quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Líder do Senado critica Trump por visita de 'espião' russo

Jornal do Brasil - O líder do Senado dos democratas, Charles Schumer, classificou nesta quarta-feira (31) como "suspeito" o encontro do chefe do Serviço de Inteligência Estrangeiro da Rússia (SVR), Serghiei Narishkin, com autoridades norte-americanas.
"Esta é uma questão séria de segurança nacional. A Rússia hackeou as nossas eleições, nós sancionamos o chefe de sua inteligência no exterior e depois a administração Trump o convida para dançar uma valsa na porta principal", indagou o senador.
Para Schumer, "esta é uma violação extrema dos deveres por parte do presidente, que parece mais empenhado em minar o papel da lei neste país do que resistir a Putin".
Na última semana, segundo duas fontes familiares à questão, Narishkin, que está sob sanções dos Estados Unidos, se reuniu com o diretor da Inteligência Nacional norte-americana, Dan Coats, e outras autoridades.
A agência de notícias estatal russa Tass, citando uma entrevista do embaixador da Rússia em Washington, Anatoly Antonov, à TV Rossiya-1, também relatou que as autoridades haviam se encontrado para discutir o "esforço conjunto contra terrorismo".
No entanto, a Agência Central da Inteligência (CIA) se negou a fazer qualquer comentário sobre o assunto. A revelação da visita de Naryshkin coincide com uma disputa partidária entre republicanos e democratas em Washington por conta das investigações do procurador especial Robert Mueller sobre a suposta interferência russa na campanha eleitoral de 2016.
O presidente Donald Trump, por sua vez, nega as acusações e já classificou as investigações de caças às bruxas.