segunda-feira, 11 de setembro de 2017

'Estou em paz', diz Camila Pitanga um ano após morte de Montagner


No dia 15 de setembro, completa-se o ano do afogamento do ator Domingos Montagner, que morreu no rio São Francisco. A atriz Camila Pitanga, que estava com o colega mas sobreviveu, ainda prefere evitar o assunto, mas diz que está "em paz". 
“Estou bem. Precisei descansar as ideias, dormir com a minha família e estar mais próxima das minhas coisinhas. Tem sido um período necessário e eu precisava de um ano sabático depois de tudo que aconteceu. Foi duro, mas agora estou em paz", disse Pitanga ao Uol.
A atriz ainda não tem data de retorno para a televisão, embora admita que tem alguns projetos em andamento. Na terça-feira passada, ela esteve no Teatro Municipal do Rio para o 16º Prêmio Brasileiro de CInema, que homenageou o pai, Antonio Pitanga. Ela aproveitou para dizer que hoje em dia se sente melhor do que quando tinha 20 anos.
“Fiz 40 agora [em 14 de junho] e me sinto melhor. Sou mais estável e menos volátil e espero mais as coisas acontecerem, deixo o fluxo correr naturalmente. Não que eu não lute pelo que eu quero, mas as minhas expectativas estão mais as coisas acontecerem, deixo o fluxo correr naturalmente. Não que eu não lute pelo que eu quero, mas as minhas expectativas estão mais acalmadas".

Fonte: Correio da Bahia

Fumar muda células pulmonares, preparando-as para desenvolver câncer


A exposição crônica à fumaça de cigarro pode mudar as células dos pulmões ao longo do tempo, tornando-as mais vulneráveis a doenças e preparando-as para desenvolver câncer, segundo uma pesquisa divulgada nesta segunda-feira (11/9).
O artigo publicado pela revista especializada Cancer Cell é baseado em experimentos de laboratório com células pulmonares que foram expostas de forma crônica à fumaça de cigarro, o equivalente a pessoas que fumaram de 20 a 30 anos.
Depois de 10 dias, as células começam a mudar sua expressão genética, um processo conhecido como mudança epigenética. Mas demorou dez meses para que essas mudanças fossem suficientes para aumentar as possibilidades de desenvolver câncer.
"Quando você está fumando, cria um substrato de mudanças epigenéticas que hipoteticamente aumenta suas possibilidades para desenvolver câncer de pulmão", disse o coautor do estudo Stephen Baylin, codiretor do programa Cancer Biology da Universidade Johns Hopkins. "Se você não é fumante, seu risco de câncer de pulmão é muito baixo", disse o acadêmico.
Estas anomalias epigênicas desativam uma série de genes que são necessários para ajudar a proteger as células normais do desenvolvimento do câncer. O fato de que as mudanças epigenéticas não alterem ou mutem a sequência dos genes do DNA básico sugere que há esperança para as pessoas que querem parar de fumar.
"Este trabalho sugere a possibilidade de que, diferentemente das mutações, que são muito difíceis de reverter, se você parar de fumar em certo momento e por determinado tempo, você tem chance de diminuir matematicamente as suas possibilidades de que ocorram mudanças epigenéticas", disse Michelle Vaz, coautora do estudo e pesquisadora da Escola de Medicina da Universidade Johns Hopkins. 
"A hipótese é que há potencialmente mudanças reversíveis que estão contribuindo para o desenvolvimento de certo tipo de cânceres de pulmão", indicou.

Fonte: Diário de Pernambuco

Tempo excessivo de sedentarismo está associado a maior risco de morte


RIO – Que o sedentarismo faz mal para a saúde não é uma novidade para praticamente mais ninguém, mas um novo estudo indica que, além do tempo total de inatividade, a forma como ele se acumula ao longo do dia, isto é, se em pequenos períodos entrecortados ou longos estirões sem fazer nada, pode alterar significativamente o risco de morte de uma pessoa independente de outros fatores como idade, gênero, etnia, sobrepeso ou obesidade e até se costuma praticar exercícios. Diante disso, os pesquisadores sugerem que se movimentar a cada 30 minutos, nem que seja minimamente, como levantar para pegar um copo d’água, pode ajudar a mitigar ao menos um pouco os efeitos negativos do sedentarismo.
- Tendemos a pensar no comportamento sedentário como simplesmente a quantidade de tempo que ficamos parados sem fazer nada todos os dias – justifica Keith Diaz, pesquisador do Departamento de Medicina do Centro Médico da Universidade Colúmbia, em Nova York, e líder do estudo, publicado nesta segunda-feira no periódico científico “Annals of Internal Medicine”. - Mas estudos anteriores já sugeriam que os padrões de sedentarismo, se um indivíduo acumula seu tempo sedentário em diversos períodos curtos ou longos períodos de tempo, podiam também ter um impacto na sua saúde.

Assim, no novo estudo, os cientistas analisaram dados de quase 8 mil americanos negros e brancos, de ambos sexos e com mais de 45 anos participantes de um amplo levantamento, ainda em curso, sobre fatores de risco para derrames nos EUA, intitulado Regards (sigla em inglês para “razões para as diferenças regionais e raciais em derrames”, numa tradução livre). Mas à diferença de quase todas outras pesquisas sobre o sedentarismo e suas consequências feitas até agora, em que as informações sobre as atividades físicas diárias são provenientes de relatos dos próprios voluntários, e por isso mais sujeitas e erros, todos participantes do Regards que tiveram os dados analisados no novo estudo usaram um acelerômetro – aparelho que mede a aceleração e vibração de alguma coisa, e por isso usado para detectar sua movimentação – preso à cintura por pelo menos quatro dias mais de dez horas diárias, fornecendo uma rara medida objetiva dos seus níveis de atividade.
Os cientistas dividiram então estes quase 8 mil voluntários em quatro grupos de acordo com dois parâmetros básicos: tempo total de comportamento sedentário ao longo do dia; e duração média dos períodos de inatividade como contribuição para este tempo total. Disto resultaram também quatro grupos gerais: pessoas menos sedentárias que acumulavam o tempo paradas em períodos curtos; pessoas menos sedentárias que acumulavam o tempo paradas em períodos mais longos; pessoas mais sedentárias que acumulavam o tempo paradas em períodos curtos; e pessoas mais sedentárias que acumulavam o tempo paradas em períodos mais longos.
Todos participantes também foram acompanhados ao menos mais quatro anos após usarem o acelerômetro, ao fim dos quais 340 haviam morrido de qualquer causa. Cruzando esta informação com a classificação dos grupos e usando diversas ferramentas estatísticas para excluir outros fatores de risco, os cientistas verificaram que as pessoas mais sedentárias que acumulavam o tempo paradas em períodos mais longos tinham mais do dobro do risco de morrerem do que as do grupo de referência, as menos sedentárias que acumulavam o tempo paradas em períodos curtos. Além disso, eles observaram que os participantes incluídos no subgrupo de períodos mais curtos de sedentarismo, menos de 30 minutos, apresentavam um risco menor de morte no geral, daí a recomendação de fazer intervalos para se movimentar a cada meia hora.
- Então, se você tem um emprego ou estilo de vida em que tem ou fica sentado por prolongados períodos de tempo, sugerimos que faça um intervalo para se mexer a cada meia hora – conclui Diaz. - Esta é uma mudança comportamental que pode reduzir seu risco de morrer, embora ainda não saibamos precisamente o quanto de atividade seria o melhor para isso.

Consultados pelo GLOBO, especialistas afirmaram que o novo estudo vem se somar às evidências de que o sedentarismo é hoje um dos principais fatores de risco para a saúde da população mundial, ao lado do tabagismo, obesidade e estresse, com o diferencial de indicar que além do tempo total parado deve-se avaliar como este sedentarismo se dá. E que, diante disso, é preciso implementar com urgência políticas de saúde pública de combate ao sedentarismo, nos moldes das campanhas contra o fumo e iniciativas dietárias como a redução dos teores de sódio, açúcar, gorduras etc em produtos alimentícios, por exemplo.
- Só desde a década de 1980 deixamos de fazer de 60% a 70% dos movimentos que fazíamos todos os dias – lembra o preparador físico Marcio Atalla. - O ser humano sempre se movimentou por necessidade, mas agora vivemos uma época em que pela primeira vez não é preciso se mexer muito para a sobrevivência e nosso corpo não está preparado para passar tanto tempo parado.

Segundo Atalla, dados dos últimos dez anos do Brasil mostram que aumentou o consumo de frutas, legumes e verduras dos brasileiros, ao mesmo tempo em que diminuiu a ingestão de refrigerantes, sal e alimentos mais gordurosos. Ainda assim, aponta, as taxas de sobrepeso e obesidade subiram 70% no período no país.
- Assim, se as políticas de saúde pública não passarem pelo combate ao sedentarismo, esta conta não vai fechar – destaca. - Não digo que a alimentação não é importante, mas precisamos tornar a movimentação mais natural. Antes as pessoas se mexiam mais sem pensar, e o ideal é que elas voltem a fazer isso.

Opinião parecida tem o cardiologista Claudio Gil Araújo, diretor de pesquisas da Clínica de Medicina do Exercício (Clinimex), que elogiou a robustez e sofisticação da análise estatística feita pelo estudo, já que, não por acaso, os grupos de pessoas mais sedentárias também concentrava as com outros fatores importantes de risco de morte, como obesidade, tabagismo e pouca adesão à prática de exercícios.
- Este estudo comprova que nossa máquina foi feita para estar fisicamente ativa, que temos que estar sempre fazendo alguma coisa – diz. - As pessoas precisam reincorporar os hábitos de nossos antepassados. Afinal, os seres humanos viveram muitos milhares de anos sem carro, controle remoto, computador e celular.

Fonte: O Globo

Jim Carrey dá estranha entrevista: ‘Eu não existo’


Era pra ter sido uma entrevista protocolar no tapete vermelho da Semana de Moda de Nova York, mas Jim Carrey não quis assim. Questionado por uma repórter do canal E! sobre o significado do evento, do qual era um dos convidados, o ator respondeu: “Isto aqui não tem sentido nenhum. Eu queria achar a coisa mais sem sentido à qual pudesse ir, e aqui estou.”
A repórter, surpresa com as respostas, tentou abafar a reação do canadense pontuando que a ocasião celebraria ícones, incluído o próprio ator. Mas ele não alterou o tom de crítica, dizendo que essa era a “intenção mais baixa” para justificar o evento. “Não acredito em personalidades, nem que você existe. (…) Acredito que estamos em um campo de energia que dança por si só e eu não dou a mínima para isso.”
A repórter então provocou, dizendo que para quem não acreditava em nada daquilo, ele tinha se arrumado com cuidado para o evento. “Eu não me arrumei. Eu não existo”, disse. “Há apenas coisas acontecendo.” Publicado pelo canal E! em sua página no Facebook, o vídeo com a entrevista já foi visto 21 milhões de vezes.

Recentemente, Carrey também falou sobre o assunto em uma discussão no Festival de Cinema de Veneza. “Nós passamos nossas vidas por aí procurando âncoras. ‘Oh, eu sou italiano, este sou eu.’ A verdade é que você não existe. Você não é nada além de ideias”, disse, ao apresentar o documentário Jim & Andy: The Great Beyond — The Story of Jim Carrey & Andy Kaufman Featuring a Very Special, Contractually Obligated Mention of Tony Clifton. “Nós pegamos todas as ideias e as colocamos juntas para criar algo como um bracelete de personalidade que usamos a vida toda. Mas esse não é você, porque nós não somos nada. E isso é um alívio.”
Os últimos anos não têm sido nada fáceis para o ator. Em 2015, sua então namorada, Cathriona White, cometeu suicídio. A família da moça abriu processo contra Carrey, acusando-o de fornecer a Cathriona as drogas que ela usou para se matar, tendo uma overdose.

(Com Estadão Conteúdo)

Filme ‘It’ quebra recorde de bilheteria de terror nos EUA


Veja - A refilmagem do filme It: A Coisa fez sucesso na sua estreia nos Estados Unidos. No seu primeiro final de semana, a produção ultrapassou em mais que o dobro, orecorde de bilheteria para um filme de terror. Exibido em 4.103 salas, o longa arrecadou 117,2 milhões de dólares. Antes disso, a maior estreia do gênero era de Atividade Paranormal 3, que obteve 52,6 milhões de dólares no mesmo período em 2011.
De acordo com o jornal The Guardian, o filme ainda conquistou a maior estreia no mês de setembro de todos os tempos no país. O primeiro lugar pertencia à animação Hotel Transilvânia 2 de 2015, que embolsou 48,5 milhões de dólares no seu primeiro final de semana nos cinemas.
O presidente de distribuição doméstica da Warner Bros., Jeff Goldstein, afirmou à publicação que a empresa estava receosa sobre a estreia do longa, por conta da classificação indicativa, em que jovens de até 17 anos precisam de um responsável para assistir à sessão. Além disso, Goldstein ressaltou que os Estados Unidos estavam com a atenção voltada para o furação Irma e para a abertura da temporada de futebol americano durante este final de semana.
It: A Coisa é baseado no livro de mesmo nome de Stephen King. A trama narra a história de um grupo de garotos que tentam exterminar o palhaço de Pennywise, um fantasma que assassina crianças há séculos na cidade ficctícia de Derry. A obra já recebeu uma adaptação cinematográfica em 1990, em um telefilme chamado de It – Uma Obra-Prima do Medo. Desta vez, o livro foi divido em duas partes e deverá ganhar uma continuação em 2019.
No Brasil, o filme estreou na última quinta-feira com classificação indicativa para maiores de 16 anos. A produção também ficou na liderança da bilheteria nacional neste final de semana e arrecadou mais de 17,4 milhões de reais.

'A Força do Querer': Bibi é presa por associação ao tráfico


Rio - Bibi, a personagem de Juliana Paes em 'A Força do Querer', tem dois grandes medos: ser presa e ser traída por Rubinho (Emilio Dantas). Para a infelicidade da Perigosa, os grandes fantasmas dela se tornarão realidade a partir de hoje. "Acho que a ficha dela começa a cair justamente no momento em que ela é presa. Ela passa uma noite presa e ali a ficha começa a cair", explica Juliana Paes.

INÍCIO DE TUDO
Tudo começa quando Bibi pede que Rubinho tire uma foto dela deitada no meio de centenas de cédulas de dinheiro. A imagem viraliza na internet. Como está na mira da polícia, ela manda fazer cópias de dinheiro para inventar como desculpa caso seja pega. Quando sai do Morro do Beco com o filho, Dedé (João Bravo), para a casa de Aurora (Elizângela), Bibi nem entra na casa da mãe e já é abordada por policiais na frente do menino. "Acompanha a gente até a delegacia! Se não for por bem, vamos ter que algemar", ordena um dos agentes.
Na delegacia, o delegado mostra a foto para Bibi. "É por isso que me pegaram na frente do meu filho, traumatizando a criança?", questiona ela. E o policial reage: "Isso no mínimo é associação ao tráfico! Dá cadeia!"

PENSA RÁPIDO
Só que o delegado não contava com a engenhosidade da ex-estudante de Direito. Ela inventa que vendeu o carro da família e achou que seria divertido tirar foto com tanto dinheiro. "Tem dinheiro fake aí também", diz Bibi, enquanto saca da bolsa as notas que pediu para os comparsas copiarem. "Pra fazer esse monte, eu botei uma nota na impressora e imprimi uma porção. Metade disso aí é nota impressa no computador! Metade! Acho que ainda tenho até uma aqui na carteira, que eu guardei de lembrança", mente. O policial avisa que a mulher está brincando com fogo, e ela escapa ilesa.

VOZ DE PRISÃO
O problema é que ela atenderá uma ligação de Rubinho enquanto estiver na delegacia - e o telefone dele está grampeado. Ela avisa que está na delegacia, para ele não falar nada comprometedor. "Perguntaram do dinheiro?", questiona ele. Bibi: "Rubinho! Você tá surdo? Ouviu o que eu falei?". Ele insiste: "Fala só sim ou não: chegaram no dinheiro? Só quero saber se comprometeu o bonde! Só sim ou não!". Bibi desliga e logo recebe voz de prisão.
"Acho que um dos grandes baratos dessa trama da Gloria (Perez, autora) é que a Bibi é uma mulher muito humanizada, com erros e acertos. As fichas não caem de imediato. Não é de um dia para o outro que a gente aprende alguma coisa, que a gente se comporta diferente. As fichas demoram a cair. Isso acontece com a Bibi também", diz Juliana.
O juiz concede liberdade para Bibi, que deixa a cadeia. Um tempo depois, Jeiza (Paolla Oliveira) comanda uma operação no Morro do Beco e fere Rubinho, que vai preso. Só que dias depois, ele será resgatado no hospital por seus comparsas e fugirá com Bibi para uma cidade de praia e sem turistas. Só que o traficante também levará a amante, Carine (Carla Diaz).

TRAIÇÃO
Ao sumir uma tarde inteira - ele estava transando com Carine no hotel em que ela está hospedada -, Rubinho volta para a mulher, que reclama. "Você mudou. Eu sinto! Não tem mais a energia de antes rolando entre a gente", diz Bibi. Sério, Rubinho rebate: "Vai ver que o amor tá acabando". É quando Bibi coloca o marido contra a parede. "Tá acabando pra você, Rubinho! Vem cá, olha bem no meu olho. Você já me traiu?", questiona a morena. E ele diz que sim. Ela: "Com a Carine, não foi?" Rubinho: "Com uma porção".
Bibi fica assustada com a revelação, e o traficante muda de tom. "Para com isso, para. Vem cá. Eu tava brincando, neguinha! Vem cá, deixa de marra, deixa", diz o bandido, partindo para as carícias.
"Ela está vendo todos os contornos da traição, apesar de não ter dado um flagrante, ela ainda não quer acreditar", afirma Juliana Paes. Para a atriz, Bibi acredita que com a fuga do casal e a saída deles do morro, as coisas voltem a ser como antes. Só que isso não acontece.

SURRA NA AMANTE
Para voltar a encontrar a amante, Rubinho inventa que precisa pegar um dinheiro com um comparsa, Kikito (Marcos Junqueira), que viajou até a cidade onde eles estão. Mas Bibi não engole a história e liga para Alessia (Hylka Maria), que avisa que Kikito está no Morro do Beco.
"Para! É o Kikito mesmo? Porque chegou pra gente aqui que ele tinha sumido", mente. Sem imaginar nada, Alessia dá com a língua nos dentes. "Nada. Quem sumiu foi aquela descarada da Carine. Foi andar de avião! A mona tá se achando, arranjou patrocínio!", revela.
Bibi fica atordoada e só pensa em dar um corretivo na novinha. Ela dá um jeito de descobrir onde a rival está hospedada. Quando encontra a loura, dá uma surra nela no meio da praça da cidade e chega a ficar com os apliques da jovem entre os dedos.

DESFECHO
Qual a saída de Bibi? "Para mim, tem duas coisas, ou a Bibi tem que morrer, o que é muito dramático, coisa que eu gosto. As soluções dramáticas, a morte, e a última redenção. Ou que ela sofra muito ainda e se arrependa sinceramente de tudo que ela fez. Vamos ver o que a Gloria vai decidir", desconversa Juliana.

Fonte: O Dia

#PirouDeVez - Zezé Di Camargo fala sobre política brasileira e deseja a volta do militarismo


O sertanejo Zezé Di Camargo foi convidado pela jornalista Leda Nagle para falar sobre política em seu canal no Youtube e o artista deu opiniões polêmicas sobre o atual cenário brasileiro.
Na conversa, Zezé revelou que já foi convidado para se tornar um político: “Me considero um cara bem politizado, mas não me imagino sendo um político. Já tive convite, já conversei com alguns políticos, mas quero ser politizado para exercer meus diretos e deveres como cidadão, não para exercer isso”, contou.
Sobre a solução para a política brasileira, ele surpreendeu com a opinião: “Eu vou falar um absurdo aqui para você, vão me criticar, jornalistas vão falar de mim, achar que sou um maluco. Você sabe que o momento em que a gente vive hoje no Brasil. O Brasil lutou muito pela democracia, a emenda Dante de Oliveira, artistas em cima do palco… Mas eu fico com pena de como os nossos políticos usaram aquela liberdade que nós conquistamos, que era sair do militarismo. Muita gente confunde militarismo com ditadura. Nós não vivíamos numa ditadura, nós vivíamos num militarismo vigiado. Ditadura é a Venezuela, Cuba com Fidel Castro, Hungria, Coreia do Norte, China, esses são realmente ditadores. O próprio Chile, com Pinochet e a Argentina, um pouco. O Brasil nunca chegou a ser uma ditadura daquelas que ou você está a favor ou você está morto”, argumentou.
A jornalista contra-argumentou e disse que na época ocorreram diversos conflitos e prisões: “Mas não chegou a ser tão sangrenta, tão violenta, como a gente vive até hoje, no mundo de hoje”, afirmou o artista. “Não dá pra acreditar que muita gente ainda acredita que uma ditadura vai dar certo. Mas eu acho, eu acredito, as pessoas vão me achar maluco, não quero isso jamais pro Brasil, mas eu imagino que o Brasil hoje precisaria passar por uma depuração. O Brasil até podia pensar no militarismo para reorganizar a coisa e ‘entregar’ de novo. Limpamos essa corja, toma aqui o Brasil democrático”, completou.

Fonte: TV Foco

Simone diz que ex já tatuou seu nome nas partes íntimas


Simone e Simaria fizeram revelações em conversa com Matheus Mazzafera para o canal dele no YouTube. Durante a entrevista, as cantoras soltaram a língua sobre alguns temas picantes.
Simone, por exemplo, lembrou de uma loucura de amor feita por um ex-namorado que fez de tudo para evitar o fim do relacionamento.
— Uma vez eu namorei um boy… o desgraçado era doente por mim. Apaixonado, morto, arriado! E eu resolvi que não queria mais de jeito nenhum. Ele ligou chorando, querendo conversar comigo e eu fui. Quando cheguei lá ele baixou a roupa. Tinha uma tatuagem com o meu nome perto dos "ovos", colega!

Simaria recordou que certa vez bebeu um pouquinho a mais e ousou com o marido, o espanhol Vicente.
— Eu casei com o meu marido três vezes. No casamento na Espanha, eu fui para casa dele para ele trocar de roupa. Eu vi aquele homem maravilhoso de costas para mim. Aí eu pensei: "gente, que homem maravilhoso… será que eu mereço tudo isso?". Quando chegou na festa, eu tomei uns três copos de negócio… ele lá e eu apaixonadíssima. Eu olhava para ele e falava: "agora vai". Eu comecei a apertar, a dar aqueles beijos violentos e disse "vamos sair daqui agora". Ele ainda disse "não posso, é meu casamento e não posso deixar meus amigos aqui". Mas ele acabou me levando para o carro e quem disse que a gente voltou? Só fomos aparecer no outro dia.

Eliana dá à luz Manuela, sua segunda filha


Eliana deu à luz Manuela no domingo (10), em São Paulo. A menina é do relacionamento da apresentadora com o diretor de TV Adriano Ricco. Aos 43 anos, a apresentadora enfrentou uma gravidez de risco após sofrer um descolamento da placenta. A informação do nascimento foi confirmada por QUEM na manhã desta segunda-feira (11).
"A família está muito contente com a chegada da Manu. Mãe e filha passam bem", informou a fonte de QUEM. A assessoria de imprensa da apresentadora também confirmou o nascimento: "Mãe e filha estão bem, graças a Deus".
No sábado (9), Eliana havia publicado uma foto do barrigão. "Já somos tão íntimas e ainda nem nos conhecemos. Que nosso encontro seja mágico e abençoado minha filha", escreveu ela na legenda da foto.

GRAVIDEZ EM REPOUSO
Por conta da complicação, Eliana passou parte da gestação internada em um hospital de São Paulo. Como mora em Alphaville, na região metropolitana de São Paulo, a apresentadora optou por ficar na casa da mãe, Eva, na capital.
Como não podia fazer esforço físico e se locomover o mínimo possível, o chá de bebê foi feito na casa da mãe, onde recebeu amigas como Astrid Fontenelle, Ticiane Pinheiro e Isabella Fiorentino.


CARINHO DO FILHO
Durante toda a gestação, Eliana recebeu bastante carinho do filho. Ela falou sobre a reação do menino ao saber que teria uma irmãzinha. "O Arthur ficou radiante, já me pedia há tanto tempo, e ele vai ganhar uma irmãzinha", disse.

AFASTAMENTO DO TRABALHO
Em maio, a apresentadora se despediu do trabalho e deixou o comando do dominical Eliana, do SBT, aos cuidados de Patricia Abravanel. “Por conta desses acontecimentos que não pudemos controlar, estou de repouso por recomendação médica. Tive um descolamento da placenta. Sei que não depende só da minha vontade, do meu esforço, mas farei o impossível para trazer o meu fruto da melhor maneira que Deus permitir. Preciso salvar a minha filha de um parto extremamente prematuro. Tenho fé que em breve trarei boas notícias”, disse.


FELICITAÇÕES
Patricia Abravanel comemorou o nascimento da garotinha. "Seja muito bem vinda Manuela linda, desejada e tão amada. Que Deus te abençoa sempre", escreveu, em um post no Instagram.
A atriz Vera Fischer também parabenizou: "Fiquei sabendo que nasceu Manuela, filha da querida Eliana. Muita saúde pra família".

Durante a gravidez, Eliana agradeceu o apoio que recebeu da família Abravanel e disse que Silvio Santos foi o primeiro, depois da família, a saber da gravidez. Ela também agradeceu o apoio da TV Globo, onde Adriano Ricco trabalha, por ter permitido que ele a acompanhasse na gestação. "Preciso agradecer em rede nacional a direção da Rede Globo, eles foram muito sensíveis neste momento", disse, em entrevista.

Eliana, como capa da revista QUEM

Karina Bacchi se protege do furacão: "Casa com tapumes e gerador"


Depois de deixar Miami por conta da chegada do furacão Irma, Karina Bacchi contou onde está hospedada em Orlando, nos EUA. A está com o filho recém-nascido, Enrico, na casa da musa fitness, Bella Falconi.
Neste domingo (10), Karina deu detalhes do esquema de proteção na residência, que abriga um total de 15 pessoas, para suportar a passagem do furacão. 
— Momento de expectativa e espera por aqui diante do furacão que se aproxima. Estamos aqui em Orlando juntos na casa da Bella Falconi num total de 15 pessoas. Casa protegida com tapumes, gerador, solidariedade e muita fé torcendo pra que nada de ruim nos alcance.
A atriz também agradeceu as mensagens de carinho e orações e disse estar confiante para que tudo ocorra bem.

Lívian Aragão volta às novelas e fala da relação com o pai: ‘É assim que crio minha independência’


Lívian Aragão está de volta às novelas. A filha do Renato Aragão estará em “Tempo de amar”, próxima trama das 18h.
Em entrevista para Patrícia Kogut, ela falou sobre o personagem, Angélica, sobrinha de Henriqueta (Nivea Maria). “Ela é muito madura e amorosa. Apesar de morar no interior de Portugal e fazer doces com sua tia, está muito à frente de seu tempo”, comenta.
Essa será a primeira novela de época de Lívian, que esteve em “Malhação” e “Flor do Caribe”. “Uma produção contemporânea permite uns erros de gramática. É muito difícil, hoje em dia, ver as pessoas falando com português correto. Mas, naquela época, era tudo formal e havia uma certa formalidade até mesmo em família”, diz.
Ela tem feito uma intensa pesquisa para fazer o papel. “Vi filmes da época, filmes portugueses. Quis entender a postura, o gestual, a fala. Dessa forma, deixar a Angélica bem real”, explica.
A moça também falou da sua relação como profissional em relação ao seu pai. “Ele é minha grande referência e a opinião dele é muito importante para mim. Mas, quando estou batendo o texto, ele não me ajuda. Só depois de ver as cenas peço algum comentário. Porque é assim que crio minha independência”, revela.
A atriz, que completou 18 anos em fevereiro, só agora vai sozinha às gravações. “Antes, tinha que ir acompanhada, pois era menor de idade e precisava de um responsável. Só depois de ter ido gravar sozinha, pela primeira vez, senti aquela sensação de independência. Eu amei”, declara.
A jovem também falou do seu namorado, o DJ José Marcos, que segundo ela se dá super bem com a família.

Fonte: TV Foco