sábado, 18 de novembro de 2017

Bruno Mars ensaia show com visual bem à vontade no Rio de Janeiro


Quem - Bruno Mars já está em solo brasileiro. Na noite desta sexta-feira (17), o cantor aproveitou para ensaiar o seu show da turnê 24K Magic World Tour, que ele apresenta neste sábado (18) e no domingo (19), na Praça da Apoteose, no Rio de Janeiro.
Com visual bem à vontade, de bermuda e camiseta, tênis e óculos de sol, o astro do pop internacional interagiu com seus músicos e até tocou um pouco de guitarra, dando uma prévia do que poderá ser visto em suas apresentações no país.




Médico revela ter feito transplante de cabeça bem sucedido, só que em cadáveres


O neurocirurgião italiano Sergio Canavero chamou atenção de toda a comunidade científica e da mídia em 2015, ao prometer que até 2017 realizaria um transplante completo de cabeça entre humanos.
Em 2016, Sergio afirmou ter feito um transplante de cabeça entre macacos, mas disse não ter publicado nenhum estudo sobre a cirurgia que, segundo relatos do próprio cientista, não contou com o religamento da medula espinhal.
Logo após essa revelação, uma série de publicações científicas foi feita pela equipe de Sergio sobre cortes e reatamento de medula espinhal em diversos animais vivos, mas os estudos não encontraram validação científica ao não precisar com exatidão a metodologia usada e não contar com controles de variáveis.
Hoje pela manhã, Canavero noticiou o sucesso do que ele chamou de primeiro transplante de cabeça humana. A comunidade científica, entretanto, não esperava que o neurocientista fosse realizar o feito prometido em 2015 com cabeças de cadáveres humanos.
Outra promessa anterior de Canavero é realizar o transplante de cabeça de um homem russo chamado Valery Spiridonov, que sofre de uma atrofia na musculatura da espinha conhecida como Síndrome de Werdnig-Hoffmann e se dispôs a ser cobaia do primeiro transplante de cabeça em seres humanos vivos, a acontecer em dezembro de 2017.
Até lá, a comunidade científica segue cética com o trabalho de Canavero, que até agora não recebeu validação do seu trabalho como cientista por parte dos colegas de profissão.

Fonte: The Guardian

Alexandre Pires tenta reconquistar o mercado latino com single hispânico


Alexandre Pires volta a apostar no mercado latino-americano após ambicioso projeto fonográfico, DNA musical (2017), que o juntou com grandes nomes da MPB sem surtir o efeito desejado de dar upgrade na imagem e no status do artista mineiro no mundo da música. Single disponível nas plataformas digitais a partir de hoje, 17 de novembro de 2017, Traicionar es bueno pero es pecado (Som Livre) apresenta gravação em espanhol que explora os clichês da música latina. Pires cai em certo suingue, com ecos do balanço da música mexicana, para falar de amor e traição com certo moralismo evidente já no título da composição, Traicionar es bueno pero es pecado (em bom português, trair é bom, mas é pecado).
Com o single, o artista dá o pontapé inicial no projeto de retomada do mercado latino formado por países de língua hispânica. Pires gravou o primeiro disco em espanhol na segunda metade dos anos 1990, como vocalista do grupo mineiro Só pra Contrariar (o álbum vertia os maiores hits do SPC para o espanhol). Em 1999, dueto com a cantora de origem cubana Gloria Estefan na música Santo Santo ajudou a popularizar a voz e a figura de Pires no mercado latino, para onde o cantor direcionou o primeiro álbum solo em espanhol, Es por amor (2001). Em 2003, o cantor alcançou fama planetária ao cantar Garota de Ipanema(Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes, 1962) diante do então presidente norte-americano George W. Bush, em cerimônia na Casa Branca.
Contudo, a partir da segunda metade dos anos 2000, a carreira hispânica de Pires foi perdendo fôlego, o que fez o cantor concentrar esforços no mercado fonográfico brasileiro. O single Traicionar es bueno pero es pecado é uma tentativa de reconquista do rentável território latino-americano.

(Crédito da imagem: capa do single Traicionar es bueno pero es pecado, de Alexandre Pires)

Fonte: Mauro Ferreira, do G1

“Cheiro do capeta”, diz Eduardo Costa sobre hotel no Maranhão


O sertanejo Eduardo Costa não para de se envolver em polêmicas. Depois de atacar transgêneros, ele agora revoltou os fãs do Maranhão.
No último domingo (12/11), o artista estava na cidade maranhense de Pedro do Rosário, cantando na comemoração de aniversário do município. Segundo o colunista Leo Dias, que escreve no jornal O Dia, ele reclamou do hotel em que se hospedou.


“O cheiro parecia que o capeta tinha morrido lá dentro. O pernilongo era do tamanho de um beija-flor. Pra terminar, o bicho que eu mais tenho asco é perereca. No meu quarto tinham quatro. Quase que eu tive um derrame cerebral. Às vezes, as pessoas acham que a vida de artista é fácil, mas não é fácil não”, afirmou o cantor em um vídeo no Instagram.
Os fãs não curtiram nada a falta de tato de Costa e não perdoaram suas críticas. “Que vergonha. Mudasse de hotel! Melhor do que reclamar na internet”, disse uma. “Para de ser chato! Isso não é nada! Tem gente que não possui nem casa para morar e você reclamando de barriga cheia”, lembrou outra. Será que ele exagerou mesmo?

Fonte: Metrópole