me procurou e como? Diga-me quando foi sua última tentativa? Sejamos sinceros, vocês nunca quiseram contato comigo e todas as vezes que tive esse privilégio, fui eu quem busquei, fui eu quem supliquei por ter tua atenção. Tu foi no Faro e não teve sequer a coragem de falar a verdade, poxa.
Depois que seu pai faleceu, eu tentei fazer o papel de 'padrinho', porque pra mim tu sempre fostes minha sobrinha, filha de um irmão!
Até sua festa de 15 anos eu tive que me reunir várias vezes com você pra te convencer que era muito importante pra mim te proporcionar este momento, pois eu sabia que teu pai autografara diversos CDs da dupla pra ele te entregar só quando você fizesse 15 anos de idade. Enfim, estou sempre tentando sim falar com você, só que penso que 'quando um não quer, dois não se relacionam'.
Tenho as mensagens aqui gravadas no zap que te enviei no Natal, Ano Novo, depois antes do Carnaval deste ano. Tenho prints, posso te mostrar, eu te liguei no teu aniversário para os seus dois números de telefone!
Posso mostrar que até com seus avós (pai e mãe do Claudinho) você não teve (convívio) contato até o dia da sua festa de aniversário. Você se esqueceu disso? Você ignora a palavra das pessoas que sabem cada detalhe dessa história?
Teu avô faleceu poucos dias depois da tua festa, poxa. Pra levá-los até você foi uma dificuldade 'porque tu sabes e eu também que tem gente que sempre resistiu a esse encontro'.
Teus avós sempre te amaram, sempre quiseram ter contato com você. Um dia, teu avô (em memória) me disse: ´Poxa, Buchecha, eu perdi o meu filho e a minha neta no mesmo dia'. Sim, porque a partir daí ele nunca mais te viu. A tua avó (tia Nina) só te via quando você ia aos programas de TV fazer alguma matéria sobre tua carreira. Se não me engano, tu só foi na casa dela uma vez.
Sobre sua carreira, a qual eu me coloco à disposição pra te ajudar, estou aqui falando isso publicamente. Poxa, vamos então nos encontrar pacificamente pra falar sobre isso. Só Deus sabe o quanto eu quero ver você fazendo sucesso com o seu talento, e não com mentiras e falácias na TV, quase que lançando ao lixo toda amizade sincera e verdadeira que eu tinha com seu pai. Nós éramos amigos de infância, Andressa. Por favor, não menospreze aquilo que eu e ele conquistamos com tanta luta, com tanta dedicação e, principalmente, carisma e verdade.
Tenho muita coisa aqui comigo, jornais, revistas, mensagens de celular, áudios e programas gravados em TV brasileira, em que você e sua mãe estão sempre me detonando, e eu sempre calado, a fim de não trazer à tona diversas histórias tristes e descabidas na mídia. As pessoas que me seguem e as pessoas que te seguem têm raciocínio, elas pensam, elas têm balança. Elas não se deixam levar por qualquer história, não. Olha suas postagens relacionadas a mim. Olha quanto desdém à minha pessoa. Já pensou se eu abrir aqui toda verdade?
Vou parar por aqui pra não falar coisas que podem te ser prejudiciais ou à sua mãe. Mais uma vez, vou me interromper para não causar danos com a verdade. Sim, porque é assim que acontece quando a verdade chega, a mentira cai por terra!
Ah e sobre a casa da ilha, a história também é outra né! Peço perdão aos meus fãs por me pronunciar aqui, vocês nunca me viram agir dessa maneira. Só os mais chegados, amigos, fãs e pessoas envolvidas em todo esse rolo sabem que essa coisa toda tem tido um peso terrível pra mim, porque sei que se eu contasse aqui os fatos todos, a coisa iria ser muito diferente pra quem não estiver ao lado da verdade. 
Mas eu tive que pelo menos alertar que toda história tem dois lados. Não se precipitem em opinar contra ninguém. Peço mesmo, por favor, que de modo algum ajam com algum tipo de infortúnio a elas. Peço que a amem, ajudem-na a seguir a carreira, o seu caminho e, se possível, não esqueçam de mim também, pois também faço questão de agradecer a cada um de vocês que me deram a chance de seguir a minha carreira solo.
É tão difícil seguir sozinho,mas com a ajuda de DEUS e de vocês, tanto eu quanto ela podemos sim fazer uma história diferente daqui por diante. Estou com muita vergonha de mim por estar falando isso tudo aqui, mas eu já não sei mais o que fazer pra não ser citado dessa forma tão injusta. Peço perdão aos fãs que se ofenderem com isso, mas eu realmente não gostaria de falar as coisas que sei, as coisas verdadeiras...
Andressa, estou à sua disposição, o que você quer de mim?!"

Fonte: Catraca Livre

Paolla Oliveira rejeita rótulo de feminista e foca na palavra "igualdade"

No ar como Jeiza em "A Força do Querer" , Paolla Oliveira vive uma policial que pratica MMA e sonha em ser uma lutadora profissional. A atriz, que já é veterana em novelas, deu entrevista para a coluna de Mônica Bergamo, da Folha de São Paulo e contou que, por enquanto, ainda não teve grande volume de textos para a trama. "Mas o meu físico já está um pouco cansado".


Descrita pela Globo como "uma policial linda, mas durona e cheia de garra que quer mostrar que mulher pode fazer o que quiser e não aceita domínio de namorado", a personagem de Paolla Oliveira está andando paralelamente com os tempos atuais de empoderamento feminino, mas a atriz não se diz feminista assim tão facilmente.
"Tenho um pouco de dificuldade porque agora tudo virou: é feminista ou é machista. É ficar enquadrando as pessoas e colocando elas em apenas um lugar. A Jeiza, assim como eu, é mulher. Prefiro falar da palavra igualdade. A Jeiza quer ser mulher e não quer estar abaixo de ninguém, seja homem ou mulher. Quer só ser respeitada igualmente", explica a atriz.
Aliás, Paolla se juntou com as colegas da Globo que se organizaram após a acusação de assédio sexual contra o ator José Mayer feita por uma figurinista. Ela usou as redes sociais para aderir ao lema da campanha: "Mexeu com uma, mexeu com todas". Além disso, assim como milhares de mulheres, ela também se sentiu constrangida com a fala do presidente Michel Temer no dia Internacional da Mulher, quando associou o sexo feminino com tarefas do lar.


"Ao se desprender de quem ele mostra (ser) e falar dele, ele foi para onde sabe. É uma questão entranhada não só naquele homem, em outros também. Ele nem quis agredir. Foi natural. A batalha ainda é grande, mas acho legal olhar para trás e ver o que a gente conquistou. Ficar só no lugar da insatisfação é ruim", dispara a atriz.

Ficção
Quando o assunto é ficção, as batalhas de Jeiza e Paolla andam bem próximas. A atriz começou a treinar luta em outubro e ficou mais torneada. "Faria parte do meu trabalho e eu não estaria errada se usasse dublê", opina ela, que mesmo antes da personagem já estava acostumada a correr e praticar ioga.
Paolla Oliveira também se viu obrigada a ter voz de comando para se aproximar de cachorros treinados pela PM já que na trama ela é do Batalhão de Ações com Cães. "Dei banho, levei para fazer xixi e cocô e aí fiz amizade", conta sobre os dois pastores alemães que se revezam nas cenas. O papel fez com que a atriz voltasse à infância, porque seu pai, coronel reformado, já trabalhou no canil da PM de São Paulo.
O papel da filha vem deixando José Everardo muito feliz e, inclusive, ele deu dicas para a atriz. "Toda instituição tem pontos questionáveis, seja a polícia, o casamento, o governo", mas a lembrança que ela tem do trabalho do pai é de que ela não sabia se ele voltaria vivo do trabalho. "O outro lado, o lado negro, existe, mas não foi o que eu convivi. Vi o lado de alguém 
que precisava trabalhar na polícia e em outro lugar para conseguir dar conta dos três 
filhos e que saiu da polícia depois de 30 anos falando isso".

Vida pessoal
Aos 35 anos, Paolla Oliveira faz questão de separar a realidade da fantasia e fica inibida quando questionada sobre o namoro com o diretor artístico de "A Força do Querer", Rogério Gomes, o Papinha (com quem ela se envolveu em 2015, durante a novela "Além do Tempo", também comandada por ele). "As pessoas estão sempre querendo ver [notícias da vida amorosa], mas não vai mudar em nada a vida delas. Eu até entendo que vá mudar saber como eu malho, o que eu como, sei lá, 'vou fazer igual'. Mas essa parte aqui (aperta as duas mãos no peito) ninguém vai poder fazer nada igual. Então não interessa a ninguém", finaliza.

Fonte: Gente.IG

Jovem de 18 anos atropela e mata gari na Paraíba


O motorista que atropelou e matou um gari na madrugada deste domingo (23) tem 18 anos e não era habilitado, segundo a Polícia Civil. O jovem teria saído de Piracaia com o carro da mãe para ir a uma festa com os amigos. O jovem foi indiciado por homicídio doloso e segue detido.
O caso aconteceu por volta das 6h quando o grupo saia de um show da Expo Bragança Paulista. Em uma avenida, o motorista perdeu o controle, atingiu o trabalhador e o prensou contra um poste. O homem chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.
No carro, estavam o motorista e mais dois passageiros, um homem e uma mulher de 22 anos. Ela teve ferimentos leves e foi socorrida.
Segundo testemunhas, o veículo que o jovem dirigia e outro carro seguiam em alta velocidade pela avenida Tancredo Neves, quando ele atingiu a vítima. À polícia, testemunhas disseram que eles apostavam um racha.
Na delegacia, o jovem de 18 anos disse que fugiam de um assalto, ameaçado pelos ocupantes do outro veículo, que fugiram. A polícia apura os fatos.
O jovem foi submetido a etilômetro, mas não foi constatado álcool no sangue. Ele permanece detido. O gari de 55 anos vai ser velado no cemitério da Saudade, em Bragança Paulista.

Fonte: G1

Marcos é criticado após acusar Emilly de traição em carta aberta


O ex-BBB Marcos Harter usou o perfil no Facebook para enviar uma carta aberta para Emilly Araújo, com quem ele se relacionou no Big Brother Brasil (BBB 17). No "textão", o médico fala que a sister o teria traído, sobre o envolvimento deles no programa e sobre a expulsão após ser acusado de agressão contra a jovem.
Após a divulgação da carta, Marcos foi alvo de críticas de internautas, que alegam que ele tentou culpar Emilly por seus atos. "Adeus, mesmo! Homem que é homem assume seus atos e não coloca a culpa na vítima", disse uma internauta. Outra seguidora escreveu: "Socorro!! O agressor fazendo 'carta aberta' culpando a pessoa que ele agrediu pelas atitudes absurdamente machistas dele". Teve também que afirmasse que Marcos fez drama: "Nossa, deveria largar a medicina e se dedicar a escrever uma novela mexicana depois desse dramalhão todo. Teve o que mereceu, aceita que dói menos!".
Outro internauta afirmou que "esse texto é um reflexo da nossa sociedade machista, que nunca consegue enxergar os problemas, principalmente quando eles partem de um cara hétero, branco, bem apessoado e médico". "Li essa carta gigante esperando a hora que você reconhece seu erro e envergonha-se do que fez, mas não, parece que você só lembra da florzinha que arrancou do jardim né, o braço apertado e o dedo na cara - verdadeiros motivos de sua expulsão - você não menciona", afirmou um seguidor.
Apesar das críticas, a atitude do médico também foi elogiada: "Baita homem! Homem de caráter! Homem que infelizmente se apaixonou por uma menina mimada, mal-educada, gananciosa, egoísta, mau-caráter, invejosa"; "Muito bem Marcos, você contou tudo como assistimos sem cortes no PPV, o que essa garota fazia com você e você cego de amores não via".

Tentou ajudar Emilly a ganhar o BBB 17
Na mensagem, o cirurgião fala do seu encantamento pela gaúcha, de como se apaixonou por ela e tentou apoiá-la a chegar a final. "Existia um espacinho em meu coração que era exatamente do seu tamanho! E assim a nossa história começou", disse ele, em um trecho.
Marcos relata momentos de carinho e companheirismo que eles teriam vivido dentro da casa, tentando mostrar a dedicação dele por Emilly: "Não via a hora de dormir juntinho de você! Nem que fosse em camas separadas, mas de mãos dadas e com o meu braço apoiado na gaveta aberta do criado mudo… kkk Que cena! Com o tempo, notei que você, quando cansada, dormia facilmente deitada em mim. Era como se eu fosse a tua concha, e isso é muito bonito porque significa: 'eu me sinto seguro com você'. E como era bom dormir abraçadinho!".
Ele também aponta os defeitos da jovem na mensagem: "Os problemas que muitos apontavam em você, Emilly, eu também via. Atitudes de egoísmo, soberba, deslumbramento não passavam despercebidas por mim". Mas ele alega que decidiu ignorar essas características para "defender quem estava dentro do coração (dele)".
Marcos disse que foi traído pela "namorada", que, segundo ele, teria percebido a força do brother quando ele venceu o paredão contra Marinalva. O ex-participante alega que Emilly teria denunciado o médico, apesar dele só ter saído do programa após a Polícia Civil ter decidido investigar a suposta agressão dele contra a sister.
"Sei porque você passou a me olhar de modo diferente a partir do momento em que ouviu minha torcida gritar: 'É campeão!'. Seu olhar surpreso estava de acordo com as atitudes que viriam a tomar nas 24 horas seguintes… Sei porque você insistia em não me contar porque tanto lhe chamavam no confessionário no decorrer de domingo… Sei porque na segunda-feira, 10/04, dia de minha eliminação, você estava tão distante de mim… Sei porque você pediu e foi várias vezes ao confessionário… Sei porque você me perguntou o que seria considerado como uma agressão física na mesa enquanto eu esculpia o mascote do programa em um bloco de sabão", disse.
Na carta, Marcos não cita a suposta agressão dele contra Emilly nem o indiciamento com base na Lei Maria da Penha. Logo após ser expulso, ele chegou a pedir perdão alegando que não tinha intenção de machucar Emilly, mas, no texto deste sábado, o médico ignorou os fatos que o levaram a expulsão.

>> Confira a íntegra da carta de Marcos:

Meu nome é Marcos de Oliveira Harter, gaúcho, nascido em Porto Alegre, médico, cirurgião plástico. Fui criado com princípios, os quais defendi durante toda a minha participação no BBB17 e defenderei pelo resto da minha vida: a retidão de caráter e o compromisso com a verdade. Juro pelo que tenho de mais importante em minha vida - a minha família - que aquilo que aqui escrevo é a mais pura verdade.

Não há mais como suportar as pessoas sofrendo pelo destino de um relacionamento sem entender de fato o que aconteceu. O Brasil, farto de mentiras em várias esferas, merece saber a verdade, pois, mesmo que doa a curto prazo, será sempre o melhor caminho a longo prazo. Esta é uma carta que eu começo chorando e talvez, ao final, muita gente faça o mesmo.

Inscrevi-me no BBB com o objetivo de passar uma mensagem. Lembro-me de ter chamado muito a atenção da produção do programa na fase de entrevistas. Perguntavam o porquê de alguém querer entrar no programa sem ter o prêmio de um milhão e meio como o seu objetivo principal. Sim, é verdade. O prêmio em dinheiro era, para mim, nada mais do que uma consequência da missão que eu teria lá dentro, tal como eu penso aqui fora: dinheiro é consequência.

Nas primeiras horas dentro da casa conheci Emilly e Mayla, na beira da piscina, atrás da mesma espreguiçadeira na qual Emily estava deitava quando a vi pela última vez, antes de ir embora. Recordo-me de que, inicialmente, achei elas muito parecidas, mas logo fui me atentando aos detalhes. Apesar de possuírem a mesma carga genética e, fenotipicamente, expressarem-se quase como clones, cada uma tem a sua alma, e aquela que vislumbrei ser a minha gêmea era a que tinha uma mancha na têmpora esquerda. E logo Emily me contou a sua história.

Emilly...

Você vinha de Eldorado do Sul, cidade próxima a Porto Alegre, onde eu aprendi a dirigir. Lembra? Sua mãe havia falecido há menos de um mês no Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Durante minha formação médica, fiz estágio neste mesmo hospital e, por ter tido contato com muitos familiares de pacientes, sabia exatamente o trauma psicológico pelo qual vocês acabavam de passar.

Suas histórias eram tristes e, ao mesmo tempo, engraçadas: Balneário Camboriú com 10 reais no bolso; os 20 reais que você achou no chão, juntou com mais 50 que você tinha e comprou um vestido que queria muito... Confesso que sentia uma peninha, mas ao mesmo tempo brotava algo que, na minha opinião, é o primeiro passo na construção de um relacionamento: a admiração. E não apenas pela sua beleza, mas pelo seu modo aventureiro de levar a vida. Conheço um cara assim…

Não precisei de muitos dias na casa para entender a minha missão ali. Sensibilizei-me com a sua história e determinei-me a fazer o possível e o impossível para conduzi-la até a grande final. Eu só não contava com uma coisa: existia um espacinho em meu coração que era exatamente do seu tamanho! E assim a nossa história começou…

No começo você não me dava bola, mas quando o Doc aqui quer, ele vai até o final. É possível "ficar" sem beijar? Sim! Lembra da primeira noite que viramos juntos? Você me contou de uma luz cor de rosa que saía de dentro de você no centro espírita. Ali comecei a acreditar na sua iluminação. Lembra do café da manhã naquele dia? O único ovo que tínhamos estava podre e você acabou fazendo arroz pra gente comer às 7h da manhã! Que amor… Na pobreza já dava para ver a sua parceria, faltava ver na riqueza ou na iminência dela.

Acredito que uma das melhores maneiras de trazer uma pessoa para perto de si é dando carinho, e assim eu fiz com você. Dei-lhe flores todos os dias, até que a produção pediu para eu não arrancar mais as flores do jardim. Nas férias eu sempre era acordado por minha mãe com caldinho de feijão na cama. Entende agora a forma de carinho que eu queria transmitir a você?

Daí veio a primeira massagem… Hummm… Beijos no pezinho… E como era gostoso ouvir aquele uivo do lobisomem durante aquela prova do anjo…

Não via a hora de dormir juntinho de você! Nem que fosse em camas separadas, mas de mãos dadas e com o meu braço apoiado na gaveta aberta do criado mudo… kkk Que cena! Com o tempo, notei que você, quando cansada, dormia facilmente deitada em mim. Era como se eu fosse a tua concha, e isso é muito bonito porque significa: "eu me sinto seguro com você". E como era bom dormir abraçadinho!

Lembra que eu chegava a acordar com o braço formigando de tanto tempo abraçado em você? É óbvio que você não vai saber, mas se ver os vídeos aqui fora vai descobrir uma noite no México na qual eu praticamente amanheci fazendo carinho no seu rosto. Curti todas as noites que dormi com você, inclusive aquela na qual você exagerou com o baldinho e, por ironia do destino, tivemos que dormir com outro balde na cama. E na hora de acordar? Para mim já era automático, tapava seus olhos e seus ouvidos, porque princesas jamais devem acordar daquela maneira.

O clima era tenso tanto para mim quanto para você. Você cuidava de mim e eu de você. À medida que o tempo passava eu conhecia você, curtia você e cada vez mais eu me apaixonava por você. Ao ponto, inclusive, de não a ver mais como adversária, e você sempre soube disso. Várias vezes tive vontade de ir embora dali com você. Lembra que cheguei a convidá-la algumas vezes a irmos embora?

Sabia que o prêmio era muito importante para você, mas ao mesmo tempo tinha a nítida noção de que o que eu poderia dar a você aqui fora não tinha preço.

Os dias foram passando e eu fui vivendo uma das mais incríveis histórias de amor da minha vida. Cientificamente, a ideia de avaliar o comportamento de seres humanos mediante confinamento sempre me pareceu fantástica. Fazer parte da experiência fazia tudo ser sensacional, pois provaria para mim mesmo e para um país inteiro que o amor verdadeiro pode existir sim, mesmo em condições laboratoriais.

Durante boa parte do programa eu agi com a razão. Fui autêntico o máximo que eu pude. Acertei. Cometi erros. Pedi perdão por eles. Fui solícito com todos. Elogiei atitudes e participantes sem medo de que isso pudesse beneficiar alguém no jogo. Questionei o que achei errado e sempre estendi a mão para quem me pedisse ou para quem eu julgasse que precisava de ajuda. Atuei sempre com honestidade do princípio ao fim. Tive coragem de enfrentar gente muito grande. Defendi com todas as minhas forças a prevalência da verdade e da retidão de caráter. Mas teve um momento em que passei a agir com o coração, e, inclusive, verbalizei essa minha decisão em um raio-x.

Os problemas que muitos apontavam em você, Emilly, eu também via. Atitudes de egoísmo, soberba, deslumbramento não passavam despercebidas por mim.

O carinho que eu sentia por você era verdadeiro e intenso, mas mesmo assim não me tirou a capacidade de discernir entre o certo e o errado. Quando vi você tomando as mesmas atitudes de pessoas que eu já havia questionado, tive a sensação de ter chegado a uma grande encruzilhada: manter a razão e julgá-la por erros também cometidos pelos outros ou passar a agir pela emoção e defender quem estava dentro do meu coração? Assim eu fiz: desde o primeiro até o último paredão, defendi você com unhas e dentes.

Era tudo muito intenso e muitas vezes me via confuso. Às vezes me sentia seu namorado, outras, seu pai, seu irmão, ou seu amigo… Mas o importante é que nunca me senti seu adversário, pois o meu sentimento por você sempre esteve acima de qualquer atitude pela qual você poderia ser julgada. Essa é uma grande demonstração do quanto eu gostava de você e você não percebia.

Minha decepção começou a se instalar quando vi que as amizades que eu achava que estava construindo ali, me pareciam não tão sólidas como eu pensava.

Perder o Ilmar como aliado no jogo me deixou bastante abalado. Nossa ideia de irmos nós 3 até a grande final e deixar o público decidir parecia perfeita, mas o tempo me mostrou que esse pensamento não era compartilhado por nós três.

Na reta final, nos vimos novamente sob a ameaça de sermos emparedados. Não nos "acadelamos" e lutamos feito guerreiros para que isso não ocorresse. Ao ser desclassificado da última prova de resistência, sentei no gramado e ali fiquei por 12 horas. Meus gritos e assovios ecoaram pelo PROJAC. Sabia que minha voz em seus ouvidos lhe daria garra para vencer aquela prova.

E como fiquei feliz e orgulhoso quando você voltou com a vitória nas mãos. A última chance de sermos emparedados, um contra o outro não existia mais!

Com muita coragem enfrentei e voltei do paredão com Marinalva com 77% de aprovação. Nossa batalha, nossa união, nosso relacionamento, nossas conquistas tornavam-se épicas. Ajoelhei com você diante da bandeira deste país que tanto amo para agradecer os votos da nação. E foi ali que você cometeu um dos seus maiores erros dentro do programa: ao ouvir minha torcida gritar "É campeão!", passou a me ver como alguém que eu nunca tinha sido para você: um adversário.

Ahhh… Picinho… São tantas coisas que eu sei e não queria saber… Ou será que você esqueceu que eu "fui programado para desconfiar"?

Sei porque você passou a me olhar de modo diferente a partir do momento em que ouviu minha torcida gritar: "É campeão!" Seu olhar surpreso estava de acordo com as atitudes que viria a tomar nas 24 horas seguintes… Sei porque você insistia em não me contar porque tanto lhe chamavam no confessionário no decorrer de domingo… Sei porque na segunda-feira, 10/04, dia de minha eliminação, você estava tão distante de mim… Sei porque você pediu e foi várias vezes ao confessionário… Sei porque você me perguntou o que seria considerado como uma agressão física na mesa enquanto eu esculpia o mascote do programa em um bloco de sabão.

Na segunda-feira, dia de minha eliminação, ao sair do confessionário pela última vez, você veio até mim na cozinha e me encontrou lavando a louça. Vestia o roupão laranja e arrumava o microfone no braço direito, pois o tinha retirado para ser examinada pelo médico da produção. Sei porque você não conseguiu falar comigo e saiu chorando para fora da casa dizendo: "Meu Deus… O que eu fiz…" O peso em sua consciência era tão grande que nem as palavras que hoje sugerem a verdade você conseguiu segurar… Deus viu sim o que você fez, e, aos poucos, as pessoas vão ver também.

Considero essa uma das cenas mais tristes do programa: você acabava de acusar injustamente a pessoa que você dizia que tanto adorava! Vi você saindo, chorando pelo espelho da cozinha, e lembra do que eu fiz? Saí atrás de você lá fora e lhe ofereci ajuda caso precisasse. Estava lhe oferecendo a minha outra face pra você bater. Sei por que nesse mesmo dia foi a única vez que você não foi espontaneamente atrás de mim na academia. Lembra que tive de chamar você lá fora para você me ajudar? Sentia que você não estava com muita vontade de ficar perto de mim. Simplesmesmente não acreditava no que você estava armando contra mim.

Sei por que nosso último beijo na academia foi tão frio… Sei por que na sequência você também não quis entrar na piscina comigo, dizendo que já havia tomado banho. Toda essa falta de parceria era inédita e você ainda achava que eu não sabia o porquê. Sei por que você não fez cara de duvida quando me chamaram pela última vez no confessionário. Sei por que você não disse: "Não tá esquecendo de nada?". Seu último beijo já havia sido dado na academia.

Infelizmente também sei o que você sentiu quando ouviu meus gritos aos prantos na porta do lado de dentro do confessionário pedindo pra você retirar a acusação que havia feito às 20h daquele dia. Sei por que você chorou sem lágrimas quando Tiago Leifer anunciou minha eliminação. Sei por que você tapava o rosto com as mãos enquanto "chorava" no colo da Ieda. Sei por que você demonstrava tanta saudade de mim, cheirando minhas roupas após a minha saída, mas não demonstrou isso na final, ao sair da casa. Sei, Emilly, por que você não veio me abraçar na final… E foi tão feio… Não jogue a culpa na sua irmã…

Você se enganou sobre qual seria a minha atitude. O tiro de misericórdia que você deu em minha nuca na reta final do programa matou o homem que a adorava lá dentro, mas não o homem que a perdoaria aqui fora. Confesso que a partir do momento em que entrei no confessionário pela última vez e fiquei sabendo de sua traição, fiquei bastante decepcionado com você. O meu desejo de ver você campeã era tão grande que neguei o chute que você me deu na volta da piscina após a brincadeira de esconde-esconde e também o fato de você ter jogado a boia da trident propositalmente em meu rosto, dentro da piscina, no entardecer do dia 5/4. Ou você acha que também não me foi oferecido dar queixa de você?

Após sair da casa, em momento nenhum fiz torcida contra você. Entretanto, não consegui conter os votos de minha família e amigos, os quais também foram informados de sua denúncia contra a minha pessoa no dia 10/4 às 20h. Sei, há algum tempo, que ninguém é de todo bem e nem de todo mal. Às vezes a gente erra e essa foi a sua vez de errar gravemente comigo. Só não imagina a dimensão da sua ganância.

Saber perdoar é para poucos. Diria que você tem sorte em eu ser um deles. Mas você realmente não precisa pedir perdão para mim, mas talvez tenha que pedir a todas as pessoas que acreditaram no amor que você dizia sentir por mim. Tem outra pessoa, pela qual você tanto chorou durante o programa, que viu tudo que você fez lá do céu, e para essa eu creio que você também deveria pedir perdão.

Tente se lembrar de todos os conselhos que eu dei para você. Demorei anos pra aprender tudo o que te falei, e todos os conselhos foram dados com muita sinceridade e carinho. Não deixe de doar uma parte do prêmio, conforme prometido, às pessoas que precisam mais do que você. Você sabe a dor que eles sentem. E lembra do COSMOS? Ele existe sim! Respeite-o sempre e esteja preparada para o que ele decidir por você, por mim e por todos que nos rodeiam.

Nossa história de amor terminou no momento em que entrei no confessionário e descobri quem realmente é você. Seu pedido para me retirar do programa me mostrou que o que você sentia por mim tinha um preço. Meu coração se estraçalhou naquele exato momento, pois mesmo sabendo que era capaz de lhe perdoar, entendi que jamais conseguiríamos construir uma relação na qual o dinheiro já havia sido colocado acima do amor uma vez.

Você ainda é jovem. Tem tempo para refletir e mudar. Saiba que pessoas do bem existem e elas vão querer te ajudar de uma forma tão incrível que você pode levar algum tempo para entender. Siga com Deus, desejo-lhe muita luz interior e que a paz esteja sempre com você e com a sua família. Sei que você vai negar, gritar, espernear, fazer tudo o que fazia no programa quando as pessoas apontavam uma falha em você. Mas eu espero apenas uma coisa de você: feche os olhos, respire fundo, vá bem lá dentro de você.

Procure um lugarzinho onde você está sentindo uma dorzinha. Aprenda que em toda a história da humanidade, amor e caráter nunca estiveram à venda.

Adeus.
Marcos de Oliveira Harter

Mulher devolve cadela que furtou de família após vídeo da ação viralizar na web

Uma cachorrinha da raça pinscher, que foi levada da porta da casa dos donos por ocupantes de um carro em Praia Grande, no litoral de São Paulo, na última sexta-feira (21), foi devolvida à família neste sábado (22), horas depois de um vídeo com o flagrante da ação ser postado nas redes sociais e viralizar na internet. Segundo a dona do pet, a mulher que levou a cadela ficou com medo, após a repercussão das imagens.
O caso ocorreu no bairro Vila Tupy. Nas imagens, gravadas pelo circuito de monitoramento de casas vizinhas, é possível ver a cadelinha Jully, de três anos, do lado de fora do portão. Um automóvel passa vagarosamente e para em frente ao imóvel. O carro fica alguns minutos no local.
Uma mulher que passa pela rua percebe a movimentação suspeita e chega e parar para observar. Instantes depois, o carro parte. De outro ângulo, é possível observar o momento exato em que a cachorrinha, que está na calçada, e atraída por um ocupante do carro e salta para dentro do veiculo.
Segundo Patrícia Gomes Baptista, proprietária de Jully, por meio das imagens, ela conseguiu pistas da identidade da mulher que teria levado a cachorrinha. Com essas informações, ela chegou até uma imobiliária, onde a suspeita havia realizado uma transação recentemente. O corretor que a atendeu se prontificou a ajudá-la, e entrou em contato com a mulher.
“Ele foi até a casa dela. Ela estava com medo e já foi logo falando para ele fazer o favor de tomar a cachorra e levá-la para a dona. Depois ele me entregou”, relata.
Patrícia não chegou a registrar boletim de ocorrência, mas compartilhou o vídeo nas redes sociais, na esperança de que alguém a ajudasse a recuperar Jully, ou que quem a tivesse levado se arrependesse. O vídeo acabou viralizando na internet. “Não queria prejudicar ninguém, queria somente a cachorrinha de volta”, disse.
Segundo Patrícia, quem mais estava sofrendo era sua filha Ayla, de quatro anos, que não parava de perguntar pela cachorrinha. Com o retorno de Jully à casa da família, a alegria também voltou. “Ela está radiante”, comemora.

DESCUIDO 
A cachorrinha Jully estava do lado de fora da casa quando foi levada. Segundo Patrícia, foi por descuido dela, e tudo ocorreu muito rápido.
“Eu abri o portão para a minha cunhada entrar, mas não percebi que a Jully havia saído, e acabei fechando o portão. Fui dar falta dela no máximo após cinco minutos, e já comecei a chamar e procurar por ela. Saí na rua e perguntei para os vizinhos. Tive a ideia de pedir para ver as imagens das câmeras de uma vizinha. Foi quando vi o que aconteceu”, relata.

Fonte: Correio do Estado

Será que a 3ª Guerra Mundial está próxima? Saiba o que dizem os especialistas


Recentemente aumentou a discussão e a tensão entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte. Além da guerra de palavras, têm ocorrido também vários movimentos militares que estão gerando muita preocupação no mundo sobre a possibilidade de existir um conflito armado entre dois países que, como se sabe, possuem armamento nuclear.
A BBC decidiu analisar a tensão existente naquela parte do mundo para saber qual a probabilidade do planeta estar à beira de uma Terceira Guerra Mundial. Assim sendo, o canal de televisão pública do Reino Unido falou com vários especialistas, que revelaram algumas conclusões que podem esclarecer o cidadão menos atento.
Para começar, a opinião dos especialistas é que a solução militar não é a melhor alternativa para resolver o conflito de ideias existente entre os #Estados Unidos e a #Coreia do Norte. Na opinião deles, será em uma sala de negociações que os problemas serão resolvidos e não através de bombas ou do derramamento de sangue de soldados.
Para chegar a essa conclusão, os analistas se baseiam na origem da crise atual. É importante saber que foi em 8 de abril que ela se intensificou quando a Coreia do Norte falhou no teste de um míssil.
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, decidiu, então, enviar para a Península da Coreia o porta-aviões USS Carl Vinson e um grupo tático, armas que ele considerou publicamente como sendo extremamente poderosas. A Coreia do Norte contra-atacou e exibiu o seu arsenal militar, enquanto que o mesmo tempo fez um novo teste de mísseis, dessa vez de médio alcance, que também falhou quando o míssil explodiu logo depois de ter sido lançado.
Depois disso, Mike Pence, o vice-presidente dos Estados Unidos, disse publicamente que a paciência dos americanos para com a Coreia tinha terminado. Os norte-coreanos ameaçaram dizendo que se os Estados Unidos planejam um ataque militar, eles poderão reagir atacando a maior economia do mundo com dispositivos nucleares.
Para Bates Gill, especialista em relações entre os Estados Unidos e a Ásia, a tensão que se está vivendo é a maior das últimas décadas. Ele afirma que nos últimos três anos a relação entre os dois países piorou muito devido ao desenvolvimento de armas nucleares por parte do país asiático. Porém, para resolver esse problema, é necessária uma abordagem diferente e urgente por parte de Donald Trump, defende Gill.
Já Robert Einhorn, especialista em política externa, afirmou que os dois países estão muito longe de um conflito nuclear e que tal não é preocupante. Na opinião dele, a situação parece muito pior do que realmente é devido às palavras do líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, e que essas ameaças só são feitas por ele porque são consideradas garantias para que o seu regime consiga sobreviver.
Para os dois especialistas, é muito claro que esse conflito vai ser resolvido apenas com palavras. Os dois países podem continuar a apresentar armamento, mas no final não irá assistir qualquer ataque, uma vez que nem um, nem o outro tem interesse em que isso aconteça.

Fonte: Blasting News

Após ser indiciado, Victor volta ao palco com Leo em São Paulo


Quase três semanas depois de ser indiciado pela pela Polícia Civil de Minas Gerais, Victor Chaves voltou aos palcos neste sábado (22) para um show ao lado do irmão Léo no Espaço das Américas, em São Paulo. Victor, que estava sem aliança, é suspeito de agredir a mulher, Poliana Bagatini Chaves, 29, que está grávida.
Na primeira fila do show, estavam a artista plástica Bia Dória, a empresária Zilú Godói e Tatiana Chaves, mulher de Léo, com quem tem três filhos. Também estiveram presentes alguns dos cantores mirins que participantes do programa "The Voice Kids", da Globo, onde Victor e Léo foram jurados.

O caso
Victor recentemente se tornou réu em processo que investiga possível agressão a sua mulher, Poliana Bagatini. Grávida do segundo filho com o cantor, ela prestou queixa em fevereiro, alegando que o marido a tinha agredido no condomínio onde moram em Belo Horizonte.
Em depoimento, o cantor negou a agressão, mas foi indiciado pela Polícia Civil de Minas Gerais por "vias de fato" (agressão sem deixar lesões aparentes), o que pode render-lhe, caso seja condenado, entre 15 dias e três meses de prisão.

Fonte: UOL

Jerry Adriani morre aos 70 anos no Rio


O cantor Jerry Adriani, ídolo da Jovem Guarda, morreu às 15h30 deste domingo (23), aos 70 anos, no Rio. Ele enfrentava um câncer e estava internado no Hospital Vitória, na Barra da Tijuca, Zona Oeste.
A família confirmou a morte do artista ao G1, mas ainda não deu informações sobre horário e local do velório e do enterro. Recentemente, Jerry Adrini havia sofrido uma trombose em uma das pernas.
Ícone da Jovem Guarda, Jair Alves de Souza nasceu em 29 do janeiro de 1947, no bairro do Brás, em São Paulo.
Adotou o nome artístico de Jerry Adriani quando começou sua carreira como cantor, em 1964. O primeiro disco foi "Italianíssimo", quando cantava músicas em italiano, algo que seguiu fazendo em toda a carreira.
Em 1965, o cantor passou a gravar em português, com músicas reunidas no disco "Um grande amor".

Carreira na TV e no cinema
Também na década de 1960, Jerry virou apresentador do programa “Excelsior a Go Go”, da TV Excelsior. O programa coapresentado por Luiz Aguiar era um musical com apresentações de artistas como Os Vips, Os Incríveis e Cidinha Santos.
Outro programa musical que ele comandou foi "A grande parada", no ar pela TV Tupi em 1967 e 1968. Ele era um dos apresentadores ao lado de Neyde Aparecida, Zélia Hoffmann, Betty Faria e Marilia Pera.
Além da TV, Jerry se aventurou pelo cinema. Ele cantou e atuou em “Essa gatinha a minha” (com Peri Ribeiro e Anik Malvil); “Jerry, A grande parada”; e “Jerry em busca do tesouro” (com Neyde Aparecida e os Pequenos Cantores da Guanabara).

Jerry Adriani e a banda Restart no Som Brasil de 2012
Parceria com Raul Seixas
Jerry Adriani também aproveitou de sua fama para dar apoio a novos artistas. Ele, por exemplo, foi um dos primeiros a incentivar um então pouco conhecido Raul Seixas.
Raulzito e os Panteras atuaram como banda de apoio de Jerry por três anos. O cantor gravou músicas de Raul (”Tudo que é bom dura pouco”, “Tarde demais” e “Doce doce amor”) e foi produzido pelo maluco beleza entre 1969 e 1971.
Depois da TV e do cinema, Jerry tentou a sorte no teatro. Em 1975, participou do musical “Brazilian Follies”, tendo ficado um ano e meio em cartaz.
Após essa experiência, ele seguiu fazendo shows e gravando discos. Em 1985, lançou "Tempos Felizes", com regravações dos tempos de Jovem Guarda.
No inicio da década de 1990, Jerry se dedicou a um disco sobre as origens do rock, com o nome "Elvis Vive". Em 1994, participou da novela “74.5 uma onda no ar”, exibida pela TV Manchete. Um ano depois, fez shows para comemorar os 30 anos da Jovem Gurda e participou como convidado especial de uma coletânea do estilo.
Em 1996, voltou à música italiana, com o disco CD “IO”. Em 1997, teve duas músicas em trilhas de novelas da Globo. "Engenho" fez parte da trilha de "A indomada", e “Con te partiró", dueto com a italiana Mafalda Minnozzi, foi parar na trilha de "Zazá".

Versões de Legião Urbana
Também na década de 1990, saiu o disco "Forza Sempre" (1999). O trabalho tinha apenas músicas da Legião Urbana regravadas em italiano.
Foi um dos maiores sucessos da carreira de Jerry Adriani desde os tempos da Jovem Guarda. De acordo com o site oficial do cantor, bateu a marca de 200 mil cópias. De quebra, "Santa Luccia Luntana" foi bastante tocada na novela "Terra Nostra".
O primeiro DVD da carreira foi gravado em 2007, no Canecão, no Rio. “Jerry Adriani Acústico Ao Vivo” trouxe sucessos e inéditas em formato acústico. Em 2011, lançou o CD “Pop, Jerry & Rock”, incluindo homenagem para Raul Seixas e Tim Maia na música “2012”. A ideia de cantar outros ícones da músicas brasileira e do rock rendeu ainda o show “Jerry toca Raul & Elvis”.
Em 2014, Jerry Adriani completou 50 anos de carreira. Ele seguia em turnê pelo Brasil.

Jerry Adriani mandou recado para os fãs quando se internou