segunda-feira, 17 de junho de 2019

'Você Sabia?': "Mulheres Apaixonadas", substituta de "Esperança" elevava em nove pontos a média da faixa 'das oito'

Reynaldo Gianecchini e Priscila Fantin nos bastidores de Esperança
Não foi nada fácil para a Globo lidar com a crise que Esperança instaurou às oito da noite. A novela de Benedito Ruy Barbosa, que completou 17 anos de estréia nesta segunda-feira (17), substituiu o fenômeno O Clone, da Glória Perez, e não deixou saudade em sua despedida, tanto é que terminou com apenas 38 pontos de média, sete a menos que o esperado - 45 pontos - e nove atrás da antecessora. A crise tornou-se momentânea assim que Mulheres Apaixonadas - escrita por Manoel Carlos - abalou as estruturas e começava a chamar a atenção do público a cada capítulo.

Christiane Torloni, Maria Padilha e Giulia Gam foram irmãs em Mulheres Apaixonadas
No ar por quase sete meses, Mulheres Apaixonadas, que trazia Christiane Torloni como a mais nova Helena de Maneco, colocou a faixa nobre nos trilhos e terminou com os mesmo 47 pontos conquistados por O Clone. Uma elevação dessa não ocorria desde 1985, quando Roque Santeiro (de Dias Gomes) substituiu Corpo A Corpo (de Gilberto Braga) e elevou a mesma quantidade de pontos. Vale lembrar que esses números são referentes à região metropolitana de São Paulo.
Até três anos atrás, Esperança tinha sido o último trabalho de Benedito Ruy Barbosa para o horário nobre. O autor levou ao ar a também rural Velho Chico e sentiu mais uma vez o gostinho da derrota ao falhar na missão de tirar a faixa das nove da crise, iniciada no ano anterior com Babilônia - escrita por Gilberto Braga com João Ximenes Braga e Ricardo Linhares. A meta era 35 pontos desde a estréia de Império (2014), e Velho Chico terminou com apenas 29.

Nenhum comentário: