domingo, 7 de abril de 2019

“A Praça voltou ao ar por causa da Globo”, conta Carlos Alberto de Nóbrega no Altas Horas


Observatório da Televisão - Carlos Alberto de Nóbrega foi um dos convidados do programa Altas Horasdeste sábado (06). No palco, Serginho Groisman relembrou sua participação em A Praça É Nossa, no SBT, e falou sobre a longevidade do humorístico que ainda é um grande sucesso de audiência.
“Comigo o programa tem 32 anos. Com meu pai, começou em 1956… um bocado de tempo. Eu tinha 20 anos, e começou na TV Paulista que hoje é a Globo. A Praça voltou ao ar por causa da Globo”, revelou Nóbrega, que explicou em seguida que assumiu o comando da atração por acaso, após a morte do pai, Manuel de Nóbrega.
“Quando fez um ano da morte do meu pai, eu trabalhava na Globo, fazia Os Trapalhões, e pedi ao Boni se podia fazer alguma homenagem para ele. Uma missa, ou colocar no Jornal Nacional. E o Boni disse ‘Não. O Nóbrega era uma pessoa muito alegre. Você é muito amigo do Chico Anysio, fala com ele para ele te dar um bloco do Chico City para você fazer A Praça’”, iniciou.

A Praça foi exibida na Globo
“Fui na casa do Chico e o diretor dele era o [Carlos] Manga, que é meu mestre. O que sei de direção aprendi com ele. O Chico disse ‘Vamos fazer o programa inteiro. Fizemos o programa inteiro de A Praça, e quando fui gravar Os Trapalhões, tinha um recado para eu ir falar com o Boni. Fui lá e ele disse ‘Doutor Roberto [Marinho] gostou e pediu para voltarmos com A Praça. E aí a Praça voltou com o Miele, ficou 1 ano e meio na Globo, então sou muito grato à Globo”, disse ele recebendo os aplausos da plateia.
Com nome de A Praça da Alegria, a atração ficou na Globo de 1977 a 1978. O programa também foi exibido na Band com o nome de Praça Brasil, já sob o comando de Carlos Alberto. Sua estreia no SBT aconteceu em maio de 1987. Fenômeno do humor, o programa lançou em 2015 uma versão teatral chamada Proibidão da Praça, com piadas consideradas impróprias para a televisão.

Nenhum comentário: