quinta-feira, 7 de março de 2019

Funai faz expedição para contatar indígenas isolados na Amazônia

Jornal do Brasil - A Fundação Nacional do Índio (Funai) iniciou uma expedição na Amazônia para contatar um grupo de índios isolados. O objetivo da missão é proteger esse grupo de indígenas da etnia Korubo e evitar possível conflito com outra etnia, a dos índios Matis.
A expedição é realizada em conjunto com a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) do Ministério da Saúde, com o apoio da Polícia Federal, da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas e do Exército. A ação, segundo a Funai, também foi informada ao Ministério Público Federal e demais organizações indígenas da região do Vale do Javari, no extremo oeste do Estado do Amazonas, fronteira com o Peru.

Amazônia
"A equipe que parte em expedição é restrita a indigenistas e colaboradores da Funai que já possuem experiência no trabalho com indígenas isolados; profissionais de saúde da Sesai, compostos por médico, enfermeira e microscopista; além de indígenas Korubo, Kanamari, Marubo e Mayoruna", declarou a Funai, por meio de nota.
Indigenistas afirmam que a pressão no entorno da terra indígena tem levado os isolados a saírem de suas terras, o que gera conflitos com não índios e, paralelamente, potencializa os confrontos entre as diferentes etnias que vivem na região. Em 2014, indígenas do povo Matis e grupos isolados Corubo entraram em conflito, resultando na morte de lideranças indígenas. O clima ainda é de tensão entre os dois povos, que trocam acusações de invasão de seus territórios.
A Terra Indígena Vale do Javari é uma das maiores terras indígenas demarcadas do Brasil, com mais de 8 milhões de hectares. É a região com maior concentração de registros de povos indígenas isolados.
Hoje, há pelo menos 107 registros da presença de índios isolados em toda a Amazônia Legal, área que abrange nove Estados: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e parte dos Estados de Mato Grosso, Tocantins e Maranhão. Povos da etnia Matís, Marubo, Canamari, Culina e Maioruna, também conhecidos como Matsés, são de contato permanente. Já o povo Corubo é considerado isolado, apesar de um pequeno grupo ter sido contatado em 1996 pela Funai.
A maior presença de povos isolados do Brasil se dá no Vale do Javari, onde já foram registradas 16 referências desses grupos. A população total da terra oscila entre 3,8 mil e 5,5 mil pessoas, sem incluir as estimativas da população de índios isolados.
As terras do Javari são alvo constante de estudos e de projetos de mineração e petróleo. A Petrobras já chegou a ter bases ativas para exploração de gás na região entre as décadas de 1970 e 1980. Nos últimos anos, organizações indígenas do Vale do Javari têm denunciado a presença de lotes de exploração petrolífera em territórios tradicionais do povo Matsés, que vive no Peru.

'O presidente está sendo mal interpretado', diz Mourão sobre fala de Bolsonaro

Jornal do Brasil - O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou que o presidente Jair Bolsonaro foi "mal interpretado" ao dizer que democracia e liberdade só existem quando as Forças Armadas assim o querem. Segundo Mourão, a frase não tem tom ameaçador, como foi visto por alguns, e, sim, faz referência ao caso de países como a Venezuela.


Ao chegar ao Planalto após o almoço, Mourão falou, bem-humorado, que já sabia o que os jornalistas queriam perguntar e tratou logo de tentar esclarecer a nova polêmica. "Eu já sei qual é o assunto e vou dizer muito claramente o que o presidente quis dizer. Ele está sendo mal interpretado. O presidente falou que onde as Forças Armadas não estão comprometidas com democracia e liberdade, esses valores morrem. É o que acontece na Venezuela. Lá, infelizmente as Forças Armadas venezuelanas rasgaram isso aí", disse Mourão a jornalistas.
Para o vice, foi "exatamente isso que o presidente quis dizer". Questionado se concorda com a afirmação de Bolsonaro, Mourão respondeu que, "se as Forças Armadas não são comprometidas com democracia e liberdade, elas não subsistem". "Está aí a Venezuela para mostrar", reforçou.
Ao ser indagado sobre as críticas que têm recebido de um dos gurus do governo, o filósofo Olavo de Carvalho, Mourão desconversou e mandou um "beijinho".
O vice-presidente também evitou comentar o vídeo compartilhado pelo presidente Jair Bolsonaro com cenas obscenas que associou aos blocos de carnaval. Ontem, o Planalto soltou uma nota para dizer que o presidente não quis criticar o carnaval de forma genérica. "Sobre isso eu não vou comentar", afirmou o vice.

Estátua do cantor Michael Jackson é retirada de museu britânico após denúncias de estupro


Grande parte do mundo está se voltando contra o 'rei do pop' Michael Jackson. Depois de diversas rádios banirem músicas de sua autoria, o Museu Nacional de Futebol, localizado na cidade britânica de Manchester, retirou o monumento do cantor devido à denúncias de abuso sexual relatadas no documentário Leaving Neverland pelo dançarino Wade Robson, que afirma ter sido vítima de Michael em um show da Austrália, e James Safechuck, que foi 'bolinado' nos bastidores de um comercial da Pepsi.
Antes de 'morrer', Michael Jackson, cuja conta no Instagram tem mais de 2,9 milhões de seguidores, fez um acordo extrajudicial com a família de um menino que o acusava dos mesmos crimes e também já foi levado a julgamento, sendo absolvido por falta de provas concretas. Apenas os fãs e também a família do cantor acreditam na sua inocência.

Abaixa Que é Tiro é a música do Carnaval de 2019


Correio da Bahia - Nem o jogador Neymar, que se recupera de uma contusão, e a atriz Bruna Marquezine, que deu o que falar no Carnaval de Salvador, resistiram e foram até o chão quando Tony Salles, 38 anos, entoou o refrão "Deixa ela passar/ Maravilhosa/ Abaixa que é tiro" na Avenida.
Abaixa Que é Tiro, da banda Parangolé, é a música vencedora da Pesquisa Bahia Folia 2019, da TV Bahia, que há 26 anos elege o hit que faz a cabeça dos foliões nos circuitos da festa. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (7) pela emissora. A música conquistou 65,7% dos eleitores, desbancando hits como Crush Blogueirinha, de Léo Santana, que garantiu o segundo lugar; e a polêmica Fábio Assunção, de La Fúria, que ficou em terceiro lugar. A TV Bahia não divulga números de votantes.
Na pesquisa, coordenada pelo P&A Instituto de Pesquisa, a música gravada por Tony Salles e composta por Rodrigo Martins, Ed Nobre e Markos Lima, foi a mais votada pelos internautas e foliões que curtiam a festa popular nos principais circuitos. A decisão leva em conta a votação no site do Bahia Folia e uma pesquisa de rua - realizada entre a terça de Carnaval (5) e a quarta-feira (6) de Cinzas.

Ao saber do resultado, o vocalista Tony Salles disse ao CORREIO que a felicidade era tanta que não cabia no peito. "É ver um sonho de mais de 20 anos realizado. É uma felicidade gigantesca. Porque a gente trabalha o ano inteiro, procura fazer bons CDs, lançar boas músicas, mas o nosso xodó é o Carnaval. E, quando chega o Carnaval, todo artista sonha com isso - em ter o trabalho reconhecido e ganhar o prêmio de 'música do Carnaval'. Quando isso não acontrece por tanto tempo, a gente fica um pouco frustrado. Vivi muitos anos esperando por isso", conta ele, rouco após a loucura de shows da folia.
Para o músico, o grande diferencial do hit foi a coreografia, feita pelo dançarino Dam Fernandes, e divulgada no canal oficial da FitDance. "A música vive de fato quando tem uma boa coreografia. Principalmente no caso da gente, que faz pagodão. A nossa música é alegre, sacode e, às vezes, a gente não conta com uma letra foda, como as de Caetano (Veloso). Na maior parte das letras, a gente deixa apenas uma mensagem e nessa tem a do empoderamento feminino, ao enaltecer a mulher. De certa forma tem um enredo: essa mulher é maravilhosa, é um tiro. Mas, é claro, sempre é um conjunto de tudo: do balanço, da letra, do ritmo, do arranjo, etc", completa.

E, por falar em pagodão, desde 2014 os baianos elegem músicas do gênero na Bahia Folia. Naquele ano, Psirico venceu com Tem Xenhenhem. Já em 2016 foi a vez do 'trá, trá, trá' - a Paredão Metralhadora, da Banda Vingadora, que ganhou os ouvidos e quadris dos foliões. Em 2017, o 'gigante' Léo Santana levou o prêmio com Santinha. A Bahia Folia 2018 premiou Elas Gostam (Popa da Bunda), de Psirico e Àttooxxá. "Pagode está sendo o ritmo do Carnaval e isso é sinônimo de felicidade pra gente. Por mais que sejamos de Salvador e de levantarmos as bandeiras do axé e do arrocha, ainda assim a gente vai estar entregue ao nosso gênero, que é o pagodão. É o ritmo de cinco anos atrás e não deixa de ser o ritmo do momento", completa Tony.

Ele, inclusive, se prepara para o Encontro de Gigantes, em parceria com Xanddy, da Harmonia do Samba, e Léo Santana, que acontece no dia 1º maio, na Arena Fonte Nova. "É um projeto ousado. A gente só estava esperando o Carnaval acabar para divulgar. Será um palco gigantesco, em que as três bandas vão ficar posicionadas. A gente interage em algumas músicas e outras cantamos sozinhos", antecipa.

Tony Salles, Xanddy e Léo Santana
(Foto: Heder Nunez/Divulgação)
Também em conversa com o CORREIO, Tony contou que sua equipe não estava apostando na música, mas ele tirou uma outra faixa de seu DVD, O Som que Vem da Rua - gravado em outubro e lançado em janeiro - para colocá-la. "Coloquei ela no lugar de outra e estávamos trabalhando Open Bar. Mas, quando lançamos o DVD no YouTube, em cinco dias Abaixa Que é Tiro começou a se destacar mais do que as outras. E, no primeiro show que fiz, quando abri a boca a galera começou a cantar. Então eu realmente vi que tinha algo diferente. No final de janeiro, a gente resolveu a assumir o filho", lembra.
Em tempos de internet, o artista considera que o fato da canção ser mais nova o ajudou a bater as concorrentes: "Eu lançei Open Bar no meio do ano passado e logo depois Léo lançou Crush Blogueirinha. Então essas músicas já estavam meio batidas no Carnaval e a galera novidade do pagode nessa época".

Tony Salles
Música chiclete
O cantor também fez questão de agradecer aos compositores Rodrigo Martins, Ed Nobre e Markos Lima, "que conseguiram engrandecer as mulheres na letra". "Eles me mandaram uma seleção de dez músicas e estavam um pouco desacreditados porque foi tomaram muito 'não' de outros artistas. Eu escutei com carinho e curti pra caramba. Esse prêmio também é deles", fala.
Mas esse não é o primeiro sucesso dos compositores que bombaram na voz de artistas consagrados. Rodrigo Martins e Ed Nobre já fizeram canções para a banda Psirico e para Wesley Safadão, respectivamente. Rodrigo escreveu Psiquiatra do Bumbum, de Wesley Safadão com participação de Léo Santana, e Hipnotizou, do grupo Harmonia do Samba, também com participação do gigante. Entre as criações de Nobre estão as músicas Comando, do Harmonia; Firme e Forte, Mexe o Balaio e Arerê Geral, da Psirico, e Balacubaco, da Parangolé.
De acordo com o diretor de jornalismo da TV Bahia, Eurico Meira, a Bahia Folia integra o projeto de cobertura do Carnaval baiano realizado pela TV Bahia e consagra anualmente os grandes clássicos da maior festa de rua do planeta. "A gente conseguiu avançar mais um passo neste ano e colocamos nossa cobertura em um novo patamar. Foi muito rica não só de qualidade de conteúdo como de quantidade de horas e matérias", afirma.

Eurico Meira avalia a cobertura da TV Bahia no Carnaval como positiva
(Foto: Mauro Akin Nassor/Arquivo CORREIO)
No período da folia momesca, foram 48 reportagens exibidas em programas nacionais, como Jornal Nacional e Jornal Hoje - um aumento de 27% em comparação ao ano passado. "A gente ficou pelo menos seis meses pensando nisso. É a nossa maior cobertura. É a nossa Copa do Mundo. São pelo menos 400 profissionais envolvidos, sendo 250 pessoas trabalhando diretamente na transmissão. Além da cobertura orgânica em nossas atrações, também tivemos flashes nacionais e quase 14 horas de transmissão ao vivo, de sexta (1º) a terça-feira (5)", acrescenta.
Entre as novidades que a TV Bahia trouxe neste ano, Meira destaca a ampliação do estúdio no circuito Dodô (Barra-Ondina) e a inclusão de 12 quadros ao longo das transmissões - incluindo um com Carlinhos Brown e outro com Marrom, em que o jornalista e colunista do CORREIO contava suas histórias inusitadas de Carnaval. "Também tivemos câmeras exclusivas que acompanharam o trajeto completo dos trios nos principais circuitos", pontua.

Michelle doará vestido de noiva do casamento com Jair Bolsonaro para ajudar necessitados


1 News - Michelle Bolsonaro já havia decidido leiloar os vestidos usados na posse do marido, Jair Bolsonaro e também as peças que usou no jantar de gala, mas agora surpreendeu a todos ao revelar que pretende fazer ainda mais para ajudar as instituições filantrópicas.
A primeira-dama anunciou que pretende doar o vestido de noiva que vem guardando há seis anos, só que ainda não tem data prevista para o evento acontecer, mas muita gente já está interessada adquirir a peça.
Este vestido de noiva foi usado por Michelle em 2013, no casamento com Bolsonaro e estava muito bem guardado. Marie Lafayette foi quem desenhou este vestido de noiva, assim como outros modelitos usados pela primeira dama e que deixam as mulheres encantadas.
Alguns dias atrás, Michelle Bolsonaro foi ao ateliê de Marie, no Rio de Janeiro e encomendou algumas peças novas. A estilista disse ao Extra que a primeira dama quer ter um acervo com mais peças e então promoverá o leilão.
O vestido de noiva da primeira-dama está intacto, muito bem guardado, ele foi todo confeccionado com tule francês, o que na época era uma grande novidade no Brasil. Michelle optou por um modelo clássico, sem mangas e com simples detalhes.


O tuíte polêmico do presidente
Enquanto a primeira-dama prepara o leilão para ajudar instituições filantrópicas, Jair Bolsonaro se preocupa em resolver um problema que ele mesmo criou, que foi a postagem de um vídeo obsceno em seu perfil no Twitter.
O tuíte do presidente ganhou grande repercussão, inclusive em outros países e muitos já falam em suspender a conta de Bolsonaro na rede social e até mesmo em impeachment.
Até na manhã desta quinta-feira (07), a postagem continua disponível no perfil do presidente.

Rita Cadillac fala sobre a experiência com filmes adultos: ''Fui muito inocente''


Contigo! - Durante entrevista ao programa Revista da Cidade na quarta-feira (6), da TV Gazeta, a Rita Cadillac falou sobre fases ruins de sua vida e carreira.
A ex-chacrete falou sobre os filmes eróticos que protagonizou no meio dos anos 2000. Na época, já aos 50, ela fez uma série de filmes, que se tornaram um grande sucesso. Só que parece que a experiência não foi o que ela esperava. "Eu fui naquela que ia fingir que acontece. (...) E chegando lá era real, não era mentira", Rita disse, comparando às pornochanchadas que fez nos anos 80, em que havia apenas a simulação de atos sexuais, bem diferente dos filmes em questão. "Fui muito inocente".
Ela também declarou ter aceitado os trabalhos somente pelo dinheiro, que inclusive a permitiu comprar uma casa e ajudar o filho a comprar uma para si. Outra experiência complicada envolveu a bebida: ela disse ter tido um coma alcóolico, apesar de não ser de beber. Águas passadas, Rita disse ter se surpreendido por não ter sido tão criticada por fazer os filmes e ter recebido até apoio de senhoras.
Nem tudo foi ruim: Rita aproveitou para falar sobre como é ter um documentário sobre ela, chamado Rita Cadillac: A Lady do Povo, e como foi ver o filme pela primeira vez, na sala de cinema que frequentava quando criança. "E de repente eu tô lá naquela telona imensa contando parte da minha história... então é uma emoção muito grande!".
Aos 64 anos, Rita foi madrinha de bateria pela primeira vez pela escola Unidos do Peruche em São Paulo este ano e falou sobre a experiência também: "Olha gente, eu não sou sambista, eu venho aqui só pra mandar beijinho".

Valesca Popozuda afasta o body e exibe parte íntima


CARAS - Valesca Popozuda mostrou que voltou para a sua fase ousada. Retornando ao funk “proibidão”, a loira fez um show em Caldas Novas, em Goiás, na última terça-feira, 5, e impressionou a platéia.
Em um vídeo publicado nas redes sociais, a funkeira aparece no palco se apresentando e segurando uma plaquinha, que supostamente recebeu de presente de um fã, que diz: “calcinha para o lado, **********".
Empolgada, Valesca fala ao microfone: “Calcinha ou ******* ? É isso?”. Em seguida, a cantora questiona os fãs: “Pode ser de ladinho?”, e afasta o body para mostrar a vagina ao público.

Globo de agora se socorre da Globo de ontem para resolver seus problemas


Diário de Pernambuco - É inaceitável que a Globo, com toda a capacidade de produção que possui, lance mão de reprises, tais como “A Grande Família” ou “Sai de Baixo”, para resolver os seus problemas de programação e audiência.
O fim do “Vídeo Show”, por obra dos sucessivos erros na sua realização e falta de capacidade de reinventar o programa no momento certo, já foi um visível sinal de fragilidade, assim como a escolha da “Sessão da Tarde” para cobrir o seu horário.
Movimentos ruins que, no mínimo, deveriam merecer melhor atenção, especialmente porque outros horários e programas começam a apresentar rendimentos insatisfatórios, não apenas no Ibope, como na própria qualidade.
Pior ainda, no caso, é verificar que nada de tão importante está sendo produzido ou apresentado pelas concorrentes mais diretas para determinar tamanha modificação nos resultados e na própria maneira da Globo se comportar.
O apelo ao antigo, cada vez mais recorrente, é a revelação pura de um problema maior com necessidade de ser enfrentado.
E, vamos combinar que para todos os fins, efeitos e reprises, o Viva já nos basta como suficiente.

'Democracia só existe se as Forças Armadas quiserem', diz Bolsonaro


Yahoo - O presidente Jair Bolsonaro compareceu nesta quinta-feira, 7, à comemoração do 211º aniversário do Corpo de Fuzileiros Navais, na Fortaleza de São José da Ilha de Cobras, no centro do Rio de Janeiro. Em seu discurso, Bolsonaro declarou que a democracia só existe quando as Forças Armadas querem.
O presidente eleito afirmou que sua vitória é encarada como uma missão. “A missão será cumprida ao lado das pessoas de bem do nosso Brasil, daqueles que amam a pátria, daqueles que respeitam a família, daqueles que querem aproximação com países que têm ideologia semelhante à nossa, daqueles que amam a democracia. E isso, democracia e liberdade, só existe quando a sua respectiva Força Armada assim o quer”, declarou.
“Temos uma missão de mudar o Brasil. Esse foi nosso propósito, essa foi nossa bandeira ao longo de quatro anos andando por todo Brasil. O que eu quero para o senhores, meus irmãos militares, vocês conversando, ouvindo, debatendo uma retaguarda jurídica para que vocês possam exercer seus trabalhos, em especial nas missões extraordinárias da tropa”, indicou Bolsonaro.

Militares na reforma
O presidente eleito pediu “sacrifício aos militares e declarou que eles participarão das mudanças propostas na reforma da Previdência. “Entraremos numa nova Previdência em que entrarão os militares, mas não esqueceremos as especificidades de cada Força”, garantiu.

#Salvador - Fugitivo da polícia é flagrado por câmeras de segurança e preso


A prisão foi feita na terça-feira, mas ainda é notícia pelo fato do criminoso ter sido descoberto por câmeras de segurança com sistema de reconhecimento facial, sendo, inclusive, a primeira vez que isso acontece no Brasil.
O suspeito, Marcos Vinícius de Jesus Neri, tem 19 anos e estava sendo procurado pela polícia desde julho do ano passado por homicídio, sendo considerado pela polícia baiana como um dos criminosos mais perigosos.
Quando foi preso, estava vestido de mulher e pretendia sair em um dos blocos mais famosos de Salvador, 'As Muquiranas', que desfilou neste carnaval no circuito Barra-Ondina e foi comandado por Léo Santana.