domingo, 3 de junho de 2018

Maioria das mulheres com tipo mais comum de câncer de mama podem evitar quimioterapia, aponta estudo

Jornal do Brasil - A maioria das mulheres com o tipo comum de câncer de mama poderia evitar a quimioterapia após a cirurgia, dependendo de sua pontuação em um teste genético, anunciaram pesquisadores neste domingo.
Cerca de 65 mil mulheres, apenas nos Estados Unidos, poderiam ser afetadas pelo estudo, divulgado na reunião anual da Sociedade Americana de Oncologia Clínica, em Chicago.
Até agora, as mulheres enfrentaram uma grande incerteza sobre acrescentar a quimioterapia à terapia hormonal após um diagnóstico de câncer de mama de receptores hormonais positivos e HER2 negativo, quando se encontram em uma etapa precoce, antes de se espalhar para os gânglios linfáticos.
Com os resultados deste estudo, "podemos evitar, com segurança, a quimioterapia em cerca de 70% das pacientes diagnosticadas com a forma mais comum de câncer de mama", diz a coautora e oncologista Kathy Albain.
Um teste de 21 genes chamado Oncotype Dx, existente desde 2004, ajudou a guiar algumas decisões pós-cirurgia. Uma pontuação alta, acima de 25, significa que a quimioterapia é recomendada, para evitar a reincidência, enquanto uma pontuação abaixo de 10 significa que a mesma não é necessária.
O estudo envolveu mais de 10 mil mulheres e se concentrou naquelas cuja pontuação ficou entre 11 e 25. As pacientes, de 18 a 75 anos, foram selecionadas aleatoriamente para se submeterem a quimioterapia e terapia hormonal, ou apenas terapia hormonal. Os pesquisadores estudaram os resultados, incluindo se houve reincidência, e a sobrevivência das pacientes.
Em toda a população estudada com pontuação entre 11 e 25, "e, principalmente, entre mulheres de 50 a 75 anos, não houve diferença significativa entre os grupos com e sem quimioterapia", segundo o estudo, publicado na "New England Journal of Medicine".
Os resultados mostram que todas as mulheres com mais de 50 anos e pontuação de 0 a 25 podem evitar a quimioterapia e seus efeitos colaterais tóxicos.
Entre as mulheres com menos de 50 anos e pontuação de 0 a 15, a quimioterapia também poderia ser omitida. No entanto, entre as mais jovens com pontuação de 16 a 25, os resultados foram levemente superiores no grupo da quimioterapia.
O estudo "deverá ter um grande impacto entre os médicos e pacientes", prevê Kathy. "Estamos reduzindo a terapia tóxica."
O câncer de mama é o mais letal entre as mulheres em todo o mundo, com 1,7 milhão de novos casos e mais de meio milhão de mortes por ano.

Morena Baccarin: brasileiro se identifica com humor negro do 'Deadpool'

A atriz no Deadpool
Folha de São Paulo - Morena Baccarin, que interpreta Vanessa Carlysle, a namorada do 'anti-herói' Wade Wilson protagonizado por Ryan Reynolds em "Deadpool", veio ao Brasil para divulgar a sequência do longa, que já soma cerca de US$ 783 milhões em bilheteria (R$ 2,9 bilhões).
A sequência, que estreou em meados de maio, traz o mesmo humor grosseiro e o ritmo frenético do original. A atriz brasileira, que aos sete anos foi morar nos EUA, afirmou que os brasileiros são os melhores na destreza de rir da própria desgraça (em alusão à crise política no Brasil).
Com cenas reduzidas na pele de Vanessa, se comparado ao primeiro filme, Baccarin afirma ter desafiado um medo: o de mergulhar em profundidade. Nessa sequência, a atriz teve que gravar embaixo d'água, porém todo trabalho técnico e emocional dela foi cortado na edição e não pode ser visto no cinema.
Antes do longa, Morena também fez participações para a TV em séries famosas como "The O.C.", "How I Met Your Mother", "The Mentalist", "Homeland" -onde teve uma indicação ao -Emmy, e mais recentemente em "Gotham", que mostra a infância e juventude de Bruce Wayne, o Batman.

F5 - Como foi superar o medo nas cenas embaixo d'água?
Baccarin - Faço natação para exercício, então não tenho medo de água, mas, tenho medo de mergulhar profundamente. Morri de medo de fazer o treinamento de Scuba. Tive que sentar no fundo de uma piscina bem funda e ficar vários minutos respirando pelo aparelho e depois tirar o ar e dar para uma pessoa; depois pedia de volta e fazia tudo de novo.
Foram gravadas cenas de ação nesta piscina funda, então não foi fácil. E o pior foi que nada disso foi usado no filme. Mas enfim, faz parte, pelo menos venci meu medo. No primeiro filme também tiveram cenas cortadas, de quando fui capturada em uma cápsula. Treinei para pular nela, mas não usaram a cena, usaram outra. Talvez a minha não deve ter ficado tão boa.

F5 - O humor sarcástico do filme, que rompe com padrões e ri da própria desgraça, é melhor compreendido pelos brasileiros, já que os escândalos de corrupção no país cresce tanto quanto as páginas de humor sobre o tema?
Baccarin - Acho que o brasileiro se identifica muito bem com o humor negro do "Deadpool". Infelizmente, com este cenário político, é melhor assim. Tem que rir muito no dia a dia. O brasileiro tem este amor pela vida, coisa que não sinto igual em nenhuma parte do mundo, e os brasileiros têm de sobra, esse senso de humor inigualável.

F5 - Quais suas referências artísticas no Brasil?
Baccarin - Como fui para os Estados Unidos aos sete anos, minha única referência foi a Xuxa, era o que eu assistia na época. Agora no exterior, a Meryl Streep é a minha referência. Para mim ela é uma deusa. Se eu chegar aos pés dela em termo de talento, estou super feliz. Procuro fazer coisas diferentes, vejo que me falta ainda fazer filme de época, uma coisa bem estruturada, já que meu treinamento todo nos EUA foi para isso, mas até agora não consegui fazer. Gosto de papéis fortes, interessantes, independentemente de ser vilã ou boazinha. Já fiz uma alienígena, acho interessante coisas que não são esperadas.

F5 - Você se sente confortável em fazer cenas de nudez? No primeiro filme tiveram muitas...
Baccarin - Escapei das cenas de nudez desta vez. Para mim não tem essas cenas no segundo filme. A forma que lido é diferente de um filme para outro e depende do projeto, do diretor, e do ator que contraceno. No "Deadpool" sempre fiquei confortável porque tinha uma coisa de brincadeira nas cenas, tudo feito com muito senso de humor. Me deixaram confortável desde o início. Mas ainda acho difícil fazer algumas vezes, fico encabulada. Quando estou com alguém profissional, como Ryan, facilita. Tem vezes que não acho que seja o tempo certo para fazer essas cenas, por não conseguir fazer naquele momento. Daí não faço.

F5 - Se sentiu mais pressionada ao gravar a continuidade do filme depois do sucesso do primeiro?
Baccarin - Nem um pouco! Deixa isso para os produtores, diretores... fui e fiz o meu trabalho bem feito. Isso que me importa.

Com informações da Folhapress.

Carmem Verônica volta à TV com a reprise de 'Belíssima'


A pernambucana Carmem Verônica, que não atua desde o fim da minissérie Dois Irmãos, volta ao ar com a reprise da novela das oito Belíssima, originalmente transmitida entre 2005 e 2006. No folhetim escrito por Sílvio de Abreu, a atriz deu vida à Mary Montilla, que assim como ela, foi vedete no passado.

Carmem Verônica posa com Maria Fernanda Cândido. As duas dividiram o mesmo papel em diferentes fases da minissérie Dois Irmãos.
A personagem fez sucesso entre os telespectadores, tanto é que ela reapareceu em outra novela exibida no mesmo horário, Paraíso Tropical, como uma forma de homenagem do autor Gilberto Braga para Sílvio.

Carmem Verônica e Íris Bruzzi foram rivais em Belíssima
Na trama que voltará ao ar no Vale A Pena Ver de Novo, Mary era rival de Guida Guevara, interpretada por Íris Bruzzi, também ex-vedete na vida real. Ambas fizeram sucesso em Os Furacões de Cuba, um programa da extinta Tupi, mas a parceria acabou assim que começaram a disputar o mesmo homem.
Belíssima recomeça nesta segunda (04). Não percam!

Contrato de Angélica chega ao fim, Globo desdenha de novo programa e loira toma decisão


TV Foco - A situação de Angélica na Globo não é nada boa. Seu contrato chega ao fim daqui a três meses, de acordo com o colunista Ricardo Feltrin, e até o momento, ela não foi chamada pela emissora para conversar sobre a renovação.
Diante da atual política de cortes que vem sendo adotada pelo canal no setor de teledramaturgia, todos temem que o pior aconteça também com a loira, que ficou sem função a partir do mês de abril, quando o Estrelas saiu do ar.
A mulher de Luciano Huck está quase sem chances de permanecer na Globo e, se por acaso conseguir esse feito, seu salário cairá drasticamente, já que ela ficará na geladeira. O atual compromisso foi assinado sem alardes em 2014.
Angélica chegou a apresentar o projeto de um novo programa, entregue ao diretor Ricardo Waddington para análise, no entanto, a ideia não deve ser aprovada por contar com quadros parecidos com os de outras atrações da emissora.
Caso continue contratada, ela ficará fazendo apenas pequenas participações em outros programas da casa, assim como aconteceu com Xuxa em seu último ano de contrato. Na época, a loira ficou insatisfeita e assinou com a Record.
Angélica, assim como a amiga, não possui interesse em se aposentar e já tomou a sua decisão. Ela deixou claro que quer continuar onde está, mas se a Globo não tiver interesse, poderá procurar outra emissora. Record e SBT que se preparem!

Vejam como está hoje Nicola Siri, o Cyro Laurenza de 'Belíssima'?

Nicola Siri em Belíssima
Na novela das oito Belíssima, originalmente no ar entre novembro de 2005 e julho do ano seguinte, o ator, italiano, filho de pai italiano e mãe brasileira, deu vida à Cyro Laurenza, ex-marido de Júlia (Glória Pires), presidente das lojas de roupas íntimas Belíssima e com quem teve uma filha, a aspirante à modelo Érika (Letícia Birkheuer).
Antes, Nicola Siri foi a sensação do ano de 2003 ao dar vida ao Padre Pedro em 'Mulheres Apaixonadas'. Seu personagem, mesmo sabendo de suas obrigações religiosas, se viu apaixonado por uma mulher, Estela (Lavínia Vlasak), e não resistiu a esse amor.

Nicola Siri e Lavínia Vlasak
O ator teve uma passagem pelo SBT, onde gravou a novela 'Os Ricos Também Choram', entre 2005 e 2006, e à partir daí, vive transitando entre a Record e a Globo, tendo em seu currículo 'Poder Paralelo' (2009), 'Milagres de Jesus' (2014), 'Império' (2014), 'Totalmente Demais' (2016), 'Sem Volta' (2017) e 'Os Dias Eram Assim' (2017). À partir de julho, voltará às telas com outra trama bíblica da Record, Jesus, junto com outros ex-globais como Theo Becker, Poliana Aleixo, Vanessa Gerbelli, Larissa Maciel, Pierre Paitelli, Mayana Moura e Ronny Kriwatt.

Nicola Siri em janeiro deste ano
[foto: Instagram]

Orgulho e Paixão: Ema fica nervosa com as condições impostas por Tibúrcio para seu casamento com Edmundo


Observatório da Televisão - Nos próximos capítulos de Orgulho e Paixão, Ema (Ághata Moreira) aceitará jantar com Tibúrcio (Oscar Magrini) e Edmundo (Nando Rodrigues) para tratar de detalhes sobre seu casamento com o rapaz, mas ficará nervosa com as exigências de seu futuro sogro. Tensa com o jantar, a moça dirá que ainda precisar comunicar ao pai sobre a união.
“Claro! Edmundo vai pedir sua mão formalmente e duvido que Aurélio (Marcelo Farias) vá recusar: vamos ser um esteio financeiro pra sua família, vocês nos beneficiarão com a tradição dos Ouro Verde. Faço questão de que esse casamento saia o mais rápido possível”, dirá deixando Ema constrangida.
Percebendo o desconforto dela, Edmundo tentará mudar de assunto, afirmando que o pai não ficará mais sozinho na mansão: “O importante é que o senhor terá mais companhia, não é? Primeiro Rômulo e a esposa, agora Ema e eu morando na Mansão do Parque”. “Ou em uma casa próxima, quem sabe?”, sugere Ema, provocando risos em Tibúrcio.
“Acharam que voltariam pro Vale? Vocês vão morar aqui na capital, meus jovens”, dirá Tibúrcio. Ema então não aceita “Já estou fazendo concessões demais. Com esse termo de nossa união não posso concordar, Edmundo! Não haverá casamento!”, diz a moça aflita afirmando que seu lugar é no Vale do Café junto ao pai e ao avô.
“Sinto, mas só autorizo a partida de vocês pra lá depois de um tempo de convivência marital estabelecida. Com Edmundo esposado de fato”, explica ele deixando os noivos confusos. “São minhas condições. Afinal, nessa mesa quem tem os recursos para bancar os desejos de vocês… sou eu.”, completa Tibúrcio deixando Ema e Edmundo constrangidos.

Segundo Sol: Após humilhação, Rochelle se vinga de Manu da pior maneira possível


TV Foco - Manuela (Luisa Arraes) fez com que Rochelle (Giovanna Lancellotti) fosse desmascarada na frente de todos no capítulo de ontem (2) de Segundo Sol, mas essa sua atitude não ficará por isso mesmo. A vilã já sabe o que fazer para se vingar da pior maneira possível.
Ela plantará drogas no quarto de Manuela e mentirá para a família, dizendo que a adolescente continua viciada. Rochelle consegue um saquinho de MD com o seu namorado, que vendia as substâncias para Manu, e o esconderá no quarto da irmã.
Momentos mais tarde, a jovem convencerá a família que a sobrinha de Cacau (Fabíula Nascimento) está perdida na vida, envolvida com pessoas erradas e usa constantemente drogas. Indignados, Edgar e Karen irão até o quarto da filha e se deparam com o MD.
Será justamente nesse momento que Manuela chegará no local e será colocada contra a parede. Manu tratará logo de se defender e ficará irritada por conta dos julgamentos e preconceito vindo dos pais adotivos. Além disso, ela acusará a irmã.
“Tô dizendo que só pode ter sido você que colocou essa droga no meu quarto!”, gritará. “Rochelle, você não seria capaz de armar pra sua irmã, só pra se vingar, seria? Foi você que colocou isso aqui?”, pergunta Edgar, e ela mente.
“Como é que eu ia conseguir essa droga, pai? Não conheço ninguém que use isso além de Manu e os amigos dela! Não sei onde comprar, nem dinheiro mais tenho!”, se lamentará a digital influencer, e Karen tomará as dores da filha: “Edgar! Manu que usa essas porcarias”, dispara.
Com raiva por não poder se defender, Manuela pegará uma mochila em seu quarto e deixará Edgar preocupado. O empresário perguntará o que Manuela estará fazendo e ela responderá na lata: “Vou fazer o que eu devia ter feito há muito tempo! Deixar vocês com a vidinha de vocês, que não me pertence!”.


Ela sai correndo da mansão e Edgar vai atrás dela: “Você pode abrir o jogo comigo, Manu. Eu sei o que você tá passando, eu já passei por tudo isso, sei como é duro… Eu posso te ajudar…”, pedirá ele. “Eu tô limpa”, se defenderá, ao mesmo tempo que confessará que usava drogas.
O filho de Claudine (Cassia Kis) então citará o pacotinho encontrado no quarto e não entende como Rochelle poderia fazer algo dessa magnitude para prejudicar a irmã. Manuela até tentará explicar que é vítima dessa história, mas desistirá.
“O meu bem tá longe dessa casa”, definirá a jovem ao chamar um táxi para sair dali o quanto antes. Edgar continuará impedindo que ela vá embora. Entretanto, já dentro do veículo, Manuela disparará: “Não conheço esse cara! Ele tá me assediando, moço! Anda! Vambora!”, mandará.
O motorista do carro então pisará no acelerador e partirá ainda sem rumo. Por sua vez, Edgar ficará de coração partido ao ver Manuela o abandonando daquele jeito. A cena irá ao ar no capítulo de amanhã (4).

Marina Ruy Barbosa dá ultimato sobre rivalidade com fãs de Bruna Marquezine


TV Foco - Recentemente, a atriz Marina Ruy Barbosa resolveu dar um fim de uma vez nos boatos de rivalidade com Bruna Marquezine. Em seu perfil oficial no Twitter, Marina compartilhou um tweet de uma fã que pede mais amor entre os fã-clubes das atrizes com uma foto delas juntas ainda crianças.
Agora, a ruiva fez um novo pedido através do Twitter, em meio a comentários sobre a novela das sete. “Entendam de uma vez por todas que vocês não podem nunca alimentar rivalidades ok? Não é saudável pra ninguém!!!”, escreveu Marina ao ler comentários comparando as duas, alimentando uma suposta rivalidade entre elas.



Quem também entrou na “campanha” foi Alice Wegmann, outra atriz da nova geração, a Maria de “Onde nascem os fortes”. “Fui jogar meu nome nas pesquisas do twitter e tão vocês aí discutindo quem é a melhor da geração. Gente. Isso não é uma competição, não. Cada um tem a sua trajetória, suas batalhas, suas conquistas, e nada – nadaaa – faz um ser melhor do que o outro”, escreveu ela, entre outras mensagens.

“A eleição de 2014 foi uma fraude”, diz Marina Silva

Jornal do Brasil - “Um desejo de mudança”, essa é a bandeira que a pré-candidata Marina Silva levanta para a disputa eleitoral de outubro. A ex-ministra do Meio Ambiente afirmou ao JB que “a eleição de 2014 foi uma fraude”, e que “a sociedade, desta vez, não vai ser enganada por marqueteiros”. Marina também disse que não há “nenhuma hipótese” de não haver pleito este ano.
Fundadora da Rede em 2015, a pré-candidata defende um plano voltado para “sustentabilidade social, econômica, cultural, e política”. Ela também concorreu ao cargo de Presidente da República em 2010, pelo PV, e em 2014, pelo PSB, mas ficou em terceiro lugar no primeiro turno. Agora, Marina confia que vai ao segundo turno e será vitoriosa.


A senhora acha que há algum risco de não ter eleições este ano?
Em hipótese nenhuma. Nós temos uma democracia que foi conquistada a duras penas. Não podemos permitir que qualquer tipo de saudosismo autoritário possa ter espaço nesse debate, apesar daqueles que sabotam a República. Todos os democratas, independente de partido e ideologia, devem rechaçar com veemência esse discurso. As Forças Armadas tem o seu papel na Constituição, em combinação com um governo democraticamente eleito.

A senhora está ocupando uma posição de destaque nas pesquisas. Está jogando com a expectativa de ir para o segundo turno?
A sociedade brasileira tem a expectativa de que, dessa vez, não vai ser enganada pelos marqueteiros, pelo dinheiro roubado da Petrobras, dos fundos de pensão da Caixa Econômica, e do Banco do Brasil. A Lava Jato trouxe a verdade do envolvimento dos grandes partidos, PT, PSDB, e PMDB, com suas principais lideranças juntas com o DEM, nos graves casos de corrupção do Brasil. A sociedade quer recuperar uma governança que não seja na base do toma lá dá cá. Nós temos que fazer a mudança. 

As intenções de voto na senhora são fruto do recall, como alguns especialistas dizem, ou do desejo de mudança?
Em 2010 e 2014, a sociedade sinalizou que queria mudança de verdade. Só não aconteceu, porque a eleição foi fraudada pelo abuso do poder econômico, do poder político, e pela corrupção e caixa dois. A eleição de 2014 foi uma fraude, um verdadeiro golpe na democracia brasileira.

A senhora tem convicção de que, dessa vez, será eleita?
Estou com muita convicção de que, dessa vez, a sociedade não vai ser enganada de novo. Vai prevalecer a sua postura de querer mudar o Brasil.

Há reuniões que tem sido feita no campo da esquerda pelo PSOL, PT, PCdoB, PDT, e que não conta com a presença da Rede. Como a senhora explica a ausência do seu partido nessas discussões?
A Rede é um partido independente. Quando eu fui para o Partido Verde, já vinha de um processo longo de amadurecimento, de que é possível buscar novas sínteses. Há um movimento no mundo que não fica preso a essa visão simplista de esquerda e de direita. Isso no Brasil já não diz muita coisa. Se a esquerda se juntou com [Paulo] Maluf, Renan [Calheiros], [Fernando] Collor, Jáder Barbalho, [José] Sarney, eu não sei mais o que é esquerda.

Não há a possibilidade, mesmo no segundo turno, de apoiar ou firmar aliança com candidato da esquerda?
Eu tenho respeito pelos partidos. Com relação ao segundo turno, a gente discute no segundo turno. Em cima de programa, princípios e valores, a gente pode até fazer alianças pontuais.

A senhora defende o direito de Lula disputar as eleições este ano?
A lei de Ficha Limpa estabelece que ninguém que tenha sido condenado pode participar de eleição. E a lei deve ser aplicada igualmente por todos. Nós não podemos ter uma lei que se adapte a quem está sendo julgado e condenado. É lamentável o que aconteceu no Brasil com figuras importantes de diferentes partidos. Temos que trabalhar para que outras lideranças políticas possam pagar pelos seus erros. O próprio senador Aécio tem que responder à Justiça.

Como a senhora vê as ações do governo com relação a crise dos combustíveis?
O governo dispõe de mecanismo para se antecipar de uma situação como essa. E se eles tiveram que agir depois da situação instalada, por que não tiveram a mesma atitude antes? E mais, o governo não tem credibilidade e legitimidade para negociar com qualquer setor. Além das medidas emergenciais, tem que adotar medidas estruturantes. Nós precisamos de um governo com credibilidade para fazer uma Reforma Tributária.

A senhora já tem um nome para conduzir a economia caso seja eleita?
O André Lara Resende e o Eduardo Giannetti [um dos pais] do Plano Real.

O André toparia voltar a um cargo executivo?
Não. O André fará a elaboração do plano. Nenhum Presidente deve dizer a sua equipe antes de ganhar as eleições. Aqueles que fazem isso são tão fracos, que precisam se esconder atrás de uma forte equipe econômica para poder passar alguma credibilidade. Ter um governo que é governado pela equipe econômica dá no que deu: a equipe do Temer é de enfeite. Nós não vamos inventar rótulos. O plano real vai ser mantido.

Aos 46 anos, Caco Ciocler, de Segundo Sol, comenta sucesso na web e título de galã


TV Foco - No ar em Segundo Sol, novela da faixa das 21h da Rede Globo, o ator Caco Ciocler tem feito o maior sucesso todas as vezes que aparece na TV.
Aos 46 anos, Caco é tido como galã e sempre é um dos assuntos mais comentados na web. “Não seguia o Twitter e comecei a receber mensagens de amigos dizendo que eu era ‘TT’ (Trending Topics). Nem sabia o que era isso, sou um senhor de 46 anos”, disse ele em entrevista ao jornal Extra.
“Tem toda uma geração que não conhecia esse lado, e outra que fica dizendo: ‘mas gente, ele já era meu crush há muito tempo’ (risos). É gostoso, porque sei que essa coisa de ser galã é algo que a gente constrói, faz parte do nosso trabalho. Não sou um cara obviamente bonito, então, é gostoso perceber que ainda consigo imprimir sensualidade quando o personagem pede”, continuou.
Para o papel na trama de João Emanuel Carneiro, ele precisou ficar ‘sarado’. “Falei para meu personal que precisava mudar de corpo. Ele me indicou uma profissional de nutrição esportiva e comecei uma dieta radical, eliminando os carboidratos, o açúcar, tomando vitaminas e suplementos. Malhava forte todos os dias e procurava dormir o máximo possível. Consegui um resultado bastante surpreendente”, contou.
“A academia tem essa lógica engraçada mesmo: você se vê no espelho vendo seus músculos crescerem. Isso mexe com sua autoestima, claro, mas uso essa energia para o Edgar, tem tudo a ver com ele, não comigo. Não me acho um gatão, sinto orgulho do resultado, é diferente”.

Pedófilo australiano atropelado em janeiro morre no Rio aos 68 anos


O pedófilo australiano Christopher John Gott morreu na noite desta quinta-feira (31) após passar três meses em coma no Hospital Miguel Couto, no Rio de Janeiro. Ele vivia no Brasil com um nome completo falso, Daniel Marcos Philips, tinha 68 anos e, junto com mais 16 pessoas, foi vítima de um atropelador na praia de Copacabana no começo do ano.

Passaporte falso de Christopher John Gott
Nos anos 1990, quando ainda estava na Austrália, foi acusado de estuprar uma adolescente de 14 anos e denunciado 17 vezes por abusar sexualmente de crianças. Após ser solto, dois anos depois, fugiu para o Rio de Janeiro e mudou de identidade. As informações são do site Isto É.