quinta-feira, 1 de março de 2018

TSE aprova resolução que estabelece registro impresso de votos nas eleições

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou em sessão realizada nesta quinta-feira (1), uma resolução que estabelece o registro impresso do voto nas eleições de 2018. De acordo com a minuta, a impressão tem como objetivo contabilizar os votos pela urna eletrônica e também confirmar ao eleitor a correspondência entre o voto exibido na tela e o registro impresso. Em caso de uma eventual perda do resultado da votação, o registro poderá auxiliar a recuperação das informações.
Em seu voto, favorável à resolução, o presidente do TSE, ministro Luiz Fux, alertou que a mudança proposta aumentará o tempo de votação, além de apresentar dificuldade ao eleitor analfabeto e deficiente visual no momento de conferir o registro impresso. Fux defendeu ainda que o TSE promova uma campanha massiva de esclarecimento em relação à novidade. Também recomendou que qualquer solução adotada seja testada e aperfeiçoada ao longo de sua implantação.
"Ou seja, tanto os procedimentos de votação a serem definidos quanto os equipamentos a serem desenvolvidos e integrados ao sistema eletrônico já existente devem ser amplamente examinados, testados e aperfeiçoados em subsequentes pleitos eleitorais."

Funcionamento
A resolução não irá alterar em nada o ato de votar. A mudança determina que 30 mil urnas eletrônicas do País tenham acopladas a elas um módulo de impressão. Após o voto do eleitor, um registro dele será impresso e depositado automaticamente em uma urna plástica descartável, em um espaço inviolável - fazendo com que o eleitor não tenha contato manual com o registro de seu voto.
No voto impresso haverá um código para garantir a autenticidade das informações e as escolhas do eleitor, além de mecanismos de controle. Nele, não constará nenhum dado que permita a identificação do eleitor. Terminada a votação, caberá à Comissão de Auditoria da Votação Eletrônica a responsabilidade pela organização e condução dos trabalhos de verificação dos registros.
A intenção é que até 2028 todas as urnas do Brasil sejam contempladas com o instrumento. O TSE tem até o dia 13 de abril para definir a quantidade mínima de seções com voto impresso em cada Estado. Caberá aos Tribunais Regionais Eleitorais, no entanto, determinar quais municípios, zonas e seções irão implementar a medida ainda este ano.

Fonte: Estadão Conteúdo

#Tbt - Em abril de 1862, o "pai do espiritismo" denegria os negros e todos que não fossem europeus


Obs.: se você é espírita e não tiver gostado deste post, é só ignora-lo e continuar sendo feliz.

Desde que o espiritismo foi descoberto, o seu criador, o francês Allan Kardec (1804-1869), vem sendo idolatradíssimo pelos seguidores desta religião, ainda mais por causa de seu lema: "fora da caridade não há salvação". Posso até falar bem do espiritismo, pois ele fala de outras coisas além de caridade, como o amor ao próximo, o perdão às ofensas e, lógico, sobre a reencarnação como uma maneira de nós evoluirmos durante nossa existência.
Não sou espírita, aliás, não tomo nenhuma religião como 100% verdadeira, mas esta é interessante. Entretanto, o que nem todos sabem (ou já sabem, mas se enganam) é que o criador desta doutrina não passa de um racista e arrogante! Há 155 anos, num "textão" para a Revista Espírita, Allan Kardec disse que o espírito habitado em um corpo de pele escura é completamente inferior ao daquele que nasce em um corpo branco. "Assim, como organização física, os negros serão sempre os mesmos; como Espíritos, trata-se, sem dúvida, de uma raça inferior, isto é, primitiva; são verdadeiras crianças às quais muito pouco se pode ensinar". Contudo, para uma pessoa ser considerado evoluído e civilizado, não bastava ser apenas branca. Teria que ser também européia, pois antes dessa frase ridícula e bárbara, ele também fez as seguintes perguntas: "Ora, como pode a alma progredir, a não ser tendo novas existências? Dir-se-á que poderá progredir como Espírito, sem voltar à Terra. Mas, então, por que nós, civilizados, esclarecidos, nascemos na Europa e não na Oceania? em corpos brancos, ao invés de corpos negros?". Pra vocês verem, né, são perguntas que não condizem com a linhagem religiosa correta.

Por fora, apenas um homem bem vestido. Por dentro, um monstro!
Muitos podem chegar até aqui e dizer que era esse o pensamento que todos os seres viventes da época tinham, mas será que eram todos? Todos pensavam assim? Tá aí uma desculpa esfarrapada usada por muitos espíritas para passar mão na cabeça de Kardec. NADA justifica ser racista ou xenófobo. Nenhum meliante que alimenta essas ideias más deve ser adorado, respeitado ou incluso na sociedade. Por fim, quando se sentir um bosta, pensa no Allan Kardec por ter escrito isso aí.

Atriz Maitê Proença retorna à TV limpando privada na Record


Tribuna Hoje - A atriz Maitê Proença, agora sem contrato com a Globo, pode circular por diversas emissoras sem pedir liberação para ninguém. Ela vai aparecer na televisão na semana que vem como uma das entrevistadas do talk show Programa do Porchat. Na atração, Maitê topou a brincadeira e vai até limpar privada no palco.
“Como ela disse que limpar privada na Índia foi uma das experiências mais transformadoras que já viveu, decidimos brincar com isso. Fizemos uma ‘guerra dos tronos’ (referência à série Game of Thrones) com ela”, adiantou Fábio Porchat para o jornalista Daniel Castro.
Fábio ainda contou se os entrevistados não se assustam com algumas brincadeiras. “Quando a gente começou, rolava uma desconfiança maior, acho até natural. Mas agora eles se sentem mais à vontade, já entendem como funciona e querem brincar. Perguntam: ‘O que você vai aprontar comigo?’”, disse.
A entrevista e a brincadeira com Maitê vão ao ar no próximo dia 8 na nova temporada do Programa do Porchat na Record.

Maitê Proença no Programa do Porchat

Liga das escolas de samba decide não rebaixar Grande Rio e Império Serrano


Diário de Pernambuco - A Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) decidiu na noite dessa quarta-feira (28/2) que nenhuma agremiação será rebaixada do Grupo Especial do Carnaval do Rio de Janeiro. Com a mudança no regulamento, a Império Serrano, última colocada no ano passado, e a Grande Rio, a penúltima, se manterão na elite do samba no ano que vem.
Em 2019, o Grupo Especial terá 14 escolas, já que a Unidos do Viradouro, campeã da Série A, retornará ao desfile principal. O acordo prevê também que duas escolas serão rebaixadas no ano que vem e em 2020, para que o grupo volte a ter 12 agremiações em 2021.
A decisão foi comunicada em nota pela Liesa. Segundo o texto, as 12 escolas do Grupo Especial concordaram com a manutenção das duas que seriam rebaixadas.
O presidente da Liesa, Jorge Castanheira, afirmou na nota que a decisão foi tomada pensando no futuro do espetáculo. “Foi um Carnaval extremamente competitivo, no qual as escolas demonstraram, mais uma vez, toda sua força e capacidade de superação. Tomamos esta decisão pensando no futuro do espetáculo e as escolas concordaram, ainda, que exceto se houver uma situação de calamidade, não mais acontecerá este tipo de alteração no regulamento”. A liga afirma ainda que a decisão foi tomada "em clima de forte emoção".
O Grupo Especial já contava com uma escola a mais em 2018, porque nenhuma agremiação foi rebaixada em 2017. Na época, a decisão foi tomada devido aos acidentes que deixaram 32 feridos nos desfiles da Paraíso do Tuiuti e da Unidos da Tijuca. As duas agremiações seriam rebaixadas.

Escolas com tradição
Apesar não ter conquistado títulos, a Grande Rio é considerada uma das gigantes do carnaval carioca, por seu bom desempenho nos anos anteriores. Desde 2001, a escola desfilou entre as campeãs 13 vezes. No desfile deste ano, a Grande Rio levou um enredo sobre o apresentador Chacrinha para a avenida, mas foi penalizada pelo atraso ao encerrar o desfile.
O problema foi causado pela alegoria O Carnaval em Minha Vida, que ficou presa na agulha de acesso à pista da Avenida Presidente Vargas, quando estava sendo deslocada para entrar na Marquês de Sapucaí.
Já a Império Serrano, escola tradicional da região de Madureira, na zona norte, retornou ao Grupo Especial no ano passado, com o título da Série A. A escola já foi campeã do carnaval carioca, mas estava desde 2009 na segunda divisão do samba.

Lacoste substitui crocodilo de camisetas por espécies em risco de extinção


Gaúcha.ZH - Reconhecida pelo tradicional crocodilo verde que compõe as suas peças de roupa, a Lacoste substituiu o símbolo da grife em coleção limitada lançada recentemente. A marca francesa se uniu ao projeto "Salvem nossas espécies" (Save Our Species), da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUNC), e produziu 1.775 camisas na qual 10 espécies ameaçadas de extinção tomam o lugar do réptil. As informações são da AFP.
O condor da Califórnia, o papagaio Kakapo, o rinoceronte-de-Java e a tartaruga de Myanmar são alguns dos animais bordados nas peças, que foram produzidas na mesma quantidade de animais remanescentes na natureza.
São 20 camisas polos com o bordado do mamífero marinho Vaquita, por exemplo, e 240 com a figura da Iguana de Anegada. A coleção já está à venda nos Estados Unidos e em alguns países da Europa. Todo o lucro será revertido à IUNC.

Prefeito é amarrado e humilhado pela população por não cumprir promessas


em.com.br - Tensão, violência e indignação popular - esse foi o tom de um 'motim' em uma comunidade próxima à pequena cidade boliviana de San Buenaventura, com 8 mil habitantes e 564 km distante da capital do país. O prefeito Javier Delgado foi amarrado pelos pés em uma ‘armadilha’ rústica de madeira e permaneceu, por pelo menos uma hora, preso pelos manifestantes. O homem fumava um cigarro e estava rodeado de animais e cidadãos furiosos com a sua conduta.
Delgado estava na comunidade de San José, adjacente à San Buenaventura, para inaugurar um galpão construído pela prefeitura quando foi surpreendido pela população insatisfeita com sua gestão. O motivo para tal revolta, porém, pode assustar os mais pacifistas. Delgado é acusado por parte da população local de ter mentido em sua campanha e de não ser fiel às promessas feitas na eleição. As informações, divulgadas pelo jornal boliviano El Deber, não discriminam quais são, entretanto, as tais promessas de campanha. Em entrevista ao periódico, o prefeito afirmou que ''foi tudo uma confusão provocada por pessoas que espalharam mentiras com o intuito de revogar o meu mandato” e que não conseguiu se defender. Ele complementou: ''só consegui me explicar depois''.

Jogo de poder
O político, historicamente, fez parte do do Movimento ao Socialismo (MAS), ligado ao presidente Evo Morales, mas rompeu com a legenda nas últimas eleições. É a segunda vez que Delgado assume a prefeitura da cidade, mas, no último período eleitoral sua vitória se deu quando ele, junto a outros políticos da região, criou um pequeno partido de oposição ao MAS.
Para o prefeito, a culpa da revolta popular é de ''gente que tem muito dinheiro, empresas, que exercem atividades econômicas fortes e que perderam o poder'' que, em sua visão, tentam ''convencer'' a população de que ele é um mal gestor. ''Sinto uma profunda tristeza quando vejo que a população está desinformada'', afirma.

Tradição
Apesar de chocante, não é a primeira vez que esse tipo de ação é aplicada ao prefeito. Foi a terceira, em apenas dois anos de governo. Na região, a prática é comum e antiga.

Bomba! Casamento de Carlos Alberto de Nóbrega será pago por outro famoso


Diário 24hrs - Carlos Alberto de Nóbrega está feliz da vida com seu casamento, e não esconde o sorriso quando qualquer pessoa pergunta sobre sua noiva, a nutróloga Renata Domingues. Em entrevista ao TV Fama, o humorista deixou bem claro que pretende trocar as alianças em maio, e ainda aproveitou a ocasião para revelar que alguém muito famoso e querido do público se ofereceu para pagar todo o casório. “Quem esta organizando a festa é o Rodrigo Faro, ele vai me dar de presente”, disse o veterano da TV.
Vale ressaltar que esse é o segundo relacionamento que Carlos assumiu após o término com Andrea de Nóbrega, de quem sequer pode comentar, graças a um imbróglio judicial envolvendo as duas partes. Em novembro do ano passado, o humorista e apresentador Carlos Alberto de Nóbrega participou do Programa Silvio Santos e foi surpreendido por diversas piadas de Silvio sobre o seu noivado com a nutróloga Renata Domingues, e ainda no mesmo episódio, Carlos chegou a falar de sua primeira mulher, com quem teve quatro filhos, mas não quis citar Andréa de Nóbrega, com quem teve um casal de filhos e foi casado por quase duas décadas.

Rodrigo Faro e Carlos Alberto são amigos de longa data (Foto: Reprodução)
Perguntado sobre a lista de convidados, Carlos Alberto revelou: “Vou escolher os colegas do programa, a diretoria da casa, vou convidar o Douglas Tavolaro [vice-presidente de Jornalismo da Record], que sempre foi muito gentil comigo, Cesar Filho, Celso Portiolli, Ratinho. Vou tentar trazer o Marcius Melhem e o [Marcelo] Adnet, porque gosto muito deles, muito. Vou ver se eles vêm, querer é uma coisa. Mas tenho certeza absoluta de que o Marcius vem”. Mas a surpresa da história é que ele nem chegou a convidar Silvio Santos, e explicou o porquê: Silvio não. A função do amigo é não levar problema para o amigo. Eu conheço o Silvio, sei que ele não gosta. Vou ouvir ‘não’. Não preciso ouvir ‘não’ e nem ele vai precisar dizer ‘não’. Então a gente tem que respeitar”.

Carlos Alberto de Nóbrega e sua futura esposa, Renata Domingues

Sob expectativa, Chico Buarque estreia em São Paulo

Seis anos depois, aqui está Chico Buarque. Por esse tempo todo, ele falou pouco, tocou menos ainda, mas sua figura, pelo histórico alinhamento político à esquerda que possui, atraiu ataques e simpatias com a mesma intensidade verbal e que nada têm a ver com a música que ele faz. É importante então, antes de qualquer apresentação do primeiro show em São Paulo desde 2012, mirar as luzes para o artista.
Misturar pendengas ideológicas com uma obra criada a partir de seu primeiro álbum, em 1966, é limitar a experiência e assistir ao homem de 73 anos que estará no palco a partir da noite desta quinta-feira, 1, no Tom Brasil, com alguns graus de miopia e outros tantos de astigmatismo. O Chico que vale aqui é o maior cancionista da música brasileira, descendente mais palpável das graças de Noel Rosa, herdeiro legítimo do pensamento harmônico de Tom Jobim, último poeta de crônica urbana sofisticada.

Esta pode ser a última turnê de Chico Buarque
O show Caravanas entrelaça recados com habilidade, lançando muitas vezes armadilhas interpretativas casualmente, ou não. Depois de abrir com Minha Embaixada Chegou, que Assis Valente lançou em 1934, chegam no primeiro bloco Partido Alto, Casualmente (parceria com o baixista Jorge Helder), A Moça do Sonho (com Edu Lobo) e Retrato em Branco e Preto (com Jobim). Essa última e Sabiá, frutos do mesmo duo Chico/Tom, nunca estiveram em suas turnês. Em algum lugar entre todas elas, Iolanda, a mais clássica do cubano Pablo Milanês, provoca (ou não) os detratores do "vai pra Cuba".
Geni e o Zepelim está no bis, e alguns analistas já enxergaram sua presença ali como uma reação aos julgamentos de ritos sumários nos tribunais de Facebook. Pode ser, pode não ser. Tem prevista ainda Paratodos, a música de 1993 na qual Chico ignorou também sumariamente Elis Regina em sua lista de vips. "Viva Erasmo, Ben, Roberto, Gil e Hermeto, palmas para todos os instrumentistas / Salve Edu, Bituca, Nara, Gal, Bethânia, Rita, Clara, Evoé, jovens à vista." O mistério com Elis segue trancado no peito de Chico.
As novas Blues pra Bia, As Caravanas e Tua Cantiga mostram poder de fogo do fluxo criativo mais espaçado de uma geração, sete em sete anos - só perde para Paulinho da Viola, sem um disco novo há 22 anos. Tua Cantiga chegou tão linda quanto polêmica, quando Chico foi acusado de machismo no ano passado pelos versos que mostram o narrador jurando à amante que deixa mulher e filhos se ela assim quiser. Uma realidade noel-rosaliana fiscalizada, hoje, pela hipocrisia.
A imagem do Chico artista tem sido eclipsada por nuvens de ódio. É curioso como seus pares não despencam na mesma maldição, mesmo com discursos e envolvimentos muitas vezes mais diretos. Gil trabalhou como ministro da Cultura de Lula e Caetano foi ao front fazer show para apoiar a ocupação do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST). Ainda assim, os shows dos baianos - como a temporada de Gil no Teatro Net para homenagear João Gilberto e a de Caetano com os filhos no mesmo espaço, em 2017 - passaram imunes às reações políticas.
Chico, o que menos fala, é o mais associado diretamente às posturas ideológicas. Seu show poderá ter manifestações nesse sentido e ele, mesmo sem se pronunciar de forma incisiva, pode manifestar-se sutilmente do palco. Pelas contas, o próximo disco de Chico Buarque virá quando ele tiver 80 anos de idade. Essa pode ser sua última turnê (no mínimo, já é a penúltima). Não seria um desperdício então limitar o alcance de sua obra cheia de significados transformadores jogando-a na lama de uma disputa decidida todos os dias nas páginas policiais dos jornais? De todos esses personagens, o único que será estudado com orgulho em 300 anos será o artista Chico Buarque.

CHICO BUARQUE
Tom Brasil. R. Bragança Paulista, 1.281, tel. 4003-1212. 5ª e 6ª, 22h; sáb., 21h30; dom., 18h30. R$ 300/ R$ 490. Até 22/4
As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: Estadão Conteúdo

‘O Outro Lado do Paraíso’: Nádia vai ficar apaixonada pelo netinho negro


Faltam pouco mais de dois meses para que O Outro Lado do Paraíso chegue ao fim e, de acordo com o colunista Flávio Ricco, a racista Nádia vai começar sua trajetória de redenção.
Apesar de, inicialmente, rejeitar o neto negro, filho de Diogo (Arthur Aguiar) e Karina (Malu Rodrigues), sem amenizar nas frases cheias de preconceito.
“É óbvio que você acha [o bebê] lindo. Nem preciso dizer por que… Parece que caiu em um balde de piche”, dirá durante uma conversa com Cido (Rafael Zulu).
Quando um exame de DNA comprova a paternidade de Diego, o improvável acontecerá: Nádia vai cair de amores pela criança. Mesmo que não admita, ela vai acordar de madrugada para trocar fraldas, levará o pequeno ao salão… Será que ela será perdoada?

Fonte: Metrópoles

Thammy Miranda reclama de calvície e namorada brinca: "Faz um implante"


Revista Glamour - Thammy Miranda começou esta quinta-feira (1) falando sobre o reality show de sua família, "Os Gretchens", que estreia no Multishow em abril. Mas o assunto foi interrompido quando o ator reparou em sua imagem na câmera e se assustou. "Eu tô muito careca. E agora, amor?", perguntou para a namorada Andressa Ferreira. "Faz implante", respondeu a amada de Thammy.
O filho de Gretchen continuou se autocriticando - em tom de brincadeira, é claro. "Não estou só careca. Olha as marcas de expressão! Isso aqui se chama Andressa", disse apontando para a testa. Hahaha! O clima de zoeira continuou quando Thammy pediu para que a namorada pagasse um botox. "Nem em pensamento", rebateu a loira.

Há quase 20 anos, a carroceria Urbanus, da Busscar, deixava de ser fabricada. Reveja o motivo e o seu modelo substituto!


O modelo de carrocerias Urbanus começou a ser fabricado no ano de 1987 quando esta empresa, a Busscar, ainda não tinha recebido esse nome. Fundada em 1946 pelos irmãos Augusto Bruno Nielson e Eugênio Nielson, o filho de Augusto, Harold Nielson (morto em um acidente aéreo em 30 de outubro de 1998), alterou o nome da empresa em 1989, juntando as palavras de origem alemã buss (ônibus) e car (carroceria).

Viação Garcia, em Joinville-SC (foto: Alessandro Alves da Costa/site: Ônibus Brasil)
Em 1990, entrou em circulação no país a primeira versão estilizada do Urbanus. Nele, foram alterados os faróis e a abertura as portas, que antes se abriam pra dentro. Na versão de 1994, o que diferencia, além dos faróis, são o desenho de duas janelas, a do motorista e a traseira, e os para-choques. Além disso, os quatro cantos da carroceria passaram a ser mais redondos.

Viação Rangel, de Campos dos Goytacazes-RJ (foto: Rafael Fernandes de Avellar/site: Ônibus Brasil)
Busscar Urbanus 1990
Novo ônibus Busscar Urbanus 1994 fabricado em 1997
Foto: Acervo Busscar Urbanus/Site: Ônibus Brasil
Após a morte de Harold Nielson, a fabricação do Urbanus foi descontinuada, e ele foi substituído pelo Urbanuss (com dois S), que mantinha duas características em comum com o seu antecessor, as portas e as janelas.

Busscar Urbanuss, de 1998, o sucessor do Urbanus
Empresa Via Máxima, em Fortaleza-CE (site: Fortal Bus)
Mais Fotos:

Viação Rio Vermelho, em Salvador-BA (foto: MOB Ceará)
Viação Zurick, em Joinville (foto: Alessandro Alves da Costa/site: Ônibus Brasil)
Rápido Zefir Júnior, empresa de São Paulo-SP (foto: Eduardo Natacci Junior/site: Ônibus Brasil)
Itamaracá Transportes, em Igarassu-PE (foto: Ricardo Aparecido de Morais/site: Ônibus Brasil)
Viação Teresópolis, na cidade homônima, localizada no RJ (foto: Leonardo de Oliveira Rosa/site: Ônibus Brasil)
Viação Cota LTDA, em Matozinhos-MG (foto: Luiz Othavio Matheus da Silva/site: Ônibus Brasil)
Viação São Pedro, em Salvador (foto: Luiz Lima/site: Ônibus Brasil)
Viação Canoense, ou Vicasa, em Cachoeirinha-RS (foto: Fábio Zimmer/site: Ônibus Brasil)
Viação Transol, em São Joaquim-SC (foto: Renato de Aguiar/site: Ônibus Brasil)
Viação São Pedro, em Salvador (foto: Acervo Luiz Lima/site: Ônibus Brasil)
Bahia Transportes Urbanos, em Salvador (foto: Marcelo Pereira/site: Ônibus Brasil)
Bahia Transportes Urbanos (foto: Luiz Lima/site: Ônibus Brasil)
Bahia Transportes Urbanos (foto: Emanuel/site: Ônibus Brasil)
Auto Viação Brasil Luxo, em São Paulo (foto: Maurice Gonçalves Natacci/site: Ônibus Brasil)
Violeta Transportes, ou Vitral, em Salvador (foto: Xunimm/site: Ônibus Brasil)
Empresa Florianópolis de Transportes Coletivos, ou Emflotur, de Florianópolis
foto: Windy Silva/site: Ônibus Brasil
Vitral, em Salvador (foto: William Gimenes/site: Ônibus Brasil)
BTU, em Salvador (foto: William Gimenes/site: Ônibus Brasil)
Viação São Cristóvão, em Salvador (foto: Luiz Lima/site: Ônibus Brasil)
Sociedade de Ônibus União Ltda, em Alvorada-RS (foto: Alexsandro Elvis/site: Ônibus Brasil)
Empresa Cidade de Joinville (foto: Alessandro Alves da Costa/site: Ônibus Brasil)
Cidade de Joinville (foto: João Marcos/site: Historical Buss)
Viação Mina do Vale, em Juquitiba-SP (foto: Sandro Alves/site: Ônibus Brasil)
Viação Garcia, em Mandaguaçu-SC (foto: Reginaldo Vieira/site: Ônibus Brasil)
Viação Balsa Nova, em Campo Largo-PR (foto: Daumer Marinho)
Auto Viação Imperatriz, em Joinville (foto: Daniel Budal de Araújo/site: Ônibus Brasil)
Transporte Verdemar, em Salvador (foto: Luiz Lima/site: Ônibus Brasil)
Transimão, em Contagem-MG (foto: Joase Batista da Silva/site: Ônibus Brasil)
Viação Águia Branca, em Vitória-ES (foto: Hélio Teodoro/site: Ônibus Brasil)
Viação Oeste Ocidental, no Rio de Janeiro (foto: Alex de Souza Cornélio/site: Ônibus Brasil)
Viação Madureira Candelária, no Rio de Janeiro (foto: Diego Almeida/site: Ônibus Brasil)
Transportes América, no Rio de Janeiro (foto: José Augusto de Souza Oliveira/site: Ônibus Brasil)
Transportes Santa Sofia, no Rio de Janeiro (foto: Rafael Fernandes de Avellar/site: Ônibus Brasil)
Viação São Bento (foto: Marcos Roberto Spinelli/site: ESSBus - wordpress)
Viação São Pedro (foto: Luiz Lima/site: Ônibus Brasil)
Viação São Pedro (foto: Luiz Lima/site: Ônibus Brasil)
Bahia Transportes Urbanos (foto: Emanuel E/site: Ônibus Brasil)
Viação Madureira Candelária, no Rio de Janeiro (foto: Hélio Santos de Freitas/site: Ônibus Brasil)
Transportes Campo Grande, no Rio de Janeiro (foto: Projeto Mais Ônibus/site: Ônibus Brasil)
Transportes Campo Grande (foto: Sidney Junior/site: CIA de ônibus)
Viação Villa Real, no Rio de Janeiro (foto: Roberto Marinho/site: Ônibus Brasil)
Viação Cidade de Aracaju, da cidade homônima (foto: Luan Santos/site: Ônibus Brasil)
São Cristóvão Transportes, em Aracaju (foto: Wallace Aguiar/site: Ônibus Brasil)

Auto Viação Brasil Luxo, em São Paulo (foto: Maurice Gonçalves Natacci/site: Ônibus Brasil)