quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Juliano Cazarré entra em ‘O Outro Lado do Paraíso’ como aliado de Sophia


Sophia (Marieta Severo) não vê a hora de ter as tão sonhadas esmeraldas em mãos. O primeiro passo é contratar um experiente garimpeiro. E ela encontra a pessoa certa!
“Conheço tudo de garimpo. Garimpei esmeralda na Bahia. Diamante em Minas. Sei como garimpar esmeralda”, garante Mariano (Juliano Cazarré).

“É a oportunidade que nunca teve na vida”, promete Sophia.

Esta parceria ainda vai dar o que falar! Fique ligado nas emoções de O Outro Lado do Paraíso!

Fonte: Gshow

Em regime semiaberto, deputado tenta entrar no presídio com queijo na cueca


Após ser flagrado tentando retornar à Papuda com um queijo provolone e dois pacotes de biscoito dentro das roupas íntimas, o deputado federal Celso Jacob (PMDB-RJ) ficará sete dias na solitária. O parlamentar cumpre pena em regime semiaberto na Penitenciária do Distrito Federal. Durante o dia, trabalha na Câmara Federal e retorna ao cárcere para passar a noite. Além do isolamento, Jacob pode perder o benefício, uma vez que é estritamente proibido retornar às celas com qualquer alimento ou objeto, sem autorização.
O queijo e os biscoitos foram encontrados com Jacob durante o procedimento padrão de revista dos detentos que gozam do benefício do semiaberto. A Vara de Execuções Penais (VEP), do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), está a par dos fatos e já abriu um inquérito disciplinar para apurar o caso. A punição para esses casos pode chegar a 30 dias de isolamento, além da perda de benefícios, conforme decisão da VEP. Procurada pelo Correio, a assessoria do parlamentar não atendeu as ligações.
Celso Jacob foi preso pela Polícia Federal em 6 de junho último. Ele é condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), acusado de falsificação de documento público e dispensa de licitação, em um caso ocorrido em Três Rios (RJ), cidade onde era prefeito. Ele teria acrescentado um artigo ao documento, sem que ele tivesse sido aprovado pela Câmara de Vereadores municipal.
Para dispensar uma nova licitação, Jacob decretou estado de emergência na cidade. O Ministério Público entendeu que a declaração de "estado de emergência" foi aplicada apenas com a finalidade de concluir a obra com interesses eleitorais, uma vez que o político seria candidato à releição no ano seguinte.

Fonte: Diário de Pernambuco

PSOL pede para STF autorizar universitária com dois filhos a fazer aborto

Ministra Rosa Weber irá analisar pedido de aborto
O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) pediu que o Supremo Tribunal Federal (STF) conceda uma liminar (decisão provisória) autorizando uma estudante a realizar um aborto sem o risco de ser investigada ou punida criminalmente pela Justiça.
Como a ação ainda não tem data para ser levada a julgamento no STF, o PSOL quer que a relatora do processo, ministra Rosa Weber, conceda uma decisão mais rápida em favor de Rebeca Mendes Silva Leite e “a todas as mulheres” grávidas até o terceiro mês de gestação.
O pedido foi feito dentro de uma ação do partido que quer descriminalizar o aborto realizado nas 12 primeiras semanas de gravidez, mesmo fora das situações atualmente permitidas: estupro, risco de vida para a mãe ou feto com anencefalia.
O PSOL argumenta na ação que Rebeca, que é estudante de direito, já tem dois filhos –de 9 e 6 anos –, recebe salário de R$ 1,2 mil em um emprego temporário no IBGE que vai até fevereiro e paga R$ 600 de aluguel na casa em que mora com as crianças. Separada do pai deles, recebe pensão que varia entre R$ 700 e R$ 1 mil por mês.
A legenda de oposição narra ainda que Rebeca fazia uso de contraceptivo injetável a cada três meses, mas após seis anos de uso, ganhou peso e desenvolveu mal-estar circulatório. Assim, em setembro, procurou o serviço público de saúde para buscar alternativas – o ex-marido não quis realizar vasectomia por receio de afetar a saúde sexual.
No Sistema Único de Saúde (SUS), ela disse que gostaria de usar um dispositivo intrauterino (DIU) de cobre, mas foi encaminhada para exame de ultrassonografia. Por causa do período menstrual, não pôde fazer o exame, remarcado para dezembro deste ano. Nesse intervalo, teve uma única relação sexual com o ex-marido e engravidou.
Para tentar convencer Rosa Weber a conceder a liminar, o PSOL argumenta que a maternidade é uma experiência de “muita gratificação e prazer” para Rebeca, “uma jovem mãe que sonha em alcançar o diploma de ensino superior a fim de oferecer maior bem-estar a sua família”.
“A maternidade lhe é uma experiência gratificante e intensa, e exatamente por vivê-la com tanta responsabilidade e amor é que está segura em não ter condições de ter um terceiro filho. As limitações são existenciais e financeiras: por saber o que é a boa maternidade, Rebeca não poderia ter mais um filho, além de saber que os recursos financeiros da família não são suficientes”.
Na ação, o PSOL diz ainda que o pai do bebê, Vanderlei Silva Júnior, tem a mesma opinião e considera que interromper a gestação é o melhor para o bem-estar familiar e projeto de vida dos dois e dos filhos. O partido também ressalta que Rebeca não quer violar a lei ou arriscar a vida num aborto clandestino, considerando que tem outros dois filhos dependentes.
“A impossibilidade de prosseguir com sua decisão de forma segura e legal, com acesso aos devidos cuidados em saúde, tem causado à Rebeca intenso sofrimento mental”, argumenta o PSOL, que anexou ao processo laudos psiquiátricos apontando “intenso desconforto físico e psicológico”.

Liminar
O PSOL pede a liminar ao STF sob o argumento de que uma ação comum na Justiça poderia demorar, ultrapassando o período inicial da gravidez em que é mais seguro fazer o aborto. A sigla deu como exemplo um habeas corpus que chegou à Suprema Corte em 2003, mas que perdeu o objeto porque o julgamento ocorreu após o nascimento da criança.
“A concessão de medida liminar na presente ação, em sede de controle concentrado, mostra-se com ainda mais evidência como medida imprescindível para proteger os direitos fundamentais de Rebeca e outras centenas de milhares de mulheres que, desde o protocolo desta inicial, estão enfrentando o drama de uma decisão reprodutiva ameaçada por risco à vida ou cadeia, impossibilitadas de levarem suas angústias ao sistema de justiça”, diz trecho da ação apresentada pelo partido.
O pedido é assinado pela ex-deputada Luciana Genro (RS), pela professora de direito Luciana Boiteux (candidata a vice-prefeita do Rio de Janeiro na chapa de Marcelo Freixo em 2016) e pelas advogadas e pesquisadoras no Instituto de Bioética (Anis) Gabriela Rondon e Sinara Gumieri.

Precedente
Em novembro do ano passado, a 1ª Turma do Supremo decidiu, ao analisar um caso específico, que o aborto até o terceiro mês de gravidez não é crime. Apesar de ter sido uma decisão de uma turma, que é formada por apenas cinco dos 11 integrantes do tribunal, a iniciativa pode influenciar a decisão de juízes pelo Brasil.
Na ocasião, os magistrados da 1ª Turma analisavam um processo em que cinco pessoas foram presas em uma clínica de aborto em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro. Para os ministros Luis Roberto Barroso, Rosa Weber e Edson Fachin, a criminalização do aborto ainda no primeiro trimestre da gravidez fere a Constituição.
Em reação à decisão do STF, o Congresso Nacional passou a analisar uma Proposta de Emenda à Constituição que explicita que o direito à vida começa “desde a concepção”.
Juristas consultados pelo G1 afirmaram que uma eventual aprovação pelo parlamento da PEC 181, de 2015, pode deixar para o Supremo a tarefa de rediscutir em que hipóteses o aborto seria ou não permitido no Brasil.

Fonte: G1

Morre aos 93 anos ex-primeira dama da Bahia

Detinha, na juventude, com o marido e os cinco filhos
Hildete de Britto Lomanto, conhecida Detinha Lomanto, morreu na noite desta quarta-feira, 22, aos 93 anos. O velório da viúva de Antonio Lomanto Junior, governador da Bahia entre os anos de 1963 e 1967, será nesta quinta, 23, às 14h, no PAX Internacional, em Jequié (a 370 quilômetros de Salvador), de onde ela era natural.
O sepultamento da ex-primeira-dama está previsto para as 10h desta sexta, 24, no cemitério São João Batista, também em Jequié. Em vida, ela sempre se destacou pelos trabalhos sociais que realizou ao lado do marido.
Dona Detinha acompanhou Lomanto Júnior durante todo a carreira política em Jequié, Salvador e Brasília. Durante o período que foi primeira-dama, ela foi presidente da Legião Brasileira de Assistência (LBA) na Bahia, que, posteriormente, deu origem às Voluntárias Sociais.
Ela deixa cinco filhos, 10 netos e 12 bisnetos. A ex-primeira-dama morreu um dia antes do aniversário de morte do marido, que completaria 2 anos de falecido nesta quinta.


Pelas redes sociais, o governador Rui Costa manifestou pesar pela morte da ex-primeira-dama: “É com tristeza que recebo a notícia da morte da ex-primeira-dama da Bahia, Hildete de Britto Lomanto. Quero manifestar meu pesar à família Lomanto e aos amigos. A despedida de uma mãe é sempre muito dolorosa. Detinha Lomanto, como era conhecida, realizou um trabalho bonito pelos baianos à frente da Legião Brasileira de Assistência (LBA) que tempo depois deu origem às Voluntárias Sociais da Bahia (VSBA)”.

Fonte: Portal A Tarde

Aprovação a Luciano Huck cresce 17 pontos, afirma Ipsos


São Paulo, 23 - O apresentador de televisão Luciano Huck, cujo nome tem circulado como possível candidato à Presidência da República, teve melhora significativa de imagem nos últimos dois meses. Segundo a pesquisa Barômetro Político Estadão-Ipsos, a aprovação ao nome de Huck apresentou um salto de 17 pontos porcentuais desde setembro, passando de 43% para 60%. Já a desaprovação caiu de 40% para 32% no mesmo período.
Com isso, Huck passou a ser a personalidade com a melhor avaliação entre as apresentadas pelo Ipsos aos entrevistados. Todos os demais 22 nomes do Barômetro Político deste mês, porém, são do mundo político ou do Poder Judiciário, mais sujeitos ao desgaste do noticiário.
A pesquisa Ipsos não é de intenção de voto. O que os pesquisadores dizem aos entrevistados é o seguinte: "Agora vou ler o nome de alguns políticos e gostaria de saber se o (a) senhor (a) aprova ou desaprova a maneira como eles vêm atuando no País".
"Não me surpreende que Luciano Huck tenha melhorado em aprovação", disse Danilo Cersosimo, diretor do Ipsos. "Esse salto tem muito a ver com o fato de seu nome ter sido cogitado como candidato e de ele próprio ter dado indícios de que gostaria de concorrer. Mas o ponto é se isso vai se converter em votos. Se a eleição fosse hoje, ele teria um desempenho razoável, mas não esse cacife todo."
Para Cersosimo, por mais que Huck seja simpático para uma parcela considerável da opinião pública, seus indicadores de aprovação não diferem muito dos de outras celebridades televisivas. "As pessoas estão avaliando um Luciano Huck que aparece há 15 ou 20 anos na televisão", observou o diretor do Ipsos. "Ele não tem a imagem desgastada por embates políticos, ainda não foi testado em um debate, por exemplo."

Evolução
Entre os presidenciáveis, o primeiro a aparecer no ranking de aprovação do Barômetro Político, depois de Huck, é Luiz Inácio Lula da Silva (PT), com 43% de avaliação positiva e 56% de negativa. As taxas do ex-presidente estão em tendência de melhora paulatina desde junho. A eventual candidatura de Lula, porém, depende da Justiça - uma condenação em segunda instância pode inviabilizar legalmente sua participação na campanha.
Em empate técnico com Lula está o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa, que foi convidado pelo PSB a disputar a Presidência, embora nunca tenha manifestado em público essa intenção. Barbosa tem 42% de aprovação.
Marina Silva (Rede) apresentou oscilação de 36% para 35% em sua avaliação positiva nos últimos dois meses. A desaprovação subiu de 51% para 56%.
O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), voltou a perder apoio na opinião pública: sua avaliação negativa subiu de 56% para 63%. A taxa de aprovação ao governador Geraldo Alckmin (PSDB) oscilou de 22% para 24%.
O juiz Sérgio Moro, titular da 13ª Vara Federal de Curitiba e conhecido por sua atuação no julgamento de acusados da Operação Lava Jato, foi aprovado por 50% dos entrevistados neste mês.
A aprovação do apresentador é natural, ainda que seja muito cedo para uma discussão sobre os nomes e as candidaturas mais fortes para as eleições de 2018. A avaliação é do estrategista-chefe da XP Investimentos, Celson Plácido. "É muito natural ele (Luciano Huck) ter uma rejeição baixa", disse Plácido, observando que o apresentador nunca atuou como líder político ou ocupou cargo público executivo. "Mas é preciso dizer que ainda é muito cedo para falar sobre nomes", disse.
O estrategista argumentou que a expectativa dos agentes do mercado financeiro é vislumbrar candidatos reformistas entre os futuros presidenciáveis. Ele observa que os candidatos "outsiders", ou seja, que nunca estiveram na política ou em algum cargo executivo, são mais imprevisíveis. "Mas ainda estamos tão distantes dessa discussão. Esse debate político vai ganhar força mesmo lá por março", avaliou Plácido.

Fonte: em.com.br

#OCouroVaiComer - Kevin Spacey é investigado por outro abuso sexual contra ator


O ator de cinema Kevin Spacey, de 58 anos, está com a carreira sendo destruída aos poucos. A polícia de Londres confirmou a investigação de um abuso sexual cometido por um ator (que pode ser o Kevin) em 2005 (pra vocês verem que nada passa batido).
O teatro Old Vic de Londres anunciou que recebeu várias queixas de conduta inapropriada de Spacey, que foi diretor artístico desse mesmo teatro.
Com essas acusações de abuso sexual, vários trabalhos envolvendo o ator foram cancelados.