domingo, 20 de maio de 2018

Cris Vianna será Cairu em 'O Tempo Não Para'; veja primeira foto

Atriz dará vida a uma escrava linda e muito inteligente na nova novela das 7


Depois do sucesso no Dança dos Famosos, Cris Vianna está escalada para voltar às novelas 😍 A atriz será Cairu em O Tempo Não Para, nova novela das 7. Seu último papel na telinha foi em A Regra do Jogo. Confira a primeira foto da nova personagem!


Na trama de Mario Teixeira, Cairu é uma escrava linda de viver - e que promete uma série de reviravoltas. 😅 Trabalhando na casa de Dom Sabino (Edson Celulari) e Dona Agustina (Rosi Campos), ela é uma das sobreviventes do naufrágio do Albatroz, em 1886. Congelada, irá despertar nos dias atuais e usará sua inteligência e beleza para encontrar um caminho no novo século.
Escrita por Mario Teixeira e com direção artística de Leonardo Nogueira, O Tempo Não Para está prevista para estrear em julho. A trama conta com colaboração de Bíbi Da Pieve e Tarcísio Lara Puiati, e direção-geral de Marcelo Travesso e Adriano Melo.

Com 140 episódios inéditos no Brasil, Chaves e Chapolin estreiam nesta segunda no Multishow

Raúl Padilla, Rúben Aguirre, Maria Antonieta de Las Nieves, Roberto Bolaños, Edgar Vivar, Florinda Meza e Angelines Fernandez
O Povo - Após cerca de quatro décadas sendo exibidas pelo SBT, as séries mexicanas Chaves e Chapolin serão transmitidas pelo canal Multishow. A partir desta segunda-feira, 21, as comédias serão transmitidas às 23h diariamente em ordem cronológica. Além dos já conhecidos esquetes icônicos que marcaram a infância de muitos brasileiros, o canal apresentará 140 episódios inéditos no País.

Bolaños como Chapolin Colorado
O programa TVZ Ao Vivo fará uma edição especial para comemorar o começo da exibição das séries no canal. Uma live na página do Facebook do Multishow será comandada por Édgar Vivar, ator que interpretou Seu Barriga e Nhonho, dois personagens marcantes das séries. Logo após, às 19h, o programa ao vivo contará com os humoristas Rafael Infante e Gabriel Louchard para introduzir aos fãs de Chaves a nova programação.
O canal decidiu comprar os direitos para as séries após pesquisas com fãs. Por meio disso, foi selecionado a forma como seriam exibidas as atrações. Diariamente, com episódios em ordem cronológica e no período da noite. Esta foi a melhor forma escolhida pela emissora.

´Toda vez que o adolescente falar sobre suicídio a gente tem que levar a sério, tem que agir’, alerta psicóloga

Karen Scavacini, membro do CVV, defende que a imprensa fale sobre o assunto
Emais (Estadão) - A divulgação de que dois alunos do ensino médio do Colégio Bandeirantes, um dos mais tradicionais e conceituados de São Paulo, suicidaram-se em casa em um intervalo de pouco mais dez dias e a estreia da segunda temporada de 13 reasons why na Netflix, série que fala sobre o suicídio de uma adolescente e sobre as causas e as consequências dessa ação na vida de seus amigos e de sua família, trouxe à tona um dos grandes dilemas da imprensa: devemos falar abertamente sobre suicídio?
Até pouco tempo atrás, a mídia evitava o assunto baseada no “efeito Werther”, termo inspirado no romance “Os sofrimentos do Jovem Werther”, de Goethe, que defende que um suicídio publicizado serve como gatilho para o suicídio de pessoa suscetível e sugestionável. (Após a publicação do livro teria ocorrido uma onde de suicídios na Europa, atribuída à influência do personagem que, sofrendo por um amor impossível, tira a própria vida.) Mas, hoje em dia, muitos estudiosos do assunto, como a Doutora em Psicologia pela USP e membro do Conselho do CVV (Centro de Valorização da Vida), Karen Scavacini, têm uma outra visão sobre a questão. Ela acredita que o suicídio precisa ser exaustivamente debatido pela imprensa, que deve noticiar os casos “sem julgar e sem romantizar”, opina. A psicóloga alerta que os pais não podem minimizar quando os filhos dizem que podem ou desejam se matar, acreditando na máxima de “quem fala, não faz”. “Se o adolescente está falando, a gente precisa dar atenção, precisa começar uma conversa aberta, franca e cuidadosa para entender se esse jovem realmente está pensando em cometer suicídio”, alerta.

Blog: Esse aumento no número de suicídios é sintoma de alguma coisa? Se sim, do quê?
Dra. Karen: Esse aumento de suicídios observado nos registros do Ministério da Saúde (65% entre jovens de 10 a 14 anos, de 2000 a 2015) e os suicídios que a gente tem visto nos colégios – é bom que se diga que não são apenas naqueles da rede particular que isso existe – faz com que a gente perceba que essa geração está com mais dificuldade para lidar com as frustrações, porque desde criança não as tem enfrentado. E isso faz com que, na adolescência, qualquer decepção que aconteça se torne algo muito maior, porque não houve espaço para essa criança desenvolver resiliência.
Mas o jovem também tem enfrentado uma pressão muito maior, tanto da sociedade quanto de seus pais, para ser bem-sucedido e para conquistar muitas coisas. Dá para perceber, ainda, que existe uma mudança nos relacionamentos, que estão ficando muito virtuais. Há muitas famílias que praticamente se comunicam somente por Whatsapp e por Facetime e que não têm uma conversa aberta com os filhos, sobre os assuntos que surgem na adolescência. Também percebo que há um crescente aumento no uso de álcool e de drogas pelos jovens, de casos de ansiedade e de depressão, também como um reflexo da dificuldade que enfrentam dentro dessa sociedade. Outra coisa digna de nota é o aumento do cyberbullying, o assédio virtual, algo que está fugindo ao controle, e os jovens não sabem lidar com isso.

Blog: As redes sociais estão piorando essa ansiedade entre os jovens?
Dra. Karen: Já existe algo que a gente chama de “efeito Facebook”, que é quando os jovens acreditam em tudo o que eles veem na rede social, que todo mundo tem uma vida mais legal que a deles, que a tristeza não é algo que faça parte da vida das pessoas. Aí quando ele se vê triste não reconhece esse sentimento como algo normal, que acontece e que vai passar.

Blog: Os adolescentes que pensam em suicídio costumam dar sinais que os adultos de repente não estão percebendo? É possível que os pais achem que está tudo bem e não esteja tudo bem?
Dra. Karen: Sim. O que acontece é que, às vezes, os sinais não são assim tão fáceis de serem percebidos. Até pela série (13 reasons why) dá para ver pela Hannah. Todos que assistiram à série percebem que ela tem depressão, mas esses sinais não são tão claros assim para quem está de fora. O que a gente tem que observar? O adolescente já é meio entediado por natureza, mas temos que ficar de olho em um tédio que é constante. Se ele tem dificuldade de concentração, descaso com a aparência, se tem tirado notas ruins, se o interesse pela escola diminuiu e se há má conduta na sala de aula. Também deve chamar a atenção algumas dores físicas, como dor de cabeça, de estômago, que não são muito bem explicadas pelo contexto, intolerância com as pessoas, maior agressividade, principalmente em meninos. Com as meninas há um dificuldade em receber elogios, baixa auto-estima, perda de prazer em realizar atividades, algo bem típico da depressão, quando nada mais agrada, nada mais dá prazer. E também tem de prestar atenção quando o adolescente começa a falar ou a fazer posts nas redes sociais, dizendo ‘que não aguenta mais’, ‘que a vida está muito ruim’, que ele logo vai ‘resolver tudo isso’. E toda vez que se falar em morte, em suicídio, a gente tem que levar a sério, tem que agir. Tem pais de adolescentes que dizem que é uma tentativa do adolescente de “chamar a atenção”, de dizer que quem ‘fala não faz”. De forma alguma. Se o adolescente está falando, a gente precisa dar atenção, precisa fazer alguma coisa e essa “alguma coisa” tem que começar com uma conversa aberta, franca e cuidadosa para entender se esse jovem realmente está pensando em cometer suicídio, se ele pensa em morte, a frequência que ele pensa nisso, para depois disso levar para uma avaliação ou psiquiátrica, ou psicológica, ou para as duas.


Blog: O adolescente que pensa em suicídio necessariamente tem depressão?
Dra. Karen: Sim. A maioria deles. Só que nos jovens essa depressão não é diagnosticada tão facilmente e eles muitas vezes não apresentam os sintomas clássicos da depressão.

Blog: A depressão do jovem é facilmente confundida com ‘sintomas’ da adolescência?
Dra. Karen: Sim. O que vai dizer pra gente que esse ‘sintoma’ da adolescência vai virar depressão é o quão intenso ele é e quanto tempo dura. A adolescência é um período de crise, você espera que eles tenham altos e baixos dentro desse período. Uma coisa é ficar mal quando terminou com a namorada, ficar mal quando se está lidando com o término de relacionamento, quando se tirou notas baixas. Isso não é depressão. Outra coisa é o jovem começar a ficar mal sem você entender de onde isso veio, quando ele sente desesperança, quando acha que nada vai melhorar, quando não se sente capaz de fazer nada, onde acha que é muito inadequado. Se passou um mês e esse adolescente continua do mesmo jeito, na mesma intensidade, daí vale a pena investigar, isso é um sinal. Para você perceber todas essas alterações de comportamento você precisa olhar para esse adolescente, ter contato com esse adolescente. E o que a gente vê são jovens muito sozinhos, distantes da família – e eu não estou culpando as famílias, porque o suicídio é algo multifatorial, ter problemas com a família é apenas um dos fatores dessa história toda. Mas para a gente perceber que tem alguma coisa estranha com esse adolescente você precisa prestar atenção nele, senão os sintomas da depressão passam despercebidos.

Blog: Esse assunto não é tabu apenas na imprensa, né? A palavra ‘suicídio’ é meio maldita, evitada inclusive pelas pessoas que enfrentaram um caso na família. Na hora de falar do que a pessoa morreu, se diz apenas que “tirou a própria vida”, isso quando essa história é contada, inclusive. Por quê?
Dra. Karen: A gente nota que é tabu quando faz tratamento de pessoas enlutadas pelo suicídio, muitas delas se questionam se vão contar para a sociedade ou não que aquela morte foi por suicídio. Mas o julgamento também é algo muito forte, porque quando a sociedade fala sobre essa morte, faz perguntas muito cruéis à família, “mas você não viu nada, não percebeu nada?! Eu li no jornal que quem vai se suicidar passa sinais! Você não percebeu os sinais?” A sociedade acaba procurando um culpado, isso é muito comum, para explicar uma morte que muitas vezes é absurda e não tem necessariamente uma explicação tão simples.

Blog: A imprensa tem que falar sobre suicídio? Qual o jeito certo da imprensa falar sobre o assunto?
Dra. Karen: A gente precisa falar sim e, nas reportagens, existe um jeito certo de tratar esse assunto. Você reporta o caso de suicídio sem julgar, romantizar. É necessário que a matéria indique locais onde procurar ajuda e mostre que existem saídas antes de se recorrer ao suicídio, outras formas de enfrentar as adversidades da vida, conte a história de pessoas que sobreviveram, dê exemplos de superação, sempre apontando caminhos. Esse seria o chamado ‘efeito papageno’. O Papageno é um personagem da (ópera) Flauta Mágica, de Mozart que, quando decide que vai cometer suicídio conversa com três pessoas que o demovem da ideia, apontam a ele outras saídas. E ele não se mata. E esse método está sendo utilizado para debater os benefícios de se falar sobre suicídio na mídia.

Blog: Serviços como o CVV ajudam de que forma? Os jovens conseguem se abrir com uma pessoa que eles nem conhecem?
Dra. Karen: As chances são enormes. Muitas vezes é mais fácil se abrir com um estranho do que com alguém conhecido, embora não dê para generalizar. Tanto que quando a primeira temporada da série 13 reasons why foi disponibilizada, o CVV teve um aumento de procura de 400% no número de ligações. O CVV também usa muito o chat e por lá os jovens se abrem com mais facilidade, porque é a linguagem dos jovens. Uma outra coisa que eu costumo dizer é que o suicídio não pode ser um segredo, porque muitos jovens costumam falar sobre esses pensamentos suicidas com amigos. A gente tem até um mote que é “é melhor um amigo bravo do que um amigo morto”, que usa para dizer a esse jovem que quando ele recebe a comunicação suicida de um amigo ele não pode guardar segredo, ele precisa conversar com alguém sobre isso. E quando vamos às escolas, a gente capacita os jovens a identificarem quem, entre os amigos, precisa de ajuda.

Blog: A pessoa que pensa em suicídio deu algum sinal antes? Ou pode ser algo completamente inesperado e silencioso?
Dra. Karen: Também pode ser completamente inesperado e silencioso. Tem casos que a gente procura indícios e não acha. Mas isso acontece também porque há muitos sinais que só fazem sentido depois da morte. Às vezes uma frase solta não faz sentido na hora, só depois. Mas tem alguns casos de suicídio que, antes de acontecerem, não foram dados sinais. O que é muito difícil para aqueles que ficam. Quando foram dados sinais, há culpa. E quando não foram dados sinais a culpa também aparece.

Precisa de ajuda? Ligue para o CVV no 188 ou acesse, aqui, o chat do Centro da Valorização da Vida.

#HouseClassics - Cleavage & Lars Vegas: "Grace"


"Grace" foi lançado pela gravadora Toolroom Trax em 09 de junho de 2014, e é de autoria dos holandeses Jordy Stokvis e Matthijs van Liessum, que criaram o projeto Cleavage, em parceria com o também DJ e produtor Lars Vegas.
Esta música é uma versão de outra que foi sucesso nos anos 1970, "Woman In The Ghetto", da cantora norte-americana Marlena Shaw, gravada durante um show em Montreal, no Canadá.

Capa do disco ao vivo da cantora Marlena Shaw
Fez um sucesso relativo no exterior e foi selecionada para compor os álbuns Kontor - Top Of The Clubs (da gravadora alemã Kontor), Hed Kandi - Love From Ibiza (distribuído pela Hed Kandi) e Club Privè Fomentera (da Sony Music, em parceria com a Columbia), todos mixados.

Há cinco anos, estreava a novela 'Amor à Vida', de Walcyr Carrasco


Amor à Vida marcou a estréia do autor Walcyr Carrasco no horário nobre. Até meses antes, costumava emplacar seus sucessos às seis e sete da noite, como 'Alma Gêmea' (2005), 'Caras & Bocas' (2009) e 'Morde & Assopra' (2011), lembrando também que ele havia escrito o remake de Gabriela um ano antes pra ser exibido às 23hrs.

Malvino Salvador, Vanessa Giácomo, Tatá Werneck, Anderson di Rizzi, Matheus Solano e Marcelo Flores foram parte do elenco da novela das nove
A novela levou os prêmios Extra, Imprensa, Internet, Contigo e GLAAD de melhor novela do ano, e apresentou pela primeira vez ao telespectador um vilão gay, Félix Khoury, interpretado por Mateus Solano. Inicialmente, Walcyr havia escrito uma vilã mulher e tinha em mente escalar Flávia Alessandra ou Cláudia Raia para o papel, porém, a Globo escalou ambas para Salve Jorge, que antecedeu Amor à Vida.

Matheus Solano como o sem caráter Félix de Amor à Vida
Ambientada na cidade de São Paulo, tinha como personagens centrais os componentes da família Khoury, que era podre de rica e dona do Hospital San Magno, um dos núcleos principais da trama e por onde passavam cerca de 30 personagens. Os Khoury eram compostos pelo clínico geral César (Antônio Fagundes), o diretor-presidente do hospital; a esposa Pilar (Susana Vieira), e outra filha além de Félix, a estudante de medicina e também a mocinha sofredora Paloma (Paolla Oliveira).

Antônio Fagundes fez parceria pela segunda vez com Susana Vieira. A primeira foi em 'Por Amor', de 1997. Seus personagens pareciam viver um casamento sólido, até o dia que outra mulher aparece na vida de César como secretária do hospital
Quando a novela começou, todos estavam passando uns dias no Peru para comemorar o início dos estudos de Paloma na faculdade de Medicina, e é por lá mesmo que decidiu ficar após saber pela boca do irmão que é adotada. Mesmo sem que ele tivesse provas concretas do que disse, Paloma acreditou assim mesmo e abandonou toda sua família para correr atrás de seu amor, o marginal Ninho (Juliano Cazarré), com quem teve uma filha, roubada assim que nasceu pelo Félix, que a deixou numa caçamba de lixo.

Paloma decidiu reescrever sua história com o hippie Ninho e se deu mal
Paloma teve sua filha no chão do banheiro de um bar
Malvino Salvador e Klara Castanho foram pai e
filha na trama e Walcyr Carrasco
A menina, que recebeu o nome Paula e foi interpretada por Klara Castanho na segunda fase, passou a ser criada como se fosse mesmo da família de Bruno (Malvino Salvador), o homem que a encontrou jogada no lixo e a adotou.
Doze anos se passam, e os três se reencontraram novamente, não demorando muito para que a verdade viesse à tona e houvesse tiro, porrada e bomba pra todos os lados, principalmente pro de Félix, que armou 1001 coisas durante boa parte da novela juntamente com uma cúmplice, a obstetra Glauce (Leona Cavalli), objetivando prejudicar a irmã.

Bruno era filho da auxiliar de enfermagem Ordália (Eliane Giardini) e do dono de lanchonete Denizard (Fúlvio Stefanini). Seus irmãos eram a cozinheira Gina (Carolina Kasting), criada como se fosse filha biológica de Denizard sendo filha de outro homem; Carlito (Anderson Di Rizzi), que aspirava ser DJ; e o estudante de medicina Luciano (Lucas Romano), que se envolve com uma mulher mais velha, a enfermeira Joana (Bel Kutner).

Parte do núcleo de Ordália: Eliane Giardini, o cão Aladin, Marcelo Flores (Rinaldo, ou 'Filósofo', funcionário de Denizard), Anderson di Rizzi, Klara Castanho, Carolina Kasting e Fúlvio Stefanini posando pra foto nos bastidores.
Lucas Romano e Bel Kutner em cena de Amor à Vida
No decorrer da trama, o telespectador pôde descobrir os segredos da família Khoury. O primeiro deles foi a homossexualidade de Félix, revelada pela sua mulher, Edith (Bárbara Paz), que mostrou para todos enquanto jantavam as fotos dele em momentos íntimos com o amante, conhecido como Anjinho (Lucas Malvacini).

Cena exibida em 01º de agosto de 2013 fez com que a novela marcasse pela primeira vez mais de 40 pontos no ibope nacional. Na foto estão Bárbara Paz, Paolla Oliveira, Susana Vieira, Nathália Timberg e Felipe Titto.
Descobriu-se ainda que Paloma é fruto do relacionamento de seu pai com uma amante, a ex-bailarina Mariah (Lúcia Veríssimo), que planejou uma vingança contra ele por conta de um acidente automobilístico que sofreu no passado e vitimou a irmã, pensando ter sido o médico o responsável pela tragédia. E foi por isso apareceu na vida de César a sobrinha de Mariah, Aline (Vanessa Giácomo), que tinha a pretensão de seduzi-lo para acabar com a vida dele de vez. Ela era mais obcecada pelo desejo de vingança que a própria Mariah, que descobriu que César não teve nada a ver com o ocorrido e optou por não levar a vingança à diante. Na reta final da trama, Pilar revelou que foi ela a causadora do acidente.

Vanessa Giácomo caracterizada como a secretária Aline
Mariah ficou na cadeira de rodas por causa do acidente, que vitimou a irmã dela, mãe de Aline. O final dela veio antes da novela acabar, pois fora assassinada por Ninho à tesouradas e enterrada no fundo da casa que César foi morar ao se separar de Pilar.
Apesar das maldades, todos os apelidos e os bordões de Félix, que se redimiu na reta final, ganharam as ruas. Entre as expressões inesquecíveis estão "É o apocalipse!", "Eu salguei a Santa Ceia! Só Pode!", "Será que dancei pole dance na Santa Cruz?", "Cadela" (para a secretária Simone - personagem de Vera Zimmermann), "Papi soberano", "Mami poderosa", "Idade a gente não mente, querida. A gente disfarça", "Lacraia do olho azul" (o apelido de Eron, advogado do San Magno e personagem de Marcello Antony), "Eu não tenho vocação para a pobreza", "Abri uma frestinha na porta do armário. Dei uma escapadinha. Eu entro no armário de novo e tranco a porta. Boto cadeado. Juro." (referente à sua homossexualidade), entre outros.

Félix conquistou o público com seus bordões variados
Walcyr aproveitou a trama para abordar o autismo, doença que afeta o sistema neurológico e altera o comportamento e a percepção de mundo do portador. É um assunto pouco (ou quase nunca) visto em qualquer obra televisiva, sendo representado nesta novela por Linda, interpretada por Bruna Linzmeyer. A personagem era filha de Amadeu (Genézio de Barros), o irmão de Pilar. Amada pelo pai e pelo irmão, o fisioterapeuta Daniel (Rodrigo Andrade), superprotegida pela mãe, Neide (Sandra Corveloni), e rejeitada pela outra irmã, Leila (Fernanda Machado). Encontrou apoio psicológico ao conhecer o advogado Rafael (Rainer Cadete), que não só se apaixonou por ela, como também a ajudou na regressão do espectro.

Núcleo de Linda: Sandra Corveloni, Genésio de Barros, Fernanda Machado, Rodrigo Andrade e Bruna Linzmeyer.
A maioria dos médicos foram contra à maneira que Walcyr retratou
a personagem autista de Bruna.
Romance entre a autista Linda e o advogado Rafael deu no que falar!
Neide era muito colada e preocupada com a filha mais nova
Ary Fontoura e Nathália Timberg gravando
as cenas do casamento de Lutero e Bernarda
O amor depois dos 70 foi outro tema abordado na trama, sendo mostrado através dos personagens Lutero (Ary Fontoura), que trabalhou como cirurgião-chefe no San Magno até o dia que suas mãos começaram a tremer, e Bernarda (Nathalia Timberg), a mãe de Pilar.

A barriga solidária foi um tema representado pela dermatologista Amarilys (Danielle Winits). Muito amiga do casal Eron e Niko (Thiago Fragoso), ela disse em um capítulo que queria gerar o filho que eles tanto queriam, mas ela passou uma noite com o advogado e tudo que disse foi para o ralo, já que acreditava ter engravidado dele depois da transa. Antes disso, ela havia mesmo feito uma inseminação artificial e pensou ter perdido o bebê após um sangramento, mas mal sabia ela que o processo tinha dado certo.
Crente de que era mãe biológica do filho de Niko, que recebe o nome Fabrício ao nascer, tentou tomar Eron todinho pra si e manter distância entre o chefe de cozinha e o menino. Arrasada com um exame de DNA que comprovou o fato de não ter laços sanguíneos com a criança, Amarilys sequestrou Fabrício e tentou fugir para o exterior na reta final.

Danielle Winits contracenando com Marcello Anthony e Thiago Fragoso em cena que foi ao ar em outubro de 2013
Amarilys quase surtou ao descobrir não ser mesmo a mãe biológica de Fabrício
No quinto mês de novela, a filha de Paloma descobriu ser portadora do lúpus, uma doença incurável, mas com tratamento, que afeta o sistema imunológico e produz anticorpos que acabam até mesmo com as células e tecidos do próprio corpo.
Selena Gomez, Lady Gaga, Astrid Fontenelle e Toni Braxton são alguns exemplos de pessoas famosas que tem o lúpus.

Na novela, a parte do corpo de Paulinha afetada foi o fígado.
Outras duas personagens que sofreram foram a advogada Sílvia (Carol Castro) e a auxiliar de enfermagem Inaiá (Raquel Villar). A primeira descobriu estar com um tumor maligno no seio esquerdo, mas fez a mastectomia total e ficou curada. Já a outra pensou que estava apenas com uma gripe (que já durava semanas), mas foi diagnosticada no sétimo mês do folhetim com o vírus HIV, fazendo com que perdesse seu namorado, Laerte (Pierre Baitelli), que a desprezou.
Além da Aids, Inaiá descobriu ser portadora de um tipo raro de câncer, o Sarcoma de Kaposi, que afeta os vasos sanguíneos e linfáticos.

Amor à Vida é a última novela de Raquel Villar até o momento.
Mesmo sendo coadjuvante, a então estreante Tatá Werneck roubava a cena e protagonizava momentos de muito humor junto com a mãe de sua personagem, a ex-chacrete (dançarina do apresentador de TV Chacrinha - in memorian) e vendedora de hot dogs Márcia (Elizabeth Savalla). Inteligência pura, como sempre dizia, Valdirene só tinha um objetivo: subir na vida!

Tatá Werneck como Valdirene em cena que foi ao ar no dia 11 de junho, quando foi abandonada num motel pelo médico Vanderlei (Marcelo Argenta)
Já deu em cima de vários homens ricos, incluindo famosos como Neymar e Luciano Huck, tentou aplicar o golpe da barriga e até se inscreveu para participar da 14ª edição do BBB, mas passou apenas um dia no reality por perder numa prova.
Era apaixonada por Carlito, apelidado carinhosamente de Palhaço, mas resistia para continuar pondo em prática seu plano de sair da pobreza.

Amor puro e verdadeiro entre Palhaço e Valdirene
A atriz Fabiana Karla, que fazia diversos personagens cômicos no Zorra Total, fecha mais uma vez parceria com Walcyr Carrasco, com quem havia trabalhado no ano anterior em Gabriela, e mostra sua versatilidade vivendo a enfermeira Perséfone, que era louca pra perder a virgindade mas ninguém a queria por ser "cheinha".

Antes, Fabiana era integrante do extinto Zorra Total, onde deu vida à
personagens cômicos como Gislaine (imortalizada pelo bordão 'Isso não
te pertence mais'), Lucicreide (par de Carretel), e a Dra. Lorca
Sempre tentava fisgar o coração de algum dos seus colegas de trabalho, até que conseguiu se casar com Daniel, porém, o romance durou pouco, pois ele praticamente exigia que Perséfone perdesse uns graminhas.
Na reta final, a personagem arrumou outro médico pra ser seu "love", o Vanderlei, e ainda foi chamada pra ser modelo plus size.

Outra sensação da novela foi o endocrinologista Michel (Caio Castro) e a secretária Patrícia (Maria Casadevall), que mantinham uma relação quente mesmo sendo casados. Ele era esposo de Sílvia, e Patrícia estava estava casada com o mulherengo Guto, que inclusive a traiu logo na lua de mel. Logo, o médico e a secretária do hospital continuaram juntos, e Sílvia começou a namorar Guto, mas sempre com ida, vinda e troca.

Caio Castro e Maria Casadevall em cena exibida no terceiro mês de novela, quando seus personagens descobrem um vídeo vazado na internet com os dois transando.
Márcio Garcia e Carol Castro nos bastidores de Amor à Vida em setembro de 2013
Com 221 capítulos ao total, veiculados entre 20 de maio de 2013 e 31 de janeiro do ano seguinte, Amor à Vida conseguiu na grande São Paulo 35.7 (36) pontos de média geral, quatro abaixo do exigido. Mesmo assim, a novela é considerada um sucesso, pois além de ter sido repercutida nas ruas, conseguiu elevar dois pontos deixados por sua antecessora, Salve Jorge, que conseguiu apenas 34.3 (34) na capital paulista.

Mauro Mendonça Filho (o diretor geral), Susana Vieira), Walcyr Carrasco (o autor), Paolla Oliveira), Wolf Maya (diretor artístico), Rosamaria Murtinho (intérprete da mãe de Edith, Tamara), Bárbara Paz, Juliano Cazarré e Malvino Salvador reunidos para assistirem algumas cenas da novela na coletiva de imprensa, em abril de 2013
Outro motivo da trama de Walcyr ser um sucesso é a média nacional. Obteve 37.1 (37) pontos ao total, três décimos a menos que a novela anterior, mas a diferença é que esta conseguiu se firmar desde o início, obtendo normalmente entre 36 e 38 pontos por semana.

20/05 a 25/05/2013 38 39 36 38 36 30 = 36.2 (36)
27/05 a 01/06/2013 38 38 34 35 34 29 = 34.7 (35)
03/06 a 08/06/2013 39 37 36 36 34 28 = 35.0 (35)
10/06 a 15/06/2013 38 36 35 37 36 31 = 35.5 (36)
17/06 a 22/06/2013 38 39 38 37 36 32 = 36.7 (37)
24/06 a 29/06/2013 39 39 39 38 35 29 = 36.5 (37)
01/07 a 06/07/2013 38 37 34 36 35 30 = 35.0 (35)
08/07 a 13/07/2013 37 38 35 39 35 30 = 35.7 (36)
15/07 a 20/07/2013 37 37 35 38 36 31 = 35.7 (36)
22/07 a 27/07/2013 38 37 35 39 34 31 = 35.7 (36)
29/07 a 03/08/2013 37 39 35 41 37 32 = 36.8 (37)
05/08 a 10/08/2013 41 39 37 41 39 35 = 38.7 (39)
12/08 a 17/08/2013 41 41 37 40 37 34 = 38.3 (38)
19/08 a 24/08/2013 41 40 36 40 38 34 = 38.2 (38)
26/08 a 31/08/2013 42 41 37 40 38 32 = 38.3 (38)
02/09 a 07/09/2013 39 37 36 38 34 31 = 35.8 (36)
09/09 a 14/09/2013 39 39 36 39 36 32 = 36.8 (37)
16/09 a 21/09/2013 40 42 38 39 36 32 = 37.8 (38)
23/09 a 28/09/2013 40 39 38 39 37 32 = 37.5 (38)
30/09 a 05/10/2013 40 38 35 38 35 31 = 36.2 (36)
07/10 a 12/10/2011 40 38 33 37 34 29 = 35.2 (35)
14/10 a 19/10/2013 38 37 36 37 35 30 = 35.5 (36)
21/10 a 26/10/2013 37 37 32 37 34 29 = 34.3 (34)
28/10 a 02/11/2013 39 40 32 40 35 32 = 36.3 (36)
04/11 a 09/11/2013 42 40 36 42 36 31 = 37.8 (38)
11/11 a 16/11/2013 39 38 32 37 31 31 = 34.7 (35)
18/11 a 23/11/2013 46 41 34 42 38 35 = 39.3 (39)
25/11 a 30/11/2013 44 40 37 39 36 32 = 38.0 (38)
02/12 a 07/12/2013 40 39 33 35 36 32 = 35.8 (36)
09/12 a 14/12/2013 40 39 36 38 36 32 = 36.8 (37)
16/12 a 21/12/2013 40 40 41 37 35 32 = 37.5 (38)
23/12 a 28/12/2013 37 24 36 37 37 32 = 33.8 (34)
30/12 a 04/01/2014 35 24 35 38 36 34 = 33.7 (34)
06/01 a 11/01/2014 40 40 40 42 38 33 = 38.8 (39)
13/01 a 18/01/2014 43 42 42 41 39 35 = 40.3 (40)
20/01 a 25/01/2014 43 42 34 45 42 38 = 40.7 (41)
27/01 a 31/01/2014 49 48 40 48 48 ## = 46.6 (47)
Reapresentação do Último Capítulo: 32

Média Decimal: 36.9
Média Ponderada: 37.1

Sem nenhuma trilha sonora complementar, a Som Livre distribuiu nas lojas os álbuns Nacional e Internacional, tendo na capa Paolla Oliveira e Matheus Solano, respectivamente.
Um dos destaques da trilha foi o remake da música "Bad", de Groovy Waters, originalmente gravada pelo cantor Michael Jackson no começo dos anos 1990 para seu álbum homônimo.
A dupla francesa Daft Punk esteve presente no álbum com o fenômeno mundial "Get Lucky", que foi a #1 em todas as tabelas que entrou no mesmo ano. A canção fez parte do último álbum lançado pelo projeto até agora, Random Access Memories.
Meses antes da novela estrear, o cantor Lulu Santos lançou seu 24º álbum de estúdio com revivals de hits que fizeram sucesso nas vozes de Roberto e Erasmo Carlos, e um deles, "As Curvas da Estrada de Santos", foi escolhido para ser o tema de Márcia e do desmemoriado Atílio/Alfredo (Luís Mello).
O cantor sertanejo Gabriel Valim alcançou a fama nacional graças à este folhetim. A música "Piradinha", que abriu o álbum nacional, era tocada toda vez que eram mostradas as cenas da amalucada Valdirene, que também ganhou um tema internacional: "Lose You In Those Jeans", da boy band P9.
Quer mais um fenômeno? Então toma! Alcançando o 3º lugar no Brasil, "When I Was Your Man", de Bruno Mars, foi escolhida para ser tema de Paloma e Bruno. A música foi bem recebida pela crítica e pelos ouvintes. No Youtube, o videoclipe alcançou a marca dos 660 milhões de views.
Nessa mesma época, Miley Cyrus largou seu jeito de menina doce para virar uma completa rebelde! No final de 2013, a eterna Hannah Montana havia lançado o seu quarto álbum de estúdio, Bangerz, promovendo três músicas, entre elas "We Can't Stop", executada nas cenas do Bar dos Médicos, assim como "As Mina Pira na Balada", de Gusttavo Lima; "Up In The Air", de 30 Seconds to Mars, e "Dançando na Garoa", de Jammil.
Mesmo criticando, o telespectador teve que aguentar a versão de "Maravida" na voz de Daniel por oito meses quando chegava a hora da abertura. Teve internautas pedindo na web que substituísse a versão dele, que foi comparado com um bode estrangulado, pela de Maria Bethânia. Originalmente composta e cantada por Gonzaguinha, Maravida é a 15ª música do álbum nacional.
Em alta desde sempre, Ivete Sangalo aparece no álbum cantando a letra de Tom Jobim, "Amor Em Paz", que foi selecionada para as cenas da personagem de Susana Vieira.
Ex-vocalista da banda M People (muito conhecida pelo hit Moving On Up, dos anos 1990), Heather Small aparece na novela com a canção "Proud", de 2002, extraída de seu primeiro álbum solo de mesmo nome. Tocava toda vez que passavam as cenas de Niko e Félix juntos.
Também foram incluídas "The Stars (Are You Tonight)", de David Bowie (cenas da cidade de São Paulo e do bar), "Um Ser Amor", de Paula Fernandes (mais uma para Paloma e Bruno), "Wake Up and Love Me", de Casey Thompson (só para embalar mais um casal, Valdirene e Carlito), e "Combustível", de Ana Carolina (antes para Félix e Edith, depois para César e Aline).


NACIONAL
01. PIRADINHA – Gabriel Valim
02. PONTES INDESTRUTÍVEIS – Charlie Brown Jr.
03. AS MINA PIRA NA BALADA – Gusttavo Lima
04. MEIGA E ABUSADA – Anitta
05. AS CURVAS DA ESTRADA DE SANTOS – Lulu Santos (participação Késia Estácio)
06. TREM DAS ONZE – Zeca Pagodinh
07. O AMOR EM PAZ – Ivete Sangalo
08. UM SER AMOR – Paula Fernandes
09. FOFINHA DELÍCIA (EXCESSO DE GOSTOSURA) – Sorriso Maroto
10. AMOR, AMOR – Wanessa
11. COMBUSTÍVEL – Ana Carolina
12. VOCÊ NÃO PODIA SURGIR AGORA – Roberta Sá
13. CAIO NO SUINGUE – Pedro Luís & A Parede
14. NA SELVA DE PEDRA – Conexão Baixada
15. MARAVIDA – Daniel
16. AMOR À VIDA – Nando Reis
17. DANÇANDO NA GAROA – Jammil
18. SAMBAS URBANOS – Rodrigo Pitta (participação Edi Rock)


INTERNACIONAL
01. WHEN I WAS YOUR MAN – Bruno Mars
02. JUST GIVE ME A REASON – Pink featuring Nate Ruess
03. PROUD – Heather Small
04. BRAND NEW ME – Alicia Keys
05. GET LUCKY – Daft Punk featuring Pharrell Williams
06. UP IN THE AIR (EXPLICIT) – 30 Seconds To Mars
07. WE CAN´T STOP – Miley Cyrus
08. BUSY (FOR ME) – Aurea
09. THE STARS (ARE OUT TONIGHT) – David Bowie
10. IT´S OVER – Rod Stewart
11. BAD – Groovy Waters
12. LOVE YOU IN THOSE JEANS – P9
13. WAKE UP AND LOVE ME – Casey Thompson
14. UN VESTIDO Y UN AMOR – Caetano Veloso
15. CI SONO PENSIERI – Mariella Nava

Fontes: Teleportal TV; Memória Globo; Teledramaturgia; M de Mulher; UOL

'Segundo Sol': filho de Luzia vai virar garoto de programa

Correio 24hrs - Nos próximos capítulos de "Segundo Sol", depois de uma passagem de tempo, Ícaro (Chay Suede), filho de Luzia (Giovanna Antonelli), vai virar garoto de programa. Sua cafetina será Laureta (Adriana Esteves), com quem ele transará.


Depois que a marisqueira for acusada da morte de Edilei (Paulo Borges) e fugir do país, Ícaro será criado por Cacau (Fabiula Nascimento). Revoltado com o que aconteceu à sua família, ele viverá em pé de guerra com a tia.
Certo dia, ele roubará Cacau e sairá de casa. Então, conhecerá Laureta e pedirá para trabalhar para ela.
A vilã elogiará a beleza do rapaz e afirmará que ele precisa passar por um teste. Na próxima sequência, a dupla já aparecerá na cama depois do sexo.

Com apenas uma novela inédita, SBT tem mais atores negros que Globo e Record


TV Foco - As últimas semanas na imprensa e nas redes sociais foram de discussão e debate a respeito do número de negros na novela Segundo Sol, da Globo, que tem sua história contada na Bahia. O público diz que o elenco deveria ser de pele mais escura e não ter protagonistas brancos.
Camila Pitanga e Taís Araújo chegaram a ser convidadas para viverem a personagem Luzia, mas não puderam por motivos distintos. Em meio a essa confusão, o SBT é a emissora que mais tem atores negros no elenco de uma novela.
A inédita Aventuras de Poliana já estreia com 14,5% de atores no casting, uma representatividade negra maior no canal de Silvio Santos do que em Deus Salve o Rei, na Globo, que conta com apenas um. Já Apocalipse, da Record, tem 81 anos atores no elenco e só dois são negros, ou seja: 2,46%.

Novela Segundo Sol tem poucos atores negros
Mais criticada, a Globo foi notificada pelo Ministério do Trabalho por causa da quantidade pequena de negros em Segundo Sol, próxima novela das nove que estreou na última segunda-feira (14).
Na notificação, a Coordenadoria Nacional de Promoção de Igualdade de Oportunidade e Eliminação da Discriminação no Trabalho (Coordigualdade) do MT enviou recomendações à emissora, entre elas: elaboração de um Plano de Ação que contemple medidas para garantir a inclusão, a igualdade de oportunidades e de remuneração da população negra nas relações de trabalho; a realização imediata de um censo entre os trabalhadores que prestam serviços à empresa, com recorte de raça/cor e gênero; um levantamento da quantidade de artistas negros e negras que aparecem em telenovelas, séries, propagandas, programas de entretenimento, entre outros produtos, produzidos pela empresa bem como o de jornalistas e comentaristas.
O órgão do Ministério do Trabalho ainda deu um prazo de 10 dias para a Globo comprovar as providências adotadas em relação a nova novela. Quanto aos demais tópicos, o canal terá 45 dias. Caso as recomendações não sejam cumpridas, o MP promete convocar a empresa para prestar esclarecimentos em audiência ou propor ação judicial cabível (confira a notificação abaixo).
A polêmica teve início após internautas reclamarem da falta de negros em Segundo Sol. A história, que se passa na Bahia, tem no elenco apenas quatro negros num total de 44.

Marília Gabriela surpreende, radicaliza com mudança no visual e diz: “Sonho antigo”


TV Foco - A atriz e apresentadora Marília Gabriela resolveu realizar uma grande mudança no seu visual que deixou muita gente chocada.
Em seu perfil oficial no Instagram, neste domingo, 20 de maio, Marília compartilhou com seus seguidores o seu mais novo visual.
Aos 69 anos de idade, Marília surgiu com o cabelo pintado com a cor rosa e recebeu diversos elogios pela mudança. Ao mostrar o resultado na web, ela comentou:
“Para comemorar meu aniversário na próxima semana, para agradar a neta Valentina, para realizar um sonho antigo, sim, pintei os cabelos de rosa. Cortei as madeixas e fui feliz.Recomendo a terapia”, escreveu Marília na legenda da imagem.

Ex-BBB Ana Clara faz teste para novela e tem reunião no Projac


Correio 24hrs - A estudante de jornalismo e ex-BBB Ana Clara Lima passou o dia no Projac na terça-feira (15). Segundo o jornal O Globo, a ruiva fez testes para a novela Verão 90 graus, trama das sete que estreia em janeiro, e teve algumas reuniões sobre seu futuro na emissora.
Terceira colocada no Big Brother Brasil (BBB 18), a estudante carioca está cobrando R$ 35 mil para uma presença de duas horas num evento. Se o contratante for de outros estados, o gasto aumenta, com o acréscimo de duas passagens aéreas, hospedagem, carro à disposição e diárias de alimentação. 
No momento, Ana Clara conta com 5,7 milhões de seguidores, sendo a terceira ex-BBB mais seguida na rede social. A jovem perde apenas para Sabrina Sato (12,7 milhões) e Grazi Massafera (11,9 milhões).

Cineasta francês é denunciado por estupro


O cineasta e produtor francês Luc Besson, de 59 anos, está sendo investigado por estuprar uma atriz e modelo (que não quis ser identificada) de 27 anos. Foi ela mesma que levou o caso, ocorrido na última sexta-feira (18), à uma delegacia da Cidade Luz.
Luc ainda não foi interrogado pela polícia por estar no exterior, mas segundo o que Thierry Marembert (seu advogado) conta, o diretor desmentiu os fatos e disse que os mesmos são fantasiosos.
Só o que se sabe é que essa mesma atriz trabalhou com ele em dois filmes. As informações são do Jornal do Brasil e Omelete.

Avião do DJ Alok sai da pista de pouso e cai


Avião que sairia de Juiz de Fora, interior de Minas Gerais, até a capital paraense, onde seria a próxima apresentação do DJ Alok, perdeu o controle na hora da decolagem e bateu na ribanceira da pista de pouso do Aeroporto de Serrinha, localizado na Zona da Mata do estado. Haviam além do músico outras sete pessoas dentro da aeronave, e ninguém se feriu.


O avião pertence ao Alok, que se apresentaria em Belém hoje às 21hrs, e tem capacidade para transportar nove pessoas. As informações são dos sites G1 e Estado de Minas.