quarta-feira, 14 de junho de 2017

#CenasInesquecíveis - No final de Páginas da Vida, Marta enlouquece e só não se mata porque a filha interviu


Páginas da Vida foi o último sucesso de Manoel Carlos na TV. Transmitida entre julho de 2006 e março de 2007, a novela é mais uma obra que merece reprise, não só pela pontuação de 47 pontos de média geral, quando a meta era 45.
Abaixo, está uma das cenas mais marcantes da novela, quando Marta, uma das vilãs, enlouquece depois de tanta maldade, fica sozinha e quase se joga do prédio de onde mora, mas é salva pela filha, Fernanda (Fernanda Vasconcellos), que morreu no início da novela, atropelada por um ônibus, quando estava grávida dos gêmeos Francisco (Gabriel Kaufman) e Clara (Joana Mocarzel), sendo esta portadora da síndrome de down. Mesmo em espírito, Nanda consegue tirar a mãe da varanda e a impede de cometer suicídio.

Lídia Brondi reaparece em foto postada por atriz na web

Muita gente quer saber por onde anda a estrela Lídia Brondi. Ela se afastou da TV em 1991, e da vida artística no todo em 1992, decidida a cursar carreira em psicologia. Hoje tem um consultório em São Paulo e não deseja voltar a atuar. Lídia reapareceu em uma foto postada pela atriz Thais Delgado. As duas se encontraram na mesma cidade, e Thais não escondeu sua emoção.


Lídia Brondi largou sua carreira de atriz com o fim da peça Parsifal, em 1992, e desde então, suas aparições ficaram cada vez mais raras. Até hoje, ela continua com fãs por todo o país, que se lembram muito de sucessos como Dancin' Days (1978), Baila Comigo (1981), Transas e Caretas (1984), Vale Tudo (1988) e Tieta (1989) - esta última está no ar no Canal Viva desde maio, às 15h30.
A última novela da atriz foi o também sucesso Meu Bem, Meu Mal (1990). Ela é casada com o ator Cássio Gabus Mendes, que conheceu durante as gravações de Vale Tudo. Lídia tem 56 anos.

Quem é o único brasileiro na lista das 100 celebridades mais bem pagas do mundo


O atacante Neymar é o único brasileiro a figurar entre as cem celebridades mais bem pagas do mundo, de acordo com uma lista divulgada nesta segunda-feira (12) pela revista Forbes.
O jogador do Barcelona aparece em 71º lugar, com uma renda de US$ 37 milhões (R$ 121 milhões) acumulada em 2017.
Ele divide a posição com outras quatro celebridades que receberam o mesmo montante no ano passado: o ator Salman Khan, o apresentador Bill O'Reilly e os cantores Ed Sheeran e Dolly Parton.
Em 2016, Neymar aparecia em 72º com US$ 37,5 milhões (R$ 123 milhões), junto ao tenista Rafael Nadal e ao também jogador de futebol Zlatan Ibrahimovic.
No ano passado, a modelo Gisele Bundchen foi outra brasileira a aparecer na lista, em 99º lugar, com US$ 30,5 milhões (R$ 100 milhões). Neste ano, porém, ela não está entre os mais bem pagos.
Na lista de 2017, Neymar ainda fica abaixo de outras estrelas do futebol, como o português Cristiano Ronaldo, em 5º lugar com US$ 93 milhões (R$ 305 milhões), e o argentino Lionel Messi, o 14º, com US$ 80 milhões (R$ 262 milhões).

Sean Combs lidera a lista!
No topo do ranking deste ano está o produtor musical americano Sean Combs, também conhecido como Diddy, com uma renda de US$ 130 milhões (R$ 427 milhões) acumulada no ano.
Ganhador do Grammy, Combs era mais conhecido pela venda de álbuns como No Way Out e Forever. Mas o lado empreendedor do músico o levou a saltar da 22ª posição para a liderança em um ano.
O sucesso de 2017 ocorre graças a um acordo de marketing com uma marca de vodca, vendas de sua linha de roupas Sean John e do sucesso de sua turnê americana com nomes do hip hop.
Em segundo aparece a cantora Beyoncé (US$ 150 milhões; R$ 492 milhões) e, logo em seguida, a escritora da saga Harry Potter, J.K. Rowling (US$ 95 milhões; R$ 312 milhões).
No total, porém, as mulheres representam apenas 16% das celebridades mais bem pagas.
Beyoncé estava apenas na 34ª posição no ano passado. A evolução se deve em muito por causa dos lucros da sua turnê "Formation" e de seu mais recente álbum, Lemonade, aclamado pela crítica. Seu marido, Jay-Z, ficou no 55º lugar.
Já JK Rowling volta ao círculo dos cem mais bem pagos por causa da publicação, em duas partes, da peça de teatro Harry Potter e a Criança Amaldiçoada e pela divulgação de mais um desdobramento da saga de Potter, Animais Fantásticos e Onde Habitam.
Novatos na lista incluem Kylie Jenner, em 59º lugar, a mais nova na lista. A fortuna da jovem de 19 anos vem do reality show de TV Keeping Up With the Kardashians, além de sua linha de cosméticos e de roupas.
Entre o top 10, metade é de músicos e dois são atletas.
A partir do quarto lugar, são eles: o rapper Drake (US$ 94 milhões, ou R$ 308 milhões), Cristiano Ronaldo, o cantor Abel Makkonen Tesfaye, conhecido como The Weeknd (US$ 92 milhões, ou R$ 302 milhões), o radialista americano Howard Stern (US$ 90 milhões, ou R$ 295 milhões), a banda Coldplay (US$ 88 milhões, ou R$ 289 milhões), o autor James Patterson (US$ 87 milhões, ou R$ 289 milhões), e, finalmente, o jogador de basquete LeBron James (US$ 86 milhões, ou R$ 289 milhões).

Beyoncé está no segundo lugar da lista da Forbes

Na novela ‘Novo Mundo’, o vilão Thomas ameaça Anna


No capítulo desta quinta-feira em “Novo mundo”, Thomas (Gabriel Braga Nunes) tira a sua máscara de bonzinho e revela quem exatamente é para Anna (Isabelle Drummond). Após voltar a flagrar a esposa aos beijos com Joaquim (Chay Suede), o vilão tem uma conversa franca e ameaçadora com a esposa.
“Quero falar sobre o que aconteceu hoje. Sei que você e Joaquim se encontraram, no Paço”, diz o crápula. A amiga de Leopoldina (Letícia Colin) se assusta diante das palavras do marido. “O quê?! Não! Você estava lá...”, diz, apavorada. “Exatamente! Sei que se tocam, se beijam... Eu estava lá, e vi que minha esposa é uma adúltera! Você e seu amante, estão juntos, me investigando, não é isso?!”, questiona o oficial da marinha inglesa.

Joaquim e Anna
Sem fazer mais esforço para esconder sua verdadeira personalidade, Thomas conta para Anna que tentou matar Joaquim.
“Fiz de tudo para tirar Joaquim de nossas vidas, o deixei para trás, na Ilha da Madeira,atirei nele, quando caiu no mar, lembra?! Agora, atirei de novo. Mas ele insiste em continuar vivo. Sujeito teimoso. O que vê nele, Anna? Fiz tudo, tudo para que me amasse! Tudo para te conquistar! E só recebi ingratidão! Indiferença! Traição! Dizer para um homem que espera um filho dele, quando o verdadeiro pai é outro, é abominável! E agora, pelo bem de sua filha, da bastardinha, que está lá em cima, é bom que obedeça as minhas ordens! Senão, nem sei o que posso fazer com você. Ou com ela”, ameaça.

As ameaças de Thomas não cessam.
“Por causa de sua mentira, registrei a menina em meu nome. Ela é minha! Você também é minha! E vou fazer questão de te lembrar isso a cada minuto de sua vida! A partir de agora, Anna, as coisas vão mudar! Você está nas minhas mãos!”, afirma.

Fonte: Extra

Único vídeo conhecido de luta real de Bruce Lee é postado no YouTube e impressiona


O canal do Youtube Beerdy: Bruce Lee Central publicou a única gravação conhecida de uma luta de verdade de Bruce Lee. Famoso por seus golpes de kung fu no cinema, Bruce Lee também era um professor respeitado de artes marciais e a gravação restaurada registra uma luta com um aluno.
“Esta é a unica gravação de Bruce Lee em uma verdadeira luta de MMA. Aqui ele luta contra Ted Wong, um de seus principais alunos”, diz a descrição do vídeo.
O astro de “O Vôo do Dragão” (1972) e “Operação Dragão” (1973) é o que usa a proteção mais clara e impressiona pela facilidade com que acerta e derruba seu adversário repetidas vezes.
Em três dias, o vídeo atingiu mais de 12 milhões de visualizações e acumulou centenas de comentários. Alguns minimizaram o feito, dizendo que hoje em dia ele seria derrotado por campeões do UFC. “Isso é inveja. Ele foi o mais rápido lutador de artes marciais e é famoso também por sua revolucionária interpretação das lutas”, escreveu um fã.
Lee morreu muito jovem, aos 32 anos depois de sofrer um edema cerebral em 1973, no auge de sua carreira.
Atualização: o espólio de Bruce Lee revindicou direitos sobre o vídeo e o tirou do ar.

Fonte: Pipoca Moderna

Débora Nascimento se emociona ao falar de anorexia: "uma amiga minha faleceu"

A segunda temporada de Vai Fernandinha promete fortes emoções! Fernanda Souza não conteve as lágrimas no programa que vai ao ar na próxima sexta-feira, dia 16. A entrevistada, Débora Nascimento, iniciou um desabafo tocante quando questionada sobre as dificuldades de seu período como modelo, antes mesmo de investir na atuação:
- Passei muito perrengue... Eu lembro que teve um jantar e eles já tinham falado Você tem que emagrecer, porque o seu quadril é 91, não está rolando. Eu lembro que me enchi de água e fui comendo bem devargazinho, porque eu estava morrendo de fome, mas não podia comer. Ai chegou a sobremesa e e eu queria uma colherada apenas, eu peguei a colher. Isso entre trinta meninas lindas, magras e promissoras. Eu peguei a colher e veio o moço da agência, tirou a colher da minha mão, tirou o prato da minha frente, na frente de todo mundo. Hoje, eu sei o quanto foi escroto, por isso que eu comecei a desmaiar, a ficar sem comer e minha mãe me salvou quando viu que eu já estava definhando. Ela falou Opa, o que está acontecendo? Foi quando ela me salvou da anorexia.

Mas nem todo mundo tem a mesma chance. Já emocionada, a atriz continuou a ilustrar como a saúde é colocada em risco pelo padrão de beleza e até revelou que perdeu uma amiga para a anorexia.
- Tem menina que engole algodão, menina que toma detergente... Uma amiga minha faleceu de anorexia. Eu lembro que eu a encontrei e falei Nossa, como você emagreceu. Eu estava na época modelando também. Gente, você está magra, como você fez? O assunto era esse, sempre este: O que você está fazendo? E ai ela falou: Cara, fiquei meio mal, mas minha mãe está me ajudando, agora eu já estou bem. Mas como você conseguiu? A pergunta era como ficar anoréxica, porque era um jeito de você se dar bem. E ela falava: Quanto mais magra eu fui ficando, mais rica eu fui ficando, mais conhecida, mais foco eu fui tendo. É um ciclo vicioso, entende? Depois eu vi que ela faleceu, foi notícia e tudo, porque é muito difícil gente!

Fernandinha não conteve as lágrimas e muito menos sua indignação com uma indústria que dita padrões tão irreais:
- Quando é que eles vão parar Débora? Está chato. As pessoas estão perdendo a noção. Você viveu isso, você foi uma menina que foi induzida a perder essa noção. Ok, fica mais bonito no corpo da mulher mais magra, mas porque as roupas não podem ser maiores então? Por que a roupa só pode ficar bonita naquela mulher que é um pau?

Débora conclui com a importância de mulheres como as duas servirem de referência para as adolescentes, mostrando suas falhas e defeitos:
- Por mais que o caminho seja mais fácil, eu não vou me drogar para ter o corpo perfeito. Eu vou falar: Gente, tenho celulite sim, se tiver uma adolescente que olhe para mim e fale: Poxa, é isso ai, ufa, posso ter o meu cabelo cacheado, o frizz, posso ter meu quadril, minha bochecha, minha celulite, eu posso. Uma que eu possa ser essa referência, valeu.

Fonte: Folha Vitória

‘A Força do Querer’ faz sucesso na cadeia


Conhecida no mundo do crime carioca como Bibi Perigosa ou ex-baronesa do pó, Fabiana Escobar vem desfrutando de uma fama que, ela não esconde, adora. Na trama global das 9, a personagem de Juliana Paes é inspirada em Bibi, que contou toda a sua trajetória no submundo do Rio de Janeiro, como esposa de um dos chefões do tráfico de drogas na favela da Rocinha, em um livro (sim, ela escreveu um). O ex-marido, Saulo de Sá Silva, o Pinga, está preso desde 2008 no Complexo de Bangu. E todo mundo pergunta a Bibi se a história da TV é mesmo como a dela.
“A cadeia inteira assiste, são todos noveleiros. Depois as mulheres dos presos, a mando dos maridos, me procuram no Facebook pedindo para contar o que vai acontecer no próximo capítulo “, diverte-se Bibi. Já Saulo não gosta que se fale da novela. Diz que não se interessa pela história. Mas que fique claro: a ex-primeira dama do crime da Rocinha nem de longe tem todas as respostas. A trama global não é completamente igual ao enredo da favela real.

Depois do capítulo de ontem (13), a Bibi da novela foi alçada aos assuntos mais comentados no Twitter. No episódio, a personagem de Juliana Paes decide ir até o chefe do tráfico do morro após saber que Rubinho sofrera ameaças de morte na cadeia. Nos próximos dias ela ficará cara a cara com Sabiá (Jonathan Azevedo), marginal que vai mexer os pauzinhos para garantir a segurança do comparsa na prisão. Tudo isso aconteceu de verdade, mas o Sabiá da vida real se chamava Erismar Rodrigues Moreira, o Bem-Te-Vi, traficante da Rocinha morto em confronto com policiais em 2005.
“Quando o Saulo foi preso, rodei morro atrás de morro até encontrar o Bem-Te-Vi. Ele me dava 250 reais por semana, que eu entregava para meu ex-marido na cadeia nos dias de visita. O dinheiro era para ele ter uma vida mais confortável lá dentro”, lembra Fabiana-Bibi.

A tirar pelos fatos reais da vida do casal Bibi e Saulo, o espectador pode esperar muito mais ação. Rubinho ainda vai fugir da prisão e será preso novamente em um apartamento de luxo — tudo ao lado da personagem de Juliana Paes, que se tornará uma bandida perigosa. Diz Bibi, que hoje se define “regenerada”: “O que vi até agora aconteceu mesmo, menos o romance dela com o Caio (Rodrigo Lombardi). Os Caios que conheci foram meio tortos, quem dera ter um Rodrigo Lombardi na minha vida.”

Fonte: Veja

TJ-BA julga inconstitucional lei que proíbe Uber em Salvador


Por 38 votos a favor contra 2, o Pleno do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) julgou, nesta quarta-feira, 14, inconstitucional a Lei Municipal 9.066/2016, que visava proibir o transporte remunerado de pessoas em veículos particulares, a exemplo da atividade praticada por motoristas do aplicativo Uber.
A derrota do Município foi protagonizada por uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) ajuizada pelo Ministério Público da Bahia, por considerar incompatível com a Constituição Federal a lei aprovada pela Câmara Municipal e sancionado pelo prefeito ACM Neto, em julho de 2016.
Conforme nota enviada pelo TJ-BA, o julgamento da ação teve segmento com o voto do desembargador José Olegário Caldas, que havia pedido vista no processo em abril passado. Caldas acompanhou o voto da relatora, a desembargadora Soraya Madillo Pinto.
Segundo o comunicado do TJ-BA, o entendimento de ambos desembargadores é de que “não cabe à prefeitura legislar em cima de matéria de responsabilidade da União sobre temas de transporte e mobilidade Urbana”.

Regulamentação
O desembargador avaliou que a lei municipal fere os princípios econômicos de livre iniciativa vigentes no país, informa o texto. Apesar do voto contrário à lei, o desembargador “reconheceu a necessidade de regulamentar a atividade, diante da concorrência predatória provocada pelo Uber”.
Titular da Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob), o secretário Fábio Mota informou que a Procuradoria Geral do Município deverá analisar a decisão do TJ-BA. “É a Procuradoria que irá definir qual será a estratégia a ser definida”, resumiu Mota.
De acordo com o secretário, o Município ainda aguarda o julgamento do recurso que proíbe a Transalvador de fiscalizar os motoristas do Uber. “Quanto a isso, a prefeitura recorreu contra o mandado de segurança ajuizado por um motorista do aplicativo, o qual aguardamos resposta”, disse.

Fonte: Portal A Tarde

Na França, Thaila Ayala ataca higiene: ‘As pessoas fedem muito’


A atriz Thaila Ayala chamou atenção nesta quarta-feira ao publicar vídeos em suas redes sociais criticando a higiene do povo francês. “É claro que deve ter suas exceções, como em qualquer lugar do mundo, mas sabe quando você, de quase vomitar, não consegue ficar dentro de uma loja de tanto ‘cecê’, senhor Jesus Cristo!?”, comentou.
Ela continuou o relato afirmando que precisou sair do estabelecimento por conta do forte odor: “Gente, é um cheiro… Tem duas lojas que me indicaram, não vou falar o nome, que eu tentei muito ver e não consegui. As pessoas fedem muito nessa França. Tô indo embora da loja triste. É muita gente fedida num cubículo tão pequeno. É muito fedor, tipo muito!”.
Em outro momento, ela falou a respeito do medo que sentiu enquanto tomava vinho e comia queijos em um parque da cidade: “A gente tá indo embora porque viu um cara escondendo uns negócios na terra, a gente se c*** de medo de ser esse negócio de bomba. Vi uma viatura da polícia e fui falar com eles. Vi um cara bem suspeito carregando umas garrafas e se escondendo atrás de uma árvore. Tinham vários policiais aqui em volta, quando os policiais saíram, ele seguiu em frente, abriu um buraco e ficou furando. Aí, abriu um negócio de ferro e enfiou as garrafas dentro e começou a falar no celular”.
“Entrei em pânico. Guardei todos os nossos queijos, vinhos e pães e falei: ‘Bom, vou sair daqui’. Quero dizer que posso estar completamente errada, pode ser qualquer coisa, mas enfim. Infelizmente, nessa onda de violência maluca, c*** de medo, mesmo”, concluiu.

Fonte: VEJA

Latam: fim dos lanches gratuitos e tarifa para despacho de bagagem

Acabaram os lanches, as bagagens gratuitas e a liberdade de escolher o assento nos voos da Latam. Pelo menos em parte das tarifas da companhia aérea. Este foi o anúncio que a empresa fez nesta manhã em uma coletiva para a imprensa brasileira. De acordo com o presidente da Latam Brasil, Jerome Cardier, as mudanças nos voos domésticos da empresa visam atender às múltiplas necessidades dos passageiros. Para a companhia, os usuários desejam atendimentos diferenciados durante a viagem e, para melhor experiência, a empresa aposta na segmentação dos serviços. Na ideologia da Latam, desagregar é a principal estratégia para que cada passageiro escolha pagar pelo que lhe é necessário.
Assim, conforme anúncio anterior em novembro do ano passado, os lanches serão suspensos do voo doméstico. De graça, apenas a água. Para os passageiros que desejarem comer a bordo, a companhia terá o Mercado Latam, com diversas opções a partir de R$ 4. No cardápio, a empresa afirmou que terá produtos frescos, como sanduíches, wraps e saladas, além de snacks doces e salgados, menu para crianças, e opções vegetarianas, veganas, kosher, para celíacos e intolerantes à lactose. Ao todo, serão 52 produtos disponíveis nos voos da Latam que poderão ser pagos em dinheiro ou no cartão.
O Brasil é o quinto país a receber as novas regras e estratégias da Latam, que começam a valer em um prazo de três semanas. Além dos voos domésticos nacionais, os da Colômbia, Peru, Chile e Argentina também já possuem o Mercado Latam à disposição dos passageiros. Em cada país, a companhia visa atender aos gostos locais. Por aqui, por exemplo, a Latam terá à disposição de seus clientes brigadeiro e bolo de banana.
Além das mudanças nos lanches, a Latam Brasil também anunciou que o despacho de bagagens será cobrado em duas das quatro tarifas da companhia. Se por um lado os valores das passagens serão mais baratos, por outro, caso necessário, as malas poderão sair bem salgadas. No momento da compra, o despacho de uma bagagem de até 23 kg sairá por R$ 30. Caso o passageiro desejar pagar posteriormente, o valor sobe para R$ 50. No entanto, se o serviço só for contratado no momento do embarque, no balcão de check-in, totem ou lojas do aeroporto, o investimento salta para R$ 80. Porém, este só será o caso dos passageiros que comprarem as tarifas Promo e Light, que terão preços menores. Para quem adquirir as opções Plus e Top, o despacho de uma bagagem de até 23 kg continuará gratuita.
Para completar o pacote de mudanças, que será implementado de forma gradativa até 2020, a Latam Brasil também anunciou que irá cobrar pela marcação de assentos previamente. Assim, a companhia, que hoje é a segunda maior em voos domésticos no país, busca otimizar seu atendimento e, consequentemente, aumentar o número de passageiros em seus aviões. De acordo com a Latam, com essas mudanças, que terão reflexos diretos no custo das passagens em até 20%, a empresa espera aumentar o fluxo de clientes em 50% até 2020.

Fonte: Jornal do Brasil

Verme enviado ao espaço desenvolve segunda cabeça


MEDFORD, Massachusetts — Um experimento com vermes platelmintos na Estação Espacial Internacional revelou uma possível consequência bizarra da microgravidade no processo de regeneração desse animal. Um dos exemplares enviados ao espaço desenvolveu uma segunda cabeça, em vez da cauda. E em testes realizados em terra, as duas cabeças desse espécime foram amputadas, e o fragmento do meio regenerou as duas cabeças, demonstrando que a modificação é permanente. Os resultados do estudo, realizado por pesquisadores do Centro de Descobertas Allen, da Universidade Tufts, em Medfor, Massachussets, foram publicados nesta terça-feira, no periódico “Regeneration”.
Os pesquisadores pretendiam determinar como a microgravidade e o campo geomagnético enfraquecido afetaria o crescimento e a regeneração dos platelmintos Dugesia japonica, e se as mudanças persistiriam após o retorno à Terra. Esses animais são usados frequentemente em estudos por sua habilidade de regenerar partes do corpo que são amputadas. O conhecimento sobre o comportamento deles no espaço pode ajudar na melhor compreensão de como as forças físicas influenciam o formato do corpo e a tomada de decisão das células.
— Durante a regeneração, o desenvolvimento e a supressão do câncer, o padrão corporal está sujeito à influência de forças físicas, como campos elétricos, campos magnéticos e outros fatores biofísicos — disse Michael Levin, professor de Biologia na Universidade Tufts e coautor da pesquisa. — Queremos aprender mais sobre como essas forças afetam a anatomia, o comportamento e a microbiologia.
Para isso, os pesquisadores lançaram um conjunto de platelmintos ao espaço no dia 10 de janeiro de 2015. Foram enviados vermes inteiros e amputados, selados em tubos preenchidos com ar e água, que ficaram a bordo da Estação Espacial Internacional por cinco semanas. Em terra, dois conjuntos de controle foram mantidos selados da mesma maneira, e mantidos no escuro a 20 graus Celsius pelo mesmo período.

DIFERENÇAS ENTRE OS VERMES ESPACIAIS E O CONTROLE
Após o retorno do espaço, os vermes foram analisados imediatamente e ao longo de 20 meses. Os pesquisadores identificaram uma série de diferenças entre os vermes espaciais e os terrestres, sendo a mais surpreendente a regeneração de uma segunda cabeça. Nos últimos cinco anos, os cientistas da Tufts manejaram mais de 15 mil platelmintos da espécie e nunca observaram o desenvolvimento espontâneo de uma segunda cabeça. O fato, entretanto, já foi observado com a exposição do animal a algumas substâncias, como à droga Praziquantel.
Outro fato observado foi que todos os animais enviados ao espaço apresentaram fissão espontânea, a divisão do corpo em dois ou mais indivíduos idênticos, o que não foi observado no grupo de controle em terra. Para os pesquisadores, isso pode ter sido causado pela diferença das temperaturas em Terra e no espaço.
Logo após o retorno à Terra, os platelmintos foram colocados em placas de petri com água fresca. Os que ficaram na Terra apresentaram comportamento normal, mas os vermes espaciais ficaram curvados, parcialmente paralisados e imóveis, e só retornaram ao normal após duas horas. O comportamento sugere que os vermes alteraram seu estado biológico para acomodar as mudanças ambientais no espaço, reagindo no retorno às condições normais.
A análise do microbioma da água onde os platelmintos foram mantidos revelou diferenças significativas nas comunidades de bactérias entre os dois grupos. Por isso, os pesquisadores determinaram que a exposição ao ambiente espacial induz diferenças no metabolismo e/ou na secreção dos vermes.
— Com a transição dos seres humanos para uma espécie espacial, é importante compreendermos o impacto das viagens espaciais sobre a saúde regenerativa por causa da medicina e o futuro das pesquisas em laboratórios espaciais — disse Junji Morokuma, pesquisador associado da Tufts e coautor da pesquisa.

Fonte: Globo

‘Não pude salvar vidas por ser gay’, diz jovem impedido de doar sangue


Impedido de doar sangue por ser homossexual, um auxiliar administrativo de São Carlos (SP) disse que se sentiu humilhado. No Dia Mundial do Doador de Sangue, lembrado nesta quarta-feira (14), Caio Roberto contou como a falta de informação afeta a população LGBT no país.
“Senti vergonha de chegar em casa e contar para os meus pais que eu não pude salvar vidas por ser gay”, desabafou o jovem de 21 anos.
No Brasil, homens que mantêm relações homoafetivas são impedidos de doar sangue se tiveram relações sexuais a menos de um ano por pertencerem a um grupo de risco, segundo a portaria 158/2016 do Ministério da Saúde.
As atuais regras brasileiras estão sendo questionadas pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB), no Supremo Tribunal Federal (STF).


Vergonha
Caio foi tentar doar sangue na semana passada. Ele contou que foi surpreendido pela atendente no decorrer da entrevista que faz parte do processo de triagem.
“Ela questionou se eu tinha namorada ou namorado. Como não tenho nada para esconder, respondi ‘namorado’. Ela parou de digitar e alegou que eu não poderia doar, pois quem pratica ato sexual com pessoas do mesmo sexo é considerado um risco”, contou ele.
O jovem disse que no momento ficou chateado, além de achar a orientação machista e homofóbica.



Desinformação
Roberto disse que não sabia que existia uma portaria que exclui homossexuais do grupo apto para doar sangue e que descobriu após publicar um relato na rede social sobre o que aconteceu.
“Uma menina que trabalha em um banco de sangue comentou no meu post e explicou que pessoas com relações homoafetivas teriam que ficar 12 meses sem ter relação sexual para conseguir doar. Para mim, está errado, héteros podem praticar os mesmos atos”, disse.

Para o jovem, a informação sobre doação de sangue de homossexuais deveria constar nas cartilhas e folhetos de orientações.
“Assim todas as pessoas ficariam sabendo e ficariam surpresas por ainda existirem esses atos horríveis e desta forma teríamos cada vez mais vontade e voz de lutar contra tudo isso”, declarou.


Preconceito velado
O advogado Guilherme Dias disse ao G1 que, além do possível doador ser prejudicado pela portaria, a coletividade também é afetada. “A falta de sangue nos bancos é uma realidade no Brasil. Quando você cerceia e exclui um grupo, você está impedindo que pessoas que necessitam de sangue o recebam. Tudo isso por uma simples orientação de gênero”, afirmou.
Dias também destacou que no momento da triagem o motivo da exclusão não fica explícito. “Eles fazem uma série de perguntas, questionam e simplesmente tiram a pessoa sem grande justificativa. Então, não há uma postura declarada, muito bem pontuada, que a gente consiga saber com facilidade. Isso acontece de maneira velada”, pontuou.
Para Dias, a medida é contraditória, uma vez que não é correto relacionar a homossexualidade com relacionamentos promíscuos. “A portaria cria uma diferenciação que não é real. Você não pode relacionar a orientação de alguém à possibilidade de ela contrair doenças”, disse.
O advogado também ressaltou que nos últimos anos a maioria de portadores do vírus da Aids é heterosexual, sendo grande parte mulheres (58, 2%).

Banco de Sangue
O diretor do banco de sangue de São Carlos, Marcus Bizarro, explicou que a cada bolsa de sangue coletada é possível salvar a vida de até 10 crianças ou três adultos. O custo para a manutenção do serviço como um todo varia de R$ 300 a R$ 500. Sobre a recomendação feita pelo Ministério da Saúde, o médico afirma que não concorda com a tese.
“Não há ciência envolvida neste aspecto. Os parâmetros que temos de controle prévio são a avaliação do comportamento e o exame que garante a segurança. A portaria é falha em vários sentidos, mesmo porque não dá pra saber se na entrevista o candidato está falando a verdade”, disse.
Bizarro acredita que a portaria, criada em fevereiro de 2016, não perdurará por muito tempo. “Nós vemos indícios de comportamento político nela. Se houver pressão da sociedade para pedir explicações e justificativas sobre, provavelmente cairá”, declarou.
Apesar de não concordar, o médico afirmou que a portaria é seguida de forma que possa garantir a regulamentação da Vigilância Sanitária. Entretanto, justifica que tem cuidado para não divulgar essa informação, pois pode ser interpretada como uma medida discriminatória.
“Acho que até demorou para a mídia saber da portaria. Porque está sendo problema para nós, que somos um serviço que depende do público, temos que zelar pela nossa imagem e não podemos, por outro lado, divulgar essa informação que parece muito controversa. E não podemos passar por autores dessa política discriminatória”, concluiu.

Fonte: G1

'O amor da minha vida tem Down': mulher relata rotina de preconceito com o marido


“Tá perfeito. A gorda com o Down”. Segundo Cássia, de 32 anos, tá mesmo: a frase, dita com a intenção de ofender, já não gera mais o mesmo sofrimento de quando foi escutada pela primeira vez. Desde que a cabeleireira começou a circular com Rodrigo Torres, há quatro anos e nove meses, o repertório de absurdos relacionados à aparência do casal variou. No começo, as pessoas falavam apenas da Síndrome de Down dele. Com o tempo, ela ganhou 25 kg por problemas de saúde, e passou a se tornar alvo de ofensas também, numa dolorosa rotina de preconceitos.


Rodrigo, de 35 anos, é descrito pela amada como responsável e de bem com a vida. É ele, inclusive, quem acalma a mulher diante das corriqueiras atitudes preconceituosas. “Parece que somos dois aliens”, diz ela, rindo ao telefone durante a entrevista ao mencionar o quanto os dois chamam atenção na rua. Mas, quando Cássia se torna alvo de bullying, a tranquilidade parece abandonar o mensageiro de hotel:
— Uma vez estávamos na praia e alguém me chamou de baleia. Ele queria responder, mas eu o convenci a deixar para lá. São pessoas pobres de espírito — diz a cabeleireira, que decidiu contar sua história de amor depois de ver um vídeo na página do EXTRA que conta a história de Thaís Carla e Israel, hostilizados por conta de suas diferenças físicas.



Cássia não tem a menor dúvida de que está diante de um relacionamento especial. "Ele é o amor da minha vida", garante. Por telefone, era possível ouvir a voz embargada ao falar de Rodrigo, a calmaria que encontrou depois de um primeiro casamento repleto de abusos físicos e emocionais.

— Às vezes ele me pergunta o que vi nele. Hoje posso dizer que vi um homem incrível, que não ficou escondido pela Síndrome de Down. As pessoas, infelizmente, ficam com medo da diferença e não percebem o que percebo. Fazem cara de nojo, fazem comentários malvados sobre a gente. Mas não tem problema — completa.


Rotina de preconceito
Uma vez, no ônibus, Rodrigo teve problemas para passar o cartão. “Anda logo, retardado”, ouviu. Cássia estava com ele, e não era sua irmã ou cuidadora, como a maioria das pessoas supõe quando se depara com o casal. E, na qualidade de alma gêmea dele, não deixaria o desaforo barato. Furiosa, obrigou a mulher a descer do ônibus.
Rodrigo, que já sofreu mais com o preconceito, está acostumado a apaziguar esse tipo de situação. E, justamente por saber da reação das pessoas, demorou a revelar que tinha Down quando começaram a namorar. Só tocou no assunto três meses depois de começarem a se ver, quando os dois já estavam prestes a namorar. “Acho que você vai me deixar depois que te contar”, disse, nervoso. Mas Cássia já havia notado pela fala e características do corpo dele desde a primeira vez que o vira numa boate em Praia Grande, em São Paulo, onde vivem. De aliança de compromisso no dedo, era a hora de enfrentar as famílias.


— Tivemos muito problema com parentes, tanto de um quanto de outro. Achavam que eu queria alguma coisa dele, que nosso amor era impossível. Estamos juntos há quase 5 anos, mas só agora as pessoas estão começando a aceitar. É amor de verdade — contou.

Enquanto correm os trâmites que darão aos dois a certidão de casamento, o casal sonha com uma criança — sem se importar se ela trará ou não a herança genética mais tão temida por Rodrigo.
— Não me importa como virá nosso filho. Acho que um casal que tem uma criança com Down é abençoado por Deus. Se o meu vier, vou encarar como um presente. Também pensamos em adotar, porque tenho problemas para engravidar, e Rodrigo teve essa ideia. Como será o bebê não importa. Temos muito amor para dar — completa.

Fonte: Extra

Jornalista Jorge Bastos Moreno morre aos 63 anos, no Rio

O jornalista Jorge Bastos Moreno, repórter e colunista político do jornal O Globo, morreu na madrugada de hoje (14), aos 63 anos, no Rio de Janeiro. Segundo O Globo, jornal onde trabalhou por 35 anos, ele sofreu um edema agudo de pulmão, decorrente de complicações cardiovasculares, por volta da 1h desta quarta-feira.
Moreno foi o primeiro jornalista a noticiar a escolha do general João Baptista Figueiredo como sucessor do também general Ernesto Geisel na Presidência da República, quando ainda era repórter do Jornal de Brasília.


Ele também teve papel importante com a publicação de informações em 1992 que levaram ao impeachment do então presidente Fernando Collor. Conquistou o Prêmio Esso de Informação Econômica de 1999 com a notícia da queda do então presidente do Banco Central, Gustavo Franco.
Desde o fim da década de 90, mantinha uma coluna política em O Globo e, desde março deste ano, apresentava um programa de entrevistas na rádio CBN.

Fonte: Jornal do Brasil