terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

#BackTo1990s - Nice expulsa Paula de sua mansão em 'Anjo Mau' (1997)


Uma das cenas antológicas de Anjo Mau (1997) foi quando Paula (Alessandra Negrini) aparece na mansão de Rodrigo (Kadu Moliterno) e Nice (Glória Pires) para tentar separar a moça de seu ex, mas se deu mal! Relembrem:

Operação Lei Seca terá reforço no período de Carnaval no Rio

Jornal do Brasil - A Operação Lei Seca vai reforçar as ações de fiscalização e conscientização durante o Carnaval. O esquema especial, que terá início na sexta-feira (9) e vai até terça-feira (13), contará com todo o efetivo nas ruas, que soma 250 agentes. Serão realizadas ao todo 70 ações no período, inclusive durante o dia, nas saídas dos blocos de rua, das praias e cachoeiras do Estado. As operações acontecerão na capital, na Região Metropolitana e no interior fluminense.
Um grupo de homens-balão, uma espécie de fantasia em alusão ao balão utilizado nas blitzes da Lei Seca, estará nos blocos de rua com maior concentração de pessoas, como a Banda de Ipanema (dia 10), Simpatia é Quase Amor (dia 11), AfroReggae (dia 12) e Orquestra Voadora (dia 13).


A Lei Seca também vai intensificar as ações de educação nas ruas para alertar sobre o perigo da mistura entre álcool e direção. "Além da blitz de fiscalização, já conhecida pelos motoristas, vamos intensificar as ações educativas. Este ano, teremos a presença dos homens-balão, que é um grande sucesso no Carnaval, para reforçar a mensagem que a Operação Lei Seca não se cansa de repetir, nunca dirija depois de beber!", ressaltou o coordenador da Operação Lei Seca, tenente-coronel Marcos Andrade.

Balanço dos anos anteriores
No ano passado, 5.747 motoristas foram abordados pela Operação Lei Seca no período do Carnaval. Do total de abordagens, 451 motoristas apresentavam sinais de embriaguez, o que representa 7,8% do número total.
"Neste ano, ficaremos mais horas nas ruas do Estado do Rio de Janeiro. Vamos atuar de dia e de noite. O nosso objetivo é proporcionar mais segurança ao folião na volta para casa", reforçou o coordenador da Operação Lei Seca.

Prefeitura do Rio pede cuidado com excesso de álcool e uso de garrafas no Carnaval

Jornal do Brasil - O prefeito do Rio de Janeiro Marcelo Crivella participou nesta terça-feira (6) da divulgação dos detalhes da operação especial para o Carnaval, no Centro de Operações Rio (COR), na Cidade Nova. Ele abriu o evento com um apelo à população e aos organizadores de blocos de rua. Aos cariocas e turistas, pediu que brinquem o carnaval sem violência ou excesso no consumo de bebidas alcoólicas, além do cuidado com o uso de garrafas de vidro. Às agremiações, pediu que informem à Prefeitura uma estimativa de público próxima da realidade.
"É inequívoco que nós queremos um carnaval bonito, alegre e esplendoroso. Todos nós aqui manifestamos a preocupação com o excesso de bebida, mas se o prefeito diz 'olha, não beba e dirija', sai estampado no jornal 'prefeito diz para não beber'. Aí o outro diz 'prefeito vai proibir carnaval, biquíni, vai proibir de rebolar, salto alto'. Mais que coisa boba! O prefeito está cumprindo seu papel de cuidar da saúde, da limpeza, da iluminação. Qual o papel que o prefeito, com 60 anos de idade, pode fazer para abrilhantar a festa? Eu não sou sambista, não sou passista. O que não pode é beber e dirigir o carro em alta velocidade. Não pode é partir para briga. Isso estraga o carnaval de todo mundo", disse o prefeito.

"É inequívoco que nós queremos um carnaval bonito, alegre e esplendoroso", disse Crivella
Sobre os blocos de rua, Crivella lembrou que um deles informou que esperava por um público de 25 mil pessoas em seu desfile, mas, na verdade, reuniu cerca de 600 mil foliões. "Nós tínhamos aqui o pedido de um bloco que esperava 25 mil pessoas, mas os funcionários experientes da Prefeitura, que conhecem o carnaval, disseram que 25 mil era pouco e estimaram 50 mil, mas vieram 600 mil pessoas. Foi medido por fotografia aérea. Se a estimativa não é aquela correta, então vai faltar banheiro [químico], por exemplo, e as pessoas vão reclamar. Que os nossos blocos tenham o cuidado de verificar que, a partir do seu pedido na Prefeitura, é que vamos tomar todas as medidas importantes para que a festa seja organizada", afirmou.
Crivella lembrou que, além da verba de subvenção distribuída às escolas de samba e os blocos de enredo, a Prefeitura vai disponibilizar os serviços de órgãos como a Comlurb, a Guarda Municipal, a CET-Rio e a Secretaria Municipal de Saúde. De acordo com a Riotur, o carnaval promete levar 6,5 milhões de foliões às ruas. A estimativa é que a cidade receba 1,5 milhão turistas no período, gerando uma receita de R$ 3,5 bilhões.
"A festa vai ser muito bonita, a festa vai ser feliz, vai ser de paz. Mas, se houver algum incidente, nós todos estaremos aí para correr e socorrer. No ano passado, a controvérsia 'o prefeito não foi ao carnaval'. Mas fui visitar as pessoas que sofreram acidentes, no Miguel Couto. Uma delas fez 16 cirurgias e salvamos a perna. Estive ao lado dela e da família o tempo todo. Quantas vezes eu fui ao Miguel Couto. Eu acho que esse é um papel que a população devia dizer assim: 'poxa vida, o prefeito não é um bom sambista, não vai acrescentar nada lá, mas no hospital ele estava para verificar se o povo estava sendo bem atendido'", finalizou o prefeito.

Carol Dantas rebate mulher que a chamou de 'encosto': "Vim trazer meu filho"


Caras - Carol Dantas se deparou com um comentário desagradável ao publicar uma foto com Matheus Mazzafera em frente a Torre Eiffel. Uma mulher a chamou de 'encosto', já que ela estava em Paris, onde Neymar mora e realizou uma festança de aniversário na madrugada desta segunda-feira, 5.
"Essa mulher tá fazendo o que na França? Parece encosto! Aff!!", escreveu a moça. "Sua babaca, eu vim trazer meu filho!", respondeu Carol.
Davi Lucca, de seis anos, foi à festa do pai e se divertiu com ele e Bruna Marquezine. Já Carol usou as redes sociais nesta segunda-feira para se declarar ao namorado, Vinicius Martinez. "Porque enrolar é só dentro do abraço e eu faço questão de ser no meu, que cabe tu e é só teu", escreveu, citando trecho da música Nós, do duo Anavitória.

Médicos encontram tênia de 2,8m em estômago de paciente

iBahia - Uma solitária (ou tênia) de 2,8 metros de comprimento foi achada no estômago de um paciente em Cingapura, segundo divulgou recentemente o Departamento de Microbiologia do Hospital Central da Cidade-Estado na Ásia.
O paciente, cujo nome não foi identificado, costuma consumir carne de peixe crua na forma de sushi, conforme relatório do hospital citado em reportagem do jornal britânico "Daily Mirror".
O verme precisou ser dobrado 18 vezes para ser fotografado. O paciente não apresentava qualquer sintoma da presença do parasita no seu corpo.


"O paciente ficou assustado ao ver o verme sair pelo seu reto", comentou Hsu Li Yang, especialista em doenças infecciosas do Hospital Geral.
Ano passado, um artigo publicado na revista "British Medical Journal" alertou que estava aumentando o número de casos de infecções parasitárias em decorrência do consumo de carne crua, especialmente oriunda da culinária japonesa, em vários países, como Cingapura.
Na Itália, por exemplo, além do sushi, anchovas cruas se tornaram vilãs da multiplicação de casos de doenças infecciosas.
A solitária entra no corpo pela ingestão de carne crua ou mal cozida de animais infectados, como boi, porco e peixe. Os parasitas retiram as substâncias nutrientes dos hospedeiros e às vezes o privam dos alimentos necessários para viver. A maior tênia já encontrada media 22 metros.

BBB18: Jaqueline grita com Mahmoud em discussão: 'Senta aqui, seu falso'


Jaqueline e Mahmoud protagonizaram a primeira discussão acalorada do Big brother Brasil 18 na madrugada desta terça-feira (6/1). A rondoniense, conforme havia prometido, tirou satisfações com o sexólogo após ele dizer que ela havia prometido o dar o anjo, caso ganhasse. Jaqueline esperou o cinema do líder acabar e, quando Mahmoud desceu as escadas, pediu que ele sentasse em uma cadeira da cozinha.
"Pode sentar que hoje você é a atração da festa, senta aqui seu falso", ordenou, sendo obedecida por ele, que parecia não entender a situação. "Você é muito engraçadinho. Aqui tem 70 câmeras, eu nunca te prometi p**** nenhuma de anjo. Eu posso sair por aquela porta amanhã, mas eu não sou falsa", disse. Jaqueline está no paredão ao lado de Mahmoud e Gleici. Ela foi para a berlinda após pegar uma garrafa com a penalidade durante a prova do líder.
"Eu ia te chamar pra conversar, mas eu respeitei seu momento de paredão. Eu não te chamei de falsa. Eu falei que você fez uma promessa e não cumpriu e eu me senti mal", retrucou o médico, de 27 anos, ao que Jaqueline disse: "O Brasil inteiro precisa saber que você é falso e dissimulado, duas caras". Ele prosseguiu, dizendo não querer mais discutir, mas ouviu, antes de sair do ambiente: "Você não ganhou sete votos à toa, não".
Fonte: Correio Braziliense

Estrela de Kill Bill, Uma Thurman acusa produtor de filme de assédio sexual


Correio da Bahia - Estrela de Kill Bill e Pulp Fiction, a atriz Uma Thurman falou pela primeira vez sobre o assédio sexual que sofreu após o sucesso de Pulp Fuction. O agressor de Thurman era o produtor Harvey Wenstein, pivô do levante hollywoodiano contra o assédio sexual na indústria do cinema.
O relato da atriz faz parte de uma longa entrevista ao The New York Times, concedida cerca de três meses depois de ela dar uma entrevista no tapete vermelho em que dizia estar esperando ficar com menos raiva para dizer o que queria.
Ao The New York Times, a atriz contou que a primeira investida do produtor aconteceu em um hotel em Paris, em 1994, quando o produtor, vestido de roupão, sugeriu que os dois terminassem uma conversa sobre um um novo roteiro em um uma sauna.
Após várias recusas por parte da atriz, Harvey teria ficado frustrado e deixado o espaço reclamando. Pouco depois, em Londres, o produtor voltou a chamá-la para uma reunião em seu hotel. Na ocasião, ela levou uma amiga e tentou remarcar a conversa para o bar do hotel, mas Harvey e seu assistente convenceram-a a aceitar a reunião no quarto. "Ele me empurrou, tentou me agarrar, tentou se expor. Fez tudo de mais desagradável, mas não chegou a me estuprar. Você fica como um animal se desvencilhando, como um lagarto. Fiz de tudo para colocar o trem de volta aos trilhos. Os meus trilhos. Não os dele", revelou.

Robert Rodríguez e Quentin Tarantino, Uma Thurman e Harvey Weinstein em Los Angeles em 2004
Thurman revelou que a relação com Weinstein nunca foi a mesma após isso, que apenas convivia com o produtor. Ela apontou ainda que falou sobre o assédio a Quentin Tarantino, que a dirigiu em vários filmes produzido por Harvey. Inicialmente, o diretor teria visto a situação apenas como "Harvey tentando pegar uma atriz que era boa demais pra ele", mas ao perceber a gravidade teria cobrado o produtor sobre o caso, o que gerou um pedido de desculpas por parte de Weinstein, em 2001, no Festival de Cannes.
“Eu tenho um sentimento complicado por Harvey e que é muito ruim depois de ouvir sobre tantas mulheres que foram atacadas depois de mim” revelou. “Quentin [Tarantino] chamou Harvey para ser o produtor de ‘Kill Bill’, um filme que simboliza o empoderamento feminino. E tudo isso foi por água abaixo, porque eles acreditavam que ninguém faria nada de errado, mas eles fizeram.”
O relato, no entanto, não para em Weinstein. Tida como amiga pessoal de Tarantino, a atriz descreveu seu trabalho no set de Kill Bill como uma forma de abuso, mesmo que não sexual. Ela se acidentou durante a gravação por conta de exigências descabidas da equipe. A famosa cena em que ela dirige um Karman Ghia em alta velocidade para matar Bill a deixou com o pescoço e o joelho machucados.
O carro, que havia sido morificado, não era seguro para ser conduzido na velocidade exigida. Durante a filmagem, o carro perdeu a direção e bateu em uma palmeira. O vídeo inédito do acidente foi divulgado só agora pelo jornal e mostra o início da cena e a colisão. Thurman aparece com o torso contorcido, enquanto membros da equipe tentam retirá-la do carro. Tarantino também aparece nas imagens.
"Quando eles se viraram contra mim após o acidente, eu fui de colaboradora criativa [como Tarantino a chamava no lançamento de ‘Kill Bill’] a uma ferramenta quebrada", observa a atriz. "O que me afetou mesmo quanto ao acidente foi sentir que tinha sido agredida de tal forma que ficara vulnerável."
Thurman conta que passou os últimos 15 anos brigando para que a Miramax, produtora dos irmãos Weinstein, liberasse as imagens das filmagens que provassem que o acidente realmente havia acontecido.