sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Bolsonaro mente ao dizer que Haddad criou ‘kit gay’


El País - Ao contrário do que afirmou o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) em entrevista à rádio Jovem Pan em 9 de outubro, seu adversário na disputa eleitoral, Fernando Haddad (PT), não criou nenhum “kit gay”. O termo pejorativo é usado por críticos para se referir ao Escola Sem Homofobia. O material, composto por um caderno e peças impressas e audiovisuais, foi encomendado pela Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados ao Ministério da Educação (MEC) e elaborado por um grupo de ONGs especializadas, em conformidade com as diretrizes de um programa do governo federal lançado anteriormente, em 2004. Quando houve a polêmica sobre o seu conteúdo, em 2011, Haddad estava no comando do MEC.
A cartilha tinha como principal objetivo promover “valores de respeito à paz e à não-discriminação por orientação sexual”. Não há no documento nenhuma orientação que justifique a alcunha “kit gay”. Diversos especialistas em educação já se manifestaram favoravelmente ao material e entidades da sociedade civil avaliam o conteúdo como adequado para as faixas etárias indicadas. Além disso, não é possível atribuir a Fernando Haddad responsabilidade sobre a autoria do material, porque o projeto surgiu do poder Legislativo e não foi desenvolvido diretamente pelo MEC, mas por ONGs contratadas pelo ministério. Quando a cartilha foi vetada pela presidente Dilma Rousseff (PT), os materiais do kit ainda estavam sob análise da pasta. Por isso, o Truco —projeto de checagem da Agência Pública— classifica a frase de Bolsonaro como falsa.
A origem do material remonta a 2004, quando Haddad ainda não era ministro da Educação. Foi naquele ano que o governo federal lançou o “Brasil sem Homofobia – Programa de Combate à Violência e à Discriminação contra GLTB e Promoção da Cidadania Homossexual”. No plano de implementação da proposta há recomendações para que sejam elaborados materiais educacionais que promovam valores de respeito à paz e à não discriminação por orientação sexual.
Seguindo com atraso a recomendação do programa, o projeto Escola Sem Homofobia foi financiado pelo Ministério da Educação por meio de recursos aprovados em 2006 por emenda parlamentar da Comissão de Legislação Participativa da Câmara de Deputados. O resultado do projeto foi uma cartilha dividida em três capítulos, subdivididos em tópicos, além de dois anexos com sugestões de sequências didáticas e de como utilizar os materiais em vídeo. Dinâmicas sobre o assunto de cada tópico são propostas pelos autores para professores e alunos.

Imagem ilustrativa do caderno Escola Sem Homofobia.
Durante uma reunião da Comissão de Legislação Participativa sobre homofobia nas escolas realizada em 2010, Beto de Jesus, secretário de finanças da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexos (ABGLT), uma das entidades responsáveis pela criação do material, disse sentir falta da participação do então ministro da Educação, Fernando Haddad, no processo. “Eu sinto a ausência do ministro nas questões relacionadas a LGBTs”, afirmou. “Já conseguimos falar com os ministros, eles já estiveram em espaços nossos, mas o ministro Haddad ainda não esteve em espaços nossos; ele não foi nem na Conferência Nacional. Outros ministros foram".
Em nota oficial divulgada em 20 de janeiro de 2011, as entidades envolvidas na elaboração da cartilha garantiram que todas as etapas de planejamento e execução do projeto “foram amplamente discutidas e acompanhadas de perto pelo MEC e pela Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secad)”.
Na época, o material teve sua distribuição aprovada e recomendada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Em nota, a Unesco disse que o conteúdo era adequado às faixas etárias e de desenvolvimento afetivo-cognitivo a que se destinam, em concordância com a Orientação Técnica Internacional sobre Educação em Sexualidade, publicada pela entidade em 2010. Além da Unesco, outros órgãos ligados à Organização das Nações Unidas (ONU), como o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (Uniaids), mostraram-se favoráveis à distribuição da cartilha em 2011.
O Conselho Federal de Psicologia também emitiu um parecer técnico favorável ao Escola Sem Homofobia. “É notório o cuidado didático-pedagógico e qualidade visual com que foi criado e desenvolvido todo o conjunto educacional apresentado no kit —vídeos, livretos, cartilhas, boletins com temas específicos e panfletos. Trata-se de uma produção densa, cuidadosa e bem articulada”, afirma o parecer.
No entanto, pressões de grupos religiosos no Congresso levaram o governo federal a recuar e a presidente Dilma suspendeu a produção e distribuição do material, em maio de 2011. À época, o kit produzido pelas entidades Pathfinder do Brasil, Reprolatina e Comunicação em Sexualidade (ECOS), com apoio da ABGLT, ainda estava sendo analisado por técnicos do MEC.
Em entrevista à revista Nova Escola, o pedagogo Ricardo Desidério, que avalia alguns conteúdos do material anti-homofobia em seu doutorado na Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp), diz que o material representaria um avanço nas escolas. “Os PCNs (Parâmetros Curriculares Nacionais, elaborados em 1997) eram o único documento que tratava de sexualidade, mas o faziam de forma genérica. Já esse material faz um recorte prático do que precisa ser trabalhado na escola hoje”, disse Desidério.
Outros especialistas ouvidos pela Folha de S.Paulo em 2011 também aprovaram o conteúdo da cartilha contra homofobia. “Não dá para dizer que há incentivo à bissexualidade, até porque [a orientação sexual] não é algo que se resolva de repente”, disse à Folha a professora de psicologia da educação da Pontifícia Universidade Católica (PUC), Ana Mercês Bock.
O material é alvo de críticas de Jair Bolsonaro com frequência. A própria campanha de Haddad já desmentiu que o petista seria responsável pelo “kit gay” em uma publicação no site da coligação O Brasil Feliz de Novo. “A expressão preconceituosa vem sendo utilizada com intenções políticas nefastas, inclusive distribuindo imagens falsas do material e citando livros fora de contexto”, relata o texto da página.
Na mesma entrevista para a rádio Jovem Pan, Bolsonaro criticou novamente o projeto anti-homofobia falando que “não se aprende nada na escola, é filme de menino se beijando, filme de menina se acariciando”. Para o candidato, “a escola é para aprender matemática, química, física, e não sexo.” No entanto, no material do Escola Sem Homofobia não há representações de crianças mantendo relações sexuais.
Bolsonaro também direcionou recentemente suas críticas ao livro Aparelho Sexual e Cia. A obra, editada pela Cia das Letras, já vendeu 1,5 milhão de exemplares em todo o mundo e foi publicada em dez idiomas. Durante uma entrevista para o Jornal Nacional, da Rede Globo, o candidato afirmou que a obra seria distribuída nas escolas pelo MEC, relacionando-a ao “kit gay”. No entanto, o livro também não faz ou fez parte de nenhum programa do MEC, conforme desmentido pelo próprio ministério em nota oficial publicada em 2016.

#BackTo2000's - Aguinaldo Silva lança em meados da década o livro de mistério '98 tiros de audiência'


Em 2006, o autor Aguinaldo Silva lançava o livro 98 Tiros de Audiência, um livro baseado, segundo ele, em fatos que viu e ouviu. A personagem principal, Aurora Constanti, é uma atriz que faz muito sucesso em novelas, mas é misteriosamente assassinada em sua casa, pondo todo mundo do elenco de uma produção em que trabalhava (atores, diretores e até o autor) na lista de possíveis suspeitos.
O livro de Aguinaldo, que já tinha escrito outros 13, foi publicado pela editora Geração em 296 páginas. A maioria dos personagens que compuseram a obra, incluindo a Aurora, foi inspirada em pessoas reais que trabalham dentro e fora da Rede Globo.

Eternizada com A Usurpadora, Gaby Spanic pode retornar às novelas mexicanas ao lado de Jorge Salinas


Observatório da Televisão - Uma das atrizes latinas mais reverenciadas no mundo, é, sem dúvidas, Gabriela Spanic (44). De acordo com tabloides mexicanos, a grande estrela está prestes a retornar para as novelas. Gaby Spanic foi vista fazendo testes para a próxima novela do canal Imagem Televisión.
A última novela da Gaby foi Siempre Tuya Acapulco, na TV Azteca. A novela que pode contar com o nome de Gaby é El Changarrito de Pepe, uma nova versão de uma produção do mesmo nome. A comédia familiar terá 60 capítulos, e as gravações começarão ainda este ano, com localidade na costa mexicana.
Se confirmar a entrada da atriz Gaby Spanic na novela, ela se juntará a outro grande nome contratado pelo canal, o ator Jorge Salinas, conhecido no Brasil com novelas como Mariana da Noite e Meu Coração É Teu.

Zé Felipe, cantor sertanejo filho de Leonardo, é carente profissional no single 'Amor todo dia'


G1 - No single que lançou em agosto deste ano de 2018 com a presença da cantora Naiara Azevedo na reciclagem de sucesso da dupla baiana Furacão Love, My baby (Eduardo Mascarenhas e Vinicius Alves), Zé Felipe queria "afogar as mágoas"e "cama redonda para poder namorar".
No single que lança hoje, 12 de outubro, Amor todo dia (Adair Cardoso), o cantor sertanejo de 20 anos – filho de Leonardo – aposta numa imagem de carente profissional ao defender o romantismo na contramão da ideologia hedonista que reina no universo pop sertanejo dos anos 2010.
"Tô sozinho / Troco balada / Por duas taças de vida", propõe José Felipe Rocha Costa, transformado no cantor Zé Felipe a partir de dezembro de 2013 quando entrou em cena em show do pai, dando início em 2014 à carreira que ainda não se dissociou por completo da imagem de Leonardo.
Single lançado pela gravadora Som Livre, Amor todo dia tritura o romantismo no liquidificador pop que esteriliza e padroniza emoções na máquina da indústria da música.

#TBF - Relembrem "Spaceship", de Benny Benassi, lançada em parceria com Kellis, apl.de.ap. e Jean-Baptiste


Conhecido anteriormente pelos sucessos 'Satisfaction', 'No Matter What You Do', 'I Am Not Drunk' e 'Come Fly Away', o italiano Benny Benassi lançou em 25 de maio de 2010 o single Spaceship, a primeira música usada para divulgar seu terceiro álbum de estúdio, Electroman, que saiu no ano seguinte.
A canção foi escrita pelo DJ em parceria com o primo, Alle Benassi; os compositores Jean-BaptisteMichael McHenry, que já trabalhou para outros artistas como Rihanna, Chris Brown, Miley Cyrus e Kid Cudi; o membro da banda Black Eyed Peas apl.de.ap.; e a cantora Kellis.
Spaceship figurou as paradas de sucesso da França (#16 segundo o Sindicato Nacional de Edições Phonográficas), Reino Unido (#18 - UK Dance Chart; #94 - UK Singles Chart), Bélgica (#27 - Ultratop 50; #40 - Ultratop 40) e Estados Unidos (#32 - Hot Dance Club Songs). No Youtube, o videoclipe foi visualizado mais de 10 milhões de vezes.

#OTempoNãoPara - Waleska engravida, mas não sabe quem é o pai


Nos próximos capítulos de O Tempo Não Para, a ex-tenente da Marinha Waleska (Carol Castro) vai descobrir, ainda no final deste mês, que está grávida; porém, o mistério que irá pairar na novela diz respeito à paternidade do bebê, se é do empresário Samuel (Nicolas Prattes) ou de seu ex-colega de trabalho, Mateus (Rafael Vianna).


A mãe da gestante, Coronela (Solange Couto), especulou que o pai pudesse ser o Samuel e por isso foi lá avisá-lo. Em uma conversa com ele, Waleska revela que, antes de namorarem, teve relações com Mateus, que comemora a notícia e se declara para ela. As informações são do site Purepeople.

Avó surtada revela origem de Karola em “Segundo Sol”


RD1 - Os últimos capítulos de “Segundo Sol” vão fazer Karola (Deborah Secco) surtar! A ex-mulher de Beto Falcão (Emilio Dantas) vai ser, enfim, confrontada com sua origem. Será Dulce (Renata Sorrah), a mãe de Laureta – que apresenta sinais de loucura –, a responsável por “descortinar” o mistério que envolve Karola desde o início da trama, segundo o GShow.
A princípio, Dulce irá negar toda e qualquer informação a ex-prostituta: “Não posso, não posso falar… Laurinha proibiu!”. Insistente, Karola afirma que não irá “entregar a fonte”. “Já disse, meu anjo, se eu abrir minha boca, sua mãe me mata!”, dispara a doidivanas, deixando a neta atordoada: “A Laureta… Ela é minha mãe, é isso? Eu sou filha de Laureta?”.
“Eu… Eu nasci do ventre daquela mulher… A mãe que eu sempre sonhei em ter é aquela demônia”, reage Karola, indignada, antes de se deparar com fotos guardadas por Dulce, da pequena ao lado da mãe. Mais tranquila, a ex-senhora Falcão decide ir ao orfanato onde morou, tentar descobrir com irmã Felipa (atriz não divulgada), que a criou, a identidade de seu pai.
Sem pestanejar, a freira revela o nome do homem que engravidou Lau: Severo Athayde (Odilon Wagner). “Severo Athayde? Aquele milionário da construtora dos prédios de areia da praia que caiu e que depois faliu e ficou pobre… Ele é meu pai?”, diz Karola, sem acreditar. Desta forma, a vilãzinha é irmã de Edgar (Caco Ciocler) e Roberval (Fabrício Boliveira), por parte de pai; e sobrinha de Remy (Vladimir Brichta), seu ex-cunhado e amante, por parte de mãe.

Furacão Michael deixa 13 mortos e autoridades temem que haja mais vítimas

Jornal do Brasil - O furacão Michael, uma tempestade devastadora que deixou um rastro de destruição no sudeste dos Estados Unidos, causou a morte de pelo menos treze pessoas em três estados, antes de chegar nesta sexta-feira ao oceano Atlântico. As autoridades temem o aumento do número de mortos com o avanço das equipes de resgate.
O número de mortos aumentou para de 11 para 13, com mais duas novas vítimas na Carolina do Norte. Segundo os Serviços de Emergência do condado de McDowell, as duas pessoas morreram na noite de quinta-feira, quando o veículo em que estavam se chocou contra uma árvore caída na estrada.
As duas vítimas se somam aos cinco mortos de Virgínia, quatro do condado de Gadsden, na Flórida, outro na Georgia e mais um na Carolina do Norte.
As autoridades temem que o número de vítimas continue crescendo. "Se espera que o balanço geral aumente entre hoje e amanhã à medida em que avançamos pelos escombros", disse à CNN Brock Long, chefe da Agência Federal de Gestão de Emergências (FEMA).
Na mesma linha, o senador republicano pela Flórida Marco Rubio disse que sua "sensação é de que encontrarão mais vítimas".
Cerca de 2.000 efetivos da Guarda Nacional da Flórida continuavam trabalhando nas operações de recuperação, aos quais se somaram 3.000 membros de FEMA.
O olho de Michael tocou terra na quarta-feira perto de Mexico Beach, uma cidade 30 km a sudeste de Cidade do Panamá, como um furacão de categoria 4 (de um máximo de 5 na escala Saffir-Simpson), de acordo com o Centro Nacional de Furacões (NHC).
Mais tarde, Michael se degradou para uma tempestade tropical e nesta sexta-feira mudou de rumo para o Oceano Atlântico, a leste de Norfolk, na Virgínia, de acordo com o NHC.
De acordo com as autoridades, mais de 1 milhão residências e empresas estavam sem energia, 350 mil delas na Flórida, meio milhão na Carolina do Norte e mais 500 mil na Virginia.
O presidente Donald Trump prometeu ajuda às vítimas. "Nossos corações estão com as milhares de pessoas que sofreram danos materiais, em muitos casos a destruição foi total", disse o presidente. "Não vamos descansar ou hesitar até que o trabalho esteja concluído e a recuperação esteja completa."
Os ventos de 250 quilômetros por hora arrancaram várias casas de suas fundações em Mexico Beach, que tem cerca de 1.000 habitantes, deixando placas de concreto expostas.
As estradas se encontram intransitáveis e os canais tomados pelos escombros.
Um residente de Mexico Beach descreveu o impacto das fortes marés causadas pelo ciclone à CNN: "Quando a água entrou, as casas começam a flutuar", contou o homem identificado apenas como Scott.
"Não há mais nada aqui. Nossa vida se foi, todas as lojas, todos os restaurantes, tudo, é difícil de entender", lamentou.
As imagens mostram barcos jogados nos pátios e ruas que foram tomadas por árvores e linhas de energia arrancadas.
A vizinha Cidade do Panamá também parecia um cenário de guerra.
Lá, Margaret Decambre, 48 anos, viu a tempestade passar em seu apartamento no quarto andar. "O vento era tão forte que empurrava a água pelas janelas e portas", recordou.
"É uma devastação total. Não há energia, não há água, não há comunicação", acrescentou.
O governador da Flórida, Rick Scott, chamou a situação de "devastação impensável", e disse que a prioridade era procurar sobreviventes entre as pessoas não evacuadas.
"Estou muito preocupado com nossos cidadãos que não foram evacuados e espero que não tenhamos muitas perdas de vidas", disse ele à ABC.
O governador da Carolina do Norte, Roy Cooper, informou que uma centena de pessoas foram resgatadas e muitas outras foram evacuadas devido às inundações no estado.
A rapidez com que a tempestade se formou e cresceu surpreendeu especialistas e pegou os moradores desprevenidos. O chefe da FEMA, Brock Long, descreveu Michael como o furacão mais intenso a atingir a área desde 1851.
Ken Graham, diretor do NHC, havia avisado: "Infelizmente, esta é uma situação histórica, incrivelmente perigosa e com risco de vida".
No ano passado, uma catastrófica série de furacões atingiu o Atlântico Ocidental. Os mais devastadores foram Harvey no Texas, Irma no Caribe e Flórida, e Maria, que atingiu o Caribe e deixou quase 3.000 mortos no território americano de Porto Rico.
A temporada de furacões do Atlântico termina em 30 de novembro.

Papa aceita renúncia de cardeal dos EUA acusado de acobertar abusos sexuais

Jornal do Brasil - A renúncia do cardeal americano Donald Wuerl a sua posição de arcebispo de Washington, depois de suspeita de acobertar casos de abusos sexuais por parte de padres pedófilos, foi aceita nesta sexta-feira pelo papa Francisco, de acordo com um comunicado da Santa Sé.
O próprio Wuerl anunciou em setembro que pretendia apresentar sua renúncia ao pontífice.


Um extenso relatório do grande júri dos Estados Unidos divulgado em agosto revelou denúncias contra mais de 300 padres pedófilos e identificou mais de 1.000 vítimas de abuso sexual infantil encobertas durante décadas pela Igreja Católica no estado da Pensilvânia.
O relatório é considerado o mais abrangente até hoje em relação ao abuso na igreja dos EUA, mas quando os promotores entraram com acusações contra dois padres, a grande maioria dos crimes já havia prescrito.
No relatório, Wuerl, que foi bispo de Pittsburgh de 1988 a 2006, é repetidamente citado como um dos líderes da Igreja que ajudou a encobrir o escândalo. Ele enfrenta numerosos pedidos por sua renúncia, inclusive de seu próprio clero.
Na capital americana, no mês passado, Wuerl se prostrou ao chão em sinal de arrependimento em uma missa dedicada às vítimas de abusos sexuais.

Na propaganda eleitoral, Bolsonaro critica PT e mostra família

Jornal do Brasil - No primeiro programa eleitoral do segundo turno no rádio e na televisão, o candidato Jair Bolsonaro (PSL) fez críticas ao comunismo e ao seu opositor Fernando Haddad (PT), citando também o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
“O vermelho é um sinal de alerta para o que não queremos no país. A nossa bandeira é verde e amarela e nosso partido é o Brasil”, diz a propaganda do candidato, citando o Foro de São Paulo, "grupo político com viés ideológico, comunista, de esquerda liderado por Lula e Fidel Castro".
Bolsonaro agradeceu aos eleitores pelos votos no primeiro turno e a Deus por sua vida. O candidato está em recuperação após levar uma facada durante um ato público de campanha em 6 de setembro, em Juiz de Fora, em Minas Gerais.


Ao apresentar seu perfil, o capitão reformado do Exército de 63 anos, exibiu a família, a esposa Michelle e os quatro filhos homens e também falou, emocionado, sobre a filha caçula, Laura. “Uma confissão. Eu já tinha decidido não ter mais filhos [...] Fui no Hospital Central do Exército e desfiz a vasectomia e mudou muito minha vida com a chegada da Laura”, disse.
Ao finalizar o programa, o candidato destacou sua atuação no Congresso Nacional, dizendo que é honesto, "nunca fez conchavos"e "sempre defendeu os valores da família".
A propaganda fala também da união do país. “Chegou a hora de o Brasil se unir e virar a página do passado e eleger um presidente que vai fazer o país crescer”, diz o locutor da propaganda.
"Precisamos de políticos honestos e patriotas, que falem de tudo. Um governo que saia do cangote da classe produtora. Temos certeza que desta forma teremos uma grande nação", diz Bolsonaro.

Regina Duarte visita Jair Bolsonaro


RD1 - A atriz Regina Duarte visitou nesta sexta-feira (12) o candidato à Presidência do PSL, Jair Bolsonaro, em sua casa na Barra da Tijuca, no Rio. A foto do encontro foi publicada pelo capitão do exército nas redes sociais.
Ela já tinha manifestado apoio ao capitão do exército na internet, onde postou uma imagem de um palhaço e a frase: “As “Ele Não” não revelam qual é o “Ele Sim” delas.”


O candidato do PSL vem recebendo a visita de artistas em sua casa, como o cantor Zezé Di Camargo e o humorista Dedé Santana.

“Medo de Lula”
A atriz, conhecida por ser uma ferrenha crítica do PT , fez em 2002 um vídeo em declarava apoio ao então candidato José Serra (PSDB) e dizia que “tinha medo” de uma possível vitória do ex-presidente Lula por ele representar um “risco para a estabilidade do País”.

Espelho da Vida: Cris se reencontra com Américo e o surpreende chamando-o de “pai”


Observatório da Televisão - Em Espelho da Vida, Cris (Vitória Strada) tem recebido muitos ensinamentos depois que passou a frequentar a casa de Julia Castelo. Crente de que aquela é a representação de sua vida passada, a moça resolveu começar a mudar seu jeito de enxergar o mundo ao redor. E isso será demonstrado num encontro com Américo (Felipe Camargo).


Américo é pai de Cris e a abandonou quando ela era criança. Alcoólatra, ele sempre foi considerado um malandro pela namorada de Alain (João Vicente de Castro). Após atropelá-lo acidentalmente em Rosa Branca, ela será chamada novamente para ficar na presença do pai. Tudo começa quando Ana (Júlia Lemmertz) se surpreende ao chegar na cidade e encontrar o ex-marido.
Magoada, ela tenta explicar à Gentil (Ana Lúcia Torre), que Flávio (Ângelo Antonio), seu atual marido foi quem criou Cris, e a quem a jovem considera como pai. Numa conversa com Alain, o rapaz pede que Ana pare de tentar proteger Cris, e levando em conta que ela é uma adulta e pode tomar as próprias decisões.

Felipe Camargo como Américo
Cris acaba se encontrando novamente com Américo, e ele acredita que será novamente repelido pela filha, quando ela diz calmamente. “Tem coisas que não podem ser explicadas pela razão, Américo… / A gente traz mágoas e arrependimentos de outras vidas… e se a gente não encarar de frente elas se repetem pra sempre! Vida após vida”, fala ela ajoelhada aos pés do homem.

Em Espelho da Vida, Cris chama Américo de pai pela primeira vez
“O que deu nessa menina agora?”, pergunta Gentil perplexa com a cena, já que a dona da pensão havia visto como era ríspido o tratamento da filha para o com pai anteriormente. “Não dá pra julgar uma pessoa porque não se sabe que tipo de carga ela carrega através do tempo… A gente tá aqui pra ajudar uns aos outros a superar, a evoluir. Só isso explica a vida, pai…”, continua Cris.
“Pai?”, se surpreende Américo ao ser chamado de pai pela primeira vez. A palavra dita pela mocinha também deixa Ana e Flávio estarrecidos. “Eu sou o seu pai, Cris!!!! Só eu!!!”, diz Flávio já nervoso, mas acaba tendo sua fúria contida ao receber um abraço da moça.

Já na reta final, Segundo Sol ainda não conseguiu 40 pontos de audiência em SP


Por enquanto, a novela das nove Segundo Sol está sendo apenas sucesso em repercussão, já que a audiência dela, até aqui, não é das melhores se for comparada às antecessoras O Outro Lado do Paraíso, de Walcyr Carrasco, e A Força do Querer, de Glória Perez, embora figure os assuntos mais comentados do Twitter.
Com 130 capítulos transmitidos e faltando quatro semanas para o final, a história escrita por João Emanuel Carneiro tem 38 pontos de recorde e 32.8 (33) de média parcial na grande São Paulo, um desempenho menor que a antecessora, que tinha 37.2 (37) pontos até ali. Já A Força do Querer, a responsável por colocar o horário nobre nos trilhos, tinha 34.3 (34) parciais.

Fábio Porchat nega que apoio a Bolsonaro tenha influenciado sua saída da Record


RD1 - Continua a novela envolvendo a saída de Fábio Porchat da Record. Em depoimento à coluna do jornalista Ricardo Feltrin, o humorista afirmou que voltará a conversar com a emissora em dezembro a respeito de seu desligamento.
Porchat também aproveitou para negar os rumores de que a manifestação pública de apoio do dono da emissora, Edir Macedo, à candidatura do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) tenha influenciado sua decisão de deixar a casa.
Os boatos tiveram início porque a informação da saída de Porchat vazou justamente no dia 30 de setembro, mesma data em que Macedo anunciou seu apoio a Bolsonaro. Porchat, porém, garantiu que havia procurado a Record para tratar da rescisão de seu contrato muito antes do fato político.
De acordo com o mesmo Feltrin, a direção da Record teria ficado magoada com o pedido de demissão do apresentador, já que sempre deu total liberdade ao contratado não só no que compete a seu programa, mas também para negociar com canais de TV paga.

“Segundo Sol”: Maura, Selma e Ionan iniciam relação a três

Carol Fazu no lançamento de Segundo Sol
RD1 - João Emanuel Carneiro reservou um desfecho inusitado para o triângulo amoroso formado por Maura (Nanda Costa), Selma (Carol Fazu) e Ionan (Armando Babaioff) em “Segundo Sol”.
Pressionada pelo policial e pela ex-namorada a decidir com qual dos dois vai ficar, Maura refletirá por alguns dias e depois chamará os dois para uma conversa. “Eu andei pensando muito no que vocês dois me falaram e estou devendo uma resposta a vocês. Me pediram pra eu decidir, então, eu decidi“, anuncia.
“Diga, acabe de uma vez com essa tortura, com qual de nós dois você vai ficar?“, insiste Selma, impaciente. “Com vocês dois“, responde Maura, na lata.
Tanto Selma quanto Ionan se mostram chocados e confusos, mas a irmã de Rosa (Letícia Colin) se explica: “Eu gosto de vocês dois igual, de maneira diferente, claro, mas com a mesma intensidade. Eu não quero escolher entre um e outro, não posso. Agora são vocês que têm que escolher. Resolvam se estão nessa viagem comigo ou não“.
“Meu amor por você é grande o suficiente pra suportar esse esforço“, diz Selma. “Eu estou disposto a encarar essa parada pra ficar com Maura“, concorda Ionan. A partir daí, o trio passa a dividir a mesma casa e se relacionar entre si.

Amy Winehouse | Turnê de holograma da cantora acontecerá em 2019


Omelete - Um holograma de Amy Winehouse terá uma turnê em 2019, de acordo com um anúncio da administração dos arquivos da cantora e a BASE Hologram. Segundo um comunicado [via Rolling Stone], o show trará "arranjos digitalmente remasterizados de clássicos de Winehouse" e o holograma será "acompanhado por uma banda ao vivo, com cantores e efeitos de palco".
Uma porta-voz da BASE Hologram, Marty Tudor, comentou a turnê: "Esta turnê tocará na devoção e lembrará pessoas de sua incrível voz e suas contribuições ao mundo da música".
A tour, que é prevista para começar no fim de 2019, arrecadará dinheiro para a Fundação Amy Winehouse, que trabalha com jovens para combater abuso de drogas e álcool.

Justiça determina prisão de Alexandre Frota por não pagamento de pensão alimentícia


TV Foco - Eleito Deputado Federal por São Paulo, Alexandre Frota se meteu em uma grande confusão com o filho, Mayã Frota. Assim que soube que o pai se elegeu, o jovem, de 18 anos, recorreu as redes sociais para afirmar que o ex-ator pornô, que atualmente defende a família tradicional, pediu que sua mãe o abortasse no passado.
Alexandre Frota contra-atacou o filho e usou as redes sociais para se defender. No texto que publicou em seu perfil no Facebook, no qual rebate as acusações do garoto, de abandono e não pagamento de pensão, ele deixa claro que fez sexo e consumiu drogas com Samantha Gondim num hotel de Brasília.


Após o ocorrido, ela entrou com um processo contra o ex nas varas cível e criminal. De acordo com a advogada Juliana Pocaro, que cuida do caso, ela e Samantha vão entrar com os dois processos na Justiça. Injúria, difamação e porte de drogas são apenas algumas das infrações nas quais Alexandre Frota pode ser enquadrado.
A Justiça de Brasília deferiu o pedido de protesto feito pelos representantes de Mayã Frota contra o pai, Alexandre Frota. E o nome do político se encontra negativado. A decisão certificada pela diretora da 4ª vara de Família de Brasília, Renata Bittar, se baseia nos trâmites do processo que o rapaz move contra Frota pela dívida de pensão alimentícia. Na segunda-feira, 15 de outubro, será pleiteado ainda o pedido de prisão do ex-ator pornô.

Com ataque a Bolsonaro, estréia de Amor & Sexo tem péssima audiência


O programa Amor & Sexo, que já está em sua 11ª temporada, teve a pior audiência em toda sua história. Na grande São Paulo, o episódio de terça-feira (09) teve apenas 10 pontos de média e ficou um ponto atrás da Record, que exibia a décima temporada do reality show A Fazenda. Cada ponto equivale a 71.855 domicílios na maior metrópole do país.

Fernanda Lima na estréia de seu programa
De acordo com a publicação do colunista Ricardo Feltrin, do portal UOL, a atração da Rede Globo apresentou queda em todo o país em comparação à estréia da temporada exibida no ano passado, registrando a mesma média geral no Painel Nacional de Televisão.
Confiram:
SP - 16 > 10
Rio - 19 > 14
BH - 14 > 7
Porto Alegre - 23 > 13
Salvador - 17 > 9
Recife - 19 > 9
Curitiba - 16 > 10
DF - 13 > 10
Goiânia - 8 > 5
Campinas - 15 > 7
Vitória - 18 > 10
Belém - 20 > 13
Manaus - 16 > 11
Floripa - 20 > 8

Cogita-se que o posicionamento político de Fernanda dentro e fora do programa tenha colaborado para a rejeição do público. Há duas semanas, em seu perfil oficial do Instagram, ela publicou dois vídeos chamando às ruas os adeptos ao Ele Não, movimento contra o candidato à presidência da república Jair Bolsonaro, que concorre pelo PSL (Partido Socialista Liberal). Já no Amor & Sexo de terça, que teve dois homens se beijando (para espanto dos telespectadores), ela detonou as ideias do político, mesmo sem mencionar seu nome.

Nívea Stelmann é escalada para a próxima novela das sete e fará par romântico com ex-esposo


Depois de anos sem pisar na Rede Globo, Nívea Stelmann, que mora nos Estados Unidos e apresenta um programa voltado aos brasileiros, foi escalada para a novela Verão 90, que substituirá O Tempo Não Para em janeiro do ano que vem.
A atriz estava longe das telinhas globais desde 2011, quando fez Morde & Assopra. Chegou a passar pela Record há dois anos, quando integrou o elenco de A Terra Prometida. Agora, na trama que irá se passar na década de 1990, fará par romântico com o ex-esposo, Mário Frias, com quem teve um filho, Miguel (de treze anos). Os dois estão divorciados há 13 anos, e nunca trabalharam juntos nem mesmo quando ainda estavam casados.

Luana Piovani desmente apoio a Bolsonaro


Veja (SP) - Nesta quarta (10), a atriz Luana Piovani ficou surpresa ao ouvir um áudio de quase cinco minutos atribuído a ela. “Não gente, não acredito que estão acreditando que essa voz é minha! Não sou eu não, gente! Minha voz é melhor”, desmentiu em suas redes sociais.
O material tem circulado desde a semana passada em canais do YouTube e também via mensagens de Whatsapp. Nele, a fake-Luana entoa quase um monólogo de apoio a Bolsonaro e alertando sobre o perigo de um possível governo comunista liderado por Fernando Haddad.
Depois, no Instagram, a atriz e apresentadora voltou a ser bem enfática: “Vim aqui de novo esclarecer que não voto no Bolsonaro nem f…, gente. Nem no PT nem no Bolsonaro”.
A seguir, os vídeos com o desmentido:

Ximbinha é acusado de agredir mulher em festa


IstoÉ - Uma mulher denunciou Ximbinha por agressão na 14ª seccional Ananindeua, no Pará, após o cantor atirar um copo de cerveja em sua direção e partir para cima da vítima, de acordo com informações do ‘Fofocalizando’, do SBT.
Segunda a reportagem, o músico alegou que a briga começou pois a jovem falou sobre Joelma, mas as testemunhas presentes na festa falam que a mulher não teria dito nada demais sobre a cantora.
Léo Dias informou ainda que muitas crianças estavam presentes e começaram a chorar com a confusão, inclusive a filha da vítima.
A assessoria de Ximbinha chamou o caso de ‘fake news’: “Desconhecemos por completa [a confusão], sendo completamente falsa a informação”.

Morre aos 92 a espiritualista Zíbia Gasparetto


Faleceu na noite desta quarta-feira (10) a escritora e médium Zíbia Gasparetto. Ela tinha 92 de idade e 68 de carreira como escritora, tendo se dedicado sempre ao espiritismo, embora se considerasse espiritualista. A informação da morte foi confirmada no Facebook pela página da Editora Vida & Consciência, fundada por Zíbia juntamente com os filhos Silvana e Luiz, que também veio a falecer este ano, aos 68 anos.


Nascida em Campinas, no interior de São Paulo, a escritora lutava contra um câncer no pâncreas, o mesmo mal que atingiu Luiz. Desde que começou a escrever obras psicografadas, ela publicou 58 livros, entre eles, os destaques 'O Amor Venceu', 'O Matuto', 'Onde Está Teresa?', 'Eles Continuam Entre Nós', e 'A Vida Sabe O Que Faz'. Deixa três filhos, oito netos e dois bisnetos.

Regina Duarte faz post em apoio a Bolsonaro e recebe críticas de Patrícia Pillar

Patrícia Pillar e Regina Duarte em entrevista ao Memória Globo
Diário de Pernambuco - Na tarde desta quinta-feira (11), a atriz Regina Duarte, da Rede Globo, que já havia sinalizado o apoio ao presidenciável Jair Messias Bolsonaro (PSL), usou as redes sociais para fazer novas críticas ao Partido dos Trabalhadores, do candidato Fernando Haddad.
A atriz global compartilhou uma imagem com uma comparação entre o salário mínimo e outra quantia com a indicação de "Bolsa Presidiário", fazendo referência ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A imagem ainda traz o questionamento: Tem certeza que o PT sabe governar?"
Após a publicação, a atriz Patrícia Pillar, colega de emissora, rebateu a postagem por meio de comentário, assumindo uma posição contra Bolsonaro. Patrícia usou vários argumentos para indicar que o candidato do PSL não seria capaz de ocupar o cargo de presidente do Brasil. “Com toda admiração e respeito que tenho por você Regina, faço aqui uma ponderação: de antemão te digo que nunca fui petista, minha preocupação é com o Brasil”, iniciou. “Mas você acha que a solução neste momento é votar em um candidato que nunca administrou uma rua sequer? Que se apresenta como salvador da pátria, mas não tem o menor conhecimento sobre economia, saúde e educação? A apologia à violência que ele prega só nos trará ainda mais violência. Violência esta que já pode ser sentida em nossas ruas. Falo aqui principalmente das minorias, pretos, pobres, LGBTIs, índios e etc. Um governo ruim pode ser trocado em quatro anos, mas a destruição do nosso tecido social poderá levar décadas. Pense nisso com carinho!”, finalizou.