domingo, 4 de novembro de 2018

Trompetista americano Roy Hargrove morre aos 49 anos em Nova York


G1 - O trompetista americano Roy Hargrove, um talento precoce e presença frequente nos festivais de jazz europeus, morreu na sexta-feira (2) aos 49 anos, anunciou neste sábado (2) a sua página no Facebook.
A página citou seu empresário de longa data, Larry Clothier, dizendo que Hargrove morreu em Nova York devido a uma parada cardíaca após complicações de uma doença renal.
"Um dos músicos mais respeitados e amados da nossa comunidade de Nova York e do mundo, o trompetista pioneiro vencedor do Grammy tão conhecido por sua intensidade e quanto por sua linda balada", dizia a mensagem.
"Cada vez mais seu som atestava e santificava seu profundo amor pela música. Seu timbre desinteressado cobria a orla de cada paisagem musical. Possuindo sua música, seu som, Roy inspirou gerações de músicos".
O músico nascido no Texas, descoberto em seu colégio em Dallas durante uma visita do lendário trompetista Wynton Marsalis, desenvolveu seus talentos rapidamente.
Sob a tutela e encorajamento de Marsalis, viajou para a Europa para tocar em festivais de verão após a formatura do Ensino Médio. Aos 25 anos, sua estrela já estava em ascensão no mundo do jazz contemporâneo.
Hargrove tocou e gravou com Marsalis e outros grandes nomes do jazz, incluindo Herbie Hancock, Joe Henderson, Stanley Turrentine e Joshua Redman.
Venceu os prêmios Grammy em duas categorias diferentes: em 1998 como Melhor Performance de Jazz Latino por "Habana", e em 2003 como Melhor Instrumental de Jazz com "Directions in Music".

Apoiador de Bolsonaro, Felipeh Campos não acredita em homofobia


Catraca Livre - No programa Raul Gil deste sábado (3), o jornalista Felipeh Campos defendeu Jair Bolsonaro no quadro “Para quem você tira o chapéu” e fez declarações que repercutiram nas redes sociais. O ex-participante da sétima edição do reality show ‘A Fazenda’ disse não acreditar que exista homofobia.
“Eu tiro o chapéu para o Bolsonaro. Muita gente em casa pode estar dando pulos no sofá ou talvez achando que eu esteja completamente maluco. Acho que quando você só olha o seu lado ou lado de outras militâncias, você pode ficar burro. Muito se fala sobre homofobia. Eu não acredito em homofobia. Acredito que não temos que nos colocar dentro de uma minoria. Eu dentro da minha sexualidade, e daquilo que escolhi para mim, não me apresento dizendo ‘Prazer, sou Felipe, gay’, me apresento dizendo ‘Sou Felipe, jornalista’”, disse Felipeh.
“A gente vinha numa história, onde o Brasil estava se tornando um grande câncer. O Brasil estava precisando de quimioterapia. O Brasil está precisando de tratamento de choque. De alguém tentar e colocar tudo nos trilhos”, completou.
O colunista de celebridades ainda criticou Xuxa Meneghel e revelou um atrito com a apresentadora por conta de discussão política nas redes sociais.
“Há mais ou menos um mês, tanto a filha dela, a Sasha, como a Bruna Marquezine, começaram a entrar numa discussão política. Eu fui no meu Instagram e fiz um vídeo dizendo que eu não concordava com a atitude delas se posicionarem daquela forma”, disse ele criticando o fato de Sasha não morar no Brasil e Marquezine estar sempre na Europa.
E continuou: “Então você atacar ou falar algo para não promover uma mudança no país porque ouviu falar que fulano, ciclano, beltrano não é aquilo que a gente imagina… Você tem que falar com categoria. More aqui, more de verdade. Precise de hospital como todas essas do auditória precisam. Precisem de habitação ou de tudo aquilo que nós precisamos aqui no país. O que a Xuxa fez? A Xuxa me respondeu da seguinte forma: ‘Quem esse cara pensa que é, com essa cara esquisita, essa sobrancelha esquisita?’”, contou.
O jornalista, que está passando por um tratamento contra o câncer, classificou a postura da apresentadora da Record de baixa. “A Xuxa teve coragem de mexer ainda mais com a autoestima de uma pessoa que está passando por um tratamento oncológico. Onde cai a sobrancelha, onde mulheres e homens ficam carecas, onde existem efeitos colaterais horríveis. E ela fez questão de ir nesse ponto. Em nenhum momento eu falei de aspectos físicos da filha dela ou da Bruna Marquezine. Eu falei sim, e emiti minha opinião em cima do que a Sasha e que a Bruna Marquezine falou sobre política”, explicou.

Brasil é o pais que mais mata LGBT
Sobre a declaração de Felipeh Campos sobre não existir homofobia, vale lembrar que o Brasil é o país que mais mata LGBTs no mundo. A cada 19 horas, uma pessoa LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, trans e travestis) morre vítima de violência.
Um relatório do Grupo Gay da Bahia (GGB), entidade que levanta dados sobre assassinatos da população LGBT no Brasil há 38 anos, registrou 445 homicídios desse tipo em 2017. O número aumentou 30% em relação ao ano anterior, que teve 343 casos.

#ENEM2018 - confiram aqui os possíveis resultados das provas deste domingo (04)

O Colégio Chromos, localizado em Belo Horizonte (MG), divulgou o resultado das provas realizadas hoje (04) em todo o Brasil no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) de acordo com a visão dos professores que trabalham lá. As imagens abaixo foram compartilhadas pelo site de notícias Estadão de Minas.
O gabarito oficial deverá ser divulgado em até três dias no Portal do Inep e no aplicativo oficial do ENEM.




Brasileiros estão vaiando as cenas gays de ‘Bohemian Rhapsody’


Cine Pop - Um dos filmes mais aguardados do ano, 'Bohemian Rhapsody' chegou aos cinemas brasileiros na última 5a feira, contando a biografia do cantor Freddie Mercury, vocalista e líder da banda Queen. Entretanto, se por um lado os fãs do grupo saíram extasiados da sala, por outro parece que uma parte dos espectadores brasileiros não gostaram das cenas homoafetivas exibidas no longa. E o descontentamento invadiu a Internet. Será que esse público não conhecia nem um pouquinho da história do Freddie?





Amigos levam pipoca para acompanhar 'show' dos atrasados do Enem em SP


G1 - Um grupo de amigos levou pipoca, refrigerante e 'chup-chup' para a porta de uma universidade para acompanhar os estudantes que chegaram atrasados no primeiro dia de prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), neste domingo (4), em Santos, no litoral de São Paulo. Eles disseram ainda que essa é uma maneira de descontrair e prestar solidariedade aos jovens que não conseguiram entrar nos locais de prova.
O G1 acompanhou os candidatos que estavam previstos para fazer a prova na Universidade Paulista (Unip), no campus Santos - Rangel. Os portões foram fechados pontualmente às 13h e mesmo aqueles que chegaram um minuto após o horário não puderam fazer a prova.
Vinicius Araújo dos Santos, de 15 anos, é treineiro. Ele disse que não conseguiu entrar porque estava sem o documento original. "Trouxe a cópia autenticada que eu sempre uso, mas não aceitaram. Falei que meu pai iria trazer o RG e disseram que eu não poderia pegar na porta. Eu não vi em nenhum local que não poderia cópia autenticada", lamentou.
O caso de Araújo é um, entre tantos espalhados pelo Brasil. Os amigos Matheus Ribeiro, Natalia Maia, Luan Helder e David Micael se reuniram em frente à universidade para acompanhar o que eles chamam de 'show dos atrasados'. "Até a gente quase se atrasou. Chegamos quatro minutos antes do portão fechar. Agora vamos ficar aqui pra vender chup-chup para quem ficou do lado de fora", comentou Luan.

Vinicius estava com cópia autenticada do RG e não conseguiu fazer a prova — Foto: Mariana Nadaleto/G1
Atraso se repete
Nos últimos anos, esse fato tem se tornado corriqueiro por todo o País. De tanto se repetir, grupos de amigos têm até se reunido em frente aos locais de prova para assistir ao desespero dos estudantes ao darem de cara com os portões trancados e perceberem que só poderão tentar de novo no próximo ano.
Neste ano, as pessoas que aproveitarem os atrasos para fazer piadas ou espalhar mensagens difamatórias pelas redes sociais podem ser acionados judicialmente em um processo. A professora da Universidade Estadual Paulista (Unesp) Luciene Regina Paulino Tognetta explicou ao G1 que é preciso tomar cuidado com a tênue linha entre bricadeira e violência verbal.

Enem 2018
Mais de 5,5 milhões de candidatos se inscreveram para a edição 2018 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que começa neste domingo (4) com a aplicação da prova de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias / Redação / Ciências Humanas e suas Tecnologias. Os portões abriram às 12h e fecharam às 13h. A prova começa 13h30 e termina apenas às 19h.
A primeira prova acontece no mesmo dia da mudança do horário de verão. Isso fez o Ministério da Educação intensificar os alertas para evitar atrasos entre os candidatos, após ter solicitado ao Governo Federal o adiamento do começo do horário de verão, o que foi negado.

Em culto evangélico, Bolsonaro diz que quer ser ‘pacificador’


O Globo - Neste domingo, o presidente eleito Jair Bolsonaro , acompanhado da mulher, Michelle, compareceu a um culto evangélico pela segunda vez desde a eleição. Em breve discurso na Igreja Batista Atitude, no Recreio, que Michelle frequenta, ele afirmou que pretende seguir os passos de Duque de Caxias, patrono do Exército Brasileiro , e ser um “pacificador”. O local já tinha sido visitado por ele no início da campanha eleitoral.
Na quarta-feira, Bolsonaro estivera na sede da Associação Vitória em Cristo, do pastor Silas Malafaia, que o apoiou na campanha. Pouco antes de pregar a união, Bolsonaro havia afirmado que foi eleito com “grande parte da mídia contra”, quando relembrava a trajetória que o alçou ao Palácio do Planalto.
— A partir do ano que vem, serei presidente de todos. Queremos, sim, seguir os passos de (Duque) de Caxias, o pacificador. Com alma livre, tendo Deus acima de todos, e buscar atender a todos que necessitam — disse, em discurso de pouco menos de cinco minutos.

Esta foi a segunda vez que Bolsonaro afirmou querer se espelhar em Duque de Caxias. O patrono do Exército brasileiro foi fundamental para manter a unidade do território nacional no período regencial (1831-1840), após a abdicação de Pedro I. Porém, embora tenha recebido o epíteto de "pacificador", o militar atuou na repressão de revoltas populares que marcaram o país , como a Balaiada, no Maranhão, e a Cabanagem, no Norte do país.

Também durante o culto neste domingo, o presidente eleito ressaltou que “nenhum cientista político” conseguiu explicar a sua eleição. No primeiro turno, o então candidato do PSL tinha direito a apenas nove segundos de propaganda eleitoral na televisão, o que poderia ser um entrave a sua campanha.
— Se isso aconteceu no último domingo, só tem uma explicação: foi Deus que decidiu — definiu Bolsonaro.

Ele chegou a chorar no palco quando o pastor Josué Valandro Júnior lembrou que foi visitá-lo no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, depois do atentado a faca sofrido em Juiz de Fora (MG), no início de setembro. A formação do futuro ministério ganhou elogios do pastor:

— Sua equipe está ficando top — disse Valandro, sendo aplaudido pelos fiéis. 

A Igreja Batista Atitude tem dez mil membros.
De acordo com o pastor, quatro mil pessoas estavam presentes ao culto neste domingo — o espaço tem capacidade para cinco mil pessoas.
Bolsonaro foi acompanhado de agentes da Polícia Federal, que estavam espalhados por toda a igreja. O presidente eleito usava um colete à prova de balas, medida de segurança que passou a adotar com mais frequência depois da facada sofrida em Juiz de Fora. Ele saiu sem dar declarações aos jornalistas.

Por que a puberdade começa cada vez mais cedo


Louise Greenspan, pediatra e professora da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, se lembra da primeira vez que atendeu uma menina de 7 anos com as mamas começando a se desenvolver.
"Seus pais estavam muito preocupados e queriam entender o que estava acontecendo com a menina, que ainda brincava com bonecas", escreveu a médica em um artigo para o portal US News.
"Quando expliquei a eles que 15% das meninas começam a puberdade nessa idade, eles não podiam acreditar."
No passado, o desenvolvimento da puberdade, com sinais como o crescimento da mama ou dos pelos pubianos, era considerado anormal antes dos 8 anos de idade.
Mas, nos Estados Unidos, 15% das meninas estão iniciando o desenvolvimento das mamas aos 7 anos e, aos 8 anos, mais de 25% começam a passar por esse processo.
E isso não acontece apenas nos Estados Unidos: segundo o médico e especialista em puberdade Frank Biro, do Centro de Medicina Adolescente do Hospital Infantil de Cincinnati, estamos diante de um fenômeno global.

Mudanças começaram a ser percebidas no início do século 20
"Não há uma razão simples para explicar por que a puberdade tem ocorrido em uma idade mais precoce", explicou Biro em entrevista à BBC News Mundo, o serviço em espanhol da BBC.
O médico estima que a puberdade tenha sido adiantada pelo menos um ou dois anos desde o início do século 20, especialmente entre as meninas.
"No início do século passado, a alimentação começou a melhorar e a saúde pública também. É nesse ponto que o começo da puberdade ficou mais precoce", explica o médico.
"Mas em meados do século 20, e especialmente nas últimas duas décadas, começamos a ver algo muito diferente".


Frank Biro e colegas conduziram uma pesquisa há alguns anos sobre a puberdade precoce em meninas.
Estudos anteriores já haviam vinculado o Índice de Massa Corporal (IMC) a um início mais precoce da puberdade. Para Biro, sua pesquisa ratificou isto: o IMC talvez seja o fator mais importante na explicação deste fenômeno.
Isso ocorre porque as células de gordura participam da produção do estrogênio, um dos hormônios sexuais femininos. Assim, quanto mais tecido adiposo uma menina tiver, maior a probabilidade de que comece a puberdade mais cedo.
Os pesquisadores também apontam que a exposição a elementos químicos no ambiente pode estar alterando a idade em que a puberdade começa.
Os fenóis, os ftalatos e os fitoestrógenos são substâncias químicas conhecidas como desreguladores endócrinos, já que interferem no sistema hormonal do organismo.
Eles são encontrados em diversos produtos manufaturados, como esmaltes, perfumes e xampus.
"O que descobrimos é que a exposição a esses produtos químicos está associada ao desenvolvimento mais precoce das mamas", explica Biro.

Novos riscos que também se apresentam
Uma puberdade mais precoce antecipa certos riscos.
Para começar, as crianças com maior Índice de Massa Corporal são mais propensas a ter obesidade e diabetes tipo 2.


Biro aponta também que a menstruação precoce está associada a um risco aumentado de câncer de mama.
"Também temos que levar em conta os fatores sociais", alerta o médico. "Sabemos que meninos e meninas que iniciam a puberdade mais cedo têm maior probabilidade de se engajar em comportamentos de risco, como fumar, beber ou usar drogas".
Segundo um estudo realizado em janeiro nos Estados Unidos, a puberdade precoce em meninas também está relacionada a uma maior probabilidade de problemas de saúde mental, como ansiedade e depressão.
Para Biro, isto também é tributário de uma questão social.
"Como aparentam ser mais velhos, eles são tratados como se assim fossem", explica o especialista. "Se uma menina de 12 anos parece ter 15 anos, é muito provável que a tratem como se tivesse 15 anos, o que pode causar muitos problemas."

E quais são os alertas para os meninos que iniciam a puberdade mais cedo?
"Os meninos passam por pressões diferentes das meninas", explica o médico. "Os garotos que crescem antes tendem a ser vistos como líderes. Apesar de haver também a possibilidade que acabem adotando comportamentos mais arriscados, um início precoce da puberdade pode ser uma coisa positiva para alguns deles".
A boa notícia é que é improvável que a idade em que a puberdade começa continue a diminuir.
"Há de existir um mínimo biológico", diz Biro. "E no que diz respeito às garotas, não acho que (a idade) possa continuar caindo muito mais."
BBC Brasil - Todos os direitos reservados - É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC

Mega-Sena acumula de novo e pode pagar R$ 22 milhões na quarta-feira


R7 - O prêmio da Mega-Sena voltou a acumular após nenhum apostador cravar as seis dezenas sorteadas pela loteria neste sábado (3). Para o próximo sorteio, marcado para acontecer na quarta-feira (7), o valor do prêmio pode alcançar os R$ 22 milhões.
Os números revelados pelo concurso 2.094 da loteria, realizado no caminhão da sorte estacionado na cidade de Arapiraca, em Alagoas, foram: 04 — 16 — 19 — 31 — 33 — 44.
Apesar de ninguém ter faturado o prêmio principal, o concurso premiou 66 apostas que acertaram a quina e têm o direito de receber R$ 26.830,90 cada. Outros 4.528 apostadores cravaram quatro dos números sorteados e podem sacar R$ 558,69 cada.
Para concorrer ao prêmio de R$ 22 milhões do próximo sábado, basta ir a uma casa lotérica e marcar de 6 a 15 números do volante, podendo deixar que o sistema escolha os números para você (Surpresinha) e/ou concorrer com a mesma aposta por 2, 4 ou 8 concursos consecutivos (Teimosinha).
Cada jogo de seis números custa R$ 3,50. Quanto mais números marcar, maior o preço da aposta e maiores as chances de faturar o prêmio mais cobiçado do País.
Outra opção é o Bolão Caixa, que permite ao apostador fazer apostas em grupo. Basta preencher o campo próprio no volante ou solicitar ao atendente da lotérica. Você também pode comprar cotas de bolões organizados pelas lotéricas.
Nesse caso, poderá ser cobrada uma Tarifa de Serviço adicional de até 35% do valor da cota. Na Mega-Sena, os bolões têm preço mínimo de R$ 10. Porém, cada cota não pode ser inferior a R$ 4. É possível realizar um bolão de no mínimo 2 e no máximo 100 cotas.

Manipulação de usuários na internet é tema da redação do Enem 2018

Jornal do Brasil - O tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018 é “Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”, conforme informou o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).
O texto deve ser dissertativo-argumentativo, com até 30 linhas, e ser desenvolvido a partir da situação-problema e de subsídios oferecidos pelos textos motivadores. O texto dissertativo-argumentativo precisa ser opinativo e organizado para a defesa de um ponto de vista. A opinião do autor deve estar fundamentada com explicações e argumentos.
Os critérios de correção da redação, com cinco competências, estão detalhados na Cartilha de Participante - Redação no Enem 2018.
As provas começaram às 13h30 e os participantes terão 5 horas de 30 minutos para resolvê-las. Aqueles com direito a tempo adicional e que solicitaram o recurso durante a inscrição terão uma hora a mais. Deficientes auditivos e surdos que optaram fazer a Videoprova Traduzida em Libras terão duas horas a mais de prova.
Portões são fechados na prova do Enem (Foto: Dylan Smith/AE)
Enem
Hoje (4) é o primeiro dia de prova do Enem. Mais de 5,5 milhões de estudantes farão provas de linguagem, ciências humanas e redação em mais de 1,7 mil municípios. O exame segue no dia 11 de novembro, quando serão aplicadas as provas de ciências da natureza e matemática.
A nota do exame poderá ser usada para concorrer a vagas no ensino superior público pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), a bolsas em instituições privadas, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e para participar do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Veja os temas da redação de edições anteriores do Enem, desde que foi reformulado, em 2009:
Enem 2009: O indivíduo frente à ética nacional
Enem 2010: O trabalho na construção da dignidade humana
Enem 2011: Viver em rede no século XXI: Os limites entre o público e o privado
Enem 2012: O movimento imigratório para o Brasil no século XXI
Enem 2013: Efeitos da implantação da Lei Seca no Brasil
Enem 2014: Publicidade infantil em questão no Brasil
Enem 2015: A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira
Enem 2016: Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil e Caminhos para combater o racismo no Brasil - Neste ano houve duas aplicações do exame
Enem 2017: Desafios para formação educacional de surdos no Brasil

Casada com Kaká Diniz, Simone abre o jogo e revela planos de nova gravidez


TV Foco - Simone, que faz dupla coma irmã Simaria, deu algumas entrevistas falando sobre o seu desejo em se tornar mãe novamente. A cantora, pelo visto, não estava brincando e voltou a falar sobre o assunto. Casada com Kaká Diniz e mãe do pequeno Henry, de quatro anos, a beldade pensa em ampliar a família.
“O meu marido me pede muito outro bebê, mas a gente trabalha muito. Agora que eu consegui parar um pouco por causa do problema da Simaria. Eu tive que parar, sofri muito com essa parada, mas foi bom porque estava precisando descansar um pouquinho”, contou Simone.
No entanto, um dos empecilhos acaba sendo a carreira agitada da cantora. “Eu vou pensar nessa possibilidade direitinho de ter filho, porque a gente viaja bastante, e acaba que a gente tem que deixar nossos sonhos para trás. Tenho o privilégio de poder esperar um pouquinho por conta da minha idade”, disse ela.
E continuou: “O Henry está em uma fase tão bacana. É tão bom curtir meu filho, as brincadeiras dele, as coisas que ele faz, está tão gostoso… Mas existe sim a possibilidade de ter um próximo bebê. Eu comprei até um sapatinho de menina. Vamos ver se eu crio coragem”. Será que vem um novo herdeiro?

Simone e família

Em Segundo Sol, Arlete Salles revela que falhou com os filhos e motivo é surpreendente


TV Foco - A atriz Arlete Salles vem fazendo o maior sucesso como a Naná na novela Segundo Sol, exibida no horário das 21h da Globo. Mãe do protagonista Beto Falcão (Emilio Dantas) e do vilão Remy (Vladimir Brichta), a personagem desafiou os limites entre o bem e o mal por causa dos filhos. Em entrevista ao jornal O Globo, a atriz revelou como é se despedir da personagem, já que a novela acaba na próxima sexta.
“Não vivo de tristeza, mas me dói deixar a personagem, apesar de estar feliz com tudo que aconteceu. Naná começou tímida e vai terminar intensa, dona de si. Apesar dos erros, moralmente ela foi corajosa, de uma beleza interior imensa. Colocava o bem-estar da família em primeiro lugar”, disse ela, que ainda avaliou sua carreira bem sucedida como atriz.
“Não tenho a menor dúvida de que eu deveria ser atriz, mas acho que não conduzi bem minha trajetória artística porque empreendi pouco, diferentemente de algumas amigas. Não é da minha personalidade, sabe? Aos trancos e barrancos, cheguei aqui. Mas, de qualquer forma, com sorte e muito trabalho, venci e fiz uma bonita carreira“, opinou a veterana.
Por causa do trabalho, Arlete sente que falhou como mãe. “Falhei porque trabalhei muito a vida toda. Minha mãe (Severina) viveu mais essa função com eles do que eu. Que bom que os meninos se tornaram pessoas de caráter. Temos uma relação ótima, saudável”, disse Arlete Salles, que revelou que a mãe sempre lhe deu suporte para que se dedicasse à carreira artística.


“Sou mãe e fui filha até pouco tempo atrás. Esse convívio intenso cria ruído, claro, mas vivemos em paz, uma cuidando da outra. A vida toda eu achei que só seria livre quando morasse longe de mamãe. Quando ela morreu, entendi que a minha liberdade era ao lado dela. Sinto muito a sua falta”, disse a atriz, que viu a mãe falecer em 2013, aos 93 anos.