domingo, 18 de agosto de 2019

Agatha Moreira, a Josiane de 'A Dona do Pedaço', revela que viver a personagem a faz chorar


CARAS - Fazendo a vilã mais odiada do momento em A Dona do Pedaço, Agatha Moreira contou em uma entrevista para o Fantástico como está sendo viver a personagem.
Durante o bate-papo com Renata Ceribelli, que vai ao ar neste domingo, 18, a atriz foi questionada pela jornalista como se sente.
"Fazer uma vilã deste tamanho, você chega em casa como?", perguntou Renata Ceribelli no teaser divulgado pela Globo.
E logo em seguida Agatha Moreira responde como fica com o papel. "Exausta, às vezes eu choro", revelou.
Assim como ela, Juliana Paes também já chorou por causa de sua personagem, Maria da Paz. Principalmente, ao gravar a cena do flagra da filha com o marido.
"Eu já desconfiava que ela daria um flagra nos dois, mas não imaginava que estaria armada. Que isso ia despertar nela atitudes e sentimentos que ela rechaçou a vida inteira. Dar um tiro! Foi um tiro que acabou com a vida dela, com os sonhos, com os planos dela de menina, de mulher, de ter uma vida feliz com alguém. Fiquei muito impressionada. Foi um choque, eu chorei muito", declarou a protagonista de A Dona do Pedaço.
Você quer ficar por dentro de todas as novidades do universo esportivo e dos seus atletas preferidos? Acesse SportBuzz.uol.com.br e não dê mais nenhuma bola fora com o seu time do coração!

Nego do Borel é parado em blitz e perde carteira de habilitação


Folha Vitória - O cantor Nego do Borel foi parado em uma blitz da Lei Seca na madrugada de sábado (17), no Rio de Janeiro.
Nego do Borel foi multado e terá de pagar R$ 2.934,70 mil, além de ter a carteira de motorista recolhida e a permissão para dirigir suspensa por um ano. O carro do cantor foi liberado, porém entregue para um condutor habilitado.
De acordo com informações da assessoria de imprensa da Operação Lei Seca, o cantor foi abordado e, após ser orientado sobre a legislação vigente, se recusou a fazer o teste do bafômetro. A assessoria também informou que a carteira de Nego do Borel é provisória. O cantor pode recorrer da decisão.

Queridinho de Silvio Santos, dono da Havan vira “funcionário” do SBT


RD1 - Luciano Hang não tem economizado quando o assunto é propagar as lojas Havan na programação da emissora de Silvio Santos. Como fato recente, o empresário virou o patrocinador do programa de Patrícia Abravanel, o “Topa ou Não Topa”, lançado pelo SBT neste sábado (17).
A harmonia entre as partes é tamanha que, recentemente, a filha de Silvio Santos visitou uma das lojas Havan e deu ao famoso um cartão de funcionário da emissora. “Eu gosto tanto do SBT que até ganhei um crachá de cliente fiel e artista“, brincou em um vídeo ao lado da apresentadora.
“Neste sábado começa uma nova parceria de sucesso: o ‘Topa ou Não Topa’, com a Patrícia Abravanel. A Havan patrocina e acredita nos programas do SBT, porque podem ser assistidos por todas as faixas etárias. É o canal da família brasileira“, destacou.
Além do patrocínio para o game show, o milionário anunciou a nova temporada do “Comprar é bom, levar é melhor”, quadro do “Domingo Legal” de Celso Portiolli, com o patrocínio das suas lojas.
Conhecido como o “véio da Havan”, Luciano Hang participou recentemente do programa de Silvio Santos. Na atração, o apresentador questionou sobre o início da loja, que já soma mais de 100 unidades no país, e também sobre sua admiração pelo presidente Jair Bolsonaro.

As celebridades arrependidas pelo apoio a Bolsonaro


- Fonte: Revista Veja -
DESILUSÃO - Danilo Gentili, que fez piada com a indicação de Eduardo Bolsonaro para embaixador em Washington: a exemplo dos cantores Fagner e Lobão, o humorista passou a ser perseguido por apoiadores do governo assim que mudou de posição (Lailson Santos; JF Diorio/Estadão Conteúdo; Gabriel Cabral/Folhapress)
Danilo Gentili costumava inflamar a tropa bolsonarista com suas piadas e pregações marcadas pelo antipetismo e grande afeição às ideias do presidente. Por essa fidelidade, ganhou uma boa recompensa: em 30 de maio, Bolsonaro se tornou o primeiro chefe do Executivo a aceitar ser entrevistado por Gentili em seu programa, The Noite, no SBT. A conversa rolou em clima de camaradagem. Mas o humor bolsonarista mudou depois que Gentili iniciou uma escalada de críticas ao presidente, principalmente em razão da decisão de indicar o filho Eduardo ao posto de embaixador em Wash­ing­ton. Em 17 de julho, seis dias após essa intenção vir a público, o humorista afirmou na TV que achava boa a iniciativa, porque seria um “Bolsonaro a menos para atrapalhar o governo”. E exibiu montagem de Eduardo com um boné em que se lia “make mamata great again”(“tornar a mamata grande de novo”), trocadilho com um slogan de Donald Trump. Eduardo reagiu, eles trocaram farpas pelo Twitter e o exército bolsonarista nas redes sociais se inflamou contra o apresentador.
O episódio acabou por engrossar a lista de celebridades arrependidas do apoio dado ao presidente. Um dos mais barulhentos fãs de Bolsonaro na época das eleições, o roqueiro Lobão pulou fora da tropa em meados de maio — fazendo também um grande barulho em torno disso. “Não tem capacidade intelectual para gerir o Brasil”, declarou em uma entrevista. De uns tempos para cá, passou a chamar o presidente de “Bolsomico” e se dispôs até a trabalhar pelo impeachment. Mais discreto, o cantor Fagner — que diz ter apoiado Bolsonaro porque desejava “mudança” — assumiu publicamente o arrependimento em entrevista ao programa Conversa com Bial, da Globo, em junho. “Parece que ele continua na campanha. Passa uma impressão de amadorismo”, afirmou.
Em meio aos desiludidos famosos, há um contingente de anônimos que também expressam seu descontentamento nas redes sociais e inspiram os memes de perfis no Twitter como Jair Me Arrependi (140 300 seguidores) e Bolsominions Arrependidos (95 600). A desilusão encontra eco em pesquisas — na última, feita em julho pelo Datafolha, 61% responderam que Bolsonaro “fez pelo país menos do que se esperava”. Assim como Gentili, não estão achando mais graça alguma no governo.

Novo O Rei Leão se torna a 10ª maior bilheteria de todos os tempos


Metrópoles - O remake da clássica animação O Rei Leão, dirigido por Jon Favreau, alcançou a marca de US$ 1,351 bilhão nas bilheterias mundiais, chegando ao ranking das dez maiores bilheterias da história do cinema.
O longa ultrapassou Pantera Negra (2018), que somou US$ 1,346 mundialmente e foi indicado ao Oscar de melhor filme.


O Rei Leão havia passado também a nova versão de A Bela e a Fera, tornando-se o remake mais lucrativo da Disney.
Com esse feito, a Disney se tornou o primeiro estúdio a conquistar cinco vezes em um ano a marca de US$ 1 bilhão.
Além de O Rei Leão, o estúdio superou a cifra com Toy Story 4, Alladin, Capitã Marvel e Vingadores: Ultimato, que também atingiu a marca de maior bilheteria de todos os tempos.

Confira o ranking das dez maiores arrecadações da história do cinema
1 – Vingadores: Ultimato (2019), de Joe e Anthony Russo (US$ 2,795 bilhões)
2 – Avatar (2009), de James Cameron (US$ 2,790 bilhões)
3 – Titanic (1997), de James Cameron (US$ 2,187 bilhões)
4 – Star Wars – O Despertar da Força (2015), de J.J. Abrams (US$ 2,066 bilhões)
5 – Vingadores: Guerra Infinita (2018), de Joe e Anthony Russo (US$ 2,048 bilhões)
6 – Jurassic World – O Mundo dos Dinossauros (2015), de Colin Trevorrow (US$ 1,672 bilhão)
7 – The Avengers: Os Vingadores (2012), de Joss Whedon (US$ 1,519 bilhão)
8 – Velozes e Furiosos 7 (2015), de James Wan (US$ 1,516 bilhão)
9 – Vingadores: Era de Ultron (2015), de Joss Whedon (US$ 1,405 bilhão)
10 – O Rei Leão (2019) – Jon Favreau (US$ 1,351 bilhão)