terça-feira, 6 de março de 2018

#TrilhasInesquecíveis: "O Dono do Mundo - Internacional" (1991)

foto: Mercado Livre
A trilha sonora internacional da novela das oito O Dono do Mundo, que substituiu 'Meu Bem, Meu Mal' e antecedeu 'Pedra Sobre Pedra' em 1991, é composta por 14 músicas ou artistas de sucesso, conhecidos apenas por quem aprecia uma boa música.


O primeiro destaque do CD internacional é o projeto 'C+C Music Factory', que lançou em outubro do ano anterior a canção Gonna Make You Sweat (Everybody Dance Now). Ela virou um dos grandes fenômenos daquele período nos Estados Unidos ao alcançar a posição #1, e foi indicada à cinco categorias do MTV Video Music Awards: clipe do ano, melhor novo artista, melhor edição, melhor direção de arte e escolha da audiência.


A segunda faixa, I've Been Thinking About You, da banda Londonbeat, tinha pegada de dance pop e house. Lançada na mesma época do single acima, alcançou a posição #1 nas paradas de sucesso em 13 países.


O cantor Rick Astley aparece no disco com a música Cry For Help, tema da personagem Márcia, protagonista interpretada por Malu Mader. O cantor, que começou a sua carreira em 1985, aos 19 anos, estava lançando seu terceiro álbum em 1991 chamado Free, e esta canção, a segunda faixa, alcançou a décima posição nas paradas britânicas e americanas.


O rapper americano Vanilla Ice, conhecido pelo hit então recente Ice Ice Baby, lança outro single, I Love You, que é a terceira faixa. As duas canções foram extraídas de seu segundo álbum de estúdio, To The Extreme.


O single de estréia do projeto alemão Enigma, Sadness foi lançado em dezembro de 1990, e atingiu o primeiro lugar nas paradas de sucesso de 17 países, entre eles a Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Espanha, Estados Unidos, França, Itália, Reino Unido e Suécia. A canção faz parte do primeiro álbum do Enigma, MCMXC a.D., do qual saiu outros três presentes: Mea Culpa, Principles Of Lust e The Rivers Of Belief.


Susanna Hoffs, a co-fundadora da banda de rock The Bangles, está incluída na trilha sonora internacional com Unconditional Love, um single não muito conhecido, mas que caiu no gosto dos brasileiros.

Capa do álbum Show Me, do trio The Cover Girls

Girl-group formado em Nova Iorque, o The Cover Girls, formado em 1987, também faz parte do álbum de O Dono do Mundo com Spring Love, música do mesmo ano, e o segundo single do álbum de estréia, Show Me. O grupo, composto por três cantoras (Evelyn Escalera, Lorraine Munoz e Sabrina Nieves), deixou sua marca definitiva ao se tornar mais conhecido por interpretar Wishing On A Star, em 1992. No Brasil, alcançou a posição #23, e integrou a trilha sonora da novela das oito 'De Corpo e Alma', sendo usada quando aparecia em cena a personagem Yasmin, interpretada por Daniella Perez, que foi assassinada no quarto mês de exibição da trama, em dezembro de 1992.



Depois de Hey (Nah Neh Nah), a banda Vaya Con Diós lança outra canção no ano de 1990, What's a Woman?, que significa 'O Que É Uma Mulher?' em português. Ganhou aparição em mais paradas de sucesso que o single anterior, atingiu a posição #1 na Bélgica e na Nova Zelândia, enquanto a Hey (Nah Neh Nah) chegou à 7ª e a 4ª posição. What's A Woman, ao contrário do primeiro single, conseguiu entrar nas paradas francesas, e chegou à 5ª posição. As duas músicas fizeram parte do álbum Night Owls, do dia 25 de abril do mesmo ano.


Pai e filha, Nat King Cole e Nathalie Cole cantaram juntos a canção que abre o álbum, Unforgettable, usada para a personagem Stella (Glória Pires), esposa do médico Felipe (Antônio Fagundes) que se apaixona por outro homem, o jornalista Rodolfo (Kadu Moliterno).


Only Time Will Tell é a 11ª música do CD, de autoria da banda Nelson, formada pelos irmãos Matthew e Gunnar Nelson. A canção fez parte do primeiro álbum da banda então recém-formada, After The Rain, lançado em 1990. O último foi lançado em 2004.

Capa do álbum Vagabond Heart, de Rod Stewart
A 10ª faixa, You Are Everything faz parte do 16º álbum do incansável cantor Rod Stewart, e foi a 6ª do cantor a integrar uma trilha sonora da Rede Globo. Ela é uma versão do hit homônimo de 1971, gravado pela banda de soul The Stylistics. Também já fizeram suas versões deste single a banda The Pearls, e os cantores Diana Ross e Marvin Gaye, que formaram uma dupla. Os dois cantaram esta e outras 10 canções para o álbum Diana & Marvin.

Outras três músicas que aparentemente estão no álbum só para preenchê-lo são Morning Dew, de Byron Prescott e The Day That Love Died, de Revoc, e Pretty Baby (Sweet Baby), de Jeff Rubin. Ninguém conhece nem as músicas e nem os seus intérpretes.

Último capítulo de 'Tempo de amar': Lucinda e Fernão fugirão em navio de carga para escapar da prisão


Patrícia Kogut - Lucinda (Andreia Horta) e Fernão (Jayme Matarazzo) fugirão juntos no último capítulo de "Tempo de amar". Inácio (Bruno Cabrerizo) descobrirá que eles estão prestes a dar um golpe em Emília (Françoise Forton) e acionará a polícia, mas a dupla conseguirá escapar.

O casal correrá para o cais e o vilão se informará de uma partida próxima para Amsterdã:
- De lá, podemos seguir para Paris assim que desembarcarem toda a carga.
- Carga? Você não está achando que eu vou viajar em um navio cargueiro, está? - questionará a moça.
- Minha rainha. O rato roeu o nosso sonho. É melhor partirmos logo, antes que a polícia apareça e tenhamos que fugir pelo mar a braçadas.
- Está certo. Sempre há uma primeira vez para tudo.
- Dei uma gorjeta para um marinheiro que vai colocar-nos dentro do navio clandestinamente - contará ele.

Fernão e Lucinda, então, viajarão escondidos, num espaço escuro e quente. Passados alguns dias, a filha de Reinaldo (Cássio Gabus Mendes) vai reclamar das condições:
- Estamos há tanto tempo nesse maldito navio. Nesse calor infernal. Tendo que surrupiar comida e água. Sempre escondidos. Se fosse para viver esse calvário, preferia ter ficado em São Vital.
- Nós seríamos presos. Duvidas?
- Já sinto-me presa aqui. Será esse inferno até o final da viagem?
- Quando chegarmos a Amsterdã, será o paraíso.
- Duvido. Vamos viver de quê, lá?
- A aplicar golpes, Lucinda. Somos bons nisso! A dupla perfeita.

Lucinda continuará incomodada e Fernão tentará beijá-la, mas será rejeitado. Os dois seguirão trocando farpas. Esta será a última cena dos personagens na novela das 18h.

Socialite Day Mccarthy sofre acidente e estaria entre a vida e a morte


Portal A Tarde - Day McCarthy, que ficou conhecida por fazer comentários racistas contra a filha de Bruno Gagliasso e Giovana Ewbank, teria sofrido um grave acidente de carro no domingo, 4, e está entre a vida e a morte, de acordo com o Portal R7. A informação foi divulgada por sua assessoria de imprensa.
Por meio de um vídeo no Instagram, o assessor da socialite pede para que os seguidores orem por ela. Não há atualização sobre o estado de saúde dela.

Enquete UOL: Eliminado do paredão do BBB18 pode surpreender o público


Portal Overtube - Os amigos Paula, Gleici e Mahmoud lutam pela permanência no jogo em um paredão que – eles não sabem – mas será “Vai e Volta” Segundo a enquete do UOL, o eliminado do paredão do BBB18 será Mahmoud com 46,60% dos votos. A segunda mais votada, Paula seguirá na casa e Gleici será colocada num quarto secreto, onde ficará até sexta-feira. Ao sair, ganhará o poder da imunidade e deverá indicar uma pessoa para o Paredão seguinte.


Durante o Raio-X dessa segunda-feira, dia 05, os emparedados defenderam sua permanência no jogo. Mahmoud lamentou estar na berlinda com duas amigas, mas mostrou ‘sangue nos olhos’. “Se eu sair amanhã, me sentirei derrotado, sem conseguir contra-atacar as pessoas que me colocaram nessa situação de risco inúmeras vezes”, explicou o sexólogo.
Gleici e Paula também demonstraram tristeza com a indicação e, principalmente, pela disputa ser entre pessoas tão próximas. “Estou numa situação difícil, já que estou com Paula e Mahmoud, mas, deixa eu ficar aqui”, pediu a estudante de psicologia. Já Paula, disse que está gostando do jogo e quer continuar na disputa. “Estou com dois amigos, não quero sair agora. Vim para jogar e o game começou a esquentar. Quero ficar, estou gostando do jogo”, falou a empresária.
O ‘BBB18′ tem direção-geral de Rodrigo Dourado e apresentação de Tiago Leifert. O programa vai ao ar às segundas, terças, quintas, sextas e sábados logo após ‘O Outro Lado do Paraíso’, às quartas depois do futebol e aos domingos, após o Fantástico’.

Por unanimidade, STJ nega habeas corpus preventivo e dá aval à prisão de Lula


Por unanimidade (5 votos a 0), a Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou em julgamento nesta terça-feira (6) a concessão de um habeas corpus preventivo pedido pela defesa para evitar a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
O objetivo do julgamento foi decidir se o petista pode começar a cumprir pena de 12 anos e 1 mês de prisão determinada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região depois de esgotados os recursos ao próprio TRF-4. Lula ainda tem recursos pendentes no TRF-4 e no STF.
Lula foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex no Guarujá (SP). Após proferir a sentença condenatória, os desembargadores do TRF-4 determinaram a prisão logo após a conclusão da tramitação, no próprio tribunal, dos recursos da defesa. A decisão tem por base entendimento do STF , de outubro de 2016, segundo a qual a pena pode começar a ser cumprida após condenação em segunda instância da Justiça (caso do TRF). O habeas corpus preventivo impetrado pela defesa de Lula tem por objetivo evitar essa prisão.

RESUMO
  • O que pediu a defesa ao STJ: a concessão de um habeas corpus preventivo para impedir que Lula seja preso depois de julgado o último recurso no TRF-4, que condenou o ex-presidente a 12 anos e 1 mês de prisão
  • O que argumenta a acusação: para o Ministério Público, o entendimento em vigor do Supremo Tribunal Federal (STF) estabelece que é possível a prisão após condenação em segunda instância (caso do TRF-4)
  • O que decidiram os ministros do STJ: Félix Fischer, Jorge Mussi, Reynaldo Soares da Fonseca, Marcelo Navarro Ribeiro Dantas e Joel Ilan Paciornik negaram a concessão do habeas corpus preventivo porque entenderam, com base em decisão do Supremo de outubro de 2016, que não há ilegalidade na prisão após condenação em segunda instância.

Félix Fischer
Citando decisões recentes do Supremo Tribunal Federal (STF) que permitem a condenação após segunda instância, o relator, ministro Félix Fischer, foi o primeiro a votar.
Ele destacou que, nos recursos que Lula vier a apresentar nas instâncias superiores, não será mais possível reexaminar os fatos e provas do processo, no qual o ex-presidente foi considerado culpado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
O ministro, no entanto, considerou que, na análise de cada caso concreto, é possível suspender a execução da pena. No caso de Lula, porém, Fischer considerou que o processo do ex-presidente ainda não foi finalizado no TRF-4. Por isso, não caberia analisar neste momento a pertinência de deixar Lula recorrer em liberdade.
Pelo mesmo motivo, o relator disse que não poderia atender, na atual fase do processo, pedido da defesa que permita a Lula se candidatar à Presidência da República. Pela Lei da Ficha Limpa, a condenação pelo TRF-4 o torna inelegível.
Para Fischer, no entanto, suspender essa proibição implicaria “indevida supressão de instância”, já que o processo ainda não encerrou sua tramitação na segunda instância.
Em seu voto, Fischer também fez menção à condenação de Lula na primeira instância, na qual o juiz federal Sergio Moro destacou “declarações inadequadas” de Lula contra a atuação do Judiciário e do Ministério Público em seu processo, classificadas como “tentativa de intimidação da dos agentes da lei”.
O relator também citou decisão do TRF-4, que confirmou a condenação por corrupção e lavagem de dinheiro, sobretudo pela gravidade dos crimes de colarinho branco.
“Frente a tais considerações não se vislumbra qualquer ilegalidade de que o paciente [Lula] venha a iniciar o cumprimento provisório da pena. Denego a ordem de habeas corpus”, concluiu Fischer.

Jorge Mussi
Segundo a votar no julgamento do habeas corpus preventivo, o ministro Jorge Mussi também se manifestou em favor da possibilidade de prisão de Lula após o julgamento de recurso em segunda instância.
Ele considerou que ainda não foi demonstrada qualquer ilegalidade ou abuso no processo ao qual Lula responde e a ordem de prisão sequer foi expedida.
“O que se revela, ao meu sentir no momento, é a inexistência de risco concreto a liberdade de locomoção”, afirmou.
Para ele, “a mera suposição de que o paciente será preso não constitui ameaça concreta à sua liberdade”.
Mussi também citou precedentes do STF e do próprio STJ que permitem a execução da pena após condenação em segunda instância.
“O entendimento da Suprema Corte tem sido observado tanto pela primeira quanto pela segunda turma do tribunal. Não havendo que se falar, portanto, em necessidade de motivação da prisão após o esgotamento das instâncias ordinárias”, afirmou.

Reynaldo Soares da Fonseca
Terceiro a votar no julgamento, o ministro Reynaldo Soares da Fonseca formou maioria no STJ para negar o pedido para evitar a prisão de Lula.
No voto, ele contestou argumentos da defesa de que o ex-presidente deveria recorrer em liberdade por não ter atrapalhado o processo.
Fonseca disse que a conduta é levada em conta apenas quando se trata de prisão preventiva, isto é, anterior à condenação.
No caso de Lula, a condenação em segunda instância independe da conduta do réu no andamento da ação. Ele ressaltou que o entendimento do STF que permite a execução provisória da pena tem efeito vinculante.
“Nesta corte [STJ] somente seria possível [reverter o entendimento do STF] se o caso em julgamento fosse distinto do precedente. Ou se fosse hipótese de alteração de condições ou requisitos, o que não acontece nos autos”, completou em seguida.

Marcelo Navarro Ribeiro Dantas
Autor do quarto voto contra Lula, o ministro Marcelo Navarro Ribeiro Dantas refutou todos os argumentos da defesa.
Disse que várias questões alegadas pelos advogados – como a incompetência de Sergio Moro para julgar o caso, o aumento da pena pelo TRF-4 e a suposta inexistência de lavagem de dinheiro – não poderiam ser levadas em conta no habeas corpus.
“Essas coisas todas ainda não foram exauridas no tribunal de origem e implicam exaurir instância”, afirmou no voto.
Assim como os demais ministros, rejeitou também pedido de Lula para poder se candidatar nas eleições. “É matéria estranha e impertinente num habeas corpus”.
Por fim, afirmou não haver motivo para tratamento diferenciado para Lula.
Ele lembrou que já defendia a execução de pena após segunda instância desde sua sabatina no Senado, em 2015, quando teve o nome aprovado para o STJ. Afirmou que a demora para analisar o processo em todas as quatro instâncias pode levar à prescrição, impossibilitando a punição.

Joel Ilan Paciornik
Quinto e último a votar no julgamento, o ministro Joel Ilan Paciornik também negou o pedido a defesa e tornou unânime a decisão no STJ contra Lula.
No voto, lembrou que recursos contra a condenação ao próprio STJ e o STF não têm efeito suspensivo, para evitar a prisão após a condenação de segunda instância.
Depois, disse não haver demonstração de qualquer ilegalidade no processo contra o ex-presidente.
Por esse motivo, justificou, não há “margem para se falar em constrangimento ilegal de liberdade de locomoção do paciente”.

Defesa
O julgamento começou pela leitura do relatório do caso, pelo relator, ministro Félix Fischer. Em seguida, falou o advogado de Lula, José Paulo Sepúlveda Pertence, ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal (STF).
Sepúlveda Pertence afirmou que a decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) que mandou prender o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não apresentou os motivos sobre a necessidade da medida após a condenação.
Pertence falou em defesa do petista no julgamento pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) de um habeas corpus preventivo com o objetivo de evitar a prisão, que poderá ser decretada logo após o julgamento de um recurso no TRF-4. A decisão é da Quinta Turma do STJ e depende da maioria de três votos entre os cinco magistrados da turma.
Para Sepúlveda Pertence, “o acórdão do Tribunal Regional é despido de qualquer ensaio de fundamentação concreta, salvo a invocação impertinente da decisão plenária do STF”.
Ele fez referência a decisões do STF de 2016 que permitiram a execução da pena após uma condenação em segunda instância. Pertence observou que, ao mandar prender Lula, o TRF-4 somente citou as decisões do STF e uma súmula do próprio tribunal com essa orientação. O advogado disse que a execução provisória da pena não é “compulsória”, mas trata-se apenas de uma possibilidade.
No início de sua fala, Pertence disse que não discutiria, neste momento, “o abuso kafkiano da condenação em primeiro grau” – pelo juiz Sérgio Moro – “nem da multiplicação desatinada da dosimetria da pena pelo juízo da apelação”, em referência ao aumento da pena, de 9 para 12 anos de prisão pelo TRF-4. “Essa ordem de prisão é invalida sob vários aspectos”, disse o advogado.
Na tribuna, Pertence criticou reportagens de que a defesa de Lula estaria fazendo “tráfico de influência” junto a tribunais superiores para livrá-lo da prisão. O advogado disse que sua defesa se limita a defender a presunção de inocência de qualquer cidadão, princípio pelo qual uma pessoa só é considerada definitivamente culpada após o final do processo na Justiça.
“Não trato do paciente nem de suas qualificações. O que se pretende é a reafirmação do princípio constitucional básico da presunção de inocência, que serve e protege qualquer cidadão, tenha ele sido presidente da República ou não”, disse.
Na sessão, os ministros do STJ também vão decidir se, no caso específico de Lula, cabe aplicar entendimento já firmado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) que permite a execução da pena após a condenação em segunda instância.

Ministério Público
Em nome do Ministério Público, o subprocurador subprocurador da República Francisco Sanseverino citou decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) para defender a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva após o julgamento de seu recurso contra a condenação no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), de segunda instância.
Em sua manifestação no julgamento no Superior Tribunal de Justiça (STJ) de habeas corpus que visa evitar a prisão de Lula, Sanseverino disse que o entendimento do STF que permite a prisão após condenação em segunda instância já foi incorporada pela jurisprudência do próprio STJ e também pelo TRF-4.
O representante do MP também argumentou que o STJ não deveria levar em conta vários dos argumentos da defesa, porque ainda não houve decisão do próprio TRF-4 em relação ao recurso de Lula contra a condenação. “Haveria supressão de instâncias se se avançasse no exame dessas questões”, concluiu, reiterando o pedido de prisão.

Fonte: G1

Australiana encontra mensagem jogada ao mar por alemães há 132 anos


O Globo - Uma australiana que caminhava por uma praia da Austrália encontrou, sem querer, uma garrafa com uma mensagem lançada há quase 132 anos. Trata-se da mensagem em garrafa mais antiga do mundo. De início, Tonya Illman não percebeu que havia um papel dentro do recipiente. Ela passeava com a amiga Grace Ricciardo pelas dunas perto da Ilha de Wedge, no Oeste da Austrália, quando viu a garrafa e a levou para decorar sua sala de estar. Depois, observando com calma as letras em relevo, percebeu que tinha algo lá dentro. A australiana encontrou, então, um papel escrito em alemão com data de 12 de junho de 1886.


"Parecia totalmente improvável que aquela nota e aquela garrafa poderiam ter durado tanto tempo", destacou o marido de Tonya, Kim Illman, ao jornal britânico "The Guardian".


Garrafa fazia parte de experimento
A pequena carta estava amarrada com fios e teve a autenticidade comprovada pelo Museu Australiano Ocidental. O curador assistente de arqueologia marítima do museu, Ross Anderson, explicou ao "Guardian" que a garrafa foi jogada ao mar por tripulantes do navio Paula, no Oceano Índico, a 950 quilômetros da costa australiana. Eram alemães que realizavam um experimento com milhares de garrafas cujas trajetórias ajudariam a monitorar correntes marinhas.


As mensagens levavam as coordenadas do navio, a data e o nome da embarcação. Anderson usou as informações da garrafa achada por Tonya para confirmar a autenticidade do documento e ainda comparou a letra da mensagem com a de boletins meteorológicos da época do navio Paula.
"Incrivelmente, houve um registro em 12 de junho de 1886 do capitão que relatava o lançamento de uma garrafa ao mar", ressaltou o curador, que teve as análises ratificadas pelo Observatório Naval Alemão.
A mensagem mais antiga encontrada até então datava de 108 anos atrás. Outras 662 notas do experimento alemão foram recuperadas — a mais recente, de 1934.

William Waack diz que fez piada e não considera comentário racista


Correio do Estado - O jornalista William Waack, 65, participou de uma entrevista na noite desta segunda-feira (5) com o apresentador Fábio Porchat, na qual relembrou os motivos que o fizeram ser afastado da bancada do Jornal da Globo (Globo) no ano passado.
Porchat questionou Waack se a polêmica frase dita pelo jornalista -que o barulho de uma buzina é "coisa de preto"- havia sido racista. "Não, pelo simples fato de que um pensamento racista jamais será uma piada. [...] Sempre fui um tremendo de um gozador. Todas as piadas menos politicamente corretas que você possa imaginar eu faço."
A declaração de Waack aconteceu antes de uma entrevista com Paulo Sotero, diretor do Brazil Institute, do Wilson Center, num estúdio em frente à Casa Branca, nos EUA, em 2016. Porém, o vídeo com o comentário polêmico foi divulgado apenas em novembro de 2017 por um ex-operador de VT da Globo.
Waack afirmou que fora julgado por uma brincadeira. O jornalista disse ainda que a omissão, na época, fora em decorrência do contrato que ainda tinha com a emissora. Ele diz ter ficado incomodado por não poder se defender, especialmente por ser o tipo de pessoa que "fala o que pensa na cara".
Com o vazamento do vídeo, Waack foi afastado e, depois, desligado da Globo em 22 de dezembro. Em janeiro deste ano, o jornalista escreveu um artigo para a Folha de S.Paulo, rompendo o silêncio sobre as acusações de racismo.
Já em entrevista à Folha de S.Paulo, ele disse que o comentário foi feito em tom de brincadeira e que não tinha a intenção de ofender. No Programa do Porchat (Record), Waack comentou as críticas que recebeu: "Caraca, o Brasil virou um país que só tem nego certinho, bicho (sic)".
William Waack afirmou que terá um programa jornalístico, chamado Painel WW, nas plataformas digitais. O novo formato será semelhante ao que apresentava na Globo News, porém, haverá plateia que irá interagir com o tema debatido e com os especialistas.

Viúva de Chorão faz homenagem nos cinco anos sem o cantor: "Lembra daquela estrela?"


Clic RBS - A morte de Alexandre Magno Abrão aos 42 anos pegou o Brasil de surpresa em março de 2013, quando o corpo do vocalista da banda Charlie Brown Jr foi encontrado sem vida em seu apartamento em São Paulo. Nesta terça-feira (6), a partida de Chorão completa cinco anos. Sua esposa, Graziela Gonçalves, emocionou os fãs do cantor com uma homenagem ao ex-companheiro.
"Lembra daquela estrela? Aquela mais brilhante, pra quem a gente pediu tantas coisas numa noite de verão e que virou tatuagem na nossa pele? É pra ela que eu olho quando eu quero falar com você. A luz é toda sua. Tenho certeza que você escuta. Não só a mim, mas a tantas pessoas que levam o teu nome nas orações que mandam pro céu. E assim você se torna eterno. Pra sempre gravado no coração de todos que te amaram e ainda te amam e que tem a certeza de que nada foi em vão", escreveu Graziela na legenda de uma foto publicada no Instagram.
O casal ficou junto por 15 anos. Em declarações feitas após a morte do cantor, Graziela revelou que ele entrara em um estado depressivo quando voltou a usar drogas nos meses que precederam a tragédia. Também contou que a família do músico tentou interná-lo compulsivamente.
— Eu fiz de tudo para salvar o Chorão. Sempre tentei cortar as fontes de fornecimento de drogas, mas por ele ser uma pessoa muito conhecida era fácil conseguir fornecedores — confessou Graziela à revista IstoÉ.

Uma publicação compartilhada por Graziela Gonçalves (@graziela_goncalves) em

Uma onda de saudade tomou conta das redes sociais nesta terça-feira, fazendo com que o nome de Chorão chegasse no topo dos assuntos mais comentados no Twitter pela manhã. Parte das homenagens usou de letras de músicas compostas pelo cantor, líder de uma das bandas mais representativas no Brasil, conhecida por canções que marcaram a juventude no início do ano 2000. Poucos meses após a perda de Chorão, o baixista Champignon também foi encontrado morto em casa, aos 35 anos. Os dois mantinham uma relação muito próxima e um pouco conturbada.







Naldo e Ellen Cardoso reatam casamento após agressão: "Estamos juntos"


A confirmação foi feita pelo cantor nesta terça-feira (6), ao responder internauta em seu Instagram. "Deus faz milagres! Estamos juntos, sim! Firme e forte", escreveu ao ser questionado sobre uma possível volta do casal.


Mais cedo, ainda na madrugada, Naldo compartilhou um vídeo em que aparece com a filha, Maria Victória, de três anos, e com a mulher. Nas imagens, os três estão sentados em um sofá, sorridentes. O cantor segura um microfone e incentiva a menina a cantar enquanto a companheira apenas observa. “A Glória é de Deus”, escreveu na legenda.
Ao denunciar agressão, Moranguinho disse ter recebido socos, tapas, puxões de cabelo e até uma garrafada. Em seu depoimento, a companheira de Naldo acrescentou que sofreu com a violência doméstica ao longo dos sete anos em que conviveu com o artista, que pediu perdão e garantiu que buscaria ajuda de um terapeuta para mudar suas atitudes.
Algumas semanas depois, Moranguinho sugeriu uma possível reconciliação ao postar em seu Facebook um desabafo. “Ele é o pai da minha filha o homem que eu construí uma família que escolhi viver ao seu lado na saúde ou na doença, na riqueza ou na pobreza até que a morte nos separe... E isso merece respeito. O nosso futuro a Deus pertence e todas as coisas conspiram para o bem dos que amam a Deus... Então, deixo em suas mãos e creio que ele nos dará direcionamento, seja ele para seguirmos nossas vidas ou para reconstruir nossa família. Eu só desejo que sejamos felizes e que tudo que seja feito seja para o nosso bem. Respeitem o nosso momento está sendo muito difícil para todos nós, não julguem sem nos conhecer, por trás de tudo isso existem pessoas igual a você, uma família que sofre, uma filha que chama pelo pai, cheia de saudade... Um homem cheio de amor desesperado para reparar seus erros e uma mulher com o coração muito ferido, mas que precisa ser forte pra recomeçar”, afirmou.
O vídeo, retirado de uma transmissão ao vivo de fanpage, também foi publicado por Naldo Benny na íntegra no Youtube:

Teste do Facebook é realmente um simples passatempo?


Portal Municípios - Muitos usuários das redes sociais enxergam as comunidades virtuais como uma forma de passatempo e desconsideram quesitos importantes como a privacidade. Ao se depararem com jogos e testes do Facebook que viralizam em sua timeline e despertam o interesse, os usuários acessam e permitem também o acesso às informações pessoais para obterem os resultados e, com isto, desconsideram a proteção aos próprios dados pessoais.
Um dos exemplos recentes que reacendeu a discussão sobre a segurança da informação prestada por meio de aplicativos foi o teste Como Você Seria Se Fosse Do Gênero Oposto?, que viralizou nas redes sociais nos últimos dias. Criado pela startup russa FaceApp, o teste disponível no site da Kueez solicita login no Facebook e, consequentemente, acesso obrigatório às informações públicas de perfil (foto de perfil, idade, sexo, amigos, interesses, entre outras) e facultativo à data de nascimento, todas as fotos carregadas pelo usuário, fotos em que foi marcado e endereço de e-mail).
Em geral, as informações são concedidas por desconhecimento. É comum que o usuário não saiba que é possível editar os dados ou, no caso da maioria, consentir o acesso aos dados sem antes ler as permissões. Informações básicas de perfil, imagens postadas, marcações em fotos, páginas curtidas, postagens na timeline, grupos que participa – todos esses dados podem ser disponibilizados, caso o usuário não leia atentamente às permissões.

Como as empresas usam os dados?
As informações obtidas podem ser usadas de diversas formas uma vez que a legislação brasileira não limita completamente o uso dessas informações. Isto abre brecha, por exemplo, para a comercialização dos dados (fotografias, interações, interesses, localização, entre outros) para outras empresas sem o consentimento do usuário.

Como posso impedir a obtenção dos meus dados?
O usuário tem como evitar que grande parte desses dados sejam adquiridos: ao clicar na opção “fazer teste”, surge a tela de permissões informando quais dados o desenvolvedor deseja adquirir. Abaixo da mensagem, é mostrada a opção “Editar Isso”, que permite ao usuário retirar as autorizações.

Já compartilhei os meus dados. E agora?
Caso as informações já tenham sido compartilhadas, é possível alterar as permissões dos desenvolvedores dos testes do Facebook ao acessar as “Configurações” e, em seguida, “Aplicativos”. Nesta seção, o usuário encontra a lista de todos os aplicativos que têm acesso às informações pessoais e, para removê-los basta selecionar o “x” ao lado de cada um.
De acordo com o Facebook, “o aplicativo ou jogo pode ter armazenado informações de quando você o usava, mas é possível entrar em contato com o desenvolvedor e pedir que ele exclua todas as informações que possa ter armazenado”. Após a remoção, é possível remover histórias antigas já publicadas e o aplicativo não terá autorização para realizar publicações futuras.

Aprendizado no ambiente virtual
Utilizar o ambiente virtual como uma plataforma de aprendizado é uma opção inteligente para quem vive conectado e deseja se qualificar mais para o mercado de trabalho. Nos últimos anos, o crescimento da oferta de Educação Superior EAD foi maior do que a presencial, especialmente desde que o Ministério da Educação (MEC) atualizou a regulamentação da modalidade em junho de 2017. Desde então, houve a ampliação da procura por cursos online no país.
Uma dica para quem gosta de estar constantemente conectado é utilizar o Facebook como fonte de pesquisa. Quem está interessado em qualificar-se para o mercado de trabalho pode visitar a fanpage doEduca Mais Brasil 2018, o maior programa de inclusão educacional do Brasil. Com o programa, é possível adquirir bolsas de estudo com descontos de até 70% nas mensalidades dos cursos EAD e presenciais em todo o país. A inscrição é gratuita e pode ser feita clicando aqui.

'O Outro Lado do Paraíso' - Mariano é a próxima vítima de Sophia


Sophia (Marieta Severo) estará pronta pra matar nos próximos capítulos! A mulher da tesoura faz de Mariano (Juliano Cazarré) a sua mais nova vítima por ele saber que ela matou Agenor, um homem com quem teve um caso por anos, também à tesouradas.
Como em outros assassinatos, ela será flagrada cometendo o delito, e dessa vez por Zé Victor (Rafael Losso), que arrancará a tesoura das mãos da vilã. "Matou ele de morte bem matada. Não tem o que explicar, dona Sophia. Eu vi quando deu as tesourada. Nem tentei salvar pra não morrer também. A senhora tá ferrada", dirá o atual chefe do garimpo para a vilã, que dirá ter sido traída como justificativa para o crime e ainda negociará com o rapaz: "Me ajuda a sumir com o corpo. Não vai se arrepender".
Antes disso, Mariano vai até o bordel para investigar a megera. Para isso, irá arrancar toda a verdade da boca de Caetana (Laura Cardoso), que revelará que o assassinato aconteceu quando a Sophia ainda fazia muita vida.
Ao que parece, de acordo com o último bloco de capítulos entregue ao elenco, Mariano irá sobreviver graças à ajuda de Zulmira, a Mãe do Quilombo (Zezé Motta), que aparecerá dando ervas para uma pessoa misteriosa.
As cenas de 'O Outro Lado do Paraíso' estão previstas para ir ao ar no começo de abril.

Vejam Giovanna Antonelli como a personagem Luzia, de 'Segundo Sol'

A próxima novela das nove, Segundo Sol, estreará em maio e todos já começaram os preparativos desde já. A atriz Giovanna Antonelli, que interpretará Luzia, a protagonista, posou para a foto abaixo caracterizada como a personagem, que se envolverá com o personagem de Emílio Dantas, um cantor de axé que forjará a própria morte para voltar a fazer sucesso assumindo uma nova identidade.
E quase que Giovanna não assumiria seu papel, pois houve boatos de que ela seria substituída por "não ter cara de baiana".


Segundo Sol é a segunda novela dela, que já é praticamente produto fixo de João Emanuel Carneiro, o autor. Antes, ela atuou em 'Da Cor do Pecado', como a vilã Bárbara Sodré, e em 'A Regra do Jogo', como a também vilã Atena Torremolinos.

Avião russo cai na Síria e mata todos os passageiros e tripulantes

Base aérea russa Khmeimim, localizada na cidade síria Latakia (Ministério da Defesa da Rússia/Divulgação)
Todos os 26 passageiros e 6 tripulantes morreram após avião de origem russa cair na província de Latakia, na Síria. As autoridades russas deduziram que esse trágico acidente pode ter sido causado por uma falha mecânica, e o local da queda fica a 300 km da região de Guta, onde acontecem os frequentes ataques e bombardeios entre o governo sírio e rebelde. As informações são dos sites G1 e Exame.