sexta-feira, 28 de setembro de 2018

Alexandre Nero faz vídeo irônico após Madonna aderir à campanha e é criticado



Folha PE - O ator Alexandre Nero, 48, publicou nesta sexta-feira (28) nas redes sociais um vídeo em que critica, de forma irônica, a cantora Madonna, 60, pelo apoio que ela declamou ao movimento #EleNão, contrário ao candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL). Por conta da publicação, o artista foi alvo de ataques de eleitores favoráveis ao político.
No vídeo, o ator fala de forma agressiva e usa xingamentos contra a americana. "Vocês viram? Essa vagabunda, piranha, essa tal de Madona, que não sei nem o que faz na vida, vem falar 'ele não'. Ela nem sabe o que significa", diz o ator, que precisou editar a legenda da publicação após internautas entenderem a mensagem como real.
"Essa gringa desgraçada fica mamando da teta do governo, vivendo dessa lei do Adnet, que eu sei lá... Tu não me venha pro Brasil, porque nós somos família. Se tu vier aqui, eu recebo você na bala. Vagabunda, maconheira, sem vergonha. Acabou essa mamata, vocês vão ter que trabalhar. Vão ter que pegar no cabo da enxada", continuou.
Na legenda, Nero brincou que era uma ironia: "Amigos e colegas artistas, teremos muito trabalho para reintroduzir a ironia na cultura do povo. Mas vamos lá! Morreu na madrugada do dia 29 de fevereiro a senhora Isabela Ironiá das Graças. Seu esposo Antonio Sarcasmus Brito estará velando seu corpo na capela do Peladim".
Nos comentários, alguns internautas elogiaram a publicação e chegaram a apontar semelhanças entre a postura do ator e dos eleitores de Bolsonaro: "É desse jeito mesmo que os fanáticos do Bolso falam", disse um fã. A maior partr dos seguidores, no entanto, criticou o vídeo e o artista.
"Globolixo, porque vocês não se mudam para Cuba ou Venezuela? Deixem o Brasil em paz", afirmou um dos comentários. "Me pergunto porque não estou rindo. Será que não entendi a piada ou é porque a vida real é desgraçada aqui fora", disse outro. "O pior tipo de artista é aquele que não respeita seu público...", apontou mais um.

Ex-atriz mirim de “Avenida Brasil” revela ser gay e sai de casa


RD1 - Ana Karolina Lannes, ex-atriz mirim da Globo e que ganhou fama nacional ao interpretar a pequena Ágatha em “Avenida Brasil” (2012), concedeu uma entrevista reveladora ao afirmar que é gay e disse que avisou aos pais assim que completou 18 anos.
Há um ano, ela não mora mais na casa dos pais em São Paulo e se mudou para o Centro-Oeste, para estudar Artes Cênicas na Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul (UEMS).
Karol Lannes, que é seu atual nome artístico, mudou o visual e hoje trabalha como DJ em uma boate gay na capital Campo Grande (MS). Ela disse ainda que há um ano conversou com os pais e se revelou homossexual.
“Nunca escondi, mas também nunca falei com todas as letras. Até por conta dos meus pais, porque eu sei da exposição que isso causaria para eles. Mas eu acho que agora cada um está tendo a sua vida. Eu sou lésbica, e não é porque eu fui criada por pais gays. Esse julgamento é o meu maior medo“, afirma.
A jovem foi criada por Fábio Lopes e o companheiro dele, o dermatologista João Paulo Afonso. Mesmo com uma maior facilidade em falar sobre o assunto em casa, ela demorou para se abrir.
“Contei um pouco antes de sair de casa. Eles tiveram uma reação um pouco controversa. O medo deles seria de eu passar por coisas ruins, como as que eles devem ter passado. Eles me apoiam, perguntam se eu estou namorando e respeitam as minhas escolhas”, declarou.
Karol relembrou comentários homofóbicos que costumava ler em suas redes sociais por causa da opção sexual dos pais. “Já vi muitos comentários no Instagram dizendo que eu ia ser lésbica porque os pais são gays, mas se dependesse dos meus pais, eu ia ser o hétero mais hétero do mundo, eu ia gostar de homem, porque a vida inteira eu vi eles falando de homens bonitos e isso e aquilo”, contou ela ao jornal Extra.
Em seguida, a atriz revelou que os pais a tratavam como uma princesa. “E outra: os meus pais queriam que eu fosse a princesinha. Então, não tinha sentindo nenhum eu ser ‘sapatão’“, disparou.
Hoje, ela aproveita a fama que conquistou ao viver a filha da vilã Carminha (Adriana Esteves) para atuar em defesa da comunidade LGBTQ+.
“Hoje em dia, eu sou muito mais ativista. Aqui em Campo Grande, vou na Parada Gay, tenho um trabalho com a casa que abriga homossexuais despejados de casa. É uma causa muito linda. Eles fazem sarau, eu toco e canto. A casa em que eu toco (como DJ) é uma casa LGBT. E sempre que eu posso, eu divulgo as drags“, declarou.
A atriz e DJ está solteira, e contou que beijou uma menina pela primeira vez aos 15 anos e que já teve um relacionamento sério com uma mulher que mora em São Paulo. Ruiva, Karol contou que pintar os cabelos de vermelho era um desejo antigo, mas que só foi possível depois de deixar a casa dos pais.
Lannes falou ainda sobre o baixo número de atrizes que são gays, mas que escondem por causa da profissão. A atriz afirmou que prefere andar com pessoas que a aceita como é.
“São poucas as atrizes que são assumidas, porque elas têm muito medo de rejeição. ‘Ah, dizem que uma sapatão não pode fazer um papel hétero. Quantos anos já faz que essas atrizes têm essa sexualidade? Desde sempre. E por que agora? Porque agora a gente está tendo uma voz que vai contra uma voz que está nos difamando e nos ameaçando. Na época da escola, uns moleques pegavam no meu pé quando eu não queria ficar com eles, mas só. Não sofro preconceito, mas ele existe. Eu só ando com pessoas que eu sei que vão me aceitar do jeito que eu sou“, disse a jovem.

Ana Maria Braga é vítima de gafe na Globo durante participação em Segundo Sol

Sequência 1 de Ana Maria Braga em Segundo Sol (Foto: Reprodução)
TV Foco - Ana Maria Braga fez uma participação especial na novela Segundo Sol, da Globo, recebendo a personagem Nice (Kelzy Ecard). No entanto, um detalhe em especial chamou a atenção dos telespectadores mais atentos.
Em um erro de continuidade rápido, a apresentadora aparecia com luvas nas mãos, mas acabou surgindo sem elas em poucos segundos, e voltou em cena com as mãos cobertas em seguida.
Aparentemente, a sequência foi gravada diversas vezes e a direção acabou não se atentando aos detalhes mínimos.

Confira as três sequências seguir:

Sequência 1
Sequência 2
Sequência 3

Novelas bíblicas podem levar Record a repetir o desastre de “Os Mutantes”


Correio do Estado - A Record tomou para ela a missão de produzir novelas baseadas na Bíblia, inserindo em cada uma conflitos e registros comuns desde o início dos séculos.
Será que não é hora de pesquisar a respeito?
“Os Dez Mandamentos” chegou ao sucesso que foi, também porque, para o público, se apresentou como novidade, tanto que as que vieram depois não conseguiram repetir os seus resultados.
Mesmo em se tratando de uma emissora com bases religiosas, é sempre um exagero considerar que, também por meio das novelas, exista a pretensão de evangelizar. Daí não se entender muito bem a insistência de ao menos não alternar as suas produções, com outras vias da dramaturgia tão importantes quanto.
Insistir na fórmula até a exaustão poderá levar a Record a repetir o erro das diversas variações de “Os Mutantes” no passado. Fizeram tanto, que cansaram.
Depois de “Jesus”, vem “Gênesis”. Não será interessante dar um tempo por aí?

Há 11 anos, entrava no ar o último capítulo de Paraíso Tropical


Nesta sexta-feira (28), faz 11 anos que o Brasil parou para assistir ao último capítulo de Paraíso Tropical, da dupla de autores Gilberto Braga e Ricardo Linhares. Só na grande São Paulo, o desfecho obteve 56 pontos de média e 80% de share, e cada ponto era equivalente a 55 mil domicílios.

Olavo terminou morto com um tiro disparado pelo irmão, Ivan; e Bebel, sua amante, foi presa, e assim que saiu, casou-se por interesse com um político corrupto, porém, ricaço!
Desde o início do mês, uma pergunta começou a tomar as ruas do país: "quem matou Taís Grimaldi?". A personagem, interpretada por Alessandra Negrini, foi encontrada morta na casa que era de Daniel (Fábio Assunção), e sua irmã gêmea, Paula, foi presa por ser a principal suspeita, e até o último capítulo, ninguém desconfiava de que o assassino era o ambicioso Olavo Novaes (Wagner Moura). Ele era chantageado pela vilã, que lhe pedia dinheiro para não contar seu plano de matar todos os herdeiros de Antenor (Tony Ramos) para botar a mão na grana. A revelação aconteceu na casa da mãe dele, a falida promoter Marion (Vera Holtz), onde estavam também Antenor, o irmão Ivan (Bruno Gagliasso).

Fábio Assunção e Alessandra Negrini, caracterizada como Taís, em cena de Paraíso Tropical
Cena de Fábio com Alessandra (como Paula)
No desfecho, Antenor volta pra Lúcia (Glória Pires), de quem se afastou após cair no golpe de Bebel (Camila Pitanga), que dissera estar grávida dele, mas o verdadeiro pai era Olavo. A prostituta foi presa e sofreu um aborto espontâneo na cadeia, dando-se muito bem no final após ser solta. Casada com um político, ela aparece em Brasília e casada por interesse com um deputado cheio da grana - porém, envolvido em um escândalo de corrupção.

Tony Ramos e Glória Pires como par romântico pela segunda vez. A primeira foi em Belíssima.
Além de Paula e Daniel felizes e com duas filhas gêmeas, teve ainda Marion atacando de ambulante trambiqueira na praia de Copacabana. Ela estava vendendo bijuterias como se fossem jóias, mas foi desmascarada e teve que correr bastante para não ser pega pelos Guardas Municipais.

Vera Holtz entre Wagner Moura e Bruno Gagliasso em cena da novela
Paraíso Tropical, que chegou a ser indicada ao Grammy de Melhor Novela do ano, foi substituída por Duas Caras três dias depois do final. Acumulou durante os 179 capítulos exibidos uma média geral de 43 pontos, sendo assim um sucesso na visão da Globo, já que a meta do horário das oito caiu de 45 para 40 pontos.

Há 17 anos, terminava a novela das oito Porto dos Milagres


Em 28 de setembro de 2001, a novela Porto dos Milagres, escrita por Aguinaldo Silva e Ricardo Linhares, chegou ao 203º e último capítulo, que prometeu fortes emoções ao público e obteve 60 pontos no Ibope da grande São Paulo.
A novela obteve média geral de 45 pontos, a meta exigida pela Globo entre os anos de 1995 e 2006, mas até hoje nunca foi reprisada, nem no Vale A Pena Ver de Novo, nem no Canal Viva. A emissora carioca já cogitou a volta do folhetim no lugar de Laços de Família em 2005, mas a Justiça impediu com a desculpa de que seria muito "pesado" para o horário. Tá, né? Acreditamos.

Marcos Palmeira entre Camila Pitanga e Flávia Alessandra nos bastidores de Porto dos Milagres
O último capítulo teve a morte dos vilões Félix (Antônio Fagundes) e Adma (Cássia Kiss). O primeiro foi esfaqueado por Rosa (Luísa Tomé) [tia do herói do folhetim, o pescador Guma, interpretado por Marcos Palmeira] no dia que foi eleito prefeito da fictícia cidade de Porto dos Milagres, onde se passava a história. Já Adma provou seu próprio veneno, literalmente falando, ao tentar se livrar de seu cúmplice, Eriberto (José de Abreu). A vilã é lembrada por eliminar seus inimigos com um pouco de veneno guardado em um anel. Só que em sua última tentativa de assassinato, ele percebeu e trocou as taças dos dois.

Antônio Fagundes e Cássia Kiss como Félix e Adma Guerrero na primeira fase do folhetim que foi mais um de vários sucessos do extinto horário das oito
Os telespectadores viram ainda a felicidade de Guma, que passou a ser prefeito da cidade baiana e esposo de Lívia (Flávia Alessandra), o alvo de uma disputa acirrada entre ele e o primo, Alexandre (Leonardo Brício). Lembrando ainda que nos primeiros minutos do último capítulo, Guma quase iria partir desta pra melhor ao salvar Lívia e Alexandre, que arrastou a moça para o alto mar com a intenção de se matar, mas foi salvo por Esmeralda (Camila Pitanga), mulher que sempre amou o pescador e armava para separar o casal. Ela fez a promessa de se converter ao Candomblé caso Iemanjá salvasse-o.

Lívia e Guma na reta final da novela

Há seis anos, ia ao ar o último capítulo de Cheias de Charme

Taís Araújo, Leandra Leal e Isabelle Drummond ajudaram a levantar a média geral do horário das 19hrs em sete pontos
A saga das empreguetes Rosário (Leandra Leal), Penha (Taís Araújo) e Cida (Isabelle Drummond) chegava ao fim às sete da noite em 28 de setembro de 2012. Cheias de Charme, de Filipe Miguez e Isabel de Oliveira, terminou como um fenômeno de audiência e repercussão nacional, acumulando 34 pontos de média geral em 143 capítulos transmitidos.
O último capítulo teve a reunião das Empreguetes - que estavam separadas antes para cada uma seguir carreira solo -, a volta de Penha e Sandro (Marcos Palmeira) - desta vez mais maduro e responsável -, e a vilã Chayene (Cláudia Abreu) fazendo show para crianças endiabradas junto com Fabian (Ricardo Tozzi).

Reta final de Cheias de Charme teve As Empreguetes fazendo as pazes com Chayene e Fabian
A novela substituiu Aquele Beijo, que foi um fracasso em São Paulo e mediana no PNT, com 25 e 27 pontos, respectivamente, e foi substituída por Guerra dos Sexos, que teve a mesma reputação da antecessora de Cheias de Charme, com 23 pontos na capital paulista e 26 no Ibope nacional.
Em setembro de 2016, ganhou a chance de ser reprisada no Vale A Pena Ver de Novo e reafirmou seu sucesso em todo o país ao acumular 18 pontos de média nacional. Só em São Paulo, levantou dois pontos da antecessora, Anjo Mau, que também fez sucesso na faixa vespertina em sua re-reprise e acumulou 15 pontos.

O Sétimo Guardião: Ana Beatriz Nogueira comemora parceria com Elizabeth Savalla

O Planeta TV - Ana Beatriz Nogueira e Elizabeth Savala são importantes divas da televisão brasileira e, pasmem, elas ainda não tinham se encontrado em um trabalho anteriormente. Mas em O Sétimo Guardião esta espera vai ter fim e veremos as duas juntas em cena pela primeira vez interpretando Ondina e Mirtes, respectivamente. Na trama escrita por Aguinaldo Silva, as personagens vão bater de frente e, para isso, as atrizes têm trabalhado a afinidade entre elas.
"Para passar verdade nesses embates que teremos em cena é preciso muita sintonia. Esta é a primeira vez que trabalhamos juntas, mas a Savalla é uma atriz que sempre admirei e está sendo uma felicidade contracenar com ela.", comenta Ana Beatriz Nogueira.
A nova novela das 9 vai trazer uma história de realismo fantástico e Ondina vai ser uma mulher surpreendente: de dia, ela cuida da própria pousada e, de noite, é cafetina do bordel da cidade de Serro Azul.
"Ela é uma mulher forte, dedicada à sua missão de guardiã da fonte e à administração da pousada e do bordel (Paraíso da Ondina)."
"Ao mesmo tempo, ela é bem-humorada e está sempre disposta a ajudar aqueles que a procuram em busca de um conselho. Espero que o público se encante com a história que vamos contar."
A próxima novela das 9 é uma obra de Aguinaldo Silva, com direção artística de Rogério Gomes. No elenco estão: Marina Ruy Barbosa, Bruno Gagliasso, Lilia Cabral, Tony Ramos e grandes nomes!

Com momento bombástico, Segundo Sol iguala recorde nesta quinta-feira (27)


Segundo Sol marcou um bom índice de audiência na noite desta quinta-feira (27). Com a vilã Karola (Deborah Secco) desmascarada ao vivo, a novela consolidou 38 pontos de média e 55% de share. Cada ponto equivale à 71.8 mil domicílios na grande São Paulo.
Já no Rio de Janeiro, de acordo com o site TV Foco, bateu um recorde de 42 pontos de média e 61% de participação, o equivalente a 45.2 mil domicílios por ponto.
Na tão aguardada cena, Karola teve sua relação com o malandro Remy (Vladimir Brichta) exposta para todo o país durante um show feito em homenagem à Beto Falcão (Emílio Dantas). Isso faz parte da vingança de Luzia (Giovanna Antonelli) contra essa e outra inimiga, Laureta (Adriana Esteves).

Quatro novelas que tem chances de serem reprisadas no Vale a Pena Ver de Novo


O Planeta TV - Por enquanto, a Globo reapresenta a novela Belíssima, praticamente, à íntegra. Porém, devido aos baixos índices de audiência, na casa dos 14 pontos, a obra poderá sofrer cortes.
Nos bastidores já se comentam sobre a substituta, que deve ser lançada no começo do ano que vem. As obras com mais chances de serem reprisadas são: América, Alto Astral, Alma Gêmea e Chocolate com Pimenta.
A direção artística da Globo não pode errar na escolha. O desempenho de audiência do Vale a Pena Ver de Novo reflete diretamente na média final de Malhação e indiretamente no acumulo de público da novela das seis.
Atualmente com Belíssima em baixa, Malhação: Vidas Brasileiras registra 17 pontos; e na novela das seis, Espelho da Vida, marca 21 pontos.
Em São Paulo, cada ponto no Ibope equivale a 71,9 mil domicílios sintonizados.