domingo, 11 de novembro de 2018

Sobe para 15 o número de mortes em desabamento de morro em Niterói

Jornal do Brasil - Subiu para 15 o número de mortos no desabamento do Morro da Boa Esperança, em Niterói. A vítima mais recente é o menino Arthur Caetano Carvalho, de 3 anos. Ele foi uma das 11 pessoas resgatadas com vida dos escombros e estava internado, em estado grave, no Hospital Estadual Azevedo Lima, que confirmou a morte em nota.
“A direção do Hospital Estadual Azevedo Lima informa que o paciente Arthur Caetano Carvalho foi a óbito às 12h59 deste domingo, após apresentar piora de seu quadro clínico e consequente parada cardíaca, com múltipla falência dos órgãos. A família do paciente foi acolhida pela equipe da unidade e recebeu todas as informações sobre o estado de saúde do paciente, que esteve gravíssimo nas últimas horas. Todos os procedimentos para reverter o quadro foram adotados, porém não houve resposta clínica do paciente”, informou o hospital.
Com isso, a lista de mortos foi ampliada: Arthur Caetano Carvalho, 3 anos; Nicole Caetano Carvalho, 10 meses; Marcos Antony Martins de Aguiar, 9 anos; Maria Madalena Linhares de Resende, 54; Kaíque da Silva Resende, 1 ano e 2 meses; Dalvina Marins, sem idade confirmada; Alan Ferreira Teles, 29; Amanda Tomaz da Silva, sem idade confirmada.
A família Martins foi a mais afetada, com a perda de sete pessoas: Géssica Martins Firmino, 15; Maria Aparecida Martins Viana, 19; Claudiomar Dias Martins, 37; Janete Martins Ferreira, 53; Marcos Antônio Martins Aguiar, 9; Maria do Carmo, 80; e Beatriz Martins Pereira, 18.


Sobreviventes
Na Escola Municipal Portugal Neves, transformada em local de abrigo, alimentação e doações para as vítimas, Janice Martins estava em um canto, sendo consolada a todo o momento. Ela perdeu boa parte da família: mãe, irmã, cunhado e quatro sobrinhos. “Meu coração não está machucado, moço. Está estraçalhado”, limitou-se a dizer ela, pedindo para não falar mais nada e se encolhendo, como se quisesse se proteger da presença de todos que a rodeavam.
No alto do morro, enquanto máquinas e operários faziam os trabalhos de limpeza da área, vizinhos lamentavam a perda de tantas vidas, pessoas com quem conviveram por muitos anos e a quem conheciam pessoalmente. “Eu acordei assustado. Parecia que estava acabando o mundo. Estava tudo escuro. Eu e o meu filho saímos para salvar o povo. Salvamos uns cinco, mas o resto morreu”, relatou o pedreiro José Teixeira, que mora bem em frente ao desastre e viu a lama arrebentar o seu portão e inundar a garagem da casa.
Outros comentavam que só estavam vivos por sorte, pois recém tinham chegado em casa, momentos antes do desabamento. “Nós demos sorte, pois chegamos em casa e a barreira caiu em seguida. Eu conhecia o pessoal que morava ali há 30 anos. Não quero mais tocar neste assunto. Desculpe. Foi muito pesado”, disse Cristina, que também mora em frente ao local da tragédia. Muito emocionada, ela preferiu não dar o sobrenome e encerrou a entrevista aos prantos.
O sepultamento das vítimas foi marcado para ocorrer à tarde, no Cemitério de Maruí, em Niterói. Dois ônibus foram colocados à disposição da comunidade para levar os moradores. A prefeitura de Niterói prometeu realojar os desabrigados imediatamente, através do aluguel social, e dar a eles uma casa própria, até dezembro, em conjunto que está sendo construído em parceria com a Caixa.

MC Kevinho é hospitalizado após ser atingido no rosto por placa de PVC


Notícias Ao Minuto - O cantor Kevin Kawan de Azevedo, mais conhecido como MC Kevinho, 20, foi atingido por uma placa de PVC durante uma apresentação para um grupo de formatura no Transamerica Expo Center, em Santo Amaro, na zona sul de São Paulo, na madrugada deste domingo (11). O show foi interrompido, e o funkeiro levado ao hospital.
O músico usou as redes sociais para explicar o que havia acontecido e mostrar o corte próximo ao nariz. Em seu Insta Stories (ferramenta de compartilhamento de imagens que desaparecem em 24 horas), Kevinho explicou que tinha visto um rapaz com uma placa, mas não percebeu o momento em foi atingido.
"Fiquei muito triste, mas mesmo assim eu entendi. Quando estava tocando, tinha um rapaz com uma placa, mas não sei o que significava. Deu a entender que ele queria que eu pegasse a placa para mostrar para a galera. Foi quando levei uma placada no rosto. Quando coloquei a mão vi que estava sangrando bastante", disse o músico.
Kevinho afirmou que parou o show e indagou quem havia arremessado a placa -segundo a assessoria, o objeto tinha aproximadamente um metro de comprimento. "Perguntei quem foi e o rapaz disse: 'Irmão, fui eu, desculpa. Não foi na intenção'. [...] É óbvio que todo mundo erra. Ele não fez na intenção de me machucar. Creio eu. Ele pediu desculpas e eu aceitei as desculpas. Não fiz nada e jamais faria".
O cantor, que havia participado na noite anterior do Teleton, afirmou que queria ter voltado para o palco, mas, por recomendação médica, teve que ir ao hospital já que o corte estava profundo. "Estava ardendo muito. Fiquei muito chateado porque eu amo cantar, fazer o que eu faço e interromper o show dessa maneira me deixou bem chateado."
Kevinho afirmou que levou três pontos, tomou injeções e ainda foi medicado. Ele também agradeceu o carinho dos fãs e disse que está na melhor fase da sua carreira e da vida. "É agradecer a Deus porque poderia ser pior, poderia ter pego no meu olho ou qualquer outra parte que poderia me comprometer muito mais. E agradecer a Deus que não foi nada mais grave." Com informações da Folhapress.

Patrícia Marx dá opinião sobre performance de participante do 'PopStar' e é vaiada


A opinião de Patrícia Marx sobre como a atriz Lua Blanco performou a canção "Como Nossos Pais" no reality show PopStar gerou desconforto entre a cantora e parte da platéia. Apesar de ter aprovado a performance, Patrícia disse que "foi tudo muito gritado" e "exagerado" na interpretação do clássico da MPB, que é bastante lembrado na voz de Elis Regina (1945-1982).
Irritada, parte dos espectadores começou a vaiar a cantora, que se irritou e foi curta e grossa em sua resposta: "Gente, é o que eu acho; desculpa. Eu sou cantora e estou há mais de 30 anos aí".

Na web, a fala de Patrícia dividiu opiniões entre os usuários. Confira:








Neymar foge de especulações de namoro e curte noitada rodeado de mulheres em Paris


TV Foco - No mês de outubro, saiu a notícia do término do namoro entre Bruna Marquezine e Neymar. O ex-casal preferiu não comentar sobre o motivo da separação, no entanto muito se especulou sobre o assunto. O fato é que tanto o jogador, quanto a atriz querem esquecer o que aconteceu.
O nome de Bruna Marquezine chegou a ser vinculado ao de Gian, irmão de Giovanna Ewbank, desde as férias que a atriz curtiu no arquipélago de Fernando de Noronha. Neymar, por sua vez, teve sua imagem associada a de Giovanna Lancellotti. Mas, segundo a famosa os dois são somente amigos.
De acordo com informações do colunista Leo Dias, do jornal O Dia, na última quinta-feira, 08 de novembro, Neymar curtiu a noite rodeado de belas mulheres em uma boate em Paris, na França. Tentando manter a discrição o traje escolhido pelo craque para a noitada foi um confortável moletom.

William Bonner e Natasha Dantas casam de novo no Rio

Correio do Estado - O jornalista e apresentador William Bonner e a fisioterapeuta Natasha Dantas reuniram parentes e amigos para sua segunda festa de casamento, neste sábado (10). O casal, que já havia oficializado a união em São Paulo, no dia 8 de setembro, dessa vez celebrou o matrimônio no Rio de Janeiro.
Primo do noivo, Hugo Bonemer publicou os primeiros vídeos da cerimônia que aconteceu no hotel Emiliano e teve a música de abertura da série Game of Thrones como trilha da entrada do casal. Quem ficou responsável pela produção de beleza de Natasha foi Alessandra Grochko.
A primeira troca de alianças de Bonner e Natasha aconteceu em cerimônia íntima em São Paulo, na casa da mãe dele, Maria Luiza Bonemer, e reuniu os trigêmeos do jornalista, Vinícius, Beatriz e Laura. Thalita Martins, namorada de Vinícius e nora de Bonner, entregou o casamento secreto ao publicar um vídeo segurando o buquê e "anunciando" que ela seria a próxima noiva.
Bonner e Natasha assumiram o namoro publicamente em novembro do ano passado e deram entrada nos documentos do casamento em junho, no 5º Cartório de Registro Civil, em Botafogo, na zona sul do Rio.

Henri Castelli não perde tempo e segue Rebeca Abravanel no Instagram fazendo fãs shipparem o casal


Contigo! - Após rolar uma forte parquera entre Henri Castelli e Rebeca Abravanel durante a transmissão do Teleton 2018 na noite do último sábado, 10, a internet foi à loucura com o possível futuro namoro e já estão shippando nas redes sociais!
Mas não foram só os internautas que se animaram, não! O próprio global não perdeu tempo e já começou a seguir a quinta filha de Sílvio Santos em seu perfil oficial no Instagram, apesar de ela não ter publicações por lá.
"Gato e solteiro? A Rebeca tem que chegar logo. Quero que ela te conheça. Simpático, 40 anos. Cadê a Rebeca? (...) Nesta semana, eu vi uma foto dele na capa de uma revista. Ele está solteiro, não descarta voltar a casar, olha... A minha irmã também está nesta fase", declarou Patrícia Abravanel que começou todo esse agito entre os dois! Ao longo da noite, eles trocaram olhares e beijões no rosto!

Anitta é escorraçada pela comunidade LGBT e chamada de oportunista; entenda polêmica


TV Foco - Nesta última semana, Anitta lançou seu mais novo EP, intitulado ‘Solo’, e vem dando o que falar na mídia. Foram três músicas de uma só vez: Não Perco Meu Tempo, Veneno e Goals. A primeira mencionada criou uma certa polêmica nas redes sociais.
Isso porque no videoclipe, Anitta aparece beijando inúmeras bocas, de homens e mulheres. A comunidade LGBT acabou se revoltando com a situação e chamando a cantora de oportunista, por está vendendo uma imagem de bissexual e faturando com a situação.
Parte da comunidade LGBT atacou a artista por se “aproveitar do pink money”. Acontece que em outras situações, Anitta preferiu não se manifestar politicamente em causas relativas aos direitos da comunidade formada por lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros.
Durante a época das eleições, Anitta foi pressionada a aderir a campanha Ele Não contra o presidente eleito Jair Bolsonaro. Depois de muita cobrança, a cantora se pronunciou sobre o assunto e afirmou que não apoiava o político, mas ela acabou se ‘queimando’.

Clipe com Anitta beijando quase 30 bocas gerou polêmica

Neymar faz a fila andar e toma atitude que retira de vez Bruna Marquezine de sua vida


TV Foco - Neymar parece que está fazendo mesmo a fila andar. Após mais uma separação da atriz Bruna Marquezine, ele tomou uma atitude que tirou definitivamente Bruna Marquezine de sua vida, pelo menos fisicamente.
É que um dos amigos de Neymar publicou uma série de vídeos no Stories do Instagram em que é possível perceber que um quadro do jogador com Marquezine não está mais na parede da casa do craque.
Recentemente, vale lembrar, muitos fãs destacaram que o atleta ainda não havia esquecido totalmente a atriz global por causa da permanência do quadro, agora não mais presente.

NEYMAR FEZ A FILA ANDAR?
Como já informado, Giovanna Lancellotti, a interprete de Rochelle na novela Segundo Sol, só está esperando os compromissos profissionais chegarem ao fim para sair de férias. O destino ela já definiu e é o que mais vem chamando a atenção.
Giovanna vai passar um período em Paris, a mesma cidade onde Neymar Jr mora e trabalha. Pode ser pura coincidência, ou não. Vale lembrar que no mês passado a irmã mais nova de Giovanna curtiu um comentário onde uma seguidora afirmava que Neymar sempre foi a fim de Giovanna e que estava namorando com Marquezine por pena.


Em conversa com o jornalista Leo Dias, do programa Fofocalizando, a atriz da Globo fez questão de se explicar. Garantiu que a viagem de férias para a França já estava planejada desde o início desse ano e que ela não irá sozinha, mas sim acompanhada de toda a sua família.
Por fim, Giovanna também garantiu que não há nenhum envolvimento amoroso com Neymar e que eles são amigos desde 2011. A atriz disse que se tiver a oportunidade vai se encontrar com o amigo, mas que não está viajando com essa intenção.

A Fazenda 10: Mendigata e Luane “são imundas”, diz Ilha


IstoÉ - Na noite deste sábado, Rafael Ilha criticou durante Fernanda Lacerda (Mendigata) e Luane. Para ele, as duas agiram de forma reprovável no episódio da saída de Nadja Pessoa. Nadja foi expulsa do programa após agredir Caíque Aguiar. O cantor relembrou a situação em que Fernanda acusou Nadja de “xavecar” Felipe Sertanejo, e disse que a Mendigata e Luane poderiam facilmente ser processadas pelo que fizeram.
“Elas são imundas, meu Deus. Mereciam ser processadas. Se a Nadja e o marido dela tiveram a cabeça boa, eles processam essas duas e ganham. Danos morais, injúria, tudo que a Nadja quiser arrancar dessas duas ela arranca fácil”, disse Ilha.

Fiz a vida por sobrevivência, instinto e reflexo, diz a atriz Nany People


Folha de São Paulo - Dona Ivone, a mãe de Nany People, foi quem impediu uma surra que a atriz quase levou do pai, quando tinha menos de 6 anos de idade, por suas maneiras afeminadas. “Ela virou a mesa em cima dele e me disse: ‘As pessoas fazem com a gente o que a gente deixa, até quando a gente deixa’”, diz Nany, que é transexual.
Essa foi uma das primeiras vezes que dona Ivone defendeu a filha na infância. Nany lembra outro episódio. A família havia acabado de se mudar de Serrania, cidade de Minas Gerais onde nasceu, para a também mineira Poços de Caldas. “Estava no primeiro ano do primário [equivalente ao ensino fundamental] e no terceiro dia de aula não pude sair no recreio por conta da reação das crianças. A diretora chamou minha mãe e disse que eu tinha um problema. E ela respondeu que não era um problema. Disse: ‘É a condição dele. E cabe a mim, como mãe, fazer dele a pessoa mais feliz do mundo’”.
Dona Ivone foi atrás de uma bolsa de estudos para Nany em outro colégio. “Entrei lá e me encontrei. Era um pouco mais avançado e qualquer coisa eu tava no palco. Festa Junina, Semana da Pátria”, diz ela. 
“Minha mãe comprou briga com a sociedade inteira para poder me educar da melhor maneira. Não tenho história triste para contar. Tenho amigos que foram expulsos de casa e tiveram só o caminho do lado negro da força [prostituição] para poder sobreviver.”
Nany saiu de Poços aos 20 anos para estudar teatro em São Paulo. “Cheguei em 1985 e logo arrumei um emprego no teatro Paiol, onde fiquei 10 anos. Também trabalhava no banco Noroeste de manhã. E, no período de entressafra, para sobreviver, fazia bicos de garçonete no Café Piu Piu e vendia vestido de noivas na rua São Caetano.”
“Era uma época em que os gays não conseguiam alugar apartamento em São Paulo. A gente saía nas ruas e as pessoas gritavam ‘Aids’. Perdi meus grandes amigos no [hospital] Emílio Ribas, com HIV. Sou uma sobrevivente. Era muito difícil porque a gente estava lutando contra uma coisa que não sabia o que era.”
A atriz relembra um apartamento em que morou, no bairro Santa Cecília. “Fizeram um abaixo-assinado no prédio para tirar um morador porque ele saiu montado de mulher para ir numa festa e conseguiram que ele fosse expulso”, diz. 
Depois disso, “começou uma notícia de que tinha uma travesti saindo do prédio”. No caso, a própria Nany. “Teve uma reunião de condomínio, eu me montei de mulher, apareci com minha carteira de trabalho na mão e falei: ‘Boa noite, sou a moradora do terceiro andar. Me mudei pra cá faz seis meses, trabalho no teatro Paiol e faço show à noite. Esta é a minha carteira de trabalho com meu DRT como artista. Estou aqui pra dizer para vocês que vou sair assim todas as noites para trabalhar. Impeçam meu trabalho que a gente vê como fica a nossa briga na Justiça’”.


Nany diz que nunca mais falaram nada. “As pessoas levam uma acuada e retroagem. Não, minha filha, assuma sua postura! Tem que marcar seu território na vida e negociar com as perdas. Porque não se ganha sempre.”
“Descobri que tinha que mandar para sobreviver. Todas as cicatrizes que eu tenho no meu corpo foi por obrigação de ter que brincar de brincadeiras de menino na infância.”
Nany foi a primeira transexual homenageada pelos vereadores da cidade de São Paulo com o título de “Cidadã Paulistana”, em junho, no salão nobre da Câmara Municipal. “Chorei muito! No meu discurso eu disse: ‘Ninguém faz a vida acontecer conscientemente. Faz por sobrevivência, por instinto, por reflexo’”. 
Ela afirma que nos anos 1980 e 1990 não se era tão julgado. “Hoje tudo é síndrome, tudo dá trauma, dá câncer. Ninguém sabe trabalhar com perda e eu não vou nem entrar no campo da política. A gente emburreceu demais. O mundo tá muito chato, muito metido a besta. As pessoas estão muito nhenhenhém. Eu derrubava as barreiras sem saber que estava derrubando.”
“Comecei como drag e comprei meu apartamento com dinheiro da noite. Estudei meus sobrinhos e paguei quatro faculdades com dinheiro de noite. Trabalhei muito.”
Nany demorou pra desvendar sua identidade de gênero. “Até então eu não sabia. Quando eu tinha 24 anos um amigo meu me disse que eu não era gay, que eu era trans. Eu não tinha comportamento de gay. Tinha 22 anos e era virgem porque sonhava com um grande amor. E na cabeça do povo eu tava mais rodada do que catraca livre. E não era a real.”
“Me disseram que em Nova York tem 35 nomenclaturas de identidade de gêneros. A sigla no meu tempo era GLS. É tanta coisa agora e eu tô com 53 anos. Vamos combinar que eu não sei onde me encaixo. Quando alguém me pergunta, eu digo: ‘Vê o que você quer que tá tudo bem’. Tô ofendida e tô no lucro”, diz, aos risos.
Ela também comemora o fato de ter conseguido trocar seus documentos recentemente. “Conheci um advogado muito bom e agora eu assino Nany People da Cunha Santos [seu nome de batismo é Jorge].”
Antes da troca, que foi feita há um mês, ela conta que passou por muitos constrangimentos. “Já perdi voo porque emitiram as passagens com o nome Nany People. Já tive conta no banco bloqueada porque eu ligava e minha voz não condizia com o meu nome.”
Nany também não fez a operação de redesignação sexual. “Não fiz porque minha mãe pediu pra eu não fazer. Tinha 26 anos na época. Mas agora já era, né querida!? Chega uma hora em que você mais conversa do que transa.”
Ainda assim, ela passou por várias cirurgias plásticas. Conta que chorou na primeira vez em que um namorado tirou seu sutiã depois da cirurgia em que colocou prótese de silicone de 800 ml nos seios, em 2003. “O peito fez ‘puf’. Ele engoliu seco e falou: ‘Uau’. Aí eu desabei e comecei a chorar”
Nany afirma que nunca escondeu sua condição transexual. “Uma vez saí com um japonês e depois de um tempo ele me perguntou se eu não tinha filhos. Aí eu falei: ‘Você não percebeu que eu sou genérica?’ Quando eu contei, o japonês abriu o olho”, diz ela. E dá uma gargalhada.
A atriz diz que não gosta de rótulos. “As pessoas me perguntam: ‘Todo mundo que sai com você é isso ou aquilo?’ Não! Eles não saem comigo pra ter o adendo a mais. Comigo não tem esse brinde extra. Eu sou mulher, sou feminina”.
O teatro também foi muito importante para essa transição, ela diz. “Foi o teatro que me salvou de tudo, até da minha condição. Foi meu grande portfólio, meu grande norte, minha estrela guia. Comecei com 10 anos e não parei mais.”
“Como eu fiz minha carreira no entretenimento, o pessoal acha que eu saí do Kinder Ovo e nunca fui atriz. Mas eu fiz [Teatro Escola] Macunaíma, fiz Unicamp, já fui indicada como a primeira trans a concorrer em um prêmio como melhor atriz. Posso dizer que estou colhendo frutos de um trabalho no qual eu me joguei.”
Entre esses frutos está a personagem Marcos Paulo, que Nany representará na novela “O Sétimo Guardião”, que estreia na segunda (12) na faixa das 21h na TV Globo.
Ela se emociona ao contar a primeira vez que encontrou a atriz Lilia Cabral no Projac. “Estava com o coração na boca e falei pra ela que não ia fazer a blasé. Eu disse: ‘Não sei se rezo um terço, se eu caio de joelhos, se acendo uma vela ou se chamo o Samu.’ Aí, ela me deu um abraço. E eu comecei a chorar. É um presente dos deuses do teatro [esse trabalho na Globo], com essa idade que eu tenho, na minha condição”, diz ela e chora.
Marcos Paulo será uma transexual amiga da personagem que Lilia irá interpretar. “Mas ela não sabe que ele acabou de fazer a cirurgia de troca de sexo. Ela está esperando chegar o amigo e chega a loira do tchan. Foi mais ou menos o que aconteceu comigo em Minas. Fui para um Natal. Estavam esperando chegar o filho da dona Ivone e chegou a Nany.”
Dona Ivone morreu em 2004. “Minha mãe teve câncer. O médico me chamou lá no consultório para dizer que ela não duraria um mês e meio. E ela não durou. Minha gratidão com Deus é isso. De ela não ter sofrido”, diz a atriz e chora mais uma vez.
Nany conta que a mãe morreu nos seus braços às 11h30 da noite. “E eu jurei pra mamãe no leito de morte dela que eu não abandonaria papai. Meu apartamento foi comprado com o intuito de ele vir morar comigo. Ele veio e ficou por dois anos. Papai era cadeirante, não tinha as duas pernas, era diabético e fumava muito. Ele aprontou demais, era alcoólatra e ficou 17 anos fora de casa. Fiz meus irmãos se aproximarem dele e ele voltou para Poços, onde morreu.”
Ela brinca que as pessoas a veem e pensam que ela é a autora do livro “Kama Sutra”. “Aí chega e vê uma casa modesta, com oratório, santos para todos os lados”, diz. Nany conta que, além de muito católica, é fã da Cinderela. “Tenho uma tatuagem dela, tenho coleção de imagens e fui para a Disney só para ver ela de perto. E aquela vaca existe! Digo que toda vez que eu me sinto feliz eu sinto que é a Cinderela acenando pra mim”.
“Um sonho é um desejo da alma. Fiz minha vida baseada em um sonho e sempre foi me dito que meu sonho era impossível [ser atriz]. O que eu mais me orgulho na vida é de ter sido uma filha à altura da mamãe. Posso ter muitos defeitos, mas honrei pai e mãe.”

Joel Barcellos, o Chico Belo de 'Mulheres de Areia', morre aos 81 anos


O ator Joel Barcellos faleceu neste sábado (10) em Rio das Ostras (RJ) faltando duas semanas para fazer aniversário. Ginaldo de Souza, amigo do artista há mais de 50 anos, disse que a saúde dele ia de mal a pior com o passar dos anos, já que havia sofrido dois AVC's e o pulmão estava fraco, ocasionando uma enorme perda de peso.
Joel, que nasceu em 1935 na cidade de Vitória, no Espírito Santo, fez muito mais cinema do que televisão. Integrou o elenco de 47 filmes, entre eles, 'O Pica-Pau Amarelo' (1973), 'Batalha dos Guararapes' (1978), 'Luz del Fuego' (1982) e 'O Homem Nu' (1997). Na telinha, era mais conhecido pelo grande público por ter dado vida ao pescador Joel na novela das seis 'Mulheres de Areia', que fez um sucesso muito além do imaginado e merecido há vinte e cinco anos.
O corpo foi velado em sua casa e enterrado no Cemitério do Âncora, em Rio das Ostras, ontem mesmo. Joel deixou sua terceira esposa, Soraia, e três filhos, frutos de outros dois casamentos. As informações são do site UOL.