quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

#Campanha - Diga não ao álcool


O álcool não é visto como um problema social como outras drogas, o cigarro, a maconha e o crack, tanto é que na televisão aparece inúmeros comerciais de cerveja todos os dias, e alguns cantores fazem apologia ao uso em suas músicas. Mas deveria ser. Estatísticas feitas pela OMS (Organização Mundial da Saúde) apontam que mais de 2 bilhões de pessoas fazem o consumo de bebidas alcoólicas. Não importa se é exagerado ou não. O fato é que o álcool traz diversas consequências más para quem usa além da dependência:

- Dificuldades financeiras (de tanto que se pode gastar com essa substância);
- Alucinações;
- Isolamento (o álcool tem o poder de estragar a convivência de um determinado indivíduo com sua família e seus amigos);
- Falta de coordenação motora;
- Envelhecimento precoce;
- Dano e perda de cabelo;
- Insônia;
- Ansiedade;
- Problemas cardíacos;
- Desidratação;
- Irritabilidade;
- Prejuízos ao cérebro;
- Redução da expectativa de vida.

Ao contrário do que dizem, nenhum problema pessoal pode e deve servir de justificativa para "beber todas". Então, o recado tá dado! Não beba nem com moderação.

É possível, sim, ser feliz sem álcool!

#Tbt - Há dezesseis anos, 'O Clone' falava sobre dependência química


Dentre as tramas paralelas que Glória Perez colocou na novela O Clone, sucesso em São Paulo e a terceira mais assistida no Rio de Janeiro, estava presente a dependência química (o que deveria ser tratado com uma certa constância até os dias atuais). O assunto foi representado pelos personagens, Mel (Débora Falabella), Nando (Thiago Fragoso) e Regininha (Vivianne Victorette), usuários de cocaína, crack, maconha e outras drogas similares, e Lobato (Osmar Prado), que além destas citadas, também era alcoólatra.

Débora Falabella como Mel em 'O Clone'

Mel já chegou até a pôr a vida de sua mãe, Maysa (Daniela Escobar), em risco por facilitar um assalto em sua casa pra conseguir comprar mais drogas. Junto com seus amigos, cometia o mesmo delito diversas vezes fora de casa para sustentar um falso prazer. Assim como na vida real, as drogas afastam o usuário de sua família e de seus amigos conscientes desse mal, e foi isso que aconteceu com Lobato, que volta e meia voltava a se drogar.


Osmar Prado como Lobato em 'O Clone'


No fim, dos quatro, somente Regininha não conseguiu se livrar das drogas, até sumiu no último capítulo, enquanto Mel e Nando passaram a frequentar reuniões dos Narcóticos Anônimos e até abriram uma clínica de reabilitação com o nome da amiga desaparecida.

Viviane Victorette, Débora Falabella e Thiago Fragoso nos bastidores de 'O Clone'
A dependência química, segundo o Ministério da Saúde, é dividida em seis etapas:
  • Tolerância: a redução da magnitude dos efeitos leva ao uso de doses cada vez maiores para atingir o efeito desejado;
  • Senso de compulsão: forte desejo de consumir a droga;
  • Abstinência: após a interrupção ou diminuição do uso, surgindo sintomas de desconforto como tremores, ansiedade, irritabilidade e insônia, levando ao uso da mesma substância (ou outra relacionada) para promover o alívio ou evitar tais sintomas;
  • Desejo de reduzir ou controlar o consumo, porém, sem sucesso;
  • Abandono de atividades prazerosas alternativas: maior parte do tempo gasto em prol do uso da substância;
  • Persistência ao uso: mesmo com o surgimento de manifestações nocivas e patológicas, como danos em órgãos e estados depressivos, resultantes do consumo crônico e excessivo, ainda se mantém o consumo.
Não caiam nunca nessa cilada!

Juliana Knust fala de 'Apocalipse' e da reprise de 'Celebridade'


Kogut - No ar na reprise de "Celebridade", no Vale a Pena Ver de Novo, Juliana Knust relembra o trabalho como Sandrinha na trama:
- Fiquei muito feliz com a reexibição, tenho um carinho grande por essa novela. Aconteceu num momento muito especial da minha vida. Foi minha estreia no horário das 21h e quando eu passei a morar sozinha no Rio. Além disso, a história é fantástica. Todo mundo está comentando no Twitter. Quinze anos depois, as pessoas ainda lembram de tudo.

Atualmente, a atriz é a protagonista de "Apocalipse", da Record. Na produção, ela vive Zoe, uma jornalista:
- Creio que nunca gravei tanto, mas está sendo uma delícia. A galera do elenco é muito animada e gosta do que faz. Fiz a preparação na redação de um jornal e foi uma experiência bem intensa. Achei louca a vida do jornalista. Apesar de também ser uma profissão sem rotina, como a do ator, o ritmo é bem diferente. Acho que eu surtaria.

Por causa da carga de trabalho, Juliana não está podendo aproveitar as férias dos filhos, Matheus, de 7 anos, e Arthur, de 2, do casamento com o estilista Gustavo Machado (foto abaixo):
- Não estamos conseguindo fazer muitas coisas juntos, mas tudo bem. Este é o momento de focar na carreira. Então, os meninos estão viajando com o papai e a mamãe está trabalhando. O mais velho já entende bem, mas o pequeno sente um pouco. Outro dia fui dar bom dia e ele logo perguntou se eu estava indo trabalhar. Ele me manda muitos áudios contando tudo o que está faz na viagem. É uma graça. 

Aos 36 anos, a atriz afirma que se sente melhor hoje do que durante a novela da Globo:
- Quinze anos depois, algumas coisas mudaram, mas eu penso que estava muito bem naquela época e hoje me sinto ainda melhor. A maturidade é boa para a gente, ficamos mais seguras. Me sinto mais tranquila e, consequentemente, mais bonita e mais leve. Além disso, fico feliz de pensar que continuo trabalhando com o que amo. É uma profissão difícil, uma batalha diária. Então, estar no ar hoje e ver como eu era há 15 anos me faz perceber tudo o que trilhei. Deu tudo certo, não posso reclamar. Só tenho motivos para agradecer.

Juliana Knust, os filhos e o marido Gustavo

Homem mostra o bumbum aos telespectadores da Rede Globo

Paraíba Online - Um homem protestou ao vivo na Rede Globo de Televisão de maneira surpreendente, nesta quinta-feira, 22.
Durante o telejornal “Bom Dia Rio”, o rapaz abaixou as calças e mostrou o bumbum em uma transmissão ao vivo.
O bumbum apareceu enquanto o repórter Diego Haidar caminhava com moradores do Recreio dos Bandeirantes, zona oeste do Rio de Janeiro, que reclamavam do “sumiço” de uma linha de ônibus.


O homem sem camisa apareceu ao fundo da imagem. Ele surgiu atrás de um carro estacionado, abaixou as calças e virou-se para a câmera da Globo.
O “manifestante” ainda deu tapas no próprio bumbum e o apontou para o cinegrafista e o público.

Trump insiste em armar professores para evitar ataques em escolas


em.com.br - O presidente americano, Donald Trump, assegurou nesta quinta-feira (22) que as escolas "sem armas" são um "ímã" para os assassinos em massa, reiterando sua proposta de armar alguns professores para obter um efeito dissuasivo ante possíveis ataques.
Em uma série de tuítes, o presidente considerou que essa medida poderia ser determinante: "uma escola 'sem armas' é um ímã para pessoas ruins", lançou, despertando o rechaço de parte da comunidade educacional e de legisladores republicanos e democratas.
Trump já havia apoiado essa proposta durante uma reunião na quarta-feira na Casa Branca com sobreviventes do massacre em uma escola da Flórida, que deixou 17 mortos na semana passada.
"Professores e treinadores altamente treinados e adeptos às armas solucionariam instantaneamente o problema antes da chegada da Polícia. GRANDE PODER DISSUASIVO", escreveu Trump.
O presidente considerou que 20% dos professores, aqueles adeptos às armas e com "antecedentes militares ou treinamento especial" poderiam portar "armas escondidas", o que lhes permitiria "imediatamente responder aos disparos se um louco selvagem entrasse em uma escola com más intenções".
"Se um 'atirador psicopata' sabe que uma escola tem um grande número de professores especialistas em armas (...) nunca atacará essa escola (...) Problema resolvido", assinalou.
Depois o presidente chegou a mencionar a possibilidade de dar um "bônus" aos que portarem armas nas salas de aula, mas sem dar mais detalhes.
Após o ataque a tiros na Flórida, Trump disse que promoverá controles nas compras de armas e propôs proibir um dispositivo que permite converter armas semiautomáticas em automáticas.

Professores em treinamento para reagir contra atiraadores
- Não à corrida armamentista nas escolas -
Mas a insistência do presidente em armar os professores gerou uma onda de rejeição.
"Pais e educadores rejeitam esmagadoramente a ideia de armar os funcionários das escolas", disse Lily Eskelsen Garcia, presidente da Associação Nacional de Educação (NEA), a maior união de profissionais dos Estados Unidos, com quase três milhões de membros.
"Trazer mais armas para nossas escolas não faz nada para proteger nossos estudantes e educadores da violência", acrescentou.
Randi Weingarten, chefe da Federação Americana de Professores, condenou o que chamou de "corrida armamentista" e esforços para "transformar as escolas em fortalezas militarizadas ao armar professores".
Para a professora Melissa Falkowski, que escondeu estudantes em sua sala de aula durante o ataque a tiros na escola Stoneman Douglas, a proposta é "ridícula".
"Por que estamos tratando nossas escolas como se devessem ser uma instalação militar com professores treinados como oficiais de Polícia e militares?" - questionou em entrevista à CNN.
Durante um debate na noite de quarta-feira na CNN, numerosas vozes também criticaram esse possível cenário.
"Devo me formar como uma policial ao invés de educar crianças?" - perguntou Ashley Kurth, também professora na Stoneman Douglas, de Parkland. "Devo usar um colete à prova de balas?" - acrescentou.
O senador republicano Marco Rubio também mostrou suas diferenças com Trump, afirmando sua oposição a essa ideia. Enquanto isso, o legislador democrata Richard Blumenthal chamou de "loucura tóxica".

- 'Vergonhosa politização' -
Na série de tuítes, Trump também disse que apoiaria causas como aumentar a idade mínima para comprar um fuzil de 18 para 21 anos, e reforçaria os controles de antecedentes criminais e de saúde mental dos compradores em potencial.
Várias pessoas destacaram o fato de que o atirador de Parkland, Nikolas Cruz, de 19 anos, conseguiu comprar legalmente um fuzil semiautomático, enquanto precisava esperar completar 21 anos para beber nos Estados Unidos.
A Associação Nacional do Rifle (NRA), o poderoso lobby pró-armas que pagou 30 milhões de dólares na campanha presidencial de Trump, expressou sua oposição a qualquer aumento da idade legal para comprar uma arma, estimando que tal medida "pune cidadãos obedientes da lei para os atos malignos dos criminosos".
O chefe da NRA, Wayne LaPierre, denunciou "a vergonhosa politização" do ataque a tiros na Flórida e chamou de "movimentos venenosos" de supostos "socialistas" da esquerda americana e dos meios de comunicação que criticam o poderoso lobby.
"Para eles, não é uma questão de segurança, é um tema político", acrescentou LaPierre durante uma conferência anual de conservadores, em seu primeiro pronunciamento público após o ataque da Flórida.
LaPierre também parecia concordar com Trump em promover a fortificação das escolas para evitar mais ataques a tiros.
As escolas em áreas desarmadas são "alvos abertos para qualquer homem louco", afirmou, repetindo a posição de longa data da NRA: "Para deter um homem mau com uma arma, você precisa de um homem bom com uma arma".
Após o ataque na Flórida, os alunos sobreviventes lideraram o movimento #NeverAgain e convocaram marchas para exigir maior controle sobre o acesso às armas.

Ex-governador Garotinho é internado no Rio com dores no peito

Jornal do Brasil - O ex-governador do Rio, Anthony Garotinho, foi internado na noite desta quarta-feira (21) no Hospital Quinta D’Or, com dores no peito. De acordo com informações do Blog do Garotinho, ele "passou a noite bem, sendo monitorado". Por volta das 12h30, Garotinho realizava exames.
O Hospital confirmou em nota à imprensa que o ex-governador foi internado na noite de quarta na unidade cardiointensiva, com queixa de dor torácica.
"Os exames iniciais foram normais. O paciente permanece internado, clinicamente estável, aguardando a conclusão de outros exames", completa a nota do hospital.
Em 2016, o ex-governador foi submetido a um cateterismo e implantou um stent.

Beyoncé assusta fãs com lançamento de música inédita; ouça


E+ - Desde que Beyoncé deu à luz aos gêmeos Rumi e Sir, em junho de 2017, seus fãs esperam pelo lançamento de novas músicas. Nesta quinta-feira (22), a diva pop liberou uma música inédita, no entanto, o alarme é falso.
Trata-se de uma nova versão de Sweet dreams, faixa do elogiado disco I am... Sasha Fierce, lançado em 2008. A canção foi disponibilizada por meio das plataformas de streaming Tidal e Apple Music. Na nova versão, a cantora remodelou as melodias da e tornou a música mais romântica, sem as habituais batidas eletrônicas.
Os fãs da cantora, inclusive, estão bastante atentos a qualquer movimento que possa indicar o lançamento de material novo. Para lançar seus dois últimos álbuns, BEYONCÉ (2013) e Lemonade(2016), ela não utilizou de jogadas promocionais e os liberou sem avisar aos fãs.
De acordo com o jornal britânico Metro, Beyoncé teria registrado seis faixas em seu nome na ASCAP (Sociedade Americana de Compositores e Autores). As faixas seriam: Life, Freak daddy, Hold my beer, This love, My song e Love me not.
Por fim, rumores dão conta de que Beyoncé deve sair em turnê ao lado de seu marido, o rapper Jay Z. Na última terça-feira (20), um site escrito por fãs da cantora localizou que o site Ticketmaster, responsável pela venda de ingressos, adicionou uma nova página com o nome do casal. Bom, agora só resta esperar.

Família doa geladeira para Dado comer frutas e verduras na prisão


VEJA - A família de Dado Dolabella tem contribuído para que o ator mantenha a sua dieta vegana e a prática da ioga na prisão. O artista está detido no 33º Distrito Policial de São Paulo desde o último dia 5, por não pagar a pensão alimentícia do filho Eduardo, de sete anos. “A gente fez a doação de uma geladeira para a unidade, para poder conservar as frutas e verduras um pouco mais. Ele tem conseguido, pelo menos, manter a alimentação vegana de que tanto gosta”, diz o irmão mais velho de Dado, Gilberto di Pierro. “Também levamos um colchãozinho para ele praticar ioga.”
A família tem direito a uma visita por semana, quando leva frutas, verduras e legumes para Dado, que ainda se exercita com uma academia improvisada. “Ele consegue fazer musculação com latas e pedras. Depois do veganismo, ele malha quase todo dia”, explica di Pierro.
Dado Dolabella foi preso no início do mês, quando saía de uma academia nos Jardins, bairro nobre da capital paulista. O ator deve cerca de 200.000 reais em pensão alimentícia do filho de sete anos, fruto do relacionamento com Fabiana Vasconcellos.
Segundo di Pierro, o ator deveria pagar 28.000 reais por mês de pensão e não tem condições de arcar com o valor imposto, do qual já pediu revisão. “Isso é muito difícil para uma pessoa que não trabalha há três anos e só faz um show ou outro. Existe uma constelação de mulheres que saem na noitada, em bares e restaurantes frequentados por jogadores de futebol e artistas, que vão focadas para ter filhos e ganhar na loto. Mas elas não pensam que o artista pode perder o emprego e passar dificuldade”, afirma Gilberto.
Nesta quarta-feira, o programa Fofocalizando, do SBT, divulgou uma imagem de Dado no Departamento de Polícia. O artista aparece sem camisa, de bermuda, chinelos e relógio, torcendo uma peça de roupa. Gilberto conta que a família se sensibilizou com a imagem veiculada. “Minha mãe ficou mal. É uma foto horrível. É um lugar sujo. Mas ele é muito do bem, uma gracinha de pessoa. Está tentando tirar de letra na medida do possível.” Dado é filho dos atores Pepita Rodrigues e Carlos Eduardo Dolabella, já falecido.
De acordo com o irmão mais velho, Dado teve um segundo pedido de habeas corpus negado nesta quarta-feira. Além da musculação e da ioga, a família pôde levar um caderno e uma caneta para o ator. O objetivo é que ele escreva memórias sobre o que está vivendo. “Uma vida de injustiças”, diz o irmão.

As quatro faces de Karina Perez, a Laura de 'Explode Coração'

Entre 1992 e 1998, a então atriz e hoje artista plástica Karina Perez tinha em seu currículo quatro novelas, duas participações no programa Você Decide e uma na minissérie As Noivas de Copacabana. Só não tem mais do que isso por ter se afastado da televisão desde o fim de Por Amor (que estreou em 1997 e foi reprisada três vezes, em 2002 no Vale A Pena Ver de Novo, e em 2010 e 2017 no Canal Viva).

Karina Perez em Explode Coração
Desde o mês passado, Karina está no ar novamente no Canal Viva com a novela 'Explode Coração', que foi ao ar originalmente em 06 de novembro de 1995 e terminou com 155 capítulos em 03 de maio do ano seguinte. Nessa novela, que nunca fora reprisada antes, Karina interpreta Laura, a amante do empresário Júlio (Edson Celulari), que era casado com Vera (Maria Luísa Mendonça) e vivia rodeado não só dela, e sim de muitas outras mulheres! Relembre quais foram os outros três personagens nas novelas em que atuou.

Karina Perez como a mau caráter Andreia em Mulheres de Areia
Andreia Sampaio (Mulheres de Areia/1993): foi nessa novela que Karina estreou, e logo ganhou destaque. Andreia era filha do corretor Oswaldo (Adriano Reys), que presidia a Corretora de Imóveis Nominal, e Julieta... ops, Juju (Nicette Bruno), e irmã de Carola (Alexandra Marzo). Era extremamente ambiciosa, só tinha olhos pra dinheiro, e quando a novela começou, era noiva de Marcos (Guilherme Fontes) até ele se envolver com as gêmeas Ruth e Raquel (Glória Pires). Bem que queria tanto um marido rico que no final da trama acabou com o deputado Giacomini (Moacyr Deriquém), que era muito mais velho que ela e também muito avarento e muito ciumento.

Karina Perez em 1994, na novela Tropicaliente
Lilian (Tropicaliente/1994): a personagem era namorada de François (Victor Fasano), um arquiteto em crise profissional que queria largar tudo pra ser artista plástico. Morava em São Paulo, mas apareceu em Fortaleza, onde se passa a trama, para ir atrás do namorado e acabar com o caso dele com a rica Letícia (Sílvia Pfeifer).

Karina Perez como Rose em Por Amor
Rosália Trindade (Por Amor/1997): chamada de Rose, fazia parte da classe dos emergentes sociais, e era praticamente um arroz de festa, pois aparecia em todas. Ela também era muito amiga da também emergente Margarida (Françoise Forton) e da megera Branca (Susana Vieira).

BBB 2018: Ana Clara estaria carregando Ayrton nas costas, segundo Nayara


Diário 24hrs - Nayara foi a quarta eliminada do Big Brother Brasil 2018. A ex-sister enfrentou Gleici e Mahmoud, queridinhos do público, e acabou sendo cortada do jogo com a maior rejeição já registrada em paredão triplo do programa e a terceira maior da história da atração. Fora do reality show, a jornalista vem participando de programas e entrevistas, sempre dando seu parecer sobre o que viveu dentro da casa mais vigiada do país e das pessoas com quem conviveu lá dentro. Nessa quarta-feira, 21, ela foi convidada especial do Boletim BBB, onde participou de um jogo no mínimo polêmico.
No geral, a dinâmica era bem simples, a paulista teria que favoritar (FAV) ou bloquear (BLOCK) alguns comentários selecionados das redes sociais da atração. Nayara foi sincerona e mandou ver nas respostas. Um de seus primeiros alvos foi justamente a Família Lima, líderes da semana, que a indicaram ao paredão. A ex-sister concordou quando uma internauta afirmou que Ana Clara carregava Ayrton nas costas dentro do jogo. “O pai dela ninguém consegue gostar na casa. Só dá presepada. Não sabe se aproximar. Pode ser pela diferença de idade com os demais candidatos. Ana Clara está carregando Ayrton nas costas. Parabéns, Ana Clara. Que peso!”, ironizou a jornalista.
A jovem defendeu Kaysar das acusações de ser um ator. Para ela, o sírio é um homem “super alto astral” e “genuíno”, alguém maravilhoso de se conviver. Ela também falou achar Diego um grande jogador, alguém interessante. Viegas também está em alta com a bela, que afirmou estar torcendo por ele. “Eu quero como vencedor do BBB, já que não fui eu. Bom humor é o que vai levar Viegas, muitos mais do que os outros atributos, um bom tempo dele no game. Ele é bem relacionado e consegue levar as pessoas”, confessou. A antiga confinada ainda deu palpite sobre Gleici, a quem definiu como “pessoa do bem” e Lucas, o emotivo: “Eu acredito que ele tenha a impressão que vai cair no Paredão mesmo e vai trabalhar para que não caia”.

Viegas

Rio Grande do Sul confirma o primeiro caso de febre amarela

Gazeta - Um gaúcho que viajou a Minas Gerais teve confirmado o primeiro caso de febre amarela no Estado desde 2009. A informação foi divulgada nessa quarta-feira, 21, à noite pelo secretário estadual de Saúde, João Gabbardo dos Reis.
Pelo Twitter, ele publicou que o paciente esteve em Minas e não havia tomado a vacina. Dados sobre a pessoa, como a cidade onde mora e quadro de saúde, serão divulgados em coletiva na manhã desta quinta-feira, 22.
Segundo o secretário, trata-se de um caso “importado”, ou seja, não foi adquirido no Rio Grande do Sul. Ele tranquilizou dizendo que a situação do Estado permanece sob controle e a população continuará sendo orientada a respeito da vacinação, sobretudo quem vai viajar para as áreas de risco.
O último registro da doença entre os gaúchos é de 2009. Na época, uma intensa campanha de vacinação foi organizada com o objetivo de imunizar a população que vive em áreas consideradas de risco para o contágio.
A doença transmitida pela picada dos mosquitos Aedes aegypti, Haemagogus e Sabethes é caracterizada por febre alta, calafrios, dores de cabeça e nas costas, além de desconforto muscular, náusea e vômitos. Em casos mais graves, pode comprometer o fígado e levar à morte.
Entre 1º julho de 2017 e 20 de fevereiro deste ano, foram confirmados 545 casos de febre amarela no País, com 164 óbitos. Ao todo, foram notificados 1.773 pacientes com suspeita da doença, dos quais 685 foram descartados e 422 permanecem em investigação.
A atualização dos dados da febre amarela no Brasil foi divulgada nessa quarta pelo Ministério da Saúde, com base nas informações repassadas pelas secretarias estaduais de saúde. No mesmo período do ano passado, foram confirmados 557 casos e 178 mortes.
O maior número de vítimas foi apurado em Minas Gerais, com 77 óbitos e 264 casos confirmados. Em seguida aparece São Paulo, com 57 mortes e 208 casos, e Rio de Janeiro, com 29 óbitos e 72 casos confirmados.

A doença
Os principais sintomas da febre amarela são: febre, dor de cabeça, calafrios, náuseas, vômito, dores no corpo, icterícia (a pele e os olhos ficam amarelos) e hemorragias (de gengivas, nariz, estômago, intestino e urina). Geralmente essas manifestações duram em torno de dez dias. Em caso de suspeitas, sobretudo para quem viajou até áreas consideradas de risco, a recomendação é procurar um posto de saúde.
A doença é transmitida pela picada dos mosquitos transmissores infectados. A febre amarela não passa pelo contato entre pessoas saudáveis e infectadas.
O tratamento é apenas sintomático e requer cuidados na assistência ao paciente que, sob hospitalização, deve permanecer em repouso com reposição de líquidos e das perdas sanguíneas, quando indicado. Nas formas graves, o paciente deve ser atendido numa Unidade de Terapia Intensiva.
A única forma de evitar a febre amarela silvestre é a vacinação. Também é recomendado que se aplique repelente contra insetos para evitar que o mosquito se aproxime, reduzindo o risco de contágio. A vacina deve ser aplicada dez dias antes da viagem para as áreas de risco de transmissão. Pode ser aplicada a partir dos 9 meses e é válida por dez anos. A dose é contraindicada a gestantes, imunodeprimidos (pessoas com o sistema imunológico debilitado) e pessoas alérgicas a gema de ovo.
Em regiões onde há circulação do vírus, costuma ser verificada a morte de macacos e bugios que foram contaminados. Eles não são transmissores da doença e devem ser preservados para ajudar na identificação de eventuais casos.