domingo, 26 de maio de 2019

Parasite, filme da Coréia do Sul, conquista a Palma de Ouro em Cannes


Omelete - Bong Joon-ho fez história no Festival de Cannes. Ele se tornou o primeiro coreano a vencer a Palma de Ouro, o principal prêmio do evento. O diretor-roteirista conquistou a premiação graças ao elogiado thriller Parasite.
Parasite mostra a história de uma família em dificuldades que invade a vida da rica família Park e entra na cabeça deles quando um inesperado incidente acontece.
O cineasta disputou sua primeira Palma de Ouro em Cannes em 2017, com Okja – longa estrelado por Tilda Swinton e Jake Gyllenhaal exclusivo da Netflix.
Entre os outros prêmios estão Melhor Diretor, que foi para os irmãos Dardennes por Young Ahmed; Melhor Roteiro, para Celine Sciamma por Portrait of a Lady on Fire; e o vencedor do Grand Prix foi Atlantics, do diretor Mati Diop. Os prêmios de atuação ficaram com Antonio Banderas por Pain and Glory e Emily Beecham por Little Joe.

'Você Sabia?' - Marina Ruy Barbosa 'morreu' na novela Amor à Vida por se recusar a ficar careca


*INFORMAÇÕES: EXTRA E UOL
Há seis anos, em 'Amor à Vida', Marina Ruy Barbosa deu vida á órfã milionária Nicole, que não tinha nenhum parente vivo e descobrira ser portadora de um câncer. Ela morreu quando estava prestes a se casar com Thales (Ricardo Tozzi), que, juntamente com Leila (Fernanda Machado), pretendia dar um golpe na moça!
As cenas ganharam ampla repercussão na época. A decisão foi tomada pelo autor, Walcyr Carrasco, após a atriz se recusar a raspar seus cabelos, chegando até a inventar desculpa para a direção, de que tinha contrato com uma empresa de cosméticos, e ainda chegou a dizer que, como haveria uma passagem de tempo de nove meses, seria desnecessário esse processo.

Presidente afirma estar “cumprindo o que prometeu durante a campanha”

Paraíba Online - Durante o culto evangélico do qual participou na manhã deste domingo (26), no Rio, o presidente Jair Bolsonaro disse ser o único eleito na história do país que “está cumprindo o que prometeu durante a campanha”.
A declaração foi dada sobre o palco da Igreja Batista Atitude, no Recreio do Bandeirantes, ao lado do pastor evangélico Josué Valandro Júnior. Cerca de 3.800 fiéis assistiram o culto.
Ao lado da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, o presidente se ajoelhou para pedir orações “para mim, para o Brasil, e para autoridades para que consigamos vencer obstáculos”.
Sobre as manifestações em apoio ao governo, que ocorriam no mesmo horário a cerca de 30km dali, Bolsonaro afirmou serem “espontâneas” e com “pautas definidas” que iam além do apoio à presidência.
“É uma manifestação […] com respeito às leis e instituições. Mas com um firme propósito de dar um recado àqueles que tentam com velhas prática não deixar que o povo se liberte”, disse.
[foto: Fernando Frazão/Agência Brasil]
O presidente também citou a visita que fez a Israel e disse que parentes e aqueles que estavam ao seu lado sofriam com problemas que se avolumavam.
Antes de chamar Bolsonaro ao palco, o pastor Valandro apresentou o presidente como “aquele que o senhor tirou do vale da sombra da morte”, em referência ao atentado sofrido durante a campanha.
O pastor também ressaltou que o governo estaria apenas no início, e que os evangélicos deveriam orar para dar forças para que o presidente enfrente momentos de pressão.
“Senhor, nosso país carece, por isso oramos em favor do governo Bolsonaro como o melhor governo da história desse país, é o que te suplicamos”, disse.
Bolsonaro subiu ao palco sob aplausos dos presentes. Após um discurso de cerca de sete minutos, desceu do palco e assistiu ao restante da celebração ao lado de Michelle.
Bolsonaro está no Rio desde sábado (25), quando chegou à cidade para ir ao casamento de seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL). Após o culto, ele retorna a Brasília ainda na tarde de domingo.

Denúncias contra veterinários crescem cinco vezes em dez anos


Portal A Tarde - “Estou muito arrependida. Não verifiquei a regularidade nem o registro do suposto médico veterinário e acabei perdendo minha cachorra”, afirmou Gilceany Falcão, 39 anos. A moça que levou a cadela Moana, de 1 ano, a um mutirão de castração, gastou cerca de R$ 3 mil reais em procedimentos pós-operatórios por conta de uma cirurgia mal realizada.
De acordo com um levantamento do Conselho Regional de Medicina Veterinária da Bahia (CRMV-BA), o número de denúncias contra veterinários aumentou em 500% em relação a um registro feito há uma década no estado.
O levantamento foi divulgado pelas redes sociais do Conselho, significando que em 2008 foram realizadas 3 denúncias relativas a médicos veterinários, já no ano de 2018, elas corresponderam a 18. Dentre essas, está a ocorrência registrada por Gilceany Falcão que levou a cachorra a um mutirão de castração não autorizado no bairro de Cajazeiras, em junho do ano passado.

Arrependimento
Ela conta que se arrepende muito de não ter feito as devidas verificações com antecedência, pois um dia após o procedimento feito na pet, ela percebeu que o animal não estava bem. O local do operatório estava muito inflamado e expelindo secreção, fazendo com que Gilceany a levasse a um outro especialista. A surpresa veio logo na primeira consulta: a cadela estava com uma infecção contraída devido ao procedimento cirúrgico realizado irregularmente na cadela que uma semana depois veio a óbito.
Sobre isso, o coordenador do Programa de Residência em Reprodução Animal e Obstetrícia da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Rodrigo Bittencourt, afirma que a Escola de Medicina Veterinária tem recebido cada vez mais animais necessitados de correções cirúrgicas.
“Isso acontece devido a má atuação de alguns médicos veterinários, às estruturas inadequadas e à grande quantidade de procedimentos em um só dia feitos por um só profissional”, ressaltou o representante, afirmando que os mutirões precisam de uma autorização do Conselho e que as pessoas precisam se atentar a isso.

'Eu exagerei', diz Bolsonaro sobre ter chamado manifestantes da educação de 'idiotas úteis'

BRASÍLIA — O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste domingo que exagerou ao chamar de "idiotas úteis" manifestantes que foram às ruas no último dia 15 contra cortes de verbas para a Educação. Na ocasião, Bolsonaro também afirmou que os estudantes são "massa de manobra", manipulados por uma minoria que comanda as universidades federais. Para o presidente, o "certo" seria chamá-los de "inocentes úteis".


— Eu exagerei, concordo, exagerei. O certo são inocentes úteis. São garotos inocentes, nem sabiam o que estavam fazendo lá. Na teoria, usa-se a inocência das pessoas para atingir o objetivo. Uma vez atingido, as primeiras vítimas são exatamente essas pessoas. Então a garotada foi na rua contra corte na educação. Não houve corte, houve contingenciamento. Eu deixei de gastar, não tirei dinheiro. Segurei aproximadamente 3,6% do montante, que seria 30% de 12% das despesas discricionárias e a molecada foi usada por professores inescrupulosos para fazer fazer manifestação política contra o governo — disse Bolsonaro, em entrevista à Record, em Brasília.
Bolsonaro voltou a afirmar que os estudantes "foram usados por professores":
— Nós sabemos que a juventude tem um peso muito grande nessas manifestações. Agora me desculpem, mas foram usados por esses professores. A minoria não tem o compromisso de fazer com que esses jovens sejam, lá na frente, bons profissionais, bons empregados ou bons patrões — declarou.
O presidente esteve neste domingo no Rio, onde participou do casamento do filho , o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), mas não participou dos atos. Ele foi à igreja Batista Atitude, na Barra, da Tijuca, frequentada pela primeira-dama Michelle Bolsonaro. Depois da visita ao templo, o presidente afirmou que o povo estava indo às ruas "defender o futuro dessa nação" . Ao todo, 156 cidades em todos os estados e no Distrito Federal registraram atos pró-governo.

Dance Classics - 'Release Me', êxito que tornou Zöe Badwi reconhecida no mundo


No começo desta década, o Brasil inteiro conhecia a cantora australiana Zöe Badwi ao ser pedida várias vezes nas rádios a canção Release Me, cuja autoria é da própria Zöe e também de Ivan Gough, Grant Smilie e C. Snape. Os dois primeiros, Ivan e Grant, foram responsáveis pela produção da obra, originalmente lançada em 15 de novembro de 2008, porém, reconhecida por aqui dois anos depois, ainda mais por integrar o sétimo volume da série Summer Eletrohits, da Som Livre.
Zöe Badwi na capa de 'Release Me', seu maior sucesso
Release Me foi adquirida no Brasil pela saudosa gravadora Building Records, que a incluiu em repertórios famosos como 'As 7 Melhores 2011', da rádio Jovem Pan FM; e 'Comando 97 Vol. 16', da Energia 97 FM. A mesma gravadora foi responsável pela aquisição de outros três hits: Freefallin' (muito conhecido na versão de Tune Brothers), Accidents Happen e Torches.

Panda albino é avistado pela 1ª vez na história em reserva da China


R7 - Em uma reserva natural na província central de Sichuan, na China, foi avistado pela primeira vez na história um urso panda albino em liberdade, informaram neste domingo (26) veículos de imprensa locais.
A fotografia do animal, que também tem os olhos vermelhos, foi feita por uma câmera infravermelha situada a mais de 2.000 metros de altitude.
Segundo especialistas da reserva Wolong, que conseguiu fazer a foto em meados de abril, poderia se tratar de um exemplar de um a dois anos de idade que parece ter boa saúde, embora se desconheça qual é seu sexo.
Já se sabia da existência de genes causadores do albinismo em pandas, embora se trate da primeira vez que um exemplar de pelo totalmente branco é avistado.

Justiça havia proibido PM que matou mulher de se aproximar da vítima e de portar arma


Extra - A dona de casa Priscila de Araújo Piloupas, de 29 anos, que foi morta com seis tiros, neste sábado, disparados pelo marido e PM reformado Antônio Carlos Maghelly Piloupas, de 51, já havia sido agredida pelo policial em uma outra oportunidade. De acordo com amigos de Priscila, em outubro do ano passado, após um período de separação, ele a agrediu com pauladas, chegando inclusive a quebrar o braço da dona de casa.


De acordo com um processo que tramita na 4ª Vara Criminal de Duque de Caxias, no dia 1º de janeiro último, a juíza Mariana Moreira Tangari Baptista deferiu uma medida protetiva em favor de Priscila.


No despacho, a juíza determina que Antônio Carlos Maghhelly não se aproxime da mulher e mantenha uma distância mínima de 500 metros de Priscila e de seus familiares. A decisão foi tomada após Priscila relvelar ter sido agredida pelo marido, quando inclusive teria ocorrido um disparo de arma de fogo.


De acordo com amigos da dona de casa, a agressão ocorreu no dia 30 de dezembro, após o PM flagrar Priscila em companhia de um namorado. Na ocasião, o militar chegou a fazer disparos, mas ninguém ficou ferido.
Por conta disto, a decisão judicial também determinou a suspensão do porte de arma do PM. Uma ordem de apreensão da arma de Piloupas também foi expedida, ressaltando que ela só seria devolvida após o PM se submeter a uma avaliação médica pisquiátrica.
Apesar da medida protetiva, o casal que viveu 14 anos juntos se reaproximou em março último. Na madrugada deste sábado, Priscila e o marido acabaram mais uma vez discutindo. Uma irmã de criação de Priscila foi até a residência da vítima para ajudá-la.
A dona de casa pediu que ele devolvesse o celular que estaria em poder do PM e disse para a irmã chamar a polícia.
Em seguida, deixou o local em um carro, junto com a irmã e duas crianças, uma delas de 9 anos, filha do casal.
O PM seguiu o carro onde a vítima estava. Quando ela desembarcou do automóvel, em frente a casa da irmã de criação, ele a segurou pelo pescoço. Já na escada que dá acesso ao imóvel, o militar disparou dois tiros.
Priscila caiu e o militar aproveitou para fazer mais quatro disparos contra a vítma. Ela morreu na hora. Em seguida, o PM tentou suicídio e disparou contra o próprio corpo.
Ele foi socorrido por uma equipe do Corpo de Bombeiros e levado para o Hospital salgado Filho, no Méier, onde está internado sob custódia, já que foi autuado em flagrante por homicídio.
Priscila foi assassinada em Pilares, na Zona Norte do Rio. Horas antes do assassinato, o PM Piloupas postou duas fotos nas redes sociais com a legenda "Nada como o sossego do lar", ao lado de uma garrafa de bebida alcóolica e um copo.
A arma utilizada por Piloupas para matar a mulher foi apreendida por agentes da Delegacia de Homicídios da Capital (DH).

Avianca Holding, dona da Avianca Brasil, sai do controle de Germán Eframovich

El Tiempo - A crise da Avianca Brasil, que teve todos os seus vôos suspensos no Brasil nesta sexta-feira, 24 de maio, pela Agência Nacional de Aviação Civil, até que a companhia demonstre que seus voos têm a segurança necessária aos passageiros, parece não ter mais fim. O controlador da empresa brasileira, dirigido por seu irmão, José Eframovich, perdeu o controle da Avianca Holding para o sócio Roberto Kriete, dono da Taca, que se unira a Germán Eframovich para criar a Avianca Holdings, uma das fortes companhias aéreas da América do Sul.


Em entrevista ao site do jornal colombiano “El Tiempo”, Roberto Kriete explica a mudança do controle e explica os novos planos para a companhia, que tem seu controle acionário disputado pela gigante americana United.

'Cenas Inesquecíveis' - Wanda atira em Norma em Insensato Coração


Na primeira novela 'das nove' produzida pela Globo, a vingativa Norma (Glória Pires) nadou, nadou, nadou, e morreu na praia! Na última terça-feira da novela (16/08), a ex-enfermeira e viúva do milionário Teodoro (Tarcísio Meira) - cuja morte foi ela quem provocou - foi assassinada misteriosamente após discutir com o terrível Leonardo (Gabriel Braga Nunes) sobre todos os podres dele ao longo da trama, como a sabotagem do avião que explodiu e deixou como vítima mortal a cunhada Luciana (Fernanda Machado), colaborando para o próprio irmão, Pedro (Eriberto Leão), ser proibido de pilotar.
Glória Pires como Norma em 'Insensato Coração'
O mistério durou apenas três dias, mas foi o suficiente para chamar a atenção do público no último capítulo, que obteve 50 pontos de média nacional. Foi revelado que foi Wanda (Nathália do Vale), a mãe de Léo, a responsável pelo assassinato de Norma, pois tinha a intenção de protegê-lo e livrá-lo da cadeia. A personagem, pra quem não se lembra, terminou a trama internada numa clínica psiquiátrica.

Glória Pires e Gabriel Braga Nunes em cena de 'Insensato Coração'
Wanda é a assassina de Norma em 'Insensato Coração'
Assistam o momento: