terça-feira, 24 de outubro de 2017

'Fado' de Bethânia integra disco com volume 1 da trilha de novela das 18h


Música do compositor baiano Roque Ferreira, lançada por Maria Bethânia há cinco anos em gravação feita para o álbum Oásis de Bethânia (2012), Fado é uma das 14 músicas que integram o disco com o primeiro volume da trilha sonora da novela Tempo de amar, atração da TV Globo no horário das 18h cuja trama se passa entre Brasil e Portugal. O Fado ouvido na voz de Bethânia tem violas caipiras orquestradas pelo maestro Jaime Alem com a mesma melancolia que ecoa no toque das guitarras portuguesas.
Além do fonograma de Bethânia, o CD Tempo de amar – Volume 1 – previsto para chegar às lojas na primeira quinzena de novembro, em edição da gravadora Som Livre – alinha fonogramas de outros grandes nomes da MPB. Alguns são inéditos, como as gravações das músicas Tempo de amar (Délia Fischer e Ronaldo Bastos sobre poema de Carlos Drummond de Andrade), Do amor impossível (Dudu Falcão e Roger Henri), Faltavam seus olhos (Thiago Gimenes) e Com mais ninguém (Djavan) – feitos para a trilha sonora da novela por Milton Nascimento, Nana Caymmi, Zizi Possi e Djavan, respectivamente.
Outros – casos do registro de Caminho de pedra (Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes, 1958), música ouvida na voz de Caetano Veloso em gravação de 2008, e do dueto feito por Carminho com Chico Buarque em 2016 em gravação de Falando de amor (Antonio Carlos Jobim, 1979) – são pré-existentes, mas se enquadram dentro da tradicionalista e romântica atmosfera musical da trilha sonora de Tempo de amar.
(Crédito da imagem: capa do CD Tempo de amar – Volume 1)

Fonte: Mauro Ferreira

Ato de artistas no Rio contra Temer termina com bombas de efeito moral e spray de pimenta


RIO — A manifestação organizada por artistas contra o presidente Michel Temer (PMDB), o senador Aécio Neves (PSDB-MG), entre outras bandeiras, terminou com a Polícia Militar disparando bombas de efeito moral e spray de pimenta na Cinelândia, no Centro do Rio.
Enquanto os artistas seguravam faixas na escadaria da Câmara de Vereadores, um grupo com camisas pretas se posicionou atrás. Depois, quando a maior parte dos artistas já havia ido embora, e a manifestação perdia força, os black blocs colocaram as máscaras e picharam "Fora Temer" na parte externa do Palácio Pedro Ernesto. Os policiais, então, expulsaram os manifestantes com bombas de efeito moral e spray de pimenta, e houve correria na praça.
Até as 21h, os policiais seguiam posicionados na praça. Alguns manifestantes ainda permaneciam no local, mas a maior parte do movimento havia se dispersado.
O ato começou na Candelária com palavras de ordem contra Temer, Aécio, o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes e mensagens contra a reforma trabalhista e a portaria que alterou as regras para que um trabalhador seja considerado em regime escravo — suspensa hoje pelo STF. O grupo fez uma caminhada na Avenida Rio Branco, em direção à Cinelândia. Outros gritos entoados na manifestação foram "Fora, Crivella", em referência ao prefeito do Rio, e "sem censura". O trânsito foi interrompido na avenida, e policiais fizeram a escolta do grupo.
O movimento foi capitaneado pelo #342 agora, liderado pela produtora Paula Lavigne, e tem a participação de outros grupos. Nesta quarta-feira, a Câmara dos Deputados deverá votar se aceita ou barra o prosseguimento da segunda denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República contra Temer, esta por organização criminosa e obstrução à Justiça. O nome do movimento é uma referência à quantidade de votos necessária para que a denúncia prossiga.
A manifestação foi convocada pelas redes sociais com o título "Inaceitável", uma forma de reunir as diversas bandeiras elencadas pelos participantes. Além da classe artística, há representantes de outros setores da sociedade civil no ato.
— Voltamos de uma turnê de dois anos na época da votação da primeira denúncia e vimos que a situação do país era inaceitável. Com certeza (é o pior momento desde o fim da ditadura). Existe uma onda reacionária que chegou com força — afirma Paula.

Para o ator Michel Melamed, que citou as emendas parlamentares liberada pelo governo, mais uma vez, às vésperas da votação, e a gravação de Aécio com o empresário Joesley Batista, a situação "ultrapassou qualquer limite de razoabilidade e decência":
— Todo mundo ouviu o Aécio dizendo "tem que ser um que a gente mata ante de fazer delação" e viu o (Rodrigo) Rocha Loures (então assessor de Temer) correndo com a mala de propina. Não tem que manter isso aí. É todo mundo contra o Temer — afirmou.

As atrizes Júlia Lemmertz, Alinne Moraes e os deputados estaduais Marcelo Freixo (PSOL) e Carlos Minc (sem partido) também estão presentes. A Polícia Militar do Rio não faz estimativa de público em manifestações.




Jonas Bloch e Guilherme Weber estão entre os atores que participaram do ato contra Temer

Band desiste do “Pânico” e grupo tenta espaço na grade do SBT


São Paulo – O colunista Flávio Ricco antecipou na segunda-feira, 23, em sua página no UOL, que a Band desistiu de produzir o programa Pânico e agendou o fim dos trabalhos para dezembro deste ano.
Oficialmente, a emissora não comenta o assunto, mas o blog soube que houve uma reunião entre Emilio Surita e seu time de humoristas no último domingo, 22, e foi ele o porta-voz da má notícia.
A justificativa seria a queda expressiva do faturamento, o alto custo de sua produção e a baixa audiência.
Isso, no entanto, não significa o fim do Pânico na TV. Silvio Santos, que no passado demonstrou interesse no grupo, está na mira de Tutinha e Surita (sócios e idealizadores da marca). A ideia é tentar ocupar as noites de sábado do SBT.
Lá no SBT, as fontes consultadas pelo blog dizem que são baixas as chances de isso acontecer, até porque a grade de 2018 já está fechada, e Celso Portiolli terá um novo programa no horário almejado pelo grupo. Além disso, há outras questões que não fazem brilhar os olhos dos diretores da emissora: formato (considerado desgastado), casting e custo de produção.
No entanto, uma ordem de Silvio Santos pode mudar tudo, embora já tenha dito, mesmo que em tom de brincadeira, que o Pânico “já deu o que tinha que dar”.
Ao blog, o SBT diz não ter nada a declarar sobre a possível transferência do Pânico. Emilio Surita e Tutinha também foram procurados, mas não atenderam as ligações.

Fonte: Exame

Menina tem cabelos raspados por escola por causa de 'higiene'


A pequena Tru, de 7 anos, passou por uma experiência traumática na escola "Little Heroes Group Home" onde estudava em Massachusettes, nos Estados Unidos.
Ela teve os cabelos crespos raspados sem autorização ou permissão dos pais quando foi levada ao cabeleireiro por funcionários da escola onde passa parte do dia e recebe apoio de profissionais, já que sofre de dificuldades emocionais.
Segundo sua mãe, Denise Robinson, além de ser levada sem consentimento ao cabeleireiro, sua filha ainda ouviu dos funcionários do instituto que seu cabelos voltariam a crescer lisos.
Robinson disse ao jornal "The Sun" que a escola alegou que precisou cortar o cabelo da menina por questões higiênicas, mas a mãe diz não acreditar. "Não há motivos higiênicos para raspar a cabeça da minha filha. Não há piolhos, carrapatos ou cabelo rastafari. Os cabelos dela estavam em dois rabos de cavalo no sábado, estavam presos, não tinha nada errado", relatou à publicação.
O advogado de Robinson alegou que achou bastante estranho o fato dos funcionários terem falado que os fios do cabelo de Tru nasceriam lisos após serem raspados. Já Denise acredita que a filha sofreu uma violência. "Eu estou muito chateada. E eu não vou deixar de ficar chateada porque eu sinto que a minha filha foi atacada e violada", afirmou ela.
Denise tirou a filha da instituição e agora pretende processar a escola. Em comunicado, a "Little Heroes Group Home" reforçou que a medida foi baseada em uma questão de higiene. "O programa emprega uma equipe diversificada que está atenta às necessidades de todas as crianças. As decisões relativas à higiene são baseadas em diversos fatores", declararam.

Fonte: Catraca Livre

Mulher flagra momento em que filho é atingido por raio enquanto usa guarda-chuva


Um vídeo chocante, que mostra uma criança sendo atingida por um raio enquanto brincava com um guarda-chuva, viralizou nas redes sociais nas últimas semanas. De acordo com o Daily Mail, a criança mostrada nas imagens é um menino de 12 anos, morador da cidade argentina de Posadas – que fica a menos de 150 quilômetros da fronteira com o Brasil.
Na filmagem, vemos o garoto segurando um guarda-chuva enquanto brinca sob um fluxo de água. Alguns segundos depois, ele anda em direção ao que parece ser o jardim de sua casa. E é neste instante que um raio atinge o objeto. Assista ao vídeo:


Carolina Kotur, mãe da criança, disse em entrevista à mídia local que seu filho sobreviveu e passa bem. “Foi durante a manhã, eu estava na sala acalmando a minha filha, que tem medo de raios, e ele estava andando na chuva. Eu comecei a filmá-lo e, então, ele foi atingido”, explicou.
Por mais que o garoto tenha sobrevivido, as tempestades que atingiram a região devastaram inúmeros locais e deixaram vítimas fatais. Em San Pedro del Parana, a 100 km de Posadas, dois irmãos, Sinforiano e Simon Venialgo Vazquez, foram eletrocutados e faleceram em decorrência das chuvas.

Fonte: 24 Horas News

Gabriel o Pensador refaz música em que 'mata' o presidente Temer

Catraca Livre - Gabriel o Pensador lançou a nova versão de uma música criada no início de sua carreira, em 1992, na qual afirmava estar feliz por ter matado o ex-presidente Fernando Collor de Mello.

Inspirado em seu primeiro sucesso, o rap "Tô Feliz (Matei o Presidente) 2" foi transformado para o momento político atual e, desta vez, o cantor faz um protesto contra Michel Temer — o presidente com a pior aprovação da série histórica, só 3,4% — e se entrega à polícia antes de matá-lo.

"A criminalidade toma conta da minha mente / achei que não teria que fazê-lo novamente / mas tenho pesadelos recorrentes, o Temer na minha frente / e eu cantando: Tô feliz, matei o presidente", diz a letra. O clipe começa com Gabriel ao lado de indígenas prestes a flechar o presidente.

A música original, "Tô Feliz (Matei o Presidente)", foi lançada na época do processo de impeachment de Collor e chegou a ser censurada antes do primeiro álbum do rapper. O vídeo da nova versão foi gravado em São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Amazonas, Tocantins e Santa Catarina e foi dedicado "aos povos indígenas de todo o país".

Assista ao clipe, que já tem mais de 1 milhão de visualizações no YouTube, e confira a letra na íntegra:


Tô Feliz (Matei o Presidente) 2

Todo mundo bateu palma quando o copo caiu
Eu acabava de matar o presidente do Brasil

A criminalidade toma conta da minha mente
Achei que não teria que fazê-lo novamente
Mas tenho pesadelos recorrentes, o Temer na minha frente
E eu cantando: Tô feliz, matei o presidente
Fantasmas do passado, dos meus tempos de assassino
Quando eu matei o outro, eu era apenas um menino
Agora, palestrante, autor de livro infantil
Não fica bem matar o presidente do Brasil
Mas a vontade é grande, tá difícil segurar
Já sei, vamo pra DP, vou me entregar
Chama o delegado, por favor
Sou Gabriel O Pensador
O homem que eles amam odiar
Cantei FDP, Pega Ladrão, Nunca Serão
Agora Chega! Até Quando a gente vai ter que apanhar?
Porrada da esquerda e da direita
Derrubaram algumas peças, mas a mesa tá difícil de virar
Anota o meu depoimento e me prende aqui dentro
Que eu não quero ir pra Brasília dar um tiro no Michel
Aí, que maravilha! Mata mesmo esse vampiro
Mas um tiro é muito pouco, Gabriel
Mata e canta assim

Hoje eu tô feliz, hoje eu tô feliz
Hoje eu tô feliz, matei o presidente
Hoje eu tô feliz, matei o presidente
Matei o presidente, matei o presidente
Hoje eu tô feliz, hoje eu tô feliz
Hoje eu tô feliz, matei o presidente
Hoje eu tô feliz, matei o presidente
Matei o presidente, matei o presidente

Fiquei até surpreso quando correu a notícia
E a polícia ofereceu apoio pra minha missão
Ninguém vai te prender, policial também é povo
Já matamo presidente, irmão, vai lá e faz de novo
Que é isso?! Eu sou da paz, detesto arma de fogo
Deve ter outro jeito de o Brasil virar o jogo
Que nada, Pensador! Vai lá e não deixa ninguém vivo
Se é contra arma de fogo, vai no estilo dos nativos
Invade a Câmara e pega os sacanas distraídos
Com veneno na zarabatana, bem no pé do ouvido
Em nome da Amazônia desmatada
Leva um arco e muitas flechas e finca uma no coração de cada
Cambada de demônio; demorou, manda pro inferno
Já tão todos de terno, e pro enterro vai facilitar
Envia pro capeta com as maletas de dinheiro sujo
De sangue de tantos brasileiros e vamos cantar

Hoje eu tô feliz, hoje eu tô feliz
Hoje eu tô feliz, matei o presidente
Hoje eu tô feliz, matei o presidente
Matei o presidente, matei o presidente
Hoje eu tô feliz, hoje eu tô feliz
Hoje eu tô feliz, matei o presidente
Hoje eu tô feliz, matei o presidente
Matei o presidente, matei o presidente

Áudio e vídeo divulgados, crime escancarado
Mas nem é julgado
Já tinha comprado vários deputados
Fora o foro privilegiado
Então mata o desgraçado
Na comemoração tem a decapitação
Cabeça vira bola e a pelada vai rolar (Chuta!)
Corta a cabeça dele sem perdão
Que essa cabeça rolando vale mais do que o Neymar
(É Pensador, é Pensador, é Gabriel O Pensador
É Pensador, é Pensador, é Gabriel O Pensador)
Fácil, um tiro só, bem no olho do safado
E não me arrependo nem um pouco do que eu fiz
Tomei uma providência que me fez muito feliz

Hoje eu tô feliz, hoje eu tô feliz
Hoje eu tô feliz, matei o presidente
Hoje eu tô feliz, matei o presidente
Matei o presidente, matei o presidente

Matei o presidente
(Matei o presidente, matei o presidente, matei o presidente)
Eu não matei nem vou matar literalmente um presidente
Mas se todos corruptos morressem de repente
Ia ser tudo diferente, ia sobrar tanto dinheiro
Que andaríamos nas ruas sem temer o tempo inteiro
Seu pai não ia ser assaltado, seu filho não ia virar ladrão
Sua mãe não ia morrer na fila do hospital
E seu primo não ia se matar no Natal
Seu professor não ia lecionar sem esperança
Você não ia querer fazer uma mudança de país?
Sua filha ia poder brincar com outras crianças
E ninguém teria que matar ninguém pra ser feliz
Hoje, estar feliz é uma ilusão
E é o povo desunido que se mata por partido
Sem razão e sem noção
Chamando políticos ridículos de mito
E às vezes nem acredito num futuro mais bonito
Quando o grito é sufocado pelo crime organizado instituído
Que censura, tortura e fatura em cima da desgraça
Mas, no fundo, ainda creio no poder da massa
Nossa voz tomando as praças, encurtando as diferenças
Recompondo essa bagaça, quero é recompensa
O Pensador é contra violência
Mas aqui a gente peca por excesso de paciência
Com o rouba, mas faz dos verdadeiros marginais
São chamados de Doutor e Vossa Excelência

Marília Gabriela vai apresentar programa de Stranger Things no SBT


A jornalista e apresentadora Marília Gabriela irá retornar para o SBT para uma ação de Stranger Things, aponta a coluna de Flavio Ricco, do UOL. O horário comprado pela Netflix na rede de Silvio Santos contará com uma exibição inédita do programa “SBT Repórter” neste sábado (28). O programa havia sido extinto há alguns anos e só retornará para esta ação de marketing.
A ideia da Netflix é exibir um falso programa jornalistico, onde a vida real dos brasileiros e os acontecimentos da série se entrelaçam. Segundo a coluna, imagens de arquivo retiradas de uma antiga edição do SBT Repórter irão se misturar com imagens da série, criando um mistério único a ser desvendado no programa.
Por se utilizar de várias imagens de arquivos, haverá imagens de Marília Gabriela na década de 80 (quando a série se passa) e atualmente. Os intervalos comerciais deste SBT Repórter especial de Stranger Things também serão tematizados e produzidos pela Netflix.
O programa vai ao ar logo após o Teleton. Para ceder o horário a rede de Silvio Santos cancelou a exibição de um capítulo da série Arqueiro.
A Netflix já flerta com o SBT há bastante tempo: basta lembrar de quando o CEO do serviço ofereceu uma assinatura vitalicia ao Silvio, ou, mais recentemente, quando uma propaganda de Stranger Things colocou a Chiquinha, de Chaves, como Eleven.
A nova temporada se passa aproximadamente um ano depois dos acontecimentos dos primeiros episódios, mas nem tudo são flores na vida de Will, que continua vendo flashes do Mundo Invertido. Enquanto isso, Joyce tenta apagar os traumas do passado namorando Bob, um antigo amigo de escola. Já Hopper continua investigando a morte de Barb e tenta manter todas as suas descobertas longe das crianças. Não bastasse, dois irmãos misteriosos chegam na cidade e prometem mexer com as relações dos personagens.
A primeira temporada de Stranger Things já está disponível na Netflix. Os novos capítulos estreiam em 27 de outubro.

Fonte: Jornal Nerd News

Raquel Dodge volta a chamar de 'retrocesso' a portaria do trabalho escravo


Após recomendar a revogação da portaria que modifica as regras de combate ao trabalho escravo, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, voltou a criticá-la em sessão do Conselho Nacional do Ministério Público nesta terça-feira (24/10). "A portaria fere sobretudo a dignidade humana, e não apenas a liberdade", disse, em sessão, após dois conselheiros destacarem a atuação do Ministério Público em reação à edição da portaria do Ministério do Trabalho, datada do dia 16 de outubro.
Dodge ressaltou a importância de combater o trabalho escravo como uma política pública. "Não pode haver aquilo que estamos vendo que essa portaria promove, que é um retrocesso dessa política pública", disse.
Na semana passada, a procuradora-geral havia encaminhado uma recomendação ao Ministério do Trabalho pedindo a revogação da portaria, alegando que ela contraria o Código Penal, decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) e decisões de instâncias internacionais como a Organização Internacional do Trabalho (OIT) e a Corte Interamericana de Direitos Humanos, além de enfraquecer a Lei de Acesso à Informação.
"Realmente encaminhei ao Ministério Público a recomendação conjunta do Ministério Público e do Ministério Público do Trabalho que assinalava que a adoção da portaria viola a lei penal brasileira, sobretudo o artigo 149. Eu acrescentei um outro argumento que é aquilo que me parece mais substantivo. A portaria fere sobretudo a dignidade humana e não apenas a liberdade", disse ela.
De acordo com a procuradora, a portaria peca por tratar "apenas da liberdade de ir e vir". "Há ofensa não apenas à lei, mas a dois artigos da Constituição Brasileira", destacou Dodge. "O tema é muito importante porque o Brasil vem de ser condenado na Corte Interamericana de Diretos Humanos no caso da Fazenda Verde", disse.
O comentário foi feito após dois conselheiros mencionarem o posicionamento do Ministério Público sobre o tema. Sebastião Veira Caixeta fez um registro parabenizando a atuação pronta do MP e do MPT em relação à portaria do trabalho escravo.
Outro conselheiro, Valter Shuenquener de Araújo, reforçou esse entendimento e, além do Ministério Público, destacou que a Clínica de Direitos da UERJ fez um trabalho que permitiu ao partido Rede apresentar ao STF uma ação contra a portaria.
Sobre a ação enviada ao Supremo, Dodge disse que há um precedente no Supremo no sentido de que é possível arguir a inconstitucionalidade de uma portaria da Constituição.
A portaria determina, entre outras coisas, que a inclusão de empresas na "lista suja" do trabalho escravo depende de ato do ministro, o que tira autonomia da área técnica. Ela também muda procedimentos de fiscalização, tornando mais difícil a comprovação do ilícito.

Fonte: Diário de Pernambuco

A Força do Querer foi um fenômeno! Saiba qual foi a média geral da novela das nove


Nem a Globo esperava uma coisa dessas! A novela A Força do Querer, de autoria de Glória Perez, encerrou seus 172 capítulos nesta terça-feira com 36,02 (36) pontos de média mensal, exatamente 6 pontos acima da meta atual, estabelecida à partir da estréia desta novela. Desde a estréia de Império até o final de A Lei do Amor, a meta era 35 pontos, e nenhuma novela alcançou isso, sendo Império a única que chegou perto, com 33 pontos.
O último capítulo de A Força do Querer, exibido nesta sexta-feira (20), obteve 50 pontos, o que não acontecia desde Avenida Brasil.


E fiquem agora com O Outro Lado do Paraíso!